Bornes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Bornes (desambiguação).
Portugal Bornes 
  Freguesia portuguesa extinta  
Bornes está localizado em: Portugal Continental
Bornes
Localização de Bornes em Portugal Continental
Coordenadas 41° 27' 17" N 7° 0' 30" O
Concelho primitivo Macedo de Cavaleiros
Extinção 28 de janeiro de 2013
Área
- Total 18,75 km²
Orago Santa Marta

Bornes é uma antiga freguesia portuguesa do concelho de Macedo de Cavaleiros, com 18,75 km² de área e 390 habitantes (2011). A sua densidade populacional era 20,8 hab/km².
Foi extinta (agregada) pela reorganização administrativa de 2012/2013,[1] sendo o seu território integrado na União de Freguesias de Bornes e Burga.

A antiga freguesia de Bornes está integrada no concelho de Macedo de Cavaleiros, distrito de Bragança.

Está situada junto à serra de Monte de Mel, também conhecida como serra de Bornes, distando da sede concelhia cerca de 15 quilómetros.

O seu orago é Santa Marta, celebrada na freguesia a 29 de Julho.

O povoamento do território a que corresponde a actual freguesia de Bornes é bastante remoto e a comprovar esse facto estão vários documentos do século XII. Por eles se sabe que a origem da povoação estaria na época pré-romana, dada a defesa castreja proporcionada pela serra Monte de Mel. O próprio topónimo da freguesia, “Bornes” é um testemunho da sua antiguidade, uma vez que, segundo alguns autores, é relativo à arqueologia local, referindo-se a “uma pedra que marca o limite de um terreno”.

O mais antigo documento escrito relativo à freguesia remonta a 1110, data em que duas famílias fazem a doação dos herdamentos que possuíam em “Bornis” ao arcebispo de Braga, D. Maurício. O motivo apresentado para a doação à sé bracarense de parte do padroado foi um homicídio cometido pelos doadores Vidas, Mendo Baldesendes e Aires Senderiques. Em 1180, é feita outra doação, também à Sé bracarense, desta feita por Teresa Mendes, envolvendo a sua herdade na “villa de Bornes” e parte do padroado da igreja. As inquirições de 1258 demonstram que a igreja paroquial de Santa Marta era possuída às terças pelo arcebispo de Braga (representando a Sé primacial), por Nuno Martins de Chacim e por Afonso Mendes “de Bornes”. Posteriormente, a igreja aparece totalmente na posse arquiepiscopal, passando ao bispo de Miranda quando se criou essa diocese.

No século XVIII, a mitra apresentava o reitor, sendo a igreja uma comenda da Ordem de Cristo. Administrativamente, a freguesia esteve integrada no concelho de Cortiços, extinto a 31 de Dezembro de 1853.

Do património cultural edificado da freguesia de Bornes, são de mencionar a Igreja matriz e as capelas de Nossa senhora dos Prazeres e S. Caetano. Para além do seu património monumental, Bornes destaca-se também pelo seu património natural. A serra de Bornes domina a paisagem, sendo especialmente rica em termos de fauna e flora; este é também um dos locais mais procurados para a prática de desportos radicais, como por exemplo o parapente. Recentemente, dia 4 de Março de 2012 foi inaugurado o Museu vivo do mel e da apicultura situado na aldeia de Bornes servindo também de centro de formação em apicultura.

Bornes foi uma freguesia essencialmente rural, tendo na agricultura o principal meio de subsistência dos seus habitantes, produzindo o trigo, centeio, batatas, mel e produtos da colmeia, castanhas e nozes. No entanto, outras actividades merecem também destaque, como é o caso da pecuária, da serralharia civil, da construção civil e do pequeno comércio que em muito contribuem para o desenvolvimento económico da freguesia.

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Bornes [2]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
620 700 627 689 688 628 595 693 735 825 560 575 656 420 390

Património[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  2. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes


Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.