Braskem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Braskem
Braskem S.A
Slogan Estratégica para o Brasil. Inovadora para o mundo
Tipo Empresa de capital aberto
Cotação BM&F Bovespa BRKM3, BRKM5, BRKM6
NYSE: BAK
BMAD XBRK
Indústria Química
petroquímica
Fundação 16 de agosto de 2002 (12 anos)
Sede São Paulo,  Brasil
Proprietário(s) Organização Odebrecht

Petrobras

Presidente Carlos Fadigas
Empregados 8.126 [1]
Produtos Derivados de Petróleo
Polímeros
Biopolímeros
Petroquímicos
Valor
de mercado
Aumento R$ 12,610 bilhões (Nov/2014)[2]
Lucro Aumento R$ 726 milhões (2014)[3]
Faturamento Aumento R$ 52 bilhões (2014)[4]
Sítio oficial www.braskem.com.br

A Braskem, controlada pela Organização Odebrecht, é uma empresa química e petroquímica brasileira com o escritório central localizado na cidade de São Paulo.[5] A empresa se destaca por ser a líder mundial na produção de biopolímeros e a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas (oitava maior fabricante mundial de resinas plásticas).[6]

História[editar | editar código-fonte]

A Braskem foi constituída no dia 16 de agosto de 2002 já como a maior petroquímica da América Latina, com unidades industriais e escritórios no Brasil, além de bases comerciais nos Estados Unidos e Argentina.[7] A companhia foi formada pela fusão de seis empresas: Copene, OPP, Trikem, Nitrocarbono, Proppet e Polialden.[8] Em 2006, a Braskem adquiriu a Politeno, a terceira maior produtora de polietileno no Brasil por 111 milhões de dólares, dando início à fase de consolidação petroquímica.[9] No ano seguinte, a companhia juntou-se à Petrobras e à Ultrapar no que seria a maior incorporação da história do Brasil, quando as três companhias adquiriram o Grupo Ipiranga pelo valor de US$ 4 bilhões. Enquanto a Petrobras e a Ultrapar compartilharam as operações de distribuição de combustível, a Braskem assumiu a Ipiranga Petroquímica, operação petroquímica do Grupo Ipiranga.[10] A empresa também incorporou em 2009 os ativos da Petroquímica Triunfo. Em 2010, a Braskem concluiu a negociação para a aquisição da Quattor, passo que consolidou o setor petroquímico no Brasil.

Na sequência, a empresa deu início ao seu processo de internacionalização. A Braskem adquiriu os ativos de polipropileno da Sunoco Chemicals, nos Estados Unidos, tornando-se uma das maiores produtoras de resinas naquele país. Em 2011, a Braskem comprou os ativos de polipropileno da Dow Chemical, assumindo duas fábricas nos Estados Unidos e outras duas na Alemanha. Até o fim de 2015, a petroquímica brasileira, em conjunto com a empresa mexicana Idesa, irá inaugurar o projeto Etileno 21, o maior investimento, orçado em US$ 5,2 bilhões, já realizado por uma companhia brasileira no México. Trata-se de um complexo industrial integrado para a produção a partir do gás natural de polietileno.

Atualmente[11] , a empresa possui 36 unidades industriais, das quais 29 plantas se localizam no Brasil, cinco nos Estados Unidos e duas na Alemanha. A pro­dução global de re­sinas ter­mo­plás­ticas (PE, PP e PVC) foi de, apro­xi­ma­da­mente, 230 mi­lhões de to­ne­ladas. A Braskem res­pondeu por cerca de 3,5% da pro­dução global de re­sinas e atendeu, em média, a 70% da de­manda bra­si­leira[12] .

Produtos[editar | editar código-fonte]

A Braskem ocupa a liderança na produção de resinas termoplásticas nas Américas.[13] Com 36 plantas industriais distribuídas por Brasil, Estados Unidos e Alemanha, a Braskem produz mais de 16 milhões de toneladas de resinas termoplásticas e outros produtos petroquímicos por ano. A empresa é ainda a maior produtora mundial de biopolímeros, através de sua planta de PE Verde, que possui capacidade de produção anual de 200 mil toneladas de polietileno a partir de etanol de cana-de-açúcar.[14]

Petroquímicos Básicos[editar | editar código-fonte]

Planta Braskem

A Braskem controla os três maiores polos petroquímicos do Brasil, localizados nas cidades de Camaçari (Bahia), Mauá (São Paulo) e Triunfo (Rio Grande do Sul).[15] Além desses três complexos petroquímicos, a Braskem controla ainda o polo petroquímico de Duque de Caxias (Rio de Janeiro), que utiliza gás como matéria-prima ao invés de nafta. Suas unidades de petroquímicos básicos fornecem eteno e propeno para as unidades de polímeros da companhia localizadas na região. A Braskem produz ainda outros produtos químicos, tais como benzeno, butadieno, tolueno, xileno e isopreno. Estes compostos são vendidos principalmente para empresas fabricantes de produtos químicos localizadas em tais complexos, como Innova, Elekeiroz e Dow Chemical.

PE Verde da Braskem

Embora sua principal matéria-prima seja a nafta, a Braskem mantém e opera uma planta de Eteno Verde, inaugurada em setembro de 2010. Esta planta representa um passo importante em sua estratégia de tornar-se a líder mundial em química sustentável. Trata-se da maior unidade produtora do mundo, em escala industrial, de eteno a partir de matéria-prima 100% renovável – a cana-de-açúcar. O projeto foi concebido e implantado em menos de dois anos, utilizando tecnologia proprietária da Braskem.

Localizada no Polo Petroquímico de Triunfo, no Rio Grande do Sul, a unidade tem capacidade de produção de 200 mil toneladas de eteno verde, que serão transformadas em volume equivalente de plástico verde.[16]

Polímeros[editar | editar código-fonte]

A Braskem é a maior produtora de polietileno, polipropileno e PVC do Brasil, com capacidade de produção de 5,7 milhões de toneladas em território brasileiro.[17] A companhia é também a líder no mercado de polipropileno dos EUA, com capacidade de produção de 1,5 milhão de toneladas.[18] A Braskem possui ainda capacidade de produção de 545 mil toneladas de polipropileno na Alemanha.[19]

A empresa está também em fase de implantação de um complexo petroquímico integrado no México que inclui uma craqueadora com base em etano e três plantas integradas de polietileno com capacidade combinada de 1,05 milhão de toneladas por ano. O complexo iniciará a produção no fim de 2015. Desenvolvido em joint venture com o grupo mexicano Idesa, o projeto irá aumentar a participação de gás na matriz de matéria-prima da companhia, fortalecendo sua competitividade e o custo do investimento é de 5,2 bilhões de dólares.[20]

Aquisições[editar | editar código-fonte]

Em 22 de janeiro de 2010, a Braskem anunciou a incorporação total da Quattor, a segunda maior petroquímica do Brasil por 870 milhões de reais, por meio da aquisição da participação de 60% detida pela Unipar. Com isso, tornou-se a segunda maior petroquímica da América e a oitava maior do mundo.[21] Em 23 de fevereiro de 2011 o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) aprovou integralmente a aquisição da Quattor Participações S.A., da Unipar Comercial e Distribuidora S.A., e da Polibutenos S.A. Indústrias Químicas.

A Braskem anunciou no dia 1º de fevereiro de 2010 a aquisição dos ativos de PP da Sunoco Chemical, 4º maior produtor desta resina nos EUA. Este foi um avanço importante para fortalecer sua estratégia de internacionalização, que combina ainda o crescimento da Companhia no mercado norte-americano, com alternativas de acesso a matéria prima competitiva e aos principais mercados consumidores. Com esta aquisição, a Braskem se tornou o 3º maior player global de PP.

Em 27 de julho de 2011, a Braskem anunciou a aquisição do negócio de polipropileno (PP) da Dow Chemical. O negócio contemplou 4 unidades industriais, 2 plantas nos Estados Unidos e 2 plantas na Alemanha. Os ativos dos Estados Unidos, localizados em Freeport e Seadrift, no estado do Texas, possuem juntos uma capacidade de produção de 505 mil toneladas, o que representou um aumento de 50% na capacidade anual de produção de PP no país, totalizando 1.425 mil toneladas. Os ativos da Alemanha, localizados nas cidades de Wesseling e Shckopau, têm capacidade anual de produção de 545 mil toneladas. Em 30 de setembro de 2011 a aquisição foi aprovada pelas autoridades antitrustes dos Estados Unidos e Europa - Comissão Federal de Comércio e Divisão Antitruste do Departamento de Justiça norte-americano e União Europeia. Esta transação representou um importante passo na consolidação do processo de internacionalização da Companhia, posicionando-a como maior produtora de PP nos EUA.[1]

A Braskem America é a maior produtora de polipropileno dos Estados Unidos, contando com cinco unidades de produção nos estados do Texas, Pensilvânia e West Virginia, além de um Centro de Tecnologia e Inovação na cidade de Pittsburgh, Pensilvânia. Com sede na Filadélfia, a Braskem America é uma empresa controlada pela Braskem S.A.

Já a Braskem Europe, empresa controlada pela Braskem S.A., tem sede em Frankfurt, Alemanha e possui duas plantas nas cidades de Schkopau e Wesseling.[22]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://rao.braskem.com/gestao-socioambiental/integrantes/perfil-dos-integrantes/
  2. http://www.bloomberg.com/quote/BRKM5:BZ
  3. http://rao.braskem.com/perfil/mensagem-do-lider-empresarial/
  4. http://rao.braskem.com/sobre-este-relatorio/indicadores-chave//
  5. http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/negocios/20140501/braskem-planta-seu-futuro/150998.shtml
  6. Braskem - Releases - Receita líquida da Braskem atinge R$ 46 bilhões em 2014
  7. http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/desenvolvimento/conteudo_265718.shtml
  8. http://extra.globo.com/noticias/economia/consolidacao-do-setor-petroquimico-levou-decadas-76723.html
  9. http://www3.braskem.com.br/site/portal_braskem/pt/sala_de_imprensa/sala_de_imprensa_detalhes_3232.aspx
  10. http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL12204-9356,00-PETROBRAS+BRASKEM+E+ULTRA+COMPRAM+IPIRANGA+POR+US+BILHOES.html
  11. Relatório Anual 2014 Braskem (Junho de 2015). Visitado em 08/06/2015.
  12. Braskem (junho de 2014). Relatório anual Braskem 2014 Braskem. Visitado em 15/06/2015.
  13. http://www.alagoas24horas.com.br/conteudo/?vCod=204392
  14. http://www.ideiasustentavel.com.br/2014/05/plastico-verde-da-braskem-chega-ao-mercado-argentino/
  15. http://www.clebsonsmith.com.br/ciclo-produtivo-da-resina-pet/petroquimicas/imagens-petroquimicas/braskem/braskem-companhia/
  16. http://www.petroequimica.com.br/edicoes/ed_333/333_mc.html
  17. http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL184639-9356,00-BRASKEM+AVALIA+RS+E+BA+PARA+PRODUZIR+PLASTICO+DE+CANA.html
  18. http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRSPE76Q0O620110727
  19. http://veja.abril.com.br/noticia/economia/braskem-fecha-compras-com-dow-chemical
  20. http://economia.ig.com.br/empresas/2013-06-20/obra-de-us-32-bilhoes-da-braskem-no-mexico-entra-em-nova-fase.html
  21. http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL1458909-9356,00-BRASKEM+COMPRA+CONTROLE+DA+QUATTOR+E+CRIA+MAIOR+PETROQUIMICA+DAS+AMERICAS.html
  22. http://www.haufe.de/immobilien/entwicklung-vermarktung/projekte-deals/braskem-europe-eroeffnet-firmensitz-in-frankfurt_254_125904.html