Borat Subsequent Moviefilm

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Borat Subsequent Moviefilm
Borat: Fita de Cinema Seguinte (BRA)
Estados Unidos
cor •  96 min 
Direção Jason Woliner
Produção Sacha Baron Cohen
Anthony Hines
Monica Levinson
Roteiro Peter Baynham
Sacha Baron Cohen
Jena Friedman
Anthony Hines
Lee Kern
Dan Mazer
Erica Rivinoja
Dan Swimer
História Sacha Baron Cohen
Anthony Hines
Nina Pedrad
Dan Swimer
Baseado em Borat Sagdiyev
Elenco Sacha Baron Cohen
Maria Bakalova
Música Erran Baron Cohen
Cinematografia Luke Geissbühler
Companhia(s) produtora(s) Four by Two Films
Oak Springs Productions
Distribuição Amazon Studios
Prime Video
Lançamento 23 de outubro de 2020
Idioma inglês
búlgaro
hebraico
polonês
romeno
Cronologia
Borat! Cultural Learnings of America for Make Benefit Glorious Nation of Kazakhstan

Borat Subsequent Moviefilm (bra: Borat: Fita de Cinema Seguinte)[1][2] é um filme de comédia e mocumentário estadunidense de 2020 dirigido por Jason Woliner. O filme é estrelado por Sacha Baron Cohen, como o repórter cazaque fictício Borat Sagdiyev, e Maria Bakalova como sua filha Tutar, que é oferecida como noiva ao vice-presidente Mike Pence. O longa-metragem é uma continuação de Borat: Cultural Learnings of America for Make Benefit Glorious Nation of Kazakhstan, de 2006.

Embora Baron Cohen tenha dito em 2007 que ele havia aposentado o personagem Borat, o ator foi flagrado no disfarce em 2019 e foi visto em filmagens durante a pandemia de COVID-19 no início de 2020, aumentando as especulações de que um possível segundo filme do Borat seria lançado. O projeto foi oficialmente anunciado em setembro de 2020 e os direitos de distribuição foram adquiridos pela Amazon Studios. Borat Subsequent Moviefilm foi lançado em 23 de outubro de 2020 no Prime Video. O filme recebeu elogios da crítica pelo desempenho de Baron Cohen e Bakalova, bem como pelos comentários sobre a cultura americana. Em 2021, foi indicado ao Oscar nas categorias de melhor atriz coadjuvante para Maria Bakalova, e melhor roteiro adaptado.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Sacha Baron Cohen como Borat Margaret Sagdiyev, um repórter cazaque que adquiriu fama internacional e notoriedade após o lançamento de Borat e que esteve preso no Cazaquistão pelos últimos 14 anos por trazer vergonha ao país.[3]
  • Maria Bakalova como Tutar Sagdiyev, a filha adolescente de Borat.[4][5]
  • Dani Popescu como o premier Nazarbayev, versão fictícia do líder do Cazaquistão Nursultan Nazarbayev.[6][7][8]
  • Tom Hanks como ele mesmo
  • Manuel Vieru como Dr. Yamak (Lágrimas de Cigano), que infecta Borat com o novo coronavírus e o transforma em paciente zero da pandemia.
  • Miroslav Tolj como Nursultan Tulyakbay, o odiado vizinho de Borat que rouba sua família e pertences enquanto Borat esteve na prisão.
  • Alin Popa como HueyLewis / Jeffrey Epstein Sagdiyev, filho de Borat
  • Ion Gheorghe como Bilak Sagdiyev, filho de Borat
  • Nicolae Gheorghe como Biram Sagdiyev, filho de Borat
  • Marcela Codrea como uma moradora do vilarejo
  • Luca Nelu como um morador do vilarejo
  • Nicoleta Ciobanu como Babuska

Mike Pence e Rudy Giuliani apareceram no filme como eles mesmos.

Os espectadores que aparecem no filme incluem o vendedor Brian Patrick Snyder, a influenciadora digital e sugar baby Macy Chanel, o Pastor Jonathan Bright, dono do centro pró-vida, a coach de debutantes Jean Sheffield, o cirurgião plástico Charles Wallace, a babá Jeanise Jones, o dono da barbearia Alan "Randy" Knight, o clube de Mulheres Republicanas de Hillsborough, e os crentes na teoria da conspiração QAnon Jerry Holleman e Jim Russell, enquanto a sobrevivente do holocausto Judith Dim Evans faz uma participação póstuma.[6]

Sid Miller, Donald Trump, e Donald Trump Jr. estavam originalmente no filme, mas suas cenas foram cortadas.[9][10] A comediante Luenell também possuiu cenas no filme como a personagem Luenell, prostituta que casa-se com Borat no final do primeiro filme, mas suas cenas foram cortadas.[11]

Produção[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Baron Cohen giving a thumbs up, dressed as Borat
Sacha Baron Cohen caracterizado como Borat na estreia do primeiro filme em Colônia em 2006. Baron Cohen estava inicialmente hesitante em fazer uma continuação e aposentou o personagem em 2007. Borat voltou apenas em 2018 em uma campanha a favor do voto.

Rupert Murdoch anunciou no início de fevereiro de 2007 que Baron Cohen havia assinado para fazer outro filme do Borat com a 20th Century Fox, distribuidora do primeiro filme.[12] Baron Cohen posteriormente disse que Borat seria descontinuado, pois o ator já era muito conhecido para evitar ser detectado, como fez no primeiro filme e em Da Ali G Show.[13] Um porta-voz da Fox disse mais tarte que era cedo demais para planejar tal filme, embora a empresa estivesse simpática à ideia.[14] Em 2014, Baron Cohen voltou com o personagem para a série da FXX Ali G: Rezurection, uma compilação de esquetes do Da Ali G Show com novas cenas.[15] O ator também apareceu brevemente como Borat em dezembro de 2015 em um episódio do Jimmy Kimmel Live! para promover o filme Grimsby[16] e novamente em novembro de 2018 para encorajar o voto nas eleições de meio de mandato dos Estados Unidos.[17] Nos dois anos que antecederam o lançamento do filme, o ator passou a preocupar-se mais em ser politicamente ativo, dando palestras e entrevistas presenciais para combater o racismo; Baron Cohen insistiu em lançar o filme imediatamente antes da eleição para provocar alarme entre os americanos sobre um possível início de uma democracia iliberal no país.[18]

Filmagens[editar | editar código-fonte]

Uma pegadinha filmada no final de 2019 envolveu uma entrevista com o comissário de agricultura do Texas Sid Miller,[9] seguida por uma viagem para um campo de treinamento em Arlington, Texas;[19] as cenas foram cortadas do filme mas aparecem no trailer.[20] Em fevereiro de 2020, Baron Cohen foi flagrado vestido como Donald Trump ao interromper a Conservative Political Action Conference (CPAC), embora sua identidade não tenha sido revelada na época.[21][22]

Pence smiling and waving
Mike Pence na CPAC de 2020, pouco antes de Baron Cohen interromper seu discurso.

No mesmo mês, Baron Cohen viajou para Macon, Geórgia, para enganar os participantes de um baile de debutantes falso,[23] dizendo aos organizadores que ele estava filmando uma história coming-of-age.[24] No início de julho de 2020, Baron Cohen conseguiu uma entrevista falsa com Rudy Giuliani, advogado de Donald Trump, apenas para aparecer durante a conversa usando um biquíni rosa; Giuliani chamou a polícia.[25] Poucas semanas depois, ele foi flagrado fazendo pegadinhas em um comício de arma de fogo em Olympia, Washington,[26] levando os participantes a cantar junto uma música original com letras racistas[27] e entrevistando membros da multidão.[28]

No mês seguinte, ele foi flagrado em Los Angeles vestido como Borat e filmando, levando a especulações do público de que o próximo projeto de Baron Cohen era uma continuação de Borat.[29] Em dois dias de filmagem, Baron Cohen foi obrigado a usar um colete à prova de balas devido às possíveis ameaças da cena.[30]

No início de setembro de 2020, rumores começaram a circular alegando que o filme foi completamente rodado, montado e exibido para executivos da indústria cinematográfica.[31] As cenas do vilarejo cazaque foram gravadas na Romênia.[32]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2020 a Amazon Studios adquiriu os direitos de distribuição do filme e marcou a data de estreia para 23 de outubro.[33][30] Baron Cohen apresentou o filme a diversas distribuidoras que não queriam o lançar devido ao seu conteúdo político.[18] O primeiro trailer foi divulgado em 1 de outubro de 2020, confirmando que várias pegadinhas recentes de Baron Cohen haviam sido gravadas para este filme.[34]

Divulgação[editar | editar código-fonte]

Baron Cohen passou a utilizar redes sociais como Instagram, Tiktok e Twitter como o personagem Borat para comentar sobre a política americana na corrida eleitoral e promover o lançamento do filme.[35] O personagem parabenizou Donald Trump por ganhar o primeiro debate presidencial antes mesmo do evento começar[36] e também começou uma briga com Ariana Grande.[37] O impulso nas redes sociais também envolveu uma transmissão ao vivo de jogos na Twitch[38] e um encontro com influenciadores do YouTube.[39] Borat também retornou ao programa Jimmy Kimmel Live!, poucos dias antes da estreia do filme.[40]

O Amazon Prime do Reino Unido promoveu o filme projetando uma imagem de Borat em um manquíni minúsculo que lembra uma máscara facial ao lado de inúmeros lugares históricos da Escócia.[41] Durante o segundo debate presidencial dos Estados Unidos, Baron Cohen ofereceu uma festa para assistir à estreia do filme no personagem, seguida por uma festa pós-festa composta de dance music e perguntas dos fãs por meio de um chat ao vivo.[42] Outra manobra de publicidade envolveu um grande Borat inflável flutuando em uma barcaça ao longo de uma orla marítima de Toronto[43] e em frente ao Palácio de Westminster em Londres.[44] O Gigante de Cerne Abbas também foi desfigurado com uma máscara e o slogan "USE MASK. SAVE LIVE."[45]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Crítica[editar | editar código-fonte]

Borat Subsequent Moviefilm recebeu críticas "geralmente favoráveis" no agregador de críticas Metacritic, com uma média ponderada de 68/100 baseada em 48 resenhas.[46] O consenso no Rotten Tomatoes para o filme foi que 83% dos críticos o recomendavam, baseado em 186 resenhas e uma nota média de 7,14 de 10. O consenso do website diz: "Borat Subsequent Moviefilm prova que a criação de Sacha Baron Cohen continua a ser uma ferramenta afiada para expor os mais equivocados — ou completamente repugnantes — cantos da cultura americana."[47] A maioria das publicações disse que o filme recebeu críticas geralmente positivas,[48][49][50][51] embora a BBC e a Reuters resumiram o consenso como "críticas mistas".[52][53]

Eric Kohn, do IndieWire, deu ao filme uma nota A– e escreveu: "Catorze anos após sua última travessura, Borat não está exatamente acordado, mas sua hora chegou. este tipo de humor abrasador nunca foi tão essencial. Combinando ativismo com entretenimento, o melhor filme de Baron Cohen até agora nos dá novas razões para ter medo do mundo, mas também permissão para rir dele."[54] Richard Roeper, do Chicago Sun-Times deu ao filme três de quatro estrelas e escreveu: "Catorze anos após o jornalista cazaque vir à América para fazer um documentário sobre nossa grande nação, ele está de volta aos EUA — mais velho, mais burro, muito mais famoso e possivelmente ainda mais politicamente incorreto e ofensivamente engraçado do que era em 2006."[55]

No The Guardian, Peter Bradshaw deu ao filme três de cinco estrelas, dizendo que "ainda há algumas risadas reais e momentos políticos marcantes", mas que "supera as boas-vindas".[56] Jesse Hassenger do The A. V. Club deu ao filme uma nota B– e disse que era "frequentemente engraçado e ocasionalmente direcionado", mas "também outra instância em que fazer as coisas como sempre foram feitas não parece mais o bastante".[57] De maneira similar, Devika Girish do The New York Times observou como a sequência não é tão chocante ou perspicaz como o primeiro filme, resumindo: "[os] artifícios elaborados de Borat Subsequent Moviefilm não me deixaram nem entretida nem enfurecida, mas simplesmente resignada".[58] Para o The Daily Telegraph, Robbie Collin deu duas de cinco estrelas ao filme, o chamando de "desesperadoramente surrado" e "uma série de pegadinhas malformadas, recicladas e desconexas que você suspeita que não teriam sobrevivido ao processo de controle de qualidade do original".[59]

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

Giuliani with his arms outstretched, standing a podium with a banner for the Trump/Pence ticket
A inclusão no filme do advogado do presidente Donald Trump, Rudy Giuliani, causou controvérsia, com seus apoiadores o defendendo ao argumentar que a cena mostrada no filme foi planejada.

Os criadores do filme foram processados por fraude após incluírem uma entrevista com a sobrevivente do holocausto Judith Dim Evans. Evans faleceu antes do lançamento do filme, mas seus herdeiros moveram o processo alegando que ela não consentia com o uso comercial de sua imagem no filme.[60][61] Baron Cohen alegou que saiu do personagem para reduzir a preocupação dela com os comentários antissemitas que Borat faz.[62]

Rudy Giuliani foi criticado pelas suas atitudes em uma cena em que ele coloca as mãos dentro das calças na frente da atriz Maria Bakalova, que estava se passando por uma jornalista adolescente. Após uma entrevista em um quarto de hotel, a dupla vai para o quarto, onde Giuliani solicita o endereço e o número de telefone de Bakalova antes que ela remova o microfone de Giuliani, tirando sua camisa de dentro das calças no processo. Giuliani deita-se na cama e enfia a mão na calça. O encontro é interrompido por Baron Cohen, que invade o cômodo como Borat e diz "Ela tem quinze anos. É velha demais para você."[56][63] Giuliani negou as acusações de que teria agido de maneira imprópria e disse que estava tentando colocar a camisa para dentro da calça. Giuliani disse que as acusações eram uma forma de tentar manchar sua imagem devido ao escândalo Trump-Ucrânia de 2019. Embora a cena tenha sido filmada meses antes da controvérsia, uma imagem da cena foi à público dias após a divulgação dos supostos emails de Hunter Biden, filho de Joe Biden, por Giuliani, antes do lançamento do filme.[64] A polêmica sobre o que aconteceu na cena levou Baron Cohen a gravar um breve vídeo como Borat a respeito de Giuliani.[65] Em uma entrevista fora do personagem ao Good Morning America, Baron Cohen comentou sobre a cena: "É o que é. Ele fez o que fez."[66] Durante a campanha, Donald Trump chamou Baron Cohen de "cretino" "sem graça".[67] Baron Cohen o agradeceu pela "publicidade" gratuita.[68]

O personagem de Borat gerou polêmica no Cazaquistão,[69] com o filme original sendo censurado por um período e o website oficial de Baron Cohen bloqueado no país. Antes do novo filme, os cazaques levaram o assunto ao Twitter ao usar a hashtag #CancelBorat (#CanceleBorat).[70] Uma petição online pedindo o cancelamento do filme obteve mais de 100 000 assinaturas e pequenos protestos reunidos em frente à embaixada americana em Almaty no dia da estreia.[71] Cazaques e ocidentais renovaram as críticas de que o personagem usa a comédia para "derrubar", incomodando os cazaques mais marginalizados, zombando arbitrariamente de seus sotaques e estereotipando-os.[72]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Sobrou até para Bolsonaro no novo filme do Borat». GZH. 23 de outubro de 2020. Consultado em 25 de outubro de 2020 
  2. GUARALDO, LUCIANO (22 de outubro de 2020). «Netflix compra filmes barrados por Covid, mas chefão ainda prefere ir ao cinema». Notícias da TV. Consultado em 25 de outubro de 2020 
  3. Sharf, Zack (1 de outubro de 2020). «Borat 2 Trailer: Sacha Baron Cohen Returns to Annihilate Donald Trump's America» (em inglês). IndieWire. Consultado em 2 de outubro de 2020 
  4. Adams, Sam (1 de outubro de 2020). «Who Is 'Irina Nowak', Borat's Co-Star in the Trailer for His New Sequel». Slate (em inglês). Consultado em 1 de outubro de 2020 
  5. Bilstein, Jon (20 de outubro de 2020). «Borat Tries to Collect Jimmy Kimmel's Pants, 'Liquid Release' for Covid-19 Test». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 21 de outubro de 2020 
  6. a b Reilly, Dan (22 de outubro de 2020). «Who's Who in Borat 2: A Guide to Every Notable Cameo». Vulture (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2020 
  7. DeFore, John (21 de outubro de 2020). «Borat Subsequent Moviefilm: Film Review». Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 21 de outubro de 2020 
  8. Ebiri, Bilge (21 de outubro de 2020). «We Should Be Glad Borat Still Exists». Vulture (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2020 
  9. a b Blackman, Jeremy (1 de outubro de 2020). «Texas Ag Commissioner Sid Miller Pranked by Borat Star Sasha Baron Cohen». Houston Chronicle (em inglês). Consultado em 1 de outubro de 2020 
  10. Corcoran, Nina (23 de outubro de 2020). «Borat's Daughter Infiltrated the White House Thanks to OAN» (em inglês). Consequence of Sound. Consultado em 23 de outubro de 2020 
  11. Lattanzio, Ryan (23 de outubro de 2020). «Why Borat Fan Favorite Luenell Isn't in the Sequel But Got Paid Anyway» (em inglês). IndieWire. Consultado em 23 de outubro de 2020 
  12. Li, Kenneth (9 de fevereiro de 2007). «Sacha Baron Cohen signs for Borat 2» (em inglês). Reuters. Consultado em 26 de setembro de 2020 
  13. «Baron Cohen retires Borat, Ali G». Variety (em inglês). Associated Press. 21 de dezembro de 2007. Consultado em 27 de setembro de 2020 
  14. «Borat Sequel Put on Hold». The Age (em inglês). Reuters. 9 de fevereiro de 2007. Consultado em 27 de setembro de 2020 
  15. Morgan, David S. (22 de dezembro de 2007). «Borat He Dead, I Kill Him, Gone» (em inglês). CBS News. Consultado em 12 de julho de 2009. Cópia arquivada em 29 de dezembro de 2007 
  16. Fitz-Gerald, Sean (10 de dezembro de 2015). «Borat Dropped by Jimmy Kimmel Live to Bash Donald Trump, Anti-Promote Sacha Baron Cohen's Latest Movie». Vulture (em inglês). Consultado em 27 de setembro de 2020 
  17. Nyren, Erin (6 de novembro de 2018). «Borat Gets Out the Vote for 'Premier' Trump on Jimmy Kimmel Live!». Variety (em inglês). Consultado em 27 de setembro de 2020 
  18. a b Dowd, Maureen (17 de outubro de 2020). «Sacha Baron Cohen: This Time He's Serious». The New York Times (em inglês). Consultado em 17 de outubro de 2020 
  19. Garcia, Brendan (22 de outubro de 2020). «This Arlington Driving Range Is Featured in the New Borat Movie». The Dallas Morning News (em inglês). Consultado em 23 de outubro de 2020 
  20. Sens, Josh (23 de outubro de 2020). «The Borat Golf Scene that Was Left on the Editing-Room Floor». Golf Magazine (em inglês). Consultado em 23 de outubro de 2020 
  21. Stoddart, Michelle (27 de fevereiro de 2020). «Trump Impersonator Interrupts Vice President Mike Pence's CPAC Speech» (em inglês). ABC News. Consultado em 1 de outubro de 2020 
  22. Wilstein, Matt (1 de outubro de 2020). «Sacha Baron Cohen Pranks Mike Pence as Trump in Borat 2 Trailer». The Daily Beast (em inglês). Consultado em 1 de outubro de 2020 
  23. Ho, Rodney (5 de outubro de 2020). «Macon Residents Pranked by Sacha Baron Cohen for His Borat 2 Film». Atlanta Journal-Constitution (em inglês). Consultado em 6 de outubro de 2020 
  24. Rosen, Christopher (23 de outubro de 2020). «Borat 2 Spoilers: How Sacha Baron Cohen Pulled Off His Biggest Stunts». Vanity Fair (em inglês). Consultado em 23 de outubro de 2020 
  25. Smith, Emily; Siegler, Mara (8 de julho de 2020). «Rudy Giuliani Called the NYPD on Sacha Baron Cohen over Prank Interview». Page Six (em inglês). Consultado em 27 de setembro de 2020 
  26. Boone, Rolf (27 de julho de 2020). «Did Comedian Sacha Baron Cohen Crash Rally in Downtown Olympia?». The Olympian (em inglês). Consultado em 27 de setembro de 2020 
  27. Moreau, Jordan (28 de julho de 2020). «Sacha Baron Cohen Pranks Conservative Rally into Singing Racist Lyrics». Variety (em inglês). Consultado em 27 de setembro de 2020 
  28. Hoffman, Jordan (28 de junho de 2020). «Sacha Baron Cohen Trolls Far-Right Rally with Racist Sing-Along». Vanity Fair (em inglês). Consultado em 27 de setembro de 2020 
  29. White, Adam (19 de agosto de 2020). «Sacha Baron Cohen Spotted Reprising Borat Role in Possible Sequel to 2006 film». The Independent (em inglês). Consultado em 27 de setembro de 2020 
  30. a b Fleming Jr., Mike (29 de setembro de 2020). «Borat Sequel Acquired by Amazon Studios; Sacha Baron Cohen Film Will Bow on Prime Video Right Before Election Day». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 29 de setembro de 2020 
  31. Sneider, Jeff (8 de setembro de 2020). «Exclusive: Borat 2 Has Already Been Shot and Screened by Sacha Baron Cohen» (em inglês). Collider. Consultado em 27 de setembro de 2020 
  32. Saraiya, Sonia (21 de outubro de 2020). «Borat Subsequent Moviefilm Brings Back Borat, with His Daughter in Tow». Vanity Fair (em inglês). Consultado em 23 de outubro de 2020 
  33. Sneider, Jeff (29 de setembro de 2020). «Borat 2 to Premiere on Amazon Prime Video in October, Timed to Election Day» (em inglês). Collider. Consultado em 29 de setembro de 2020 
  34. Earl, William (1 de outubro de 2020). «Borat Subsequent Moviefilm Trailer: Sacha Baron Cohen Takes on Coronavirus and Pence». Variety (em inglês). Consultado em 1 de outubro de 2020 
  35. Atad, Corey (13 de outubro de 2020). «Borat Becomes a Social Media Star and Immediately Pokes Fun at Trump» (em inglês). Entertainment Tonight. Consultado em 14 de outubro de 2020 
  36. Fleming Jr., Mike (29 de setembro de 2020). «Borat Mischief? Republic Of Kazakhstan Tweet Hails Donald Trump Debate Victory—45 Minutes Before It Starts». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 21 de outubro de 2020 
  37. Rossignol, Derrick (23 de outubro de 2020). «Borat Dances Nearly Naked to Ariana Grande's 'Positions' After She Took His Cardboard Cutout». Uproxx (em inglês). Consultado em 23 de outubro de 2020 
  38. Peters, Jay (20 de outubro de 2020). «Borat Will Do a Very Nice Stream on Twitch with DrLupo» (em inglês). The Verge. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  39. Paul, Andrew (22 de outubro de 2020). «Borat Meets Some Gen Z YouTube Influencers, Is Very Borat About It» (em inglês). The A. V. Club. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  40. Del Rosario, Alexandra (19 de outubro de 2020). «Borat Puts Jimmy Kimmel Through His Own Chaotic COVID-19 Safety Protocols». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 20 de outubro de 2020 
  41. Traynor, Sian (22 de outubro de 2020). «Borat Makes Hilarious Surprise Appearance on Edinburgh Castle and Arthur's Seat». Edinburgh Live (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2020 
  42. Carras, Christie (22 de outubro de 2020). «Amid Giuliani Controversy, Borat Is Hosting a Live Watch Party. What Could Go Wrong?». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2020 
  43. Casaletto, Lucas (22 de outubro de 2020). «Borat Barge Seen Floating in Toronto Gets Attention». CityNews (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2020 
  44. Ravindran, Manori (22 de outubro de 2020). «Borat Sails Past U.K. Houses of Parliament in Mankini, But Londoners Remain Unimpressed». Variety (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2020 
  45. Cutler, Alex (23 de outubro de 2020). «Cerne Abbas Giant Defaced to Promote New Borat Movie». Dorset Echo (em inglês). Consultado em 23 de outubro de 2020 
  46. «Borat Subsequent Moviefilm Reviews». Metacritic (em inglês). Consultado em 23 de outubro de 2020 
  47. «Borat: Subsequent Moviefilm (2020)». Rotten Tomatoes (em inglês). Consultado em 23 de outubro de 2020 
  48. Ryu, Jenna (21 de outubro de 2020). «Baron Cohen's Sequel Earns Critical Praise». USA Today (em inglês). Consultado em 23 de outubro de 2020 
  49. Rawat, Kshitij (22 de outubro de 2020). «Borat 2 Review Roundup: Here's What Critics Are Saying About the Sacha Baron Cohen-Starrer». The Indian Express (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2020 
  50. Wolinksy, David (21 de outubro de 2020). «Borat 2 Review Roundup: Very Nice Picture» (em inglês). Gamespot. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  51. Welk, Brian (21 de outubro de 2020). «Critics Say Borat 2 Falls Short of Original But Are Glad Character Is Back». TheWrap (em inglês). Consultado em 21 de outubro de 2020 
  52. «Borat Subsequent Moviefilm: Mixed Reviews for Sacha Baron Cohen Sequel» (em inglês). BBC News. 22 de outubro de 2020. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  53. Serjeant, Jill (21 de outubro de 2020). «Borat Bounces Back Just Ahead of U.S. Elections» (em inglês). Reuters. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  54. Kohn, Eri (21 de outubro de 2020). «Borat: Subsequent Moviefilm Review: Sacha Baron Cohen's Brilliant, Vulgar Plea for a Better World» (em inglês). IndieWire. Consultado em 21 de outubro de 2020 
  55. Roeper, Richard (21 de outubro de 2020). «Borat Subsequent Moviefilm: Fictional Foreigner No Wiser in USA Return, Daughter in Tow». Chicago Sun-Times (em inglês). Consultado em 21 de outubro de 2020 
  56. a b Bradshaw, Peter (21 de outubro de 2020). «Borat Subsequent Moviefilm Review – Cinema's Top Troll Goes Baiting in Trump's US». The Guardian (em inglês). Consultado em 21 de outubro de 2020 
  57. Hassenger, Jesse (21 de outubro de 2020). «Borat Statue and Flash Mob Take Over Sydney's Bondi Beach Ahead of New Movie» (em inglês). The A. V. Club. Consultado em 21 de outubro de 2020 
  58. Girish, Devika (21 de outubro de 2020). «Borat Subsequent Moviefilm Review: More Cultural Learnings». The New York Times (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2020 
  59. Collin, Robbie (21 de outubro de 2020). «Borat Subsequent Moviefilm, Review: Trump Rallies, Ugly Songs and Some Truly Rotten Jokes». The Daily Telegraph (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2020 
  60. Ho, Rodney (13 de outubro de 2020). «Estate of Late Holocaust Survivor Sues Creators of Borat Over Appearance in Upcoming Sequel». The Atlanta Journal-Constitution (em inglês). Consultado em 14 de outubro de 2020 
  61. Lewis, Isobel (15 de outubro de 2020). «Borat Creators Sued by Estate of Late Holocaust Survivor Who Claimed She Thought Film Was Real Documentary». The Independent (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2020 
  62. Fleming Jr., Mike (15 de outubro de 2020). «How Sacha Baron Cohen's Plan to Use Borat Sequel to Combat Facebook & Twitter Holocaust Denier Policies Evolved with Abrupt About Face & Surprise Lawsuit». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 16 de outubro de 2020 
  63. Tsioulcas, Anastasia (22 de outubro de 2020). «Borat Sequel Grabs a Political News Cycle—At Least Momentarily» (em inglês). NPR. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  64. Wilstein, Matt (21 de outubro de 2020). «Rudy Giuliani Claims Borat 'Hit Job' Is Retaliation for Hunter Biden Attack». The Daily Beast (em inglês). Consultado em 21 de outubro de 2020 
  65. Dessem, Matthew (22 de outubro de 2020). «A Shot-by-Shot Analysis of the New Borats Giuliani Scene». Slate (em inglês). Consultado em 22 de outubro de 2020 
  66. Blackwelder, Carson (24 de outubro de 2020). «Sacha Baron Cohen Responds to Borat 2 Scene with Rudy Giuliani: 'He Did What He Did'». Good Morning America (em inglês). Consultado em 24 de outubro de 2020 
  67. «The Latest: Trump calls 'Borat' star an unfunny 'creep'» (em inglês). Associated Press. 24 de outubro de 2020. Consultado em 24 de outubro de 2020 
  68. Beresford, Trilby (24 de outubro de 2020). «Sacha Baron Cohen Responds to Criticism from Trump: 'I Don't Find You Funny Either'». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 24 de outubro de 2020 
  69. Askarbekov, Yerlan (28 de outubro de 2016). «What Kazakhstan Really Thought of Borat» (em inglês). BBC News. Consultado em 23 de outubro de 2020 
  70. Spencer, Samuel (23 de outubro de 2020). «Borat 2: How Kazakhstan Has Reacted to the Character». Newsweek (em inglês). Consultado em 23 de outubro de 2020 
  71. Heil, Andy (23 de outubro de 2020). «New Borat Film Offends, But Will More Kazakhs Get the Joke This Time?» (em inglês). Radio Free Europe. Consultado em 23 de outubro de 2020 
  72. Tensley, Brandon (24 de outubro de 2020). «Reassessing the Racial Stereotyping in Borat» (em inglês). CNN. Consultado em 24 de outubro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]