Boom econômico dos Estados Unidos na década de 1990

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Boom econômico dos Estados Unidos na década de 1990 foi um periodo de alto crescimento econômico nos Estados Unidos em que a economia cresceu por 10 anos seguidos ou 120 meses seguidos sem parar; esse crescimento começou após o fim da recessão do inicio dos anos 90, em Março de 1991, no governo do presidente George H.W. Bush e terminou com a recessão do início dos anos 2000 em Março de 2001[1]; durante esse período a taxa de desemprego caiu bastante passando de 6,8% de março de 1991 para 4,3% em março de 2001 e também durante esses 10 anos de crescimento econômico os Estados Unidos criaram mais de 24 milhões de empregos, uma média de 200 mil empregos ao mês[2], tendo sido a taxa de desemprego mais baixa da historia americana.

Durante esta época (1991-2001) o PIB dos EUA saltou de US$ 8,8 trilhões no inicio de 1991 para US$ 12,6 trilhões no inicio de 2001[3] e a renda per capita saltou de US$ 23,443 em 1991 para US$ 35,912 em 2001[4]; o preço do barril do petróleo custava US$ 23,00 em 1991 e passou para US$ 12,00 em 1998.[5]

Foi a mais longa expansão econômica da história dos EUA e durou 10 anos, tendo se iniciado em março de 1991 e acabado em março de 2001[6]. Este grande crescimento ajudou o então presidente Bill Clinton a conseguir uma grande popularidade.[7]

Motivos para o grande crescimento[editar | editar código-fonte]

A internet foi um dos grandes pilares do alto crescimento econômico do Estados Unidos na década de 1990, muitas grandes empresas do ramo como o Google e o Yahoo surgiram neste período.
As torres do World Trade Center foram um dos símbolos da prosperidade e do poder econômico dos Estados Unidos na década de 1990.

Uma combinação de elementos como o desenvolvimento tecnológico, a popularização da internet e a politica econômica chefiada por Alan Greenspan podem ter contribuído para o país a ter esse grande crescimento; outro motivo pode ter sido a criação do Nafta em 1992 que ajudou os EUA a aumentar a venda de seus produtos no Canadá e no México.[8]

Ano Crescimento Superavit/Deficit Empregos criados PIB Presidente
1990 1,86% Baixa -USS 221,1 bilhôes 311.000 US$ 8.7 trilhões George H.W. Bush
1991 -0.26% Baixa -US$ 269,3 bilhões 858.000 US$ 9.0 trilhões George H.W. Bush
1992 3,40% Baixa -US$ 290,4 bilhões 1.154.000 US$ 9.3 trilhões George H.W. Bush
1993 2,87% Baixa -US$ 255,1 bilhões 2.788.000 US$ 9.6 trilhões Bill Clinton
1994 4,11% Baixa -US$ 203,2 bilhões 3.851.000 US$ 10.0 trilhões Bill Clinton
1995 2,55% Baixa -US$ 164,0 bilhões 2.153.000 US$ 10.2 trilhões Bill Clinton
1996 3,79% Baixa -US$ 107,5 bilhões 2.794.000 US$ 10.7 trilhões Bill Clinton
1997 4,51% Baixa -US$ 22,0 bilhões 3.355.000 US$ 11.1 trilhões Bill Clinton
1998 4,40% Aumento US$ 69,2 bilhões 3.002.000 US$ 11.7 trilhões Bill Clinton
1999 4.87% Aumento US$ 125,6 bilhões 3.174.000 US$ 12.3 trilhões Bill Clinton
2000 4.17% Aumento US$ 236,4 bilhões 1.948.000 US$ 12.6 trilhões Bill Clinton
2001 2.18% Aumento US$ 128,2 bilhões 1.761.000 US$ 12.7 trilhões George W. Bush
2002 3.77% Baixa -US$ 157,7 bilhões 545.000 US$ 12.9 trilhões George W. Bush

Referências


Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.