Bolas de fogo de Naga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Um exemplo de uma suposta ocorrência das bolas de fogo surgindo

Bolas de fogo de Naga (Tailândes: บั้งไฟ พญานาค), também conhecidos como bung fai paya nak ou luzes de Mekong, é um fenômeno muitas vezes visto no Rio Mekong, na Tailândia. Bolas brilhantes supostamente se elevam naturalmente da água para o ar. [1] As bolas são referidos como sendo avermelhadas e variam em tamanho de alguns brilhos até o tamanho de uma esfera de luz semelhante a bolas de basquete. Eles rapidamente se erguem até algumas centenas de metros antes de desaparecer. O número de bolas de fogo reportadas varia entre dezenas e milhares por noite. [2] O fenômeno é nomeado após o Phaya Naga, lendárias criaturas parecidas com serpentes que dizem viver no Mekong.

Descrição[editar | editar código-fonte]

As bolas de fogo são mais frequentemente relatadas durante a noite, no período de Wan Ok Phansa, equivalente ao término da Quaresma Budista no final de outubro. [3]

As bolas de fogo de Naga foram relatadas ao longo de aproximadamente 250 quilômetros de extensão do rio Mekong, com o centro de ocorrência aproximadamente na cidade de Phon Phisai em Amphoe Phon Phisai, ao norte da Tailândia, próximo a fronteira com Laos. Bolas também foram relatadas subindo de rios menores, lagos e lagoas nesta região.

Explicações[editar | editar código-fonte]

Embora as bolas de fogo são vistos regularmente no rio durante o festival Phayanak, um documentário de 2002 da iTV mostrou soldados de Laos disparando um traçador de munição no ar através do rio do festival. O cético Brian Dunning sugere que seria impossível para qualquer pessoa do outro lado do rio a quase um quilômetro ouvir um tiro, porque levaria 2,5 segundos para o som viajar até os espectadores, e então a platéia, observando o lançamento já teria percebido a luz e começado aplaudindo, abafando o som quando os alcançaria. [4]O biólogo Thai Jessada Denduangboripant analisou imagens de um evento da bola de fogo de Naga e concluiu que o efeito foi causado pelo disparo de pistolas de sinalização do outro lado do rio. [5]

Alguns indivíduos tentaram explicar cientificamente o fenômeno. Uma explicação é que a bola de fogo é resultado do gás fosfórico inflamável gerado pelo ambiente pantanoso. [6] Dunning escreve que tais bolas de fogo são muito improváveis ​​de se inflamarem espontaneamente e não permaneceriam acesas ao viajar na velocidade em que as bolas de fogo são vistas, as mesmas explodiriam subitamente, e que não há ciência que possa explicar "as bolas de fogo Naga serem queimadas naturalmente por bolhas de gás metano". [4]

Uma explicação semelhante envolve um fenômeno semelhante ao plasma, um estado após o aquecimento de um gás. Uma esfera de plasma flutuante livre[7], criado quando a eletricidade da superfície (por exemplo, de um capacitor) é descarregada em uma solução. No entanto, a maioria dos experimentos de bola de plasma são realizados utilizando capacitores de alta tensão, microondas osciladores, ou fornos de microondas, em vez de em condições naturais.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «5 natural events that science can't explain». MNN - Mother Nature Network (em inglês) 
  2. Duangmee, Phoowado. «Let there be lights» 
  3. «Let there be lights - The Nation». The Nation (em inglês) 
  4. a b «The Naga Fireballs» 
  5. «Myth busters: Thai scientists debunk sweating crystals, boiling oil and other superstitions». South China Morning Post (em inglês) 
  6. «The Nation - Thailand's News in English». The Nation (em inglês) 
  7. «Free Floating Plasma Orb». www.aps.org (em inglês). Consultado em 11 de julho de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]