Bonitinha, mas Ordinária

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Bonitinha mas Ordinária)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: "Bonitinha mas Ordinária" redireciona para este artigo. Para o filme com Lucélia Santos, veja Bonitinha mas Ordinária ou Otto Lara Resende. Para o filme com Letícia Colin, veja Bonitinha, mas Ordinária (2008).
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde junho de 2013).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Bonitinha mas Ordinária
Otto Lara Rezende ou Bonitinha mas Ordinária
 Brasil
1963 •  pb •  101 min 
Direção J.P.Carvalho
Roteiro Jece Valadão
Baseado em Bonitinha mas Ordinária de Nelson Rodrigues
Elenco Jece Valadão
Odete Lara
Fregolente
Género drama
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Otto Lara Rezende ou Bonitinha mas Ordinária é um filme brasileiro de 1963 do gênero drama, dirigido por J.P. Carvalho, com roteiro de Jece Valadão (também produtor e protagonista) [1] que adaptou a peça homônima de Nelson Rodrigues.[2] Houve refilmagens em 1981 e 2008.Música de Carlos Lyra.

O título original que faz menção a Otto Lara Rezende, deve-se a uma frase atribuída a ele citada pelo personagem de Jece Valadão: "Mineiro só é solidário no câncer".

Elenco[editar | editar código-fonte]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Heitor Wernek é um milionário que pede ao genro Peixoto que procure dentre seus funcionários um rapaz para se casar com sua filha caçula de 17 anos, Maria Cecília. A razão é o fato da filha ter sido estuprada por três negros desconhecidos quando estava num automóvel dirigido por Peixoto que sofreu uma pane num local ermo. O escolhido é Edgar, funcionário há onze anos na companhia. Mas num primeiro encontro Heitor humilha Edgar considerando que ele fosse um novo "Peixoto", o genro que se casou com a outra filha apenas pelo dinheiro. Edgar não aceita o compromisso, xinga Heitor e abandona o emprego mas volta atrás por se sentir atraído por Maria Cecília. Mas ele também gosta de outra moça, a vizinha Rita, que trabalha fora para cuidar das três irmãs menores e da mãe doente. Enquanto Edgar luta para provar que não se vendeu, ele terá novas revelações sobre Rita e Maria Cecília, além de conhecer mais de perto a vida decadente de Heitor e Peixoto.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.