Bonsucesso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o bairro do Rio de Janeiro. Para outras acepções, veja Bonsucesso (desambiguação). Para outros significados, veja Bom Sucesso.
Bonsucesso
  Bairro do Brasil  
Vista de Bonsucesso.
Vista de Bonsucesso.
Bairro Bonsucesso.svg
Distrito Zona Norte
Criado em 23 de julho de 1981[1]
Área
 - Total 219,97 ha (em 2003)
População
 - Total 18 711 (em 2 010)
 - IDH 0,861[2](em 2000)
Domicílios 7 133 (em 2010)
Limites Ramos, Complexo do Alemão,
Higienópolis, Manguinhos
e Complexo da Maré[3]
Subprefeitura Zona Norte
Fonte: Não disponível
Bonsucesso Futebol Clube - Fundado em 1913
G.R.E.S. Gato de Bonsucesso

Bonsucesso é um bairro da Zona da Leopoldina na Zona Norte do município do Rio de Janeiro, no Brasil.

Seu IDH, no ano 2003, já era de 0,861, o 40º melhor do município do Rio de Janeiro.[4]

No passado, o bairro constitui-se em um dos principais centros industriais da cidade. Com o deslocamento do eixo econômico para outras regiões a partir da década de 1980, possui ainda um número expressivo de comércio e serviços.

No bairro está localizado a sede e o Estádio Leônidas da Silva do Bonsucesso Futebol Clube, clube que disputa a Série A do Campeonato Carioca, entre outros.

História[editar | editar código-fonte]

Avenida Paris, no bairro Bonsucesso.

.Bonsucesso é um bairro que se destaca na Zona da Leopoldina. Seus moradores são predominantemente de classe média. A área onde se integra o atual bairro, na época colonial estava compreendida no chamado Engenho da Pedra, cujas terras se estendiam até ao porto de Inhaúma, por onde era escoada a produção agrícola e de açúcar do recôncavo do Rio de Janeiro. Como muitos bairros do Rio, este centro urbano encontra-se próximo a comunidades de baixa-renda, como por exemplo a Maré, um conjunto de dezesseis comunidades que se espalham por cerca de 800 mil metros quadrados, que começa nos morros próximos à Avenida Brasil e vai até a margem da Baía de Guanabara, sendo cortado pela Linha Vermelha e pela Linha Amarela, além do Complexo do Alemão. Ambas as comunidades próximas estão atualmente pacificadas e com UPPs.

Em 1754, a dona das terras do engenho, Cecília Vieira de Bonsucesso, procedeu à reforma da capela de Santo António, que se erguia perto das instalações da moenda de cana-de-açúcar. A propriedade era conhecida, à época, como Engenho da Pedra de Bonsucesso.

Ao final do século XIX, foi erguida uma capela em louvor a Nossa Senhora do Bonsucesso, num terreno no alto da rua Olga, doado por Adriano Rocha Costa (1896). A imagem da santa foi desembarcada no porto e trazida em procissão solene, pelos fiéis, até ao novo santuário. Por volta de 1914, o engenheiro Guilherme Maxwell, que adquirira as terras do antigo Engenho da Pedra, decidiu loteá-las e urbanizá-las. Sob influência da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), que nesse ínterim eclodira, decidiu batizar os logradouros que se abriam, com nomes que homenageassem os países aliados contra a Alemanha: a França, a Inglaterra, a Bélgica, a Itália e os Estados Unidos. Surgiram assim, respectivamente, a Praça das Nações e as avenidas Paris, Londres, Bruxelas, Roma e Nova Iorque.

Posteriormente, um membro da família Frontin, expandiu o bairro, loteando a área além da linha férrea da Leopoldina. Ainda sob influência da Primeira Guerra, abriu as ruas Clemenceau, Marechal Foch e General Galieni. Saint-Hilaire e Alexander Von Humboldt, cientistas que exploraram o interior do Brasil no século XIX, também foram homenageados.

Economia[editar | editar código-fonte]

Estação de trem/teleférico da SuperVia em Bonsucesso

Possui dezenas de agências bancárias, casas de empréstimo, redes de lojas como Leader, C&A, Simonella, DiSantinni, Kik, Amigão, Casa & Vídeo, Magal, Summer, entre outras. Existem também restaurantes famosos na Zona Norte como a churrascaria Boisucesso, Chapéu de Couro (típico nordestino) e o Bom na Brasa, além de Fast-foods como o McDonalds, Habbibs, Bob's, Subway, Domino's Pizza e diversas lanchonetes. Os Supermercados Guanabara e Extra, várias Instituições de Ensino Particular. Vale destacar que muitas empresas e grupos prestadores de serviço de Sao Paulo tiveram início neste bairro.


Infra-estrutura[editar | editar código-fonte]

Rua Cardoso de Morais.

Bonsucesso possui 2 instituições de ensino superior distintas o Centro Universitário Augusto Motta (UNISUAM) e a Faculdade Gama e Souza. Possui o maior hospital federal do estado, o HGB (Hospital Geral de Bonsucesso),[5] um hospital particular, e diversas escolas públicas e privadas, e recentemente recebeu grandioso investimento da Rede de Supermercados Vianense, Guanabara e Supermarket,[6], demonstrando o vigor do bairro rumo ao crescimento econômico.

Elenco do Bonsucesso F.C em 2009

Outro ponto bastante peculiar do bairro é a praça Augusto Motta, onde os idosos se reunem diariamente para o carteado e onde se encontra uma bela imagem de Nossa Senhora Aparecida e a surpreendente concentração de veículos e estacionamentos (possui inclusive edifício-garagem).

O bairro possui uma geografia de ruas bem dispostas e planejadas no lado da Praça das Nações, sendo suas principais vias a rua Cardoso de Morais e a Avenida Teixeira de Castro. Do outro lado da estação de trem, destaca-se a estreita via principal de mão dupla, a Rua Uranos. É servido por dezenas de linhas de ônibus e por uma estação de trem, antes pertencente à Estrada de Ferro Leopoldina, e hoje administrada pela Supervia. Na Cardoso de Morais também possui uma estação de BRT. A estação de trem é pouco usada pelos moradores. Devido a má condição atual dos trens, muitos preferem o trânsito dos ônibus e o conforto "inseguro" das vans. O bairro receberá a construção de um viaduto que será executado paralelo à Linha Amarela, para desafogar o trânsito e permitir nova passagem sobre a linha férrea.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Praça das Nações e o Cine Paraíso no centro, 1929.

Bonsucesso é um dos únicos bairros da cidade onde uma Igreja Católica está em franca construção: a paróquia de São Tomé Apóstolo, na Av. Nova Iorque, 348, a terceira do país. Além desta possui as paróquias de Nossa Senhora de Bonsucesso e Nossa Senhora de Bonsucesso de Inhaúma (apesar de ser em Bonsucesso mesmo, leva este nome) e a Paróquia de Santa Luzia. Na Av. Guilherme Maxwell está sediada a Primeira Igreja Batista em Bonsucesso, fundada em 1916 pelo pr. João Fulgêncio Soren e considerada pela Convenção Batista Brasileira (CBB) como uma das igrejas batistas mais antigas do Brasil.

A primeira sala de cinema de Bonsucesso foi o Cine Paraíso. Inaugurado em 1928, fechou sua portas na década de 70. Hoje integra o prédio da Universidade UNISUAM. A última sala de cinema de Bonsucesso a fechar foi o Cine Mello. Fechou suas portas em 1980, para dar lugar ao supermercado Sendas. O bairro encontrava-se sem salas por cerca de 25 anos em 2004, quando surgiu o Microcine Bonsucesso, a única opção de exibição de filmes, inclusive dos bairros vizinhos, Olaria, Ramos, Higienópolis e Manguinhos. O Microcine Bonsucesso[7] funciona no prédio do Instituto Cultural Cinema Brasil-ICCB,[8] na Avenida Teixeira de Castro, e é dedicado a filmes brasileiros de todas as épocas. na Avenida Teixeira de Castro está localizado também o tradicional Bonsucesso Futebol Clube

Na Rua Cardoso de Morais, acontecia o desfile do Grupo 3 dos blocos, que anteriormente tinha escolas de samba desfilando no carnaval.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons