Botucatu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Botucatu
  Município do Brasil  
Botucatu, vista aérea
Botucatu, vista aérea
Símbolos
Bandeira de Botucatu
Bandeira
Brasão de armas de Botucatu
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Cidade dos bons ares[1]"
Gentílico botucatuense
Localização
Localização de Botucatu em São Paulo
Localização de Botucatu em São Paulo
Mapa de Botucatu
Coordenadas 22° 53' 09" S 48° 26' 42" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Municípios limítrofes Anhembi, Bofete, Pardinho, Itatinga, Avaré, Lençóis Paulista, Pratânia, São Manuel, Dois Córregos e Santa Maria da Serra.
Distância até a capital 235 km[2]
História
Fundação 23 de dezembro de 1843 (177 anos)[3]
Emancipação 14 de abril de 1855 (166 anos)[3]
Administração
Prefeito(a) Mário Pardini (PSDB, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [4] 1 482,874 km²
População total 144 820 hab.
 • Posição SP: 55º
Densidade 97,7 hab./km²
Clima subtropical úmido (Cwa)
Altitude 920 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[5]) 0,8 muito alto
PIB (IBGE/2014[6]) R$ 4 186 986 mil
 • Posição BR: 189º SP: 59º
PIB per capita (IBGE/2014[6]) R$ 30 362,70

Botucatu é um município brasileiro do estado de São Paulo, distante 235 km da capital estadual, São Paulo, à qual se interliga pelas rodovias Marechal Rondon e Castelo Branco. Localiza-se a 22º53'09" de latitude sul, 48º26'42" de longitude oeste. Está a 840 metros de altitude e seu clima é classificado como subtropical úmido.[7] A população estimada em 2020 foi de 148 130 habitantes. O município é formado pela sede (que inclui o povoado de César Neto) e pelos distritos de Rubião Júnior e Vitoriana.[8][9]

O marco zero do município está localizado na Praça Emílio Pedutti ("Praça do Bosque"). O município possui clima ameno (temperatura média de 20°C) e altitude relativamente elevada, que varia de 756 metros na baixada (antigo matadouro) a 920 metros no Morro de Rubião Júnior (ponto mais alto).

Topônimo[editar | editar código-fonte]

Existem pelo menos duas interpretações etimológicas para o nome do município:

  • provém do termo tupi ybytukatu, que significa "bons ares, bom vento", através da junção dos termos ybytu ("ar, vento") e katu ("bom");[10]
  • significa "serra boa", pela junção dos termos tupis ybytyra (montanha, serra: na língua geral meridional, botura) e katu (bom).[11]

História[editar | editar código-fonte]

O nome do município vem de ybytukatu, que, em língua tupi, significa "vento bom". Por isso Botucatu é conhecida como "cidade dos bons ares".[12] Em 1720, era a designação dada às terras atribuídas em sesmarias no interior paulista.[carece de fontes?] Os mistérios e lendas que ainda envolvem Botucatu datam do período pré-cabralino, quando teria sido ponto de passagem no Caminho do Peabiru, trilha indígena que ligava o litoral atlântico às terras peruanas. O povoamento de fato teve início entre o ribeirão Lavapés e a praça Coronel Moura, onde se concentrava parte da tribo dos índios caiouás.

Em 1766, por ordem do governador da capitania, dom Luís António de Sousa Botelho Mourão, o 4º Morgado de Mateus, deu-se o começo do povoamento de origem europeia do território, a partir do paulista Simão Barbosa Franco.[13]

Os primeiros sinais do crescimento vieram em 1830, quando fazendeiros decidiram subir a cuesta e povoar as terras ainda desabitadas. Em 23 de dezembro de 1843, houve a doação de terras para a criação do Patrimônio da Freguesia de Sant'Anna de Botucatu, pelo capitão José Gomes Pinheiro Veloso, data considerada, para efeitos históricos, a data da fundação de Botucatu. Em 19 de fevereiro de 1846, houve a criação da Freguesia do Distrito do Cimo da Serra de Botucatu. Em 14 de abril de 1855, houve a elevação da freguesia à categoria de vila e a emancipação político-administrativa. Em 20 de abril de 1866, houve a criação da comarca de Botucatu. Em 16 de março de 1876, houve a elevação da vila à categoria de município.

O aniversário de Botucatu é comemorado em 14 de abril. É sede da Arquidiocese de Botucatu, sendo dom Maurício Grotto de Camargo o atual arcebispo (2008).

Lendas[editar | editar código-fonte]

A região de Botucatu é, por muitos, considerada mística dada a significativa quantidade de lendas que a envolvem. Além de rota de passagem para os incas conhecido como Caminho do Peabiru, ali teria sido também lugar de rituais desses e outros povos.

No município vizinho, Bofete, existe um conjunto de elevações rochosas conhecida como Três Pedras. Esta formação faz parte de um conjunto de montanhas conhecido como Gigante Deitado ou Gigante Adormecido, sendo que as Três Pedras representam o pé do gigante quando visto a distância. Diz-se que, por ali, eram os locais onde se realizavam os rituais. Hoje em dia, existem pessoas que vão para este local acampar em busca de retiro espiritual, apesar do grande número de cobras no local.

Ainda dentro das lendas, cabe destacar o folclórico personagem do Saci. Este clássico do folclore brasileiro encontrou em Botucatu o seu lar. Imortalizado pelos moradores - que fazem questão de dizer aos visitantes que já viram um Saci, este personagem ganhou até mesmo uma Associação Nacional de Criadores de Saci, com sede no município, evidentemente com o intuito de divulgar o folclore. A partir daí, passou a ser também conhecida como a Capital Nacional do Saci.

Política[editar | editar código-fonte]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Praça Rubião Júnior

Botucatu está localizada na região centro sul do estado, ocupando, hoje, uma área de 1 482,87 km². Faz limites com os municípios de Anhembi, Bofete, Pardinho, Itatinga, Avaré, Lençóis Paulista, Pratânia, São Manuel, Dois Córregos e Santa Maria da Serra.

É conhecida como "cidade dos bons ares", pelo excelente clima e ar que se respira, vindos das cuestas (Cuesta), formação de relevo singular.

Botucatu possui dois níveis distintos de altitudes: de quinhentos a quatrocentos metros (500m a 400m) na baixada e novecentos a setecentos metros (900m a 700m) na região serrana. Este fato provoca diferenças de temperatura. Assim, a área mais elevada apresenta dois a três graus centígrados a menos do que a baixada, tendo uma temperatura média de dezenove graus centígrados.

Localização[editar | editar código-fonte]

Botucatu está localizada no estado de São Paulo a:

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima do município é subtropical úmido, com invernos amenos e verões quentes. No inverno, dificilmente a temperatura chega a ficar abaixo de 5°C. Em 1876, foi registrada ocorrência de neve.[carece de fontes?] Na maior parte do ano, principalmente à noite, sopra sobre o município, uma brisa vinda da Serra, mas enquadrar as condições climáticas do município de Botucatu não é tarefa fácil devido à heterogeneidade do seu relevo, pois parte do município localiza-se na depressão periférica e parte no Planalto Ocidental, originando assim um considerável gradiente de altitude.

Segundo dados do Centro Integrado de Informações Agrometeorológicas (CIIAGRO), referentes ao período de 1990 a 2008 e a partir de 2017, a temperatura mínima absoluta registrada em Botucatu foi de 0,2 °C em 9 de julho de 1994 e a maior alcançou 39,2 °C em 8 de outubro de 2020. O maior acumulado de chuva em 24 horas foi de 115,3 mm em 6 de março de 1996.[14]

Dados climatológicos para Botucatu
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 35 35,5 34,6 33,2 30,6 32 30 33,2 35,7 39,2 34,9 35,6 39,2
Temperatura máxima média (°C) 28,2 28,4 28,2 26,9 23,8 23,3 23,3 25,2 26,6 27,9 27,9 28,6 26,5
Temperatura média (°C) 23,7 23,8 23,5 22 19,1 18,4 18,1 19,4 20,9 22,4 22,6 23,5 21,5
Temperatura mínima média (°C) 19,3 19,2 18,8 17,2 14,3 13,6 12,8 13,7 15,2 16,9 17,4 18,5 16,4
Temperatura mínima recorde (°C) 14,2 14,4 14 7,8 4 1,2 0,2 5 5 9 10,1 12 0,2
Precipitação (mm) 277,1 207,2 187,7 69,8 60,3 41,5 42 39,4 65,6 116,3 126,7 189,3 1 422,9
Fonte: CIIAGRO/SP − Centro Integrado de Informações Agrometeorológicas (climatologia: 1990-2020; recordes de temperatura: 01/01/1990 a 31/03/2008 e 01/06/2017-presente)[15][16][17][14]

Vegetação[editar | editar código-fonte]

O município de Botucatu, com 1.483 km² de área territorial, possui área de vegetação nativa de 14.673 hectares (representando 10% da área do município). No município de Botucatu ocorre a área de transição de 2 biomas: Mata Atlântica e o Cerrado. As formações florestais de Mata Atlântica são a floresta estacional semi decidual e a floresta ombrófila mista. O cerrado se caracteriza como o strictu-sensu.

Área plantada com Eucalipto : 59.934 hectares (40% da área do município). Área plantada com Pinus: 125,30 hectares.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Nascente do Rio Pardo

O município é drenado por duas bacias hidrográficas: do Rio Tietê, ao norte e do Rio Pardo, ao sul.

A bacia hidrográfica do Rio Tietê, ocupa uma área de aproximadamente 77.300 hectares do município.

Os afluentes do Rio Tietê no município são: Rio Alambari e Rio Capivara.

O Rio Alambari, na divisa do município de Anhembi possui como principais afluentes os córregos Nova América, do Rodrigues, Petiço, Oiti e Sete Guarantãs.

O Rio Capivara possui como principais afluentes os ribeirões e córregos Araquá e Capivara.

A foz do Rio Piracicaba, um dos principais afluentes do Rio Tietê, encontra-se também no município de Botucatu.

A bacia hidrográfica do Rio Pardo ocupa uma área de aproximadamente 72.100 hectares das terras de Botucatu, sendo o Rio Pardo um afluente do Rio Paranapanema. Ele percorre uma extensão de 67 km no município de Botucatu.

Demografia e indicadores sociais[editar | editar código-fonte]

Crescimento Populacional:

  • 2019 146.497 habitantes
  • 2016 141.032 habitantes (IBGE Estimativa 2016) [18]
  • 2014 137.899 habitantes (IBGE Estimativa 2014)
  • 2009 130.348 habitantes (IBGE Estimativa 2009[19]
  • 2008 128.397 habitantes (IBGE Estimativa 2008[20])
  • 2007 120.800 habitantes (IBGE Contagem 2007[21])
  • 2006 121.258 habitantes (IBGE Estimativa 2006[22])
  • 2005 119.298 habitantes (Estimativa julho 2005[23])
  • 2004 117.308 habitantes (Estimativa julho 2004[23])
  • 2003 113.711 habitantes (Estimativa julho 2003[23])
  • 2002 111.998 habitantes (Estimativa julho 2002[23])
  • 2000 108.306 habitantes (Censo 2000)
  • 1991 90.620 habitantes
  • 1980 64.545 habitantes
  • 1970 51.954 habitantes
  • 1960 44.767 habitantes
  • 1950 41.868 habitantes
  • 1940 38.881 habitantes
  • 1934 38.447 habitantes
  • 1929 37.893 habitantes
  • 1920 33.405 habitantes
  • 1910 36.989 habitantes
  • 1900 26.047 habitantes
  • 1890 20.128 habitantes
  • 1872 16.979 habitantes
Dados do Censo - 2010

População Total: 127 328[24]

Fonte: PNUD

Etnias[editar | editar código-fonte]

Cor/Raça Percentagem
Branca 70%
Parda 25%
Preta 2%
Amarela 0,1%
Indígena 2,9%

Fonte: IBGE – Censo 2010 e Victor[25]

Urbanização[editar | editar código-fonte]

Transporte
Rodovias

Ferrovias[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Interior do Shopping Botucatu (2015)
Botucatu é a Terra da Aventura!

O município de Botucatu detêm em sua região mais de 70 cachoeiras, algumas de fácil acesso, outras de extrema dificuldade. O município que está localizada no topo da Cuesta também é ponto de grandes competições de esportes radicais, nas mais variadas modalidades de Parapente a Rally. Para quem gosta de esporte radicais aqui é o lugar certo para se aventurar.

Religião[editar | editar código-fonte]

Catedral Metropolitana de Sant'Ana

Católica[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Arquidiocese de Botucatu

Segundo o Censo de 2010 do IBGE, a Igreja Católica é a maior denominação religiosa de Botucatu, contando com 67,04% da população.[28]

Botucatu sempre teve um papel central na difusão do catolicismo no interior de São Paulo. Em 1908 é criada a Diocese de Botucatu, que posteriormente, em 1958, é elevada à Arquidiocese,[29] compreendendo outras sete dioceses do interior paulista. Botucatu tem como arbebispo Dom Mauricio Grotto de Camargo, desde 2009.

A Igreja Católica em Botucatu se faz presente por meio de 11 paróquias[30]:

  • Paróquia da Catedral Metropolitana de Sant'Ana (1846)
  • Paróquia Sagrado Coração de Jesus (1923)
  • Paróquia São Benedito (1953)
  • Paróquia Menino Deus e Santo Antônio (1969)
  • Paróquia Nossa Senhora Menina (1969)
  • Paróquia Nossa Senhora Aparecida (1976)
  • Paróquia Santa Teresinha (1980)
  • Paróquia Nossa Senhora de Fátima (1980)
  • Paróquia São Pio X (1986)
  • Paróquia Santíssimo Sacramento (2003)
  • Paróquia Sagrada Família (2004)

Há também a Paróquia Santo Antônio (1932), localizada em Rubião Júnior e diversas capelas pertencentes às paróquias, como, por exemplo, as tradicionais Capela São Cristóvão, Capela Santo Antônio, Capela da Santíssima Trindade e Capela Santa Cruz de Ana Rosa.

Ordens Religiosas em Botucatu[editar | editar código-fonte]

Ordem dos Frades Menores Capuchinhos

Os Frades Capuchinhos vieram para Botucatu em 1908, a pedido do bispo Dom Lúcio Antunes, e residiram na antiga igreja de São Benedito e atualmente regem o Santuário de Nossa Senhora de Lourdes. O Santuário teve o seu projeto doado pelo Dr. Cardoso de Almeida, católico devoto, que teve seu filho curado na Gruta de Lourdes, na França. O terreno foi cedido pelo irmão do Dr. Cardoso, em permuta com uma casa de propriedade dos frades. A pedra fundamental foi lançada em 1914 e o Santuário é inaugurado em 08/09/1918. A pintura interna se inicia em 1936, realizada pelos irmãos Pedro e Ulderico Gentili.

Congregação das Servas do Senhor

Se trata de uma congregação fundada pelo bispo Dom Henrique Golland Trindade ao lado de sua irmã de sangue, Henriqueta, em 15/09/1952. Atualmente a congregação possui casas em diversos lugares além de Botucatu, como Itatinga, Uberaba, São Paulo e Pistóia (Itália). As Servas do Senhor são caracterizadas pelo seu hábito xadrez e seu principal foco é a realização de missões e obras sociais.[31]

Congregação das Irmãs de Santa Marcelina

Tal como ocorreu com os Frades, as Irmãs Marcelinas também vieram para Botucatu a pedido do bispo Dom Lúcio, mas com a motivação de implantar um projeto educacional católico e de qualidade voltado para as meninas da região. A casa é fundada em 1912 e tendo à sua frente a Irmã Antonieta Valentini e Mons. Pascoal Ferrari como seu vigário-geral. Em 1915 o colégio, denominado Colégio dos Anjos, está pronto. Posteriormente muda de nome para Colégio Santa Marcelina e a partir de 1973 se torna um colégio misto.[32]

Evangélica[editar | editar código-fonte]

Segundo o Censo de 2010 do IBGE, os evangélicos são o segundo maior grupo religioso de Botucatu, contando com 27,50% da população.[33]

A Igreja Protestante mais antiga do município é a Igreja Presbiteriana de Botucatu, conhecida como "Igreja Preta", por causa do revestimento externo do templo, feito de pedras escuras.

Igreja Presbiteriana de Botucatu

Entre as Igrejas Protestantes existentes na cidade, estão:

Islâmica[editar | editar código-fonte]

A religião Islâmica em Botucatu é representada pela Associação Cultural Islâmica Sunita de Botucatu desde 2014.

Educação[editar | editar código-fonte]

Botucatu tem um papel significativo no Ensino Superior, com os seus dois campi da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, incluindo a Faculdade de Medicina de Botucatu, Instituto de Biociências de Botucatu, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (campus 1) Faculdade de Ciências Agronômicas (campus 2), e um campus da Faculdade de Ensino Tecnológico (FATEC), citando apenas as instituições públicas. A cidade também apresenta vários campi de instituições particulares que oferecem cursos presenciais, semipresenciais e EaD.

A cidade ainda possui uma unidade do Instituto Embraer de Educação e Pesquisa, o Colégio Embraer - Casimiro Montenegro Filho. Seguem abaixo os cursos de graduação presenciais oferecidos por instituição:

  • Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB - UNESP):[34]
  • Instituto de Biociências de Botucatu (IBB- UNESP)[35]
  • Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA-UNESP)[36]
  • Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ-UNESP)[37]
  • Faculdade de Tecnologia de Botucatu (FATEC)[38]
  • Faculdades Integradas de Botucatu - UNIFAC (particular)[39]
  • Faculdade Galileu - FG (particular)[40]
  • Instituição Toledo de Ensino - ITE (particular)[41]
  • UNIBR - Faculdade de Botucatu (particular)[42]
  • Uninter
  • Unopar - Universidade do Paraná[43]
  • ULBra - Universidade Luterana do Brasil[44]
  • Fael - Faculdade Educacional da Lapa[45]
  • Uninove - Universidade Nove de Julho[46]
  • Anhembi Morumbi Online[47]
  • Univesp - Universidade Virtual de São Paulo[48] - instituição pública de ensino que oferece cursos nos campi da unesp, usp e unicamp.

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade era atendida pela Companhia Telefônica Brasileira (CTB), que construiu em 1970 a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1973[49] passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP), que em 1998 foi privatizada e vendida para a Telefônica,[50] sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[51] para suas operações de telefonia fixa.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Botucatu

Referências

  1. «Botucatu - capital do saci»  Portal BOL (editado em 15/12/2015)
  2. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 27 de janeiro de 2011 
  3. a b c «História - Prefeitura de Botucatu». www.botucatu.sp.gov.br. Consultado em 11 de julho de 2021 
  4. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 19 de setembro de 2013 
  6. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2009). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010». Consultado em 16 de julho de 2013 
  7. «Clima dos Municípios Paulistas_Botucatu». Cepagri_Unicamp. Consultado em 28 de setembro de 2013 
  8. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  9. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  10. http://www.significadodosnomes.com/cidadesbrasileiras.php
  11. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 548.
  12. João Emilio Gerodetti, Carlos Cornejo (2003). Lembranças de São Paulo: O interior paulista nos cartões-postais e álbuns de lembranc̜as. [S.l.]: Solaris Editorial. p. 158 
  13. "Município de Botucatu: História". In: Relatório Apresentado ao Exmo. Sr. Presidente da Província de São Paulo pela Comissão Central de Estatística, King, São Paulo, 1888. pág. 310
  14. a b Centro Integrado de Informações Agrometeorológicas (CIIAGRO-SP). «Consulta por período». Consultado em 10 de junho de 2021 
  15. CIIAGRO-SP. «Temperatura Mínima Mensal». Consultado em 10 de junho de 2021 
  16. CIIAGRO-SP. «Temperatura Máxima Mensal». Consultado em 10 de junho de 2021 
  17. CIIAGRO-SP. «Chuva Mensal». Consultado em 10 de junho de 2021 
  18. «Botucatu tem 141 mil habitantes segundo estimativa do IBGE - Jornal Acontece Botucatu». Jornal Acontece Botucatu. 30 de agosto de 2016 
  19. «Estimativas da população para 1 de julho de 2009». Estimativas de População. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de outubro de 2010. Consultado em 16 de agosto de 2009 
  20. «Estimativas da população para 1 de julho de 2008» (PDF). IBGE. Consultado em 5 de setembro de 2008 
  21. «Estimativas - Contagem da População 2007». IBGE. Consultado em 14 de Novembro de 2007 
  22. «Estimativas - Contagem da População 2006». IBGE. Consultado em 9 de março de 2009 
  23. a b c d «Crescimento Populacional de Botucatu». Consultado em 9 de março de 2009 
  24. «Sinopse do Censo Demográfico 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2011. Consultado em 22 de agosto de 2013 
  25. «Tabela 3175 - População residente, por cor ou raça, segundo a situação do domicílio, o sexo e a idade». Censo 2010. IBGE 
  26. «Botucatu -- Estações Ferroviárias do Estado de São Paulo». www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 30 de julho de 2020 
  27. «Rubião Junior -- Estações Ferroviárias do Estado de São Paulo». www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 12 de agosto de 2020 
  28. «cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/botucatu/panorama». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 19 de fevereiro de 2020 
  29. «Histórico da Arquidiocese - Arquidiocese Sant'Ana de Botucatu - SP». arquidiocesebotucatu.org.br. Consultado em 13 de setembro de 2018 
  30. «Paróquias - Arquidiocese Sant'Ana de Botucatu - SP». arquidiocesebotucatu.org.br. Consultado em 13 de setembro de 2018 
  31. «Congregação das Servas do Senhor completa 66 anos de existência». Arquidiocese Sant'Ana de Botucatu - SP. 17 de setembro de 2018. Consultado em 20 de junho de 2020 
  32. Delmanto (1 de dezembro de 2011). «blog do delmanto: Marcelinas: 100 Anos de Uma História Vitoriosa!». blog do delmanto. Consultado em 20 de junho de 2020 
  33. «cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/botucatu/panorama». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 19 de fevereiro de 2020 
  34. UNESP (21 de junho de 2015). «FMB UNESP». JORGE ALMEIDA. Consultado em 21 de junho de 2015 
  35. UNESP (21 de junho de 2015). «IBB UNESP». JORGE ALMEIDA. Consultado em 21 de junho de 2015 
  36. UNESP (21 de junho de 2015). «FCA UNESP». JORGE ALMEIDA. Consultado em 21 de junho de 2015 
  37. UNESP (21 de junho de 2015). «FMVZ UNESP». JORGE ALMEIDA. Consultado em 21 de junho de 2015 
  38. UNESP (21 de junho de 2015). «FATEC». JORGE ALMEIDA. Consultado em 21 de junho de 2015 
  39. UNIFAC (21 de junho de 2015). «UNIFAC». JORGE ALMEIDA. Consultado em 21 de junho de 2015 
  40. FACULDADE GALILEU (21 de junho de 2015). «FACULDADE GALILEU». JORGE ALMEIDA. Consultado em 21 de junho de 2015 
  41. ITE BOTUCATU (21 de junho de 2015). «ITE BOTUCATU». JORGE ALMEIDA. Consultado em 21 de junho de 2015 
  42. «UNIBR». www.unibrbotucatu.com.br. Consultado em 9 de fevereiro de 2016 
  43. «UNOPAR». 21 de junho de 2015 
  44. «ULBRA». 21 de junho de 2015 
  45. «FAEL». 21 de junho de 2015 
  46. «UNINOVE». 21 de junho de 2015 
  47. «ANHEMBI MORUMBI». 21 de junho de 2015 
  48. «UNIVESP». 21 de junho de 2015 
  49. «Relação do patrimônio da CTB incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  50. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  51. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]