Boris Pugo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Boris Pugo
Nome nativo Boriss Pugo
Nascimento 19 de fevereiro de 1937
Tver
Morte 22 de agosto de 1991 (54 anos)
Moscou
Sepultamento Cemitério Troyekurovskoye
Cidadania União Soviética
Etnia Povo letão
Alma mater Universidade Técnica de Riga
Ocupação político
Prêmios Ordem de Lenin, Ordem da Bandeira Vermelha do Trabalho, Ordem da Estrela Vermelha, Ordem da Insígnia de Honra
Religião ateísmo

Boris Carlovitch Pugo (em russo, Бори́с Ка́рлович Пу́го) (Tver, 19 de fevereiro de 1937Moscou, 22 de agosto de 1991) foi um líder político da União Soviética.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Pugo nasceu em Kalinin, na URSS (atual Tver, na Rússia), numa família de comunistas letões que haviam deixado a Letônia após a derrota do exército vermelho na guerra separatista de 1918-1920. Sua familia retornou à Letônia após a reanexação do território pela União Soviética, em 1940.

Pugo formou-se na Universidade Politécnica de Riga em 1960 e, desde então, trabalhou em várias funções do Komsomol, do PCUS e do governo soviético, tanto na Letônia quanto em Moscou. Entre 1960 e 1984, chegou a ser primeiro-secretário do Comitê Central do Komsomol da República Socialista Soviética da Letônia, secretário do Comitê Central do Komsomol da URSS, primeiro-secretário do Comitê Municipal de Riga no Partido Comunista e chefe da KGB na Letônia.

Pugo também foi primeiro-secretário do Partido Comunista Letão de 1984 a 1988.

Entre 1990 e 1991, ele exerceu a função de Ministro de Assuntos Interiores da URSS. Participou ativamente do golpe da linha-dura em agosto de 1991 e, logo depois, foi forçado a cometer suicídio pelas forças reacionárias[carece de fontes?]. Vários órgãos de imprensa, incluindo o Moscow Times e a revista Time, questionaram as circunstâncias de sua morte, insinuando que na verdade ele teria sido assassinado.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]