Boughèra El Ouafi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Boughèra El Ouafi
campeão olímpico
Atletismo
Nome completo Ahmed Boughèra El Ouafi
Modalidade Maratona
Nascimento 15 de outubro de 1898
Sétif, Argélia
Nacionalidade França francesa
Morte 18 de outubro de 1959 (61 anos)
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro 1928 Amsterdam Maratona

Ahmed Boughèra El Ouafi (Sétif, 15 de outubro de 189818 de outubro de 1959) foi um atleta nascido na Argélia, que representou esportivamente a França na época em que o país era uma possessão francesa e venceu a maratona dos Jogos Olímpicos de Amsterdam em 1928.

Boughera nasceu perto da cidade argelina de A Ouled Djellal e na juventude passou a integrar o regimento do exército francês lá baseado. Um de seus oficiais superiores notou suas habilidades para o atletismo e decidiu enviá-lo para competições militares na França, onde obteve bons resultados e causou boa impressão, sendo selecionado para representar o país na maratona dos Jogos de Paris em 1924.

Em Paris, El Ouafi completou a maratona num honroso sétimo lugar, o que o credenciou para continuar treinando para os próximos Jogos, em Amsterdam, quatro anos depois.

Nos Jogos Olímpicos de 1928, El Ouafi disputou a maratona de maneira conservadora, correndo atrás dos líderes finlandeses e japoneses que ditavam o ritmo da prova até assumir sozinho a liderança com menos de 5 kms para a chegada e disparar para a vitória com 26 s de vantagem e 150 m de distância para o segundo colocado, o chileno Manuel Plaza-Reyes. Mero soldado raso de pouca instrução, o ingênuo El Ouafi não se apercebeu da grandiosidade histórica do que tinha realizado, sendo o primeiro atleta de um território africano colonizado a triunfar na mais dura e lendária prova dos Jogos Olímpicos.

Após a medalha de ouro, Boughèra fez uma turnê atlética pelos Estados Unidos colhendo os louros da fama, mas o dinheiro que arrecadou o desqualificou como atleta amador pelas regras do COI e ele abandonou o atletismo.

Fim de vida[editar | editar código-fonte]

El Ouafi voltou para a Argélia e sumiu na obscuridade por quase trinta anos sem que o meio do atletismo contasse mais com sua presença nos eventos ou tivesse mais notícias dele. Em 1956, nos Jogos Olímpicos de Melbourne, na Austrália, outro argelino de nascimento representando a França, Alain Mimoun, venceu novamente a maratona. Jornalistas esportivos europeus resolveram então investigar o que havia acontecido com El Ouafi, o primeiro a conseguir esse feito décadas atrás. Depois de uma grande procura em Argel, ele foi localizado vivendo nas zonas mais promíscuas da própria Paris, na mais absoluta pobreza, quase um mendigo e entregue ao alcoolismo.

Uma campanha de ajuda financeira então foi feita em seu favor, presenteado com uma boa quantia em dinheiro de modo a poder recomeçar a vida, mas nada adiantou. Alcoólatra, ele continuou no vício e gastou todo o dinheiro.

Três dias após completar 61 anos, em 18 de outubro de 1959, numa época de grande conflagração entre a França e a Argélia revoltosa em luta por sua independência, ele foi assassinado numa briga de bar por membros do Frente de Libertação Nacional da Argélia, depois de ter se negado a participar de sua causa.

Referência biblográfica[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Boughèra El Ouafi