Brașov

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Romênia Brașov

Kronstadt • Brassó

 
—  Município  —
Praça do Conselho (Piața Sfatului)
Praça do Conselho (Piața Sfatului)
Bandeira de Brașov
Bandeira
Brasão de armas de Brașov
Brasão de armas
Localização de Brașov na Roménia
Localização de Brașov na Roménia
Coordenadas 45° 40' N 25° 37' E
Região histórica Transilvânia
Distrito Brașov
Primeira menção histórica 1234
Administração
 - Prefeito George Scripcaru (ind., 2016 [1])
Área
 - Município 267 km²
Altitude 600 m
População (2011) [2][3]
 - Município 253 200
    • Densidade 948,3 hab./km²
 - Estimativa (2016) 290 743
 - Metro 369 896
Código postal 500001–500670
Sítio www.brasovcity.ro

Brașov (pronúncia em romeno: AFI[braˈʃov]; em alemão: Kronstadt; em húngaro: Brassó; em latim: Corona) é um município e cidade da região histórica da Transilvânia, Roménia. É a capital do județ (distrito) de homónimo.

No passado tinha uma significativa e influente minoria alemã (saxões da Transilvânia). Perto de Brașov, localiza-se o Castelo de Bran que, durante o domínio do rei Hunyadi da Hungria foi a morada do temível Vlad, o Empalador, soberano do Principado da Valáquia. em 1241 e 1285, a cidade alvo de ataques mongóis.

População[editar | editar código-fonte]

O município tem 267 km² de área e em 2016 estimava-se que tivesse 290 743 habitantes (densidade: 1 088,9 hab./km²).[3] Segundo o censo de 2011 tinha 253 200 habitantes.[2] A área metropolitana tinha 369 896 habitantes em 2011.

Os grupos étnicos incluídos são:

História[editar | editar código-fonte]

Através de um diploma dado pelo rei André II da Hungria, em 1211, percebe-se que terá oferecido esta região aos Cavaleiros Teutónicos e que terão assentado em Țara Bârsei. Até depois expulsos ou se retirarem, poucos anos mais tarde, ao que parece ainda puderam erguer castelo e fortificação que terá dado origem a esta cidade.

Foi nesta cidade que Vlad Tepes - nascido na Transilvânia em 1431 e morto numa batalha contra os turcos otomanos em 1476 - cometeu algumas das maiores atrocidades já vistas pelo homem, inspirando o romance Drácula de Bram Stoker, escrito em 1877.

Vlad III herdou o apelido de seu pai, Vlad II: guerreiro da Ordem do Dragão, símbolo de seu principado e destinada à defender o cristianismo e o Império da ameaça dos Otomanos. Em romeno "drac" significa dragão e "ulea", filho de; assim, Vlad II foi chamado de Vlad Drácula, ou seja "o filho do Dragão". A palavra "drac" também pode significar demônio.

Conta-se que em 1461, Maomé II, o Conquistador do Império Otomano, homem reputado por sua coragem, desistiu de invadir a Transilvânia diante da horrenda visão e fétido odor da floresta de 20.000 prisioneiros turcos empalados na entrada da cidade de Torgoviste. Mas este não foi seu recorde, no dia de São Bartolomeu de 1459, Vlad ordenara o empalamento de trinta mil pessoas.

Para efetuar o processo de empalamento, Vlad prendia as pernas da vítima em um cavalo enquanto uma estaca afiada era introduzida lentamente no corpo do torturado. A ponta da estaca era mergulhada em óleo, mas mantinha-se o cuidado especial de não deixá-la excessivamente afiada para não causar a morte imediata da vítima. Normalmente a estaca era inserida no ânus até sair pela boca, entretanto, muitas vezes, as vítimas eram empaladas através de outros orifícios corporais, abdômen, peito..; mãe e filhos eram empalados em uma mesma estaca, inicialmente atravessada pelo peito da mãe. Todos os corpos eram deixados no local para apodrecer a olhos nus.

O empalamento logicamente não era seu único método de tortura física, psicológica e política. Despelamento, mutilação de membros e genitais tanto masculinos quanto femininos; estrangulamento, cortes, queimaduras, decepamento de narizes, orelhas, olhos.

Turismo[editar | editar código-fonte]

A grande Praça do Conselho (Piața Sfatului) é rodeada por edifícios de comércio em tons pastéis e dominada pela imponente Igreja Negra (séculos XIV-XVI). Preserva ainda o espírito da Brașov medieval.[4]

O edifício da Câmara Municipal em Brașov apresenta características góticas, renascentistas e barroco transilvânico, revelando as alterações sucessivas que sofreu ao longo dos séculos. Hoje em dia alberga o Museu Municipal Histórico e o principal centro de informação turística da cidade.[4]

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Rezultate finale 5 iunie + 19 iunie 2016. Voturi si mandate de P obtinute pe localitati si partide» (em romeno). Biroul Electoral Central. www.2016bec.ro. Consultado em 29 de março de 2018. 
  2. a b «Rezultatele finale ale Recensământului din 2011: Tab8. Populația stabilă după etnie – județe, municipii, orașe, comune» (em romeno). Institutul National de Statistica. www.recensamantromania.ro. Consultado em 26 de março de 2018. 
  3. a b «Populația României pe localitati la 1 ianuarie 2016» (em romeno). Institutul National de Statistica. www.insse.ro. Consultado em 26 de março de 2018. 
  4. a b Andreescu, F. (2009), Made In Romania (em inglês), Ad Libri, p. 110 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Wikivoyage Guia turístico no Wikivoyage