Bombino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bombino
Bombino em apresentação ao vivo no Druga Godba Festival em Ljubljana, Eslovênia, 30 de maio de 2014
Informação geral
Nome completo Goumar Almoctar
Também conhecido(a) como Bombino
Nascimento 01 de janeiro de 1980 (39 anos)
Origem Tidene, Níger
Gênero(s) Rock, Blues, world music
Instrumento(s) Guitarra, Voz
Gravadora(s) Cumbancha Discovery, Nonesuch
Página oficial http://www.bombinomusic.com

Omara "Bombino" Moctar é um internacionalmente aclamado guitarrista e compositor tuaregue da região de Agadez, no Níger. A temática de suas canções remete frequentemente às questões geopolíticas do seu país e de seu povo, e  são cantadas no dialeto tuaregue de Tamasheq .[1] Bombino é protagonista do documentário Agadez, the Music and the Rebellion.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Bombino nasceu em 1980, em Tidene, Níger, um acampamento tuaregue cerca de 80 quilômetros a nordeste de Agadez. Ele é membro da tribo Ifoghas, que pertence à federação tuaregue Kel Air .[2] Durante a explosão da Rebelião Tuaregue de 1990, Bombino, juntamente com seu pai e sua avó, foi forçado a fugir para um povoado próximo, na Argélia, onde estariam seguros .[2] Durante esse tempo de exílio, certos parentes que o visitaram acabaram deixando uma guitarra, e Bombino começou a praticar e aprender a tocá-la por conta própria.[3] Mais tarde, teve aulas com Haja Bebe, um renomado guitarrista tuaregue. Bebe o convidou para se juntar à sua banda, onde ele ganhou o apelido de "Bombino", derivado da palavra italiana "bambino", que significa "pequenino". Enquanto vivia na Argélia e na Líbia durante sua adolescência, Bombino e seus amigos costumavam assistir a vídeos de Jimi HendrixMark Knopfler, entre outros, para aprender seus estilos. Trabalhou tanto como músico quanto como pastor no deserto próximo de Tripoli. Em 1997, voltou à Agadez e então começou sua vida como músico profissional.

O cineasta Hisham Mayet conseguiu realizar uma gravação de Bombino e sua banda, a Group Bombino, durante uma apresentação num casamento em 2007. Essas gravações, juntamente com várias performances acústicas no estilo dry guitar, podem ser ouvidas no álbum Group Bombino - Guitars from Agadez, vol. 2, lançado em 2009 pela gravadora Sublime Frequencies, de Seattle, Washington .[4] Em 2007, as tensões cresceram novamente no Níger e acabaram explodindo outra rebelião. Na esperança de coibir qualquer tipo de manifestação, o governo do país baniu as guitarras dos tuaregues, pois o instrumento estava sendo considerado um símbolo da rebelião. Em entrevista, Bombino comentou, "Eu não vejo minha guitarra como uma arma, mas sim como um martelo com o qual posso ajudar a construir a casa do povo Tuaregue" .[5] Bombino teve dois de seus colegas músicos executados pelas tropas do governo, forçando-o a exilar-se novamente .[6]

Em janeiro de 2010, Bombino pôde finalmente voltar à sua terra natal. Para celebrar o fim dos conflitos, ocorreu um grande show na base da Grande Mesquita de Agadez, show este que obteve a benção do Sultão. Na ocasião, Bombino e sua banda tocaram para mais de mil pessoas que dançavam e celebravam o fim das lutas.

Durante o tempo em que Bombino viveu exilado em Burkina Faso, o cineasta Ron Wyman tomou conhecimento das suas gravações em fita cassete e decidiu encontrá-lo, encorajando Bombino a gravar suas músicas apropriadamente. Bombino concordou e os dois produziram um álbum juntos em Agadez com a ajuda de Chris Decato. As gravações resultaram no álbum Agadez, lançado em abril de 2011, que estreou no topo do iTunes World Chart.[7]

O sucesso de Agadez atraiu muitas estrelas da música para perto de Bombino, incluindo Dan Auerbach, da banda The Black Keys. Em junho de 2012, Auerbach começou a produzir o segundo álbum solo internacional de Bombino, intitulado Nomad. O álbum foi lançado pela Nonesuch Records em 2 de abril de 2013[3][8] e estreou na 1ª posição do iTunes World Chart e da Billboard World Chart.[3][9] Em maio de 2013, Bombino iniciou uma turnê de shows pelos Estados Unidos .[3] A turnê incluiu participações em grandes festivais de música, incluindo o Bonnaroo e o Newport Folk Festival. Em 2013, Bombino também foi convidado a abrir shows de Robert Plant, Amadou & Mariam e Gogol Bordello.[10]

Em 1 de Abril de 2016, ele lançou o álbum Azel.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 2009 - Group Bombino - Guitars from Agadez, vol. 2 (Sublime Frequencies)
  • 2010 - Agamgam 2004 (Reaktion)
  • 2011 - Agadez (Cumbancha)
  • 2013 - Nomad (Nonesuch Records)
  • 2016 - Azel (Partisan Records)
  • 2017 - "La Sombra" (participação)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Tsioulcas, Anastasia (24 de março de 2013). «First Listen: Bombino, 'Nomad'». NPR.org. Consultado em 25 de março de 2013 
  2. a b «Bombino Biography». Cumbancha.com. Consultado em 25 de março de 2013 
  3. a b c d «Bombino's New Album Nomad Due April 2nd». Cumbancha.com. 1 de fevereiro de 2013. Consultado em 25 de março de 2013  Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "nomad" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes Erro de citação: Código <ref> inválido; o nome "nomad" é definido mais de uma vez com conteúdos diferentes
  4. «Group Bombino: Guitars From Agadez Vol. 2 LP». SublimeFrequencies.com. Consultado em 25 de março de 2013 
  5. «Interview with Bombino: "I envied Jimi Hendrix's freedom"». artistxite.com. Consultado em 25 de julho de 2013 
  6. Turner, Jill (10 de fevereiro de 2010). «Bombino gets European release for his album Agadez on Cumbancha». GondwanaSound.com. Consultado em 25 de março de 2013 
  7. Heselgrave, Doug (8 de fevereiro de 2011). «Silk and Sandpaper - new music from the desert». NoDepression.com. Consultado em 25 de março de 2013 
  8. «Nonesuch to Release New Album from Tuareg Guitarist/Singer Bombino in Early 2013». Nonesuch.com. 5 de Novembro de 2012. Consultado em 25 de março de 2013 
  9. «Bonnaroo Bio». Bonnaroo.com. 13 de junho de 2013. Consultado em 13 de junho de 2013 
  10. «Bombino Official Tour Dates». bombinomusic.com. 13 de junho de 2013. Consultado em 13 de junho de 2013 

Links externos[editar | editar código-fonte]