Bona de Armagnac

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bona de Armagnac
Duquesa Consorte de Orleães
Reinado 15 de agosto de 14101430/35
Antecessor(a) Isabel de Valois
Sucessor(a) Maria de Cleves
 
Cônjuge Carlos, Duque d'Orleães
Casa Armagnac (por nascimento)
Valois (por casamento)
Nascimento 19 de fevereiro de 1395
  Lavardens, Gers, França
Morte 1430 (35 anos) ou 11 de novembro de 1435 (40 anos)
  Castelnau-de-Montmiral, Tarn, França
Pai Bernardo VII, Conde de Armagnac
Mãe Bona de Berry

Bona de Armagnac (em francês: Bonne d'Armagnac; Lavardens, 19 de fevereiro de 1395 — Castelnau-de-Montmiral, 1430/16 de novembro de 1435)[1] foi duquesa consorte de Orleães como a segunda esposa de Carlos, Duque d'Orleães.

Família[editar | editar código-fonte]

Bona era a filha mais velha de Bernardo VII, Conde de Armagnac e de Bona de Berry, viúva do conde Amadeu VII de Saboia. Seus avós paternos eram o conde João II de Armagnac e Joana de Périgord. Seus avós maternos eram o duque João de Berry e Joana de Armagnac.

Bona teve seis irmãos mais novos, e três meio-irmãos por parte de mãe, frutos de seu primeiro casamento.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Na data de 18 de abril de 1410, em Gien, foi assinado um contrato de noivado entre Bona e o duque Carlos. Ele era filho de Luís de Valois, Duque d'Orleães, cujo pai era o rei Carlos V de França, e de Valentina Visconti, Duquesa de Orleães.

Anteriormente, Carlos havia sido casado pela primeira vez com Isabel de Valois, filha do rei Carlos VI de França, e viúva do rei Ricardo II de Inglaterra. Ela morreu em 1409, durante o parto.

Eles se casaram em 15 de agosto de 1410, em Riom, na Auvérnia. Bona teve uma enteada, Joana de Valois, Duquesa de Alençon, esposa de João II d'Alençon.

Após a derrota do franceses durante a Batalha de Azincourt, em 25 de outubro de 1415, parte da Guerra dos Cem Anos, seu marido foi feito prisioneiro pelos ingleses. Ele ficou preso durante 25 anos.

O casal não teve filhos, e Bona morreu na década de 1430, enquanto seu marido ainda estava preso.

Em 1440, ele foi libertado, e voltou à França. Viúvo, casou-se pela terceira e última vez com Maria de Cleves, que lhe deu três filhos, inclusive o rei Luís XII de França.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]


Referências