Brasil na Copa do Mundo FIFA de 2002

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Brasil
Campeão
Flag of Brazil.svg
Associação CBF
Confederação Conmebol
Participação 17º (todas as copas)
Melhor resultado Nuvola apps mozilla.png Campeão: 1958, 1962, 1970, 1994, 2002
Treinador Brasil Luiz Felipe Scolari

A edição de 2002 da Copa do Mundo marcou a décima sétima participação da Seleção Brasileira de Futebol na competição. O país manteve a situação de único país a participar de todas as edições do torneio da FIFA e conquistou o quinto título do torneio ao vencer a Alemanha na final por 2-0, em Yokohama.[1][2]

Foi a segunda vez em que a Seleção Brasileira de Futebol utilizou o esquema 3-5-2 em uma Copa do Mundo, sendo a primeira em 1990. A equipe foi treinado por Luiz Felipe Scolari e o capitão foi Cafu. O Brasil venceu todas as partidas repetindo 1970.

O início do ciclo foi conturbado, com resultados ruins e diversas denuncias de corrupção envolvendo jogadores, dirigentes e treinadores. A pressão popular deu origem a duas CPIs.[3] O Brasil se recuperou dentro de campo e conseguiu se classificar à Copa do Mundo de 2002 na última rodada.

Os jogos marcaram acima dos 60 pontos de Ibope na Grande São Paulo. A final entre Brasil e Alemanha fechou com 67 pontos e 91% de índice share, que registra o percentual de televisores sintonizados na emissora no horário da partida. .[4]

Eliminatórias[editar | editar código-fonte]

O Brasil passou por um ciclo instável com quatro treinadores durante as eliminatórias: Vanderlei Luxemburgo (8 jogos), Emerson Leão (3 jogos), Candinho (1 jogo) e Luiz Felipe Scolari (6 jogos). 104 jogadores convocados e perdeu seis dos nove jogos que fez como visitante.

O período de Vanderlei Luxemburgo, iniciado com o empate por 1-1 com a Iuguslávia num amistoso em São Luís, teve a conquista da Copa América de 1999, mas após ser desclassificado nos jogos olímpicos de Sidney para a seleção de Camarões com dois jogadores a mais em campo, além de diversas acusações na Justiça, o treinador foi demitido em setembro de 2000.[5] Na ocasião, Luxemburgo foi acusado de falsidade ideológica, sonegação de impostos e de ter tirado proveito da venda de jogadores.[6] O técnico fez acordo com o Ministério Público, pagou indenização, mudou seu nome de Wanderley para Vanderlei e alterou sua data de nascimento.[7]

Emerson Leão assumiu o cargo em 2001 tentando montar uma "seleção caseira", apenas com atletas atuando no Brasil, sob a alegação de que os jogadores da Europa não respeitavam a seleção. Leão foi demitido no aeroporto de Narita, no Japão, pouco antes de embarcar para o Brasil, após a derrota para a Austrália na decisão do terceiro lugar na Copa das Confederações.[8] O período foi conhecido como "Era Leomar", devido a surpreendente convocação do volante Leomar Leiria, então atleta do Sport Recife. Em entrevista a Rádio Transamérica em 2013, o então presidente do clube Luciano Bivar afirmara que tinha dado dinheiro a um lobista para que Leomar fosse convocado para a Seleção, porém não disse se o dinheiro havia chegado ao então treinador. Na época, Leão chamou de ridículas as declarações de Bivar.[9]

Luiz Felipe Scolari assumiu o comando da seleção em junho de 2001. Na Copa América de 2001, diversos jogadores pediram dispensa da seleção, como o volante Mauro Silva, que comunicou a decisão no aeroporto de embarque para a Colômbia alegando receio da violência.[10] Romário pediu dispensa alegando que faria uma cirurgia no olho.[11] O Brasil foi desclassificado na competição para Honduras nas quartas de final, o que foi considerado um "fiasco histórico".[12] A classificação para a Copa do Mundo ocorreu apenas na última rodada em vitória contra a Venezuela por 3-0. A partida decisiva foi disputada no Maranhão para agradar políticos, devido ao receio do presidente Ricardo Teixeira ser investigado.[13]

Eliminatórias[editar | editar código-fonte]

Tabela de Posições
Equipe Pts PJ PG PE PP GF GC Dif
Argentina Argentina 43 18 13 4 1 42 15 27
Equador Equador 31 18 9 4 5 23 20 3
Brasil Brasil 30 18 9 3 6 31 17 14
Paraguai Paraguai 30 18 9 3 6 29 23 6
Uruguai Uruguai 27 18 7 6 5 19 13 6
Colômbia Colômbia 27 18 7 6 5 20 15 5
Bolívia Bolívia 18 18 4 6 8 21 33 -12
Peru Peru 16 18 4 4 10 14 25 -11
Venezuela Venezuela 16 18 5 1 12 18 44 -26
Chile Chile 12 18 3 3 12 15 27 -12

Primeiro turno[editar | editar código-fonte]

28 de março de 2000 El Campín, Bogotá Colombia Colômbia 0:0 Brasil Brasil
26 de abril de 2000 Morumbi, São Paulo Brasil Brasil 3:2 (2:1) Equador Ecuador
4 de junho de 2000 Nacional, Lima Perú Peru 0:1 (0:1) Brasil Brasil
28 de junho de 2000 Maracanã, Rio de Janeiro Brasil Brasil 1:1 (0:1) Uruguai Uruguay
18 de julho de 2000 Defensores del Chaco, Asunción Paraguay Paraguai 2:1 (1:0) Brasil Brasil
26 de julho de 2000 Morumbi, São Paulo Brasil Brasil 3:1 (2:1) Argentina Argentina
15 de agosto de 2000 Nacional, Santiago Chile Chile 3:0 (2:0) Brasil Brasil
3 de setembro de 2000 Maracanã, Rio de Janeiro Brasil Brasil 5:0 (1:0) Bolívia Bolivia
8 de outubro de 2000 Pachencho Romero, Maracaibo Venezuela Venezuela 0:6 (0:5) Brasil Brasil

Segundo turno[editar | editar código-fonte]

15 de novembro de 2000 Morumbi, São Paulo Brasil Brasil 1:0 (0:0) Colômbia Colombia
28 de março de 2001 Atahualpa, Quito Equador Equador 1:0 (0:0) Brasil Brasil
25 de abril de 2001 Morumbi, São Paulo Brasil Brasil 1:1 (0:0) Peru Perú
1 de julho de 2001 Centenario, Montevideo Uruguay Uruguai 1:0 (1:0) Brasil Brasil
15 de agosto de 2001 Olímpico, Porto Alegre Brasil Brasil 2:0 (1:0) Paraguai Paraguay
5 de setembro de 2001 Monumental, Buenos Aires Argentina Argentina 2:1 (0:1) Brasil Brasil
7 de outubro de 2001 Couto Pereira, Curitiba Brasil Brasil 2:0 (0:0) Chile Chile
7 de novembro de 2001 Hernando Siles, La Paz Bolivia Bolívia 3:1 (1:1) Brasil Brasil
14 de novembro de 2001 Castelão, São Luís Brasil Brasil 3:0 (3:0) Venezuela Venezuela

A Lista para a Copa[editar | editar código-fonte]

Na véspera da Copa do Mundo FIFA de 2002 havia um clamor popular pela convocação de Romário. Pesquisa do Datafolha indicava que 69% dos torcedores queriam ver Romário na copa. O jogador foi visto almoçando com o presidente Ricardo Teixeira às véspera da convocação. [14] Até o então presidente da república Fernando Henrique Cardoso se manifestou publicamente a favor do atleta: "Eu sou Romário. Sobre isso não há dúvida. O resto eu não respondo. Romário, eu sou". [15]

Romário não foi chamado para a Copa do Mundo e Luiz Felipe Scolari se justificou mais tarde: "Eu fui convidado a ir ao Rio de Janeiro para uma determinada situação dentro da CBF e um almoço com o Ricardo Teixeira. No mesmo dia, o Romário tinha saído de uma reunião com o Ricardo. (...) Almoçamos e ele me disse: "Felipe escolhe seus jogadores, quem sabe da seleção é tu, que vai ser responsabilizado é tu". A decisão é sua. O Romário é um jogador que nos 20 metros finais é fantástico. Mas eu tinha que montar uma equipe com um pouco mais de movimentação e uma marcação mais forte. Para isso, não podia contar com o Romário. Na minha opinião eu precisaria de mais velocidade.".[16] Ricardo Teixeira teria ficado revoltado e não disponibilizou nenhum segurança para Felipão deixar a sede da CBF.[17] Um grupo de cinquenta manifestantes, com faixas e cartazes a favor da convocação de Romário, hostilizou o treinador e quase virou o táxi de Felipão.[18]

Rivaldo e Ronaldo Nazário tiveram sua presença questionada na Copa. Em maio de 2002, Barcelona queria fazer uma cirurgia no Rivaldo alegando que rendia apenas a 40%, mas foi vetado pelo médico da seleção brasileira, José Luiz Runco.[19] Convocado em março, Ronaldo Nazário não atuava desde 23 de dezembro de 2001. Felipão justificou: "Se o Ronaldo jogar ou não na Inter, ele vem ao Brasil para fazer parte do grupo. Nós não temos um tempo longo para esperar a Inter decidir pela escalação do jogador".[20] Runco: "O Ronaldo já estava em condições de jogo, mas toda hora tinha problemas musculares. Nós tínhamos um jogo amistoso em fevereiro e o Ronaldo voltou ao Brasil. Foram 30 dias de trabalho. Nós tivemos uma falha em uma manhã. Ele não foi nessa manhã. Ele fazia trabalho três vezes por dia, de manhã, tarde e complementação à noite. No resto, ele se dedicou. O problema é que a Inter tinha um técnico argentino, que tumultuou a vida do Ronaldo. Quanto ao Rivaldo, os quatro médicos do Barcelona queriam, queriam, que ele operasse. Nós bancamos. Mas na semana que ele iria se apresentar na seleção, ele torceu o joelho. Aí lá em Barcelona falaram que o Rivaldo estava fora da Copa. Aí eu disse: "olha, ele vai jogar." E foi o que aconteceu." [21]

O Brasil marcou amistosos no início de 2002 contra Bolívia, Arábia Saudita e Islândia visando realizar testes. Dos amistosos saíram jogadores com Kleberson, Anderson Polga, Gilberto Silva e Kaká.

Segundo Vampeta, o Luiz Felipe Scolari teria chegado para ele, o Alex e o Roque Junior e teria dito: "Vocês eu já conheço, quero testar aqueles cara lá. (..) [mas] os caras que o Felipão pôs para testar, só eles fizeram gols, porque só eles estão jogando, contra uma seleção baba, pegaram moral.". [22] Alex afirma que Felipão deu a entender que ele iria à Copa do mundo: "Eu joguei a maioria dos jogos, era um treinador que me conhecia, que em várias conversas deixou sempre a entender que eu participaria. Em um amistoso no Mato Grosso contra a Islândia, tive uma conversa com o Felipão no corredor, e aquela conversa me dava mais certeza de que eu jogaria o Mundial".[23]

Nome certo para a Copa, o meia Djalminha deu uma cabeçada no seu treinador, Javier Irureta, do La Coruña. Felipão justificou: “Fiquei muito dividido entre Djalminha e Kaká na lista final. A minha ideia era levar o Djalminha. Depois do episódio fiquei pensando: ‘Vou levar alguém que deu problema? Como os outros jogadores e a mídia vão interpretar?"[24] De acordo com Vampeta, Djalminha teria chegado, bêbado, a concentração da seleção em amistoso contra a Catalunha em maio de 2002 e cobrado Felipão: "Você convocar esse moleque [Kaká] e não me levar porque eu briguei com o treinador? Você não sabe o que eu passo com ele?". [25]

Convocados[editar | editar código-fonte]

Convocados no dia 07 de maio de 2002.[26][27]

Número Nome Posição Equipe
1 Marcos Goleiro Brasil Palmeiras
2 Cafú Capitão Lateral-direito Itália Roma
3 Lúcio Zagueiro Alemanha Bayer Leverkusen
4 Roque Júnior Zagueiro Itália Milan
5 Edmílson Volante e Zagueiro França Olympique Lyonnais
6 Roberto Carlos Lateral-esquerdo Espanha Real Madrid
7 Ricardinho Meio-campista Brasil Corinthians
8 Gilberto Silva Volante Brasil Atlético Mineiro
9 Ronaldo Atacante Itália Inter de Milão
10 Rivaldo Atacante Espanha Barcelona
11 Ronaldinho Gaúcho Meio-campista França Paris Saint-Germain
12 Dida Goleiro Brasil Corinthians
13 Belletti Lateral-direito Brasil São Paulo
14 Anderson Polga Zagueiro Brasil Grêmio
15 Kléberson Volante Brasil Atlético Paranaense
16 Júnior Lateral-esquerdo Itália Parma
17 Denílson Meio-campista Espanha Real Betis
18 Vampeta Volante Brasil Corinthians
19 Juninho Paulista Meio-campista Brasil Flamengo
20 Edilson Atacante Brasil Cruzeiro
21 Luizão Atacante Brasil Grêmio
22 Rogério Ceni Goleiro Brasil São Paulo
23 Kaká Meio-campista Brasil São Paulo
DT Luiz Felipe Scolari Treinador

Campanha[editar | editar código-fonte]

Na véspera da Copa, Emerson machucou o ombro em um rachão e foi cortado. Para o lugar dele, foi chamado Ricardinho. "Eu fiquei chateado. No jogo Brasil e Inglaterra eu já estava bom. (..) Eu era o capitão, tinha uma relação de confiança, o Felpão me conhecia desde os 17 anos de idade.".[28]

O Brasil estreou derrotando, de virada, a Turquia, por 2 a 1, em jogo marcado pelo pênalti marcado em uma falta fora da área sofrida por Luizão. Rivaldo converteu a cobrança. O penalti deveria ser cobrado por Ronaldinho, mas Rivado assumiu a responsabilidade: "Pelo meu esquema, seria o Ronaldinho que deveria cobrar, mas na hora que ele pegou a bola, olhou para o banco. Quando você vê um jogador olhando para o banco, sabe que tem alguma coisa acontecendo. Na linguagem popular, ele estava todo cagado. Aí, o técnico pensa: 'ai, Jesus! É nessa hora que aparecem as lideranças do grupo. O Rivaldo fez assim [gesto] Eu disse: 'é tu mesmo!'. Nesse momento, não é só o jogador que está cagado, o técnico também está".[29]

No segundo jogo, o Brasil goleou a China, que fazia sua estreia em mundiais, por 4 a 0. Na terceira partida, Felipão poupou muitos titulares e a seleção aplicou nova goleade de 5 a 2 sobre a Costa Rica.

Nas oitavas, o Brasil superou a Bélgica por 2 a 0. O lance polêmico foi um gol anulado de Marc Wilmots. Em entrevista para a Gazeta em 2018, Wilmots declarou: "Para mim, não foi falta. A partir daí, nós da Bélgica, nos sentimos prejudicados. É claro que não podemos dizer que um gol aos 37 minutos de jogo, o que aconteceria depois, se o Brasil empataria ou não, mas isso muda tudo. A gente nunca vai saber.".[30] Ronaldo declarou em 2022 para Tiago Leifert: "O jogo da Bélgica foi o mais difícil. Começamos levando um sufoco, os caras fizeram um gol anulado, a gente não tava bem no jogo, até que o Rivaldo encontrou uma genialidade.".[31] A partir desse jogo, Juninho Paulista deu lugar a Kleberson. Tostão analisou que "Havia poucos jogadores no meio-campo".[32]

Nas quartas de final, virada de 2 a 1 sobre a Inglaterra, com um jogador a menos, devido a expulsão de Ronaldinho Gaúcho. O gol da virada foi de cobertura de Ronaldinho, que negou ter sido sem querer: ""Eu já tinha reparado, quando a gente olhava os vídeos dos outros jogos, já analisava que o goleiro deles sempre ficava um pouco adiantado. Então, já veio a possibilidade ali. Junto com a sorte, acabou saindo aquele lindo gol".[33] Cafu afirma que deu a dica: "Eu falei para ele que o Seaman (goleiro da Inglaterra) vivia adiantado. Quando eu jogava no Zaragoza (da Espanha), o Nayim (meia espanhol) fez um gol nele do meio de campo porque ele estava adiantado. Mas eu só dei um toque no Ronaldo, falando que ele estava sempre adiantado. Mas colocar a bola lá, do jeito que ele colocou, só o Ronaldinho mesmo".[34] O Brasil controlou o jogo. "A Inglaterra estava com medo do Brasil, mesmo com um mais", relata Cafu. [35]

Nas semi, o Brasil superou a Turquia por 1 a O. Ficou famoso o lance em que Denílson é perseguido por quatro turcos. Segundo Denílson: "Voltei pro hotel, a imprensa vindo falar comigo que eu tinha realizado a jogada da Copa do Mundo. E eu não dei muita importância. (...) A repercussão eu só fui me dar conta depois que parei de jogar, porque em qualquer lugar, evento ou trabalho as pessoas me perguntam sobre essa jogada. A imagem não sai da cabeça do torcedor. [36] O gol decisivo foi de Ronaldo em jogada individual semelhante a de Romário contra a Suécia na primeira fase da Copa de 1994. Segundo Ronaldo: "Foi um gol à la Romário, na única oportunidade que eu tive no segundo tempo".[37] Outro lance nostálgico, foi a troca de passes para a finalização de Cafu no segundo tempo. Cafu: "Eu quase faço um gol, e o Ronaldo falou, "nós iríamos repetir o Carlos Alberto e o Pelé em 1970", o Ronaldo rolou igualzinho o Pelé, mas eu dominei a bola e bati, e o goleiro tirou a bola de cotovelo, se eu tivesse chegado de primeira." [38]

Na final, vitória sobre a Alemanha por 2 a 0 com dois gols de Ronaldo. A Alemanha estava sem Michael Ballack, suspenso. O Brasil foi considerado o favorito para vencer a partida pelas casas de apostas. Felipão: "No último jogo, começaram a circular boatos de quem seria o artilheiro. Chamei os dois (Ronaldo e Rivaldo), conversei com eles, eles brincaram entre eles. Eram situações criadas para que se houvesse alguma coisa [estaria precavido].".[39]

Pela conquista do título, cada membro da comissão técnica recebeu um prêmio de US$ 100 mil estipulados pela CBF. Desde o atacante Ronaldo, artilheiro da Copa com oito gols, ao massagista Jorge Luís Domingos, o "bicho" pelo penta foi o mesmo. Os pentacampeões também receberam outros R$ 104.683,19 pela participação nos contratos da CBF com Globo, AmBev e Telemar, patrocinadoras da seleção. [40]

Audiências[editar | editar código-fonte]

As partidas do Brasil fizeram mais de 60 pontos de Ibope na Grande São Paulo. A final entre Brasil e Alemanha fechou com 67 pontos.[41] A emissora alcançou 91% de índice share, que registra o percentual de televisores sintonizados na emissora no horário da partida.

A estreia contra a Turquia alcançou 64 pontos. O teceiro jogo, contra a Costa Rica atingiu a menor audiência, com 56 pontos. Nas oitavas de final, contra a Bélgica rendeu 68 pontos de audiência. Contra a Inglaterra nas quartas registrou-se 65 pontos. O recorde de audiência ocorreu nos jogos do Brasil contra a Turquia na semifinal e na goleada por 4 a 0 sobre a China, na primeira fase, quando a emissora alcançou 69 pontos de média.[42] A reprise da final, exibida na tarde de domingo em 2020, pela TV Globo, bateu 21 pontos e 37% de participação, superior aos quatro domingo anteriores.[43]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Time Pts J V E D GF GC SG
Brasil Brasil 9 3 3 0 0 11 3 8
Flag of Turkey.svg Turquia 4 3 1 1 1 5 3 2
Flag of Costa Rica (state).svg Costa Rica 4 3 1 1 1 5 6 -1
Flag of the People's Republic of China.svg China 0 3 0 0 3 0 9 -9

Primeira fase[editar | editar código-fonte]

3 de Junho de 2002 Brasil Brasil 2 – 1 Flag of Turkey.svg Turquia Munsu Cup Stadium, Ulsan
18:00
Ronaldo Gol marcado aos 50 minutos de jogo 50'
Rivaldo Gol marcado aos 87 minutos de jogo 87'
(Relatório) Şaş Gol marcado aos 47 minutos de jogo 47' Público: 33 842
Árbitro: Kim Young-Joo (Flag of South Korea.svg Coreia do Sul)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Brasil
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Turquia
G 1 Marcos
Z 4 Roque Júnior
Z 3 Lúcio
Z 5 Edmílson
LD 2 Cafu Capitão
LE 6 Roberto Carlos
V 8 Gilberto Silva
M 19 Juninho Paulista Substituído após 72 minutos de jogo 72'
M 11 Ronaldinho Substituído após 67 minutos de jogo 67'
A 9 Ronaldo Substituído após 73 minutos de jogo 73'
M 10 Rivaldo
Substituições:
A 17 Denílson Penalizado com cartão amarelo após 73 minutos 73' Entrou em campo após 67 minutos 67'
M 18 Vampeta Entrou em campo após 72 minutos 72'
A 21 Luizão Entrou em campo após 73 minutos 73'
Técnico:
Brasil Luiz Felipe Scolari
G 1 Rüştü Reçber
Z 5 Alpay Özalan Penalizado a 44 minutosExpulso a 86 minutos 44', 86'
Z 16 Ümit Özat
Z 3 Bülent Korkmaz Substituído após 66 minutos de jogo 66'
LD 4 Fatih Akyel Penalizado com cartão amarelo após 21 minutos 21'
V 8 Tugay Kerimoğlu Substituído após 88 minutos de jogo 88'
LE 20 Hakan Ünsal Penalizado a 24 minutosPenalizado a 90+4 minutosExpulso a 90+4 minutos 24', 90+4'
M 21 Emre Belözoğlu
A 10 Yıldıray Baştürk Substituído após 66 minutos de jogo 66'
M 11 Hasan Şaş
A 9 Hakan Şükür (c)
Substitutions:
A 17 İlhan Mansız Entrou em campo após 66 minutos 66'
M 22 Ümit Davala Entrou em campo após 66 minutos 66'
A 6 Arif Erdem Entrou em campo após 88 minutos 88'
Tecnico:
Turquia Şenol Güneş

8 de Junho de 2002 Brasil Brasil 4 – 0 Flag of the People's Republic of China.svg China Jeju World Cup Stadium, Seogwipo
20:30
Roberto Carlos Gol marcado aos 15 minutos de jogo 15'
Rivaldo Gol marcado aos 32 minutos de jogo 32'
Ronaldinho Gaúcho Gol marcado aos 45 minutos de jogo 45'
Ronaldo Gol marcado aos 55 minutos de jogo 55'
(Relatório) Público: 36,750
Árbitro: Anders Frisk (Flag of Sweden.svg Suécia)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Brasil
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
China
G 1 Marcos
Z 3 Lúcio
Z 14 Anderson Polga
Z 4 Roque Júnior Penalizado com cartão amarelo após 69 minutos 69'
LD 2 Cafu Capitão
LE 6 Roberto Carlos
V 19 Juninho Paulista Substituído após 70 minutos de jogo 70'
V 8 Gilberto Silva
M 10 Rivaldo
A 9 Ronaldo Substituído após 72 minutos de jogo 72'
M 11 Ronaldinho Penalizado com cartão amarelo após 25 minutos 25' Substituído após 46 minutos de jogo 46'
Substituições:
A 17 Denílson Entrou em campo após 46 minutos 46'
M 7 Ricardinho Entrou em campo após 70 minutos 70'
A 20 Edílson Entrou em campo após 72 minutos 72'
Técnico:
Brasil Luiz Felipe Scolari
G 22 Jiang Jin
Z 21 Xu Yunlong
Z 17 Du Wei
Z 14 Li Weifeng
LE 4 Wu Chengying
V 8 Li Tie
V 15 Zhao Junzhe
LD 18 Li Xiaopeng
M 9 Ma Mingyu (c) Substituído após 62 minutos de jogo 62'
A 19 Qi Hong Substituído após 66 minutos de jogo 66'
A 10 Hao Haidong Substituído após 75 minutos de jogo 75'
Substituições:
M 3 Yang Pu Entrou em campo após 62 minutos 62'
M 6 Shao Jiayi Entrou em campo após 66 minutos 66'
A 16 Qu Bo Entrou em campo após 75 minutos 75'
Técnico:
Iugoslávia Bora Milutinović

13 de Junho de 2002 Flag of Costa Rica (state).svg Costa Rica 2 – 5 Brasil Brasil Suwon World Cup Stadium, Suwon
15:30
Wanchope Gol marcado aos 39 minutos de jogo 39'
Gómez Gol marcado aos 56 minutos de jogo 56'
(Relatório) Ronaldo Gol marcado aos 10 minutos de jogo 10', Gol marcado aos 13 minutos de jogo 13'
Edmílson Gol marcado aos 38 minutos de jogo 38'
Rivaldo Gol marcado aos 62 minutos de jogo 62'
Júnior Gol marcado aos 64 minutos de jogo 64'
Público: 38,524
Árbitro: Gamal Al-Ghandour (Flag of Egypt.svg Egito)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Costa Rica
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Brasil
G 1 Erick Lonnis (c)
Z 5 Gilberto Martínez Substituído após 74 minutos de jogo 74'
Z 4 Mauricio Wright
Z 3 Luis Marín
LD 15 Harold Wallace Substituído após 46 minutos de jogo 46'
V 8 Mauricio Solís Substituído após 65 minutos de jogo 65'
V 6 Wilmer López
V 10 Walter Centeno
LE 22 Carlos Castro
A 9 Paulo Wanchope
A 11 Rónald Gómez
Substituição:
A 16 Steven Bryce Entrou em campo após 46 minutos 46'
A 7 Rolando Fonseca Entrou em campo após 65 minutos 65'
M 12 Winston Parks Entrou em campo após 74 minutos 74'
Técnico:
BrasilAlexandre Guimarães
G 1 Marcos
Z 3 Lúcio
Z 14 Anderson Polga
Z 5 Edmílson
LD 2 Cafu Capitão Penalizado com cartão amarelo após 90+3 minutos 90+3'
LE 16 Júnior
V 19 Juninho Paulista Substituído após 61 minutos de jogo 61'
V 8 Gilberto Silva
A 20 Edílson Substituído após 57 minutos de jogo 57'
A 9 Ronaldo
M 10 Rivaldo Substituído após 72 minutos de jogo 72'
Substituição:
M 15 Kléberson Entrou em campo após 57 minutos 57'
M 7 Ricardinho Entrou em campo após 61 minutos 61'
A 23 Kaká Entrou em campo após 72 minutos 72'
Técnico:
Brasil Luiz Felipe Scolari

Segunda fase[editar | editar código-fonte]

Oitavas de final[editar | editar código-fonte]

17 de Junho de 2002 Brasil Brasil 2 – 0 Flag of Belgium.svg Bélgica Wing Stadium, Kobe
20:30
Rivaldo Gol marcado aos 67 minutos de jogo 67'
Ronaldo Gol marcado aos 87 minutos de jogo 87'
(Relatório) Público: 40,440
Árbitro: Peter Prendergast (Flag of Jamaica.svg Jamaica)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Brasil
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Bélgica
G 1 Marcos
Z 3 Lúcio
Z 4 Roque Júnior
Z 5 Edmílson
LD 2 Cafu Capitão
LE 6 Roberto Carlos Penalizado com cartão amarelo após 28 minutos 28'
V 19 Juninho Paulista Substituído após 57 minutos de jogo 57'
V 8 Gilberto Silva
M 11 Ronaldinho Substituído após 81 minutos de jogo 81'
M 10 Rivaldo Substituído após 90 minutos de jogo 90'
A 9 Ronaldo
Substituições:
M 17 Denílson Entrou em campo após 57 minutos 57'
M 15 Kléberson Entrou em campo após 81 minutos 81'
M 7 Ricardinho Entrou em campo após 90 minutos 90'
Técnico:
Luiz Felipe Scolari
G 1 Geert De Vlieger
LD 15 Jacky Peeters Substituído após 72 minutos de jogo 72'
Z 16 Daniel Van Buyten
Z 6 Timmy Simons
LE 5 Nico Van Kerckhoven
M 22 Mbo Mpenza
V 18 Yves Vanderhaeghe Penalizado com cartão amarelo após 24 minutos 24'
V 10 Johan Walem
M 8 Bart Goor
A 11 Gert Verheyen
A 7 Marc Wilmots (c)
Substituições:
A 9 Wesley Sonck Entrou em campo após 72 minutos 72'
Técnico:
Robert Waseige

Quartas de final[editar | editar código-fonte]

21 de Junho de 2002 Flag of England.svg Inglaterra 1 – 2 Brasil Brasil Ecopa Stadium, Shizuoka
15:30
Owen Gol marcado aos 23 minutos de jogo 23' (Relatório) Rivaldo Gol marcado aos 47 minutos de jogo 47'
Ronaldinho Gaúcho Gol marcado aos 50 minutos de jogo 50'
Público: 47,436
Árbitro: Felipe Ramos Rizo (Flag of Mexico.svg México)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Inglaterra
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Brasil
G 1 David Seaman
LD 2 Danny Mills
Z 5 Rio Ferdinand Penalizado com cartão amarelo após 86 minutos 86'
Z 6 Sol Campbell
LE 3 Ashley Cole Substituído após 80 minutos de jogo 80'
M 7 David Beckham (c)
V 21 Nicky Butt
V 8 Paul Scholes Penalizado com cartão amarelo após 75 minutos 75'
M 4 Trevor Sinclair Substituído após 56 minutos de jogo 56'
A 10 Michael Owen Substituído após 79 minutos de jogo 79'
A 11 Emile Heskey
Substituições:
M 23 Kieron Dyer Entrou em campo após 56 minutos 56'
A 20 Darius Vassell Entrou em campo após 79 minutos 79'
A 17 Teddy Sheringham Entrou em campo após 80 minutos 80'
Técnico:
Suécia Sven-Göran Eriksson
G 1 Marcos
Z 3 Lúcio
Z 5 Edmílson
Z 4 Roque Júnior
LD 2 Cafu Capitão
LE 6 Roberto Carlos
V 15 Kléberson
V 8 Gilberto Silva
M 11 Ronaldinho Expulso a 57 minutos 57'
M 10 Rivaldo
A 9 Ronaldo Substituído após 70 minutos de jogo 70'
Substituições:
A 20 Edílson Entrou em campo após 70 minutos 70'
Técnico:
Luiz Felipe Scolari

Semifinal[editar | editar código-fonte]

26 de Junho de 2002 Brasil Brasil 1 – 0 Flag of Turkey.svg Turquia Saitama Stadium, Saitama
20:30
Ronaldo Gol marcado aos 49 minutos de jogo 49' (Relatório) Público: 61,058
Árbitro: Kim Milton Nielsen (Flag of Denmark.svg Dinamarca)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Brasil
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Turquia
G 1 Marcos
Z 3 Lúcio
Z 4 Roque Júnior
Z 5 Edmílson
LD 2 Cafu Capitão
V 15 Kléberson Substituído após 85 minutos de jogo 85'
V 8 Gilberto Silva Penalizado com cartão amarelo após 41 minutos 41'
LE 6 Roberto Carlos
A 20 Edílson Substituído após 75 minutos de jogo 75'
A 9 Ronaldo Substituído após 68 minutos de jogo 68'
M 10 Rivaldo
Substituições:
A 21 Luizão Entrou em campo após 68 minutos 68'
M 17 Denílson Entrou em campo após 75 minutos 75'
LD 13 Belletti Entrou em campo após 85 minutos 85'
Técnico:
Luiz Felipe Scolari
G 1 Rüştü Reçber
LD 4 Fatih Akyel
Z 5 Alpay Özalan
Z 3 Bülent Korkmaz
LE 18 Ergün Penbe
M 8 Tugay Kerimoğlu Penalizado com cartão amarelo após 59 minutos 59'
M 22 Ümit Davala Substituído após 74 minutos de jogo 74'
V 10 Yıldıray Baştürk Substituído após 88 minutos de jogo 88'
M 21 Emre Belözoğlu Substituído após 62 minutos de jogo 62'
A 11 Hasan Şaş Penalizado com cartão amarelo após 90 minutos 90'
A 9 Hakan Şükür (c)
Substituições:
A 17 İlhan Mansız Entrou em campo após 62 minutos 62'
M 13 Muzzy İzzet Entrou em campo após 74 minutos 74'
A 6 Arif Erdem Entrou em campo após 88 minutos 88'
Técnico:
Şenol Güneş

Final[editar | editar código-fonte]

30 de Junho de 2002 Bandeira da Alemanha Alemanha 0 – 2 Brasil Brasil International Stadium Yokohama, Yokohama
18:00
(Relatório) Ronaldo Gol marcado aos 67 minutos de jogo 67', Gol marcado aos 79 minutos de jogo 79' Público: 69,029
Árbitro: Pierluigi Collina (Flag of Italy.svg Itália)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Alemanha
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Brasil
G 1 Oliver Kahn (c)
Z 2 Thomas Linke
Z 5 Carsten Ramelow
Z 21 Christoph Metzelder
LD 22 Torsten Frings
V 8 Dietmar Hamann
V 16 Jens Jeremies Substituído após 77 minutos de jogo 77'
LE 17 Marco Bode Substituído após 84 minutos de jogo 84'
M 19 Bernd Schneider
A 11 Miroslav Klose Penalizado com cartão amarelo após 9 minutos 9' Substituído após 74 minutos de jogo 74'
A 7 Oliver Neuville
Substituições:
A 20 Oliver Bierhoff Entrou em campo após 74 minutos 74'
A 14 Gerald Asamoah Entrou em campo após 77 minutos 77'
Z 6 Christian Ziege Entrou em campo após 84 minutos 84'
Técnico:
Rudi Völler
GER-BRA 2002-06-30.svg
G 1 Marcos
Z 3 Lúcio
Z 5 Edmílson
Z 4 Roque Júnior Penalizado com cartão amarelo após 6 minutos 6'
LD 2 Cafu Capitão
V 8 Gilberto Silva
V 15 Kléberson
LE 6 Roberto Carlos
M 11 Ronaldinho Substituído após 85 minutos de jogo 85'
A 10 Rivaldo
A 9 Ronaldo Substituído após 90 minutos de jogo 90'
Substituições:
M 19 Juninho Paulista Entrou em campo após 85 minutos 85'
M 17 Denílson Entrou em campo após 90 minutos 90'
Técnico:
Luiz Felipe Scolari
Copa do Mundo FIFA de 2002
Brasil
Brasil
Campeão
(5º título)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Redemption for Ronaldo as world's eyes turn east». FIFA. Consultado em 9 de Dezembro de 2015 
  2. «Brazil crowned world champions». BBC Sport. 30 de junho de 2002. Consultado em 19 de junho de 2014 
  3. «Presidente da CBF esteve em CPIs do Futebol e da Nike». Folha. 30 de junho de 2002. Consultado em 19 de junho de 2014 
  4. «Globo quase não exibiu Copa de 2002, e parceria com Record foi cogitada». Uol Esporte. 30 de junho de 2002. Consultado em 19 de junho de 2014 
  5. «Luxemburgo não é mais técnico da seleção brasileira». Folha. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  6. «WANDERLEY LUXEMBURGO DEPÕE QUINTA-FEIRA NA CPI DO FUTEBOL». Senado. Consultado em 9 de Dezembro de 2015 
  7. «CPI revelou que técnico escondeu verba da Receita». Folha. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  8. «CBF oficializa no aeroporto a saída do "bailarino" Leão». Folha. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  9. «Os 20 anos da Era Leomar: o dia em que Leão virou técnico do Sport e... da seleção brasileira». Globoesporte. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  10. «Receio de terror fez Mauro Silva desistir em 2001». Globoesporte. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  11. «Por que Romário está fora da seleção». Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  12. «Em fiasco histórico, Brasil é eliminado por Honduras». Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  13. «Ufa!». Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  14. «CBF articula por Romário». Folha. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  15. «Na Polônia, FHC pede Romário na seleção». Folha. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  16. «Para Felipão, Eurico foi responsável pela ausência de Romário em 2002». Globoesporte. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  17. «Os bastidores raivosos, rancorosos, da seleção pentacampeã. Felipão e Teixeira não se suportavam. Time se vingou da imprensa». R7. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  18. «O dia em que torcedores tentaram virar o carro de Felipão». Terra. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  19. «Pánico en el Barça por la rodilla de Rivaldo». AS. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  20. «Ronaldo dentro, Romário fora (ou na reserva)». AS. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  21. A verdadeira história que levou Rivaldo e Ronaldo para a Copa do Mundo de 2002.!. Youtube. 15 de maio 2022. Em cena em dur: 08.22. Consultado em 15 de maio de 2021 
  22. Histórias do Vampeta: por que Alex REALMENTE não foi para a Copa de 2002?. Youtube. 15 de maio 2022. Em cena em dur: 06.15. Consultado em 15 de maio de 2021 
  23. «"Felipão deu a entender que eu iria à Copa de 2002"». Uol. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  24. «DJALMINHA SURPREENDE AO CONTAR BASTIDORES DA CONVOCAÇÃO PARA A COPA DE 2002». Onefootball. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  25. Histórias do Vampeta: o "SURTO" de Djalminha após ser "TROCADO" por Kaká em 2002!. Youtube. 15 de maio 2022. Em cena em dur: 06.15. Consultado em 15 de maio de 2021 
  26. «Copa do Mundo 2002 - Japão/Coreia do Sul». Arquivo dos Mundiais. Consultado em 9 de Dezembro de 2015 
  27. «Em 2002, Felipão anuncia a lista definitiva de convocados para a Copa do Mundo». BAÚ DO ESPORTE. Consultado em 9 de Dezembro de 2015 
  28. EMERSON REVELA MÁGOA COM FELIPÃO APÓS CORTE NA COPA DE 2002. Youtube. 15 de maio 2022. Em cena em dur: 17.08. Consultado em 15 de maio de 2021 
  29. «Felipão revela 'pipocada' de Ronaldinho Gaúcho contra Turquia em 2002». Uol. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  30. Marc Wilmots fala da polêmica Brasil 2x0 Bélgica na Copa 2002- Gazeta Esportiva (27/03/18). Youtube. 15 de maio 2022. Em cena em dur: 04.25. Consultado em 15 de maio de 2021 
  31. RONALDO E RIVALDO CONTAM QUAL FOI O JOGO MAIS DIFÍCIL DO PENTA 2002. Youtube. 15 de maio 2022. Em cena em dur: 04.25. Consultado em 15 de maio de 2021 
  32. «Duas seleções vitoriosas». Uol. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  33. «20 anos depois, Ronaldinho acaba com dúvidas e revela se tentou chutar ou cruzar em famoso gol sobre a Inglaterra na Copa-2002». Uol. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  34. «A 'assistência' de Cafu na falta de Ronaldinho». Uol. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  35. Copa de 2022. Globoplay. 2 de setembro 2022. Em cena em dur: 1.09.22. Consultado em 9 de novembro de 2022 
  36. «Denílson revela que guarda camisa de um dos turcos de lance famoso da Copa do Mundo de 2002». Uol. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  37. «Ronaldo joga "20 minutos" e põe o Brasil na final da Copa». Uol. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  38. Copa de 2022. Globoplay. 2 de setembro 2022. Em cena em dur: 1.09.22. Consultado em 9 de novembro de 2022 
  39. REVELAÇÕES DE FELIPÃO SOBRE O PENTA . 12- 08-2012. Youtube. 15 de maio 2022. Em cena em dur: 17.08. Consultado em 15 de maio de 2021 
  40. «Denílson revela que guarda camisa de um dos turcos de lance famoso da Copa do Mundo de 2002». Folha. Consultado em 9 de Dezembro de 2016 
  41. «Globo quase não exibiu Copa de 2002, e parceria com Record foi cogitada». Uol Esporte. 30 de junho de 2002. Consultado em 19 de junho de 2014 
  42. «TV Globo registra 67 pontos de audiência na decisão». Folha. Consultado em 19 de junho de 2014 
  43. «É penta! Globo bate maior audiência em domingos no ano com reprise do Mundial de 2002». Lance. Consultado em 19 de junho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

|}