Boras (cidade)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Boras.
Suécia Boras

Boros • Borås

 
  Cidade  
Centro da cidade, atravessado pelo rio Viskan
Centro da cidade, atravessado pelo rio Viskan
Brasão de armas de Boras
Brasão de armas
Boras está localizado em: Suécia
Boras
Localização de Boras na Suécia
Coordenadas 57° 43' N 12° 56' E
Região Gotalândia
Província Gotalândia Ocidental
Condado Gotalândia Ocidental
Comuna Boras
Área
- Total 40,5 km²
População (2018)
 - Total 80 858
    • Densidade 1 996,5 hab./km²

Boras[1], Boros[2] ou Borås[3] (em sueco: Borås) é uma cidade da região de Gotalândia, da província da Gotalândia Ocidental, condado de Gotalândia Ocidental e comuna de Boras, onde é sede. Tem 40,5 quilômetros quadrados. De acordo com o censo de 2018, havia 80 858 habitantes.[4] Está a 60 quilômetros de Gotemburgo e a 70 de Ionecopinga. Nela passa o rio Viskan. É o centro da região conhecida como Sjuhärad, com grande tradição na indústria têxtil.[5][6][7]

Em sua economia predomina a indústria têxtil, mas hoje há mais diversidade, com destaque às indústrias metalo-mecânicas e do plástico, assim como às empresas de vendas pelo correio.[8]

Etimologia e uso[editar | editar código-fonte]

O topônimo Borås deriva dos termos nórdicos bod (casa de arrecadação) e ås (sítio elevado).[9] Aparece como Boeråås, em 1622, ano da sua fundação, a sudeste da elevação então chamada de Buaråsen.[10] Em textos em português costuma ser usada a forma original Borås, ocasionalmente escrita como Boras, devido à ausência da letra å no alfabeto português. [nota 1]

História[editar | editar código-fonte]

Boras foi fundada em 1621, tendo recebido "privilégios de cidade" do rei Gustavo II Adolfo (r. 1611–1632). Igualmente recebeu monopólio do comércio na região, com objetivo de controlar as ações de vendedores ambulantes de têxteis e artigos de madeira e ferro, ao mesmo tempo que permitia a recolha de impostos. Após rápida expansão económica e populacional no século XVII, sofreu agravamento da situação devido a muitos vendedores a evitarem e começarem a operar a partir da concorrente Ulricehamn. Finalmente, o monopólio foi extinto, e novo período de expansão foi iniciado, com relevo às novas fábricas de algodão e têxteis do século XIX. Boras passou assim a ser uma das maiores cidades da Suécia, apesar de ter sido devastada por quatro grandes incêndios em 1681, 1727, 1822 e 1827, motivo pelo qual não existem edifícios antigos, e algumas ruas foram alargadas como medida de prevenção. No século XX, a atividade têxtil diminuiu paulatinamente, sendo substituída por outras indústrias e crescentes funções administrativas e sociais.[12] [13][14][15]

Boras, segundo a obra monumental Suécia Antiga e Hodierna (1716)

Comunicações[editar | editar código-fonte]

Boras é atravessada pelas estradas nacionais 40, 41, 27 e 42, é um nó férreo com ligações a Udevália, Gotemburgo, Calmar, Carloscrona e Varberga e fica a 39 quilômetros do aeroporto de Gotemburgo-Landvetter.[16][17]

Estradas[editar | editar código-fonte]

Vias férreas[editar | editar código-fonte]

Aeroportos[editar | editar código-fonte]

Estação ferroviária de Boras

Educação[editar | editar código-fonte]

Escola Superior de Engenharia Têxtil
Escola Superior

Além do ensino básico e secundário, Boras dispõe de estabelecimentos de ensino superior no âmbito de suas escolas superiores. Especial destaque vai à formação de bibliotecários e de engenheiros têxteis. Na Escola Superior de Ensino Profissional são formados engenheiros de automatização, técnicos de informática, secretários de médicos, etc. A Escola Superior Popular permite aos adultos completar a escolaridade básica e secundária, assim como formação em áreas como Música Coral Internacional.[13][18]

Ensino superior[editar | editar código-fonte]

Ensino popular para adultos[editar | editar código-fonte]

  • Escola Superior Popular[22]

Ensino superior profissional[editar | editar código-fonte]

  • Escola Superior Profissional[23]

Cultura[editar | editar código-fonte]

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

Alguns destinos mais procurados atualmente são:[24]

Referências

  1. DN 2019.
  2. Reitoria 2017.
  3. FURB 2013.
  4. CP 2018.
  5. Harlén 2003, p. 48.
  6. Ottosson 2008, p. 418.
  7. Åberg 1985, p. 310.
  8. Skiöld 1999, p. 12.
  9. Wahlberg 2003, p. 46.
  10. Pamp, Bengt (1988). «Namn på städerna (Nomes das cidades)». Ortnamnen i Sverige (Nomes de localidades da Suécia) (em sueco). Lund: Studentlitteratur. p. 58. 199 páginas. ISBN 91-44-01535-6 
  11. https://pt.wikipedia.org/wiki/Discussão:Boras_(cidade)
  12. Boras 2019.
  13. a b ENS 2019.
  14. Editores 1998.
  15. Ahlmann 1930.
  16. Björklund 2006, p. 68-69.
  17. LJ 2016, p. 20.
  18. Söderman 2019.
  19. HB 2019.
  20. HB 2019a.
  21. HB 2019b.
  22. Boras 2019a.
  23. Boras 2019b.
  24. Ottosson 2008, p. 418-419.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. A grafia original Borås é usada maioritariamente em textos em português, enquanto a grafia Boros tem um uso residual.[11]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Boras