Bolsominion

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Um dos sinais dos "bolsominions" é a mão imitando uma arma de fogo. O gesto foi popularizado por Jair Bolsonaro durante sua campanha eleitoral em 2018.[1][2]

Bolsominion é um termo pejorativo usado por opositores do atual presidente do Brasil Jair Bolsonaro para se referirem a um segmento de seus apoiadores.[3][4] O termo foi ganhando destaque na mídia concomitantemente à ascensão de Bolsonaro ao longo de sua campanha presidencial. Os atletas, Maurício Souza[5] e Gabriel Medina[6] e a vice-campeã do Miss Bumbum, Andressa Urach, são considerados bolsominions.[7]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A palavra é uma amálgama construída pela truncação "Bolso", do nome próprio Bolsonaro (apelido ou sobrenome do presidente do Brasil), e do termo francês minion, definido como "servo, lacaio". Acredita-se que o termo faz alusão a personagens dos filmes Despicable Me e Minions.[8]

Características[editar | editar código-fonte]

Em geral, os bolsominions são descritos como pessoas de extrema-direita intransigentes, reacionárias e adeptas à intervenção militar para solucionar os problemas relacionados a saúde pública, educação, segurança.[9] Eles são favoráveis ao porte de armas de fogo e usam camisetas da seleção brasileira politicamente.[10] Eles defendem que os fins justificam os meios.[11] A mudança na estrutura da sociedade brasileira é mais importante que a corrupção do patriarca ou a saúde da população.[12] Veem a relação entre intervenção militar e moralidade como fatores intimamente ligados e são, em geral, antagônicos a pautas consideradas progressistas.[13] Alguns defendem a tese de que a Terra seja plana.[14]

Para os integrantes do grupo, a mídia em geral, incluindo a TV Globo,[15] tem um viés esquerdista e organizam um complô para enfraquecer Bolsonaro.[16][17]

COVID-19[editar | editar código-fonte]

O comportamento dos intitulados bolsominions na luta contra a pandemia de COVID-19 é muito semelhante ao de alguns apoiadores de Donald Trump.[18] Eles afirmam que a cloroquina é um tratamento eficaz contra o vírus e que as vacinas são perigosas,[19][20] promovem agressão retórica e comercial à China[21][22] e apoiam a teoria de Eduardo Bolsonaro de que o "vírus chinês"[23] foi fortemente fabricado pela "ditadura da China" para destruir a liberdade e o capitalismo.[24] Em 2021, através de postagens em redes sociais, eles tentaram se organizar para invadir a embaixada da China em Brasília e atacar o embaixador Yang Wanming em 7 de setembro de 2021.[25][26]

Outra característica recorrente é a disseminação de teorias da conspiração[27] como por exemplo a existência de um chip de controle e rastreamento nas vacinas contra o COVID-19[28] ou a capacidade da vacina de alterar o DNA das pessoas.[29]

Popularidade[editar | editar código-fonte]

O termo goza de ampla utilização no cenário político-social brasileiro, sendo frequentemente mencionado por representantes políticos de diferentes os espectros ideológicos.[30][31][32] Em 2019, o deputado federal Eduardo Bolsonaro ganhou festa com temática que referenciava o termo.[33] Com o efeito da polarização política,[34] algumas mulheres evitam relacionamentos com bolsominions.[35][36][37][38]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Conheça símbolos e gestos que marcaram a campanha de Bolsonaro». Folha de S.Paulo. 31 de outubro de 2018. Consultado em 18 de março de 2021 
  2. «Bolsonaro ensina criança a imitar arma com a mão». O Globo. 20 de julho de 2018. Consultado em 18 de março de 2021 
  3. Boaventura, Luis Henrique; Freitas, Ernani Cesar de (29 de agosto de 2019). «O "cidadão de bem" e o "bolsominion": leituras antagônicas de um estereótipo no discurso político brasileiro». Revista Desenredo (3). ISSN 2236-5400. doi:10.5335/rdes.v15i3.9628. Consultado em 17 de novembro de 2020 
  4. «De onde vem a expressão bolsomínion». GZH. 2 de janeiro de 2020. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  5. «Maurício Souza, da seleção masculina de vôlei, entra em conflito com Felipe Neto devido posicionamento político». O Fuxico. 26 de julho de 2021. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  6. «Esquerdistas comemoram a derrota e cancelam Gabriel Medina: 'Ele é Bolsominion'». República de Curitiba. 27 de julho de 2021. Consultado em 27 de julho de 2021 
  7. «'Sou bolsominion e vou votar nele de novo', diz Andressa Urach sobre Bolsonaro». ISTOÉ Independente. 6 de julho de 2021. Consultado em 9 de julho de 2021 
  8. «A formação e a grafia do nome bolsomínion - Ciberdúvidas da Língua Portuguesa». ciberduvidas.iscte-iul.pt. Consultado em 9 de setembro de 2020 
  9. «Bolsominions: quem são e do que se alimentam». Extra Online. 27 de abril de 2016. Consultado em 9 de setembro de 2020 
  10. Boaventura, Luis Henrique; Freitas, Ernani Cesar de (29 de agosto de 2019). «O "cidadão de bem" e o "bolsominion": leituras antagônicas de um estereótipo no discurso político brasileiro». Revista Desenredo (3). ISSN 2236-5400. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  11. «Os porquês de tantos bolsominions». ISTOÉ Independente. 12 de março de 2021. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  12. «Os porquês de tantos bolsominions». ISTOÉ Independente. 12 de março de 2021. Consultado em 11 de agosto de 2021 
  13. «Bolsominion pediu intervenção militar, foi preso e de desesperou #shorts». Jornal Ambiente. 2 de maio de 2021. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  14. «Daniel Buarque - Para mídia estrangeira, terraplanismo no Brasil é estimulado por Bolsonaro». Blog do Brasilianismo. Consultado em 9 de julho de 2021 
  15. «Bolsominion de Salve-se Quem Puder xinga emissora na própria novela: "Bando de comunistas!"». RD1. 15 de julho de 2021. Consultado em 27 de julho de 2021 
  16. «"Bolsominions" fazem campanha para dislike em vídeo institucional da Globo». Metrópoles. 22 de julho de 2020. Consultado em 9 de setembro de 2020 
  17. Fern, Neimar; es (11 de maio de 2020). «Que as organizações Globo jogaram no lixo todo e qualquer escrúpulo ou ética jornalística, ninguém duvida.». Blog do Neimar. Consultado em 9 de setembro de 2020 
  18. Segundo, iG Último (6 de junho de 2021). «Bolsonaro é o maior influenciador da cloroquina no mundo, mostra levantamento». Último Segundo. Consultado em 5 de agosto de 2021 
  19. «Vídeo: 'Não queremos a vacina, nós temos a cloroquina', dizem manifestantes». Correio Braziliense. 7 de setembro de 2020. Consultado em 5 de agosto de 2021 
  20. «'Enlouquecidos' com cloroquina, bolsominions passam vergonha e atrapalham vacinação». TribunaHoje.com. 15 de março de 2021. Consultado em 5 de agosto de 2021 
  21. «Gravação inédita mostra bastidor da importação da vacina pelo governo de SP: 'estou no 1º plano dessa história e ainda sofrendo ataque do Bolsonaro', diz Doria». G1. Consultado em 5 de agosto de 2021 
  22. «Sarah Andrade se explica após repercussão de fala polêmica sobre a vacina e desabafa». O Fuxico. 3 de agosto de 2021. Consultado em 5 de agosto de 2021 
  23. «O "vírus chinês" e as lições da pandemia». Outras Palavras. 6 de agosto de 2021. Consultado em 22 de agosto de 2021 
  24. «'Vírus chinês': como Brasil se inseriu em disputa geopolítica entre EUA e China sobre pandemia». BBC News Brasil. Consultado em 22 de agosto de 2021 
  25. Lucena, Leonardo (16 de agosto de 2021). «Bolsonaristas preparam invasão da embaixada da China e ataque ao embaixador Yang Wanming em 7 de setembro». Brasil 247. Consultado em 22 de agosto de 2021 
  26. «Bolsonaristas querem invadir embaixada chinesa após convite de Jair para manifestação». MSN Notícias. Consultado em 22 de agosto de 2021 
  27. Soares, Olavo (24 de maio de 2021). «CPI da Covid desconsidera teorias extremas sobre a pandemia». Gazeta do Povo. Brasília. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  28. «Vacina magnetizada? Microchips na injeção? Veja os fatos sobre vacinas». Agência Brasil. Brasília. 5 de julho de 2021. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  29. Carmichael, Flora; Goodman, Jack. «Vacina não altera DNA nem tem microchip: as mentiras sobre imunização contra o coronavírus». Viva Bem UOL. Consultado em 26 de setembro de 2021 
  30. «'Apanho forte dos bolsominions nas redes sociais', diz Maia». O Globo. Rio de Janeiro. 10 de fevereiro de 2020. Consultado em 21 de novembro de 2020 
  31. «Bebbiano fala em 'traição' e garante: 'Nunca fui um bolsominion'». Yahoo Notícias. Consultado em 21 de novembro de 2020 
  32. «'Os fanáticos do PT são iguais aos Bolsominions', diz Ciro Gomes». Poder360. 31 de outubro de 2018. Consultado em 21 de novembro de 2020 
  33. «Eduardo Bolsonaro ganha festa com o tema 'Minions' em referência a 'Bolsominion'». Amazonas1. 11 de julho de 2019. Consultado em 21 de novembro de 2020 
  34. Lisboa, Daniel (7 de novembro de 2019). «PTinder e Bolsolteiros traduzem o amor em tempos de polarização política». TAB UOL. Consultado em 27 de setembro de 2021 
  35. Gente, iG (15 de julho de 2021). «Mulher de Nanda Costa exigiu que doador de esperma não fosse 'bolsominion'». Portal iG. Consultado em 27 de julho de 2021 
  36. «Fê Paes Leme diz que jamais ficaria com 'bolsominion'». LeiaJá. Consultado em 27 de julho de 2021 
  37. «Ex-bailarina do Faustão revela que terminou relacionamento após descobrir que o namorado era 'Bolsominion'». ISTOÉ Independente. 8 de junho de 2021. Consultado em 11 de agosto de 2021 
  38. «Namorada posta foto com José de Abreu e rebate seguidor: "Sai pra lá, Bolsominion"». ISTOÉ Independente. 6 de junho de 2019. Consultado em 24 de setembro de 2021 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikcionário
O Wikcionário tem o verbete bolsominion.
Wikcionário
O Wikcionário tem o verbete minion.