Brás (bairro de São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Brás
Bairro de São Paulo São Paulo City flag.svg
Palácio das Indústrias - by Lucas.jpg
Dia Oficial 8 de junho
Fundação 8 de junho de 1915 (106 anos)
Estilo arquitetônico inicial Eclético
Imigração predominante  China
 Índia
 Itália
 Argentina
 Colômbia
 Peru
 Grécia
Equador
 Angola
 Síria
 Bolívia
 Paraguai
 Armênia
Distrito Brás
Subprefeitura Mooca
Região Administrativa Sudeste

Brás é um bairro situado na Região Central do município de São Paulo, no Brasil. Se localiza próximo ao centro histórico da capital paulista. O bairro foi oficialmente fundado por Carlos Augusto Bresser, vereador paulistano.

Apesar de sua posição geográfica, pertence à região administrativa do Sudeste, visto que o bairro integra a subprefeitura da Mooca.

O Brás é um bairro comercial muito movimentado, que gera o interesse da população, a urbanização é a consequência da movimentação comercial e financeira do lugar.

Possui duas estações de metrô, as estações Bresser-Mooca e Brás, estação integrada com a Estação Brás da CPTM, das linhas 7-Rubi (aos dias úteis), 10-Turquesa (antiga Estrada de Ferro Santos-Jundiaí), 11-Coral, e 12-Safira (na Estação Roosevelt da antiga Estrada de Ferro Central do Brasil).

O bairro do Brás é o líder no número de microeemprendedores de São Paulo, somando mais de 8 mil pessoas. O distrito do Brás tem mais de dez shoppings em funcionamento, do total de MEIs ativos na capital, 42.777 atuam no setor de comércio varejista de roupas e acessórios, totalizando cerca de 6%. Nos últimos cinco anos, 66 mil pessoas iniciaram um empreendimento neste ramo.

Uma curiosidade da origem nome é que “Brás” vem do nome do dono das terras onde hoje é o bairro, que se chamava José Brás, ainda no séc. XVIII. No Brasil, o local é conhecido pelo comércio de roupas e acessórios, sendo que, em sua maioria das vezes, são vendidos por atacado para revenda.

O bairro foi eternizado na música "Samba do Arnesto" de Adoniran Barbosa.

História[editar | editar código-fonte]

Durante a Revolta Paulista de 1924 o bairro foi bombardeado por aviões do Governo Federal. O exército legalista ao governo de Artur Bernardes se utilizou do chamado "bombardeio terrificante", atingindo vários pontos da cidade, em especial bairros operários como Mooca, Ipiranga, Brás, Belenzinho e Centro, que foram seriamente afetados pelos bombardeios.

Durante o governo de Getúlio Vargas em 1943, o Brás, teve o ponta pé inicial do ensino técnico do Brasil. No dia 02 de agosto, de 1943, foi inaugurada a primeira escola SENAI, conhecida como SENAI "Roberto Simonsen"[1].

No dia 27 de setembro de 2015, aconteceu um incêndio de grande proporção em um Shopping no Brás.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. SP, Senai. «Portal SENAI-SP - Roberto Simonsen - Histórico». Portal SENAI-SP - Roberto Simonsen - Histórico (em inglês). Consultado em 8 de novembro de 2021 
  2. Paulo, Do G1 São (27 de setembro de 2015). «Incêndio de grandes proporções atinge shopping no Brás, SP». São Paulo. Consultado em 28 de junho de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]