Boris Kaufman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde agosto de 2016). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Boris Kaufman
Бори́с Абра́мович Ка́уфман
Nome completo Boris Abelevich Kaufman
Nascimento 24/08/1906
Białystok, Polónia sob
Flag of Russia.svg Império Russo
Morte 24/06/1980
Nova Iorque, EUA
Nacionalidade Russo

Boris Abelevich Kaufman, (em Cirílico: Бори́с Абра́мович Ка́уфман; 24 de agosto de 190624 de junho de 1980) foi um diretor de fotografia e cineasta russo.[1][2] Irmão mais novo do cineasta Dziga Vertov e do também diretor de fotografia Mikhail Kaufman que ao lado de Elizaveta Svilova formavam o Conselho dos Três.

Kaufman nasceu em uma família intelectual judia em Białystok quando a Polônia ainda fazia parte do Império Russo. Em 1917, ele se mudou com os pais para Paris, deixando os irmãos na Rússia, onde ficaram famosos como cineastas.

Boris Kaufman é bastante conhecido como diretor de fotografia trabalhando ao lado do cineasta Jean Vigo, o qual contribuiu para a introdução do realismo poético no cinema nos anos 1930 e influenciou a Nouvelle Vague, entre o final dos anos 1950 e o início dos anos 1960. Dentre os inúmeros filmes em parceria com Vigo estão Les Halles (1927), À propósito de Nice (1930), Zero de Conduta (1933), filme banido da França até o fim da II Guerra Mundial e O Atalante (1934). Após a morte prematura de Jean Vigo em 1934, Kaufman escapa da França ocupada pelos nazistas fugindo para o Canadá e de lá para os EUA. Já nos Estados Unidos é convidado para trabalhar no filme de Elia Kazan Sindicato de Ladrões (On the Waterfront, 1954) onde recebe o Oscar de melhor fotografia.

Referências

Ligções externas[editar | editar código-fonte]