Borges de Barros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o político do Império do Brasil, veja Domingos Borges de Barros.
Borges de Barros
Hebe Camargo e Borges de Barros em A Praça da Alegria personagem mendigo, TV Paulista (julho de 1960)
Nome completo Fileto Borges de Barros
Nascimento 27 de março de 1920[1]
Corumbá, MS
Nacionalidade  Brasil
Morte 12 de dezembro de 2007 (87 anos)
São Paulo, SP
Ocupação Dublador e Humorista
Atividade 1949-2005
IMDb: (inglês)

Fileto Borges de Barros (Corumbá, 27 de março de 1920São Paulo, 12 de dezembro de 2007) foi um humorista e dublador brasileiro. Ficou conhecido como "O homem das mil caras e das mil vozes".[2]

Filho do alfaiate Leobino Borges de Barros (que morreu quando Borges de Barros nasceu) e Teresa de Jesus Lívio, ele e seus cinco irmãos foram criados pela mãe e tiveram uma infância pobre. Ainda na infância mudou-se, com a família, para Campo Grande e estudou em colégio de padres,[3] tendo no padre João Crippa o seu tutor espiritual. Aos doze anos, já era professor de catecismo.

Quando já morava em São Paulo, estudou no Instituto de Ciências e Letras, de Alfredo Pucca, e trabalhava como guarda-livros para ajudar no sustento da família. Numa festa de fim de ano do instituto, perceberam sua veia cômica e sua voz poderosa, sendo convidado a trabalhar na Rádio Difusora.[3] Na rádio, sua principal característica foi logo notada; a capacidade de fazer várias vozes diferentes. A partir de então, começou a fazer rádio-novelas e trabalhar com dublagens, quando uma lei obrigava que os filmes estrangeiros fossem dublados para serem exibidos na televisão.[3] Dublou personagens famosos, como Moe do seriado “Os Três Patetas”, mas o principal deles foi o Dr. Smith em Perdidos no Espaço.[4]

Embora procurasse fazer personagens sérios, sempre o escalavam para comédias e assim conheceu Manuel da Nóbrega na TV Paulista. Manuel o escolheu para fazer a Praça da Alegria, no papel de mendigo milionário, no que fazia críticas políticas. O seu bordão "Caro colega" ficou muito conhecido no Brasil todo.[2][3][5] A parceira com Manuel da Nóbrega durou 25 anos.

Sua técnica de dublagem virou referência na área que seu nome virou verbo. Sempre que um dublador consegue acertar uma sequência difícil, o profissional recebe o elogio de que ele “borgeou” aquele trabalho.[6]

Faleceu no dia 12 de dezembro de 2007, após cerca de 25 dias de internação,[2][7] por conta de uma parada cardíaca.[5]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Dublagem[editar | editar código-fonte]

Televisão e cinema[editar | editar código-fonte]

Séries, novela e minisséries
Ano Título Papel Emissora
1956 Praça da Alegria " Mendigo " TV Paulista
1957 Teledrama Tio Belly (ep: Semente amarga) TV Paulista
1963 Miss Campeonato ? TV Paulista
1973 Meu Adorável Mendigo ? Rede Record
1979 Os Gigantes jardineiro Onofre Rede Globo
1981 Os Adolescentes ? Rede Bandeirantes
1984 Jerônimo ? SBT
1987/2005 A Praça É Nossa " Caro Colega " SBT

No Cinema

Ano Filmes Personagem Notas
1952 Simão, o Caolho
1970 Se Meu Dólar Falasse Comendador [5]
1973 Regina e o dragão de Ouro Raposa dublagem do personagem
1998 Boleiros - Era uma Vez o Futebol...

Referências

  1. Astros e estrelas do cinema brasileiro Imprensa Oficial do Estado de São Paulo
  2. a b c Nagado, Alexandre (13 de dezembro de 2007). «Morre o veterano dublador e ator Borges de Barros». Omelete. Consultado em 28 de agosto de 2012. 
  3. a b c d Lobão, David Denis;Cezar Jr. (13 de dezembro de 2007). «Morre Borges de Barros – Adeus meu caro colega». ohaYO!. Consultado em 28 de agosto de 2012. 
  4. Barbosa, Djeferson (4 de agosto de 2004). «Dubladores de "Perdidos" falam de bons tempos e problemas da profissão». UOL Televisão 
  5. a b c Vieira, Willian (28 de dezembro de 2007). «Borges de Barros, grande voz do humor». Folha.com. Consultado em 29 de agosto de 2012. 
  6. Dubladores brasileiros são respeitados e tudo começou com Borges Jornal Gazeta do Povo
  7. Arquette, Clarence (14 de dezembro de 2007). «Morre o dublador Borges de Barros». Henshin!. Consultado em 29 de agosto de 2012. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]