Brejo (Maranhão)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Brejo
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Brejo
Bandeira
Brasão de armas de Brejo
[de armas]
Hino
Lema Studio et labore
"Estudo e trabalho"
Apelido(s) "Terra de Cândido Mendes"
"Paraíso dos Muypurás"
"Taba do Anapurus"
Gentílico brejense
Localização
Localização de Brejo no Maranhão
Localização de Brejo no Maranhão
Brejo está localizado em: Brasil
Brejo
Localização de Brejo no Brasil
Mapa de Brejo
Coordenadas 3° 41' 02" S 42° 45' O
País Brasil
Unidade federativa Maranhão
Municípios limítrofes Anapurus, Buriti, Milagres do Maranhão
Distância até a capital 313 km
História
Fundação 11 de julho de 1870 (149 anos)
Aniversário 11 de julho
Administração
Prefeito(a) José Farias de Castro[1] (PMDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [2] 1 074,500 km²
População total (IBGE/2010[3]) 33 314 hab.
Densidade 31 hab./km²
Clima Tropical úmido (Aw')
Altitude 50 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000 [4]) 0,552 baixo
PIB (IBGE/2008[5]) R$ 138 254,796 mil
PIB per capita (IBGE/2008[5]) R$ 4 318,03
Outras informações
Padroeiro(a) Nossa senhora da Conceição

Brejo é um município brasileiro do estado do Maranhão localizado no Leste Maranhense. Sua população em 2010 era de 33.314 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Brejo, anteriormente denominado Brejo dos Anapurus, antigo distrito de Caxias, foi elevado à vila em 1820 e à condição de cidade em 11 de julho de 1870.[6] A família Martins Costa que descende de Dona Euzebia Maria da Conceição é uma das famílias mais tradicionais da região tendo ramificações no Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e outras regiões do Brasil. Euzébia Maria da Conceição, nobre vinda de Portugal na corte de D. João VI e detentora de grande fortuna e de grande prestígio no qual dominava a política de toda região, foi assassinada pelos balaios durante a guerra da Balaiada que ocorreu no Maranhão entres os anos 1838 e 1841. A família Moraes também é uma das mais tradicionais do município.

Em 1684, os índios anapurus, que se dividiam em meri e assu, já viviam no território do atual Município, onde, em 1709, mataram o povoador português Manuel da Silva. Desde então, expediram-se várias ordens oficiais para que se fizesse guerra aos índios, considerados bárbaros tapuias pelas autoridades, até que, em 1770, lhes foram cedidas três léguas de terras pelo Governador da Província.

O vocábulo anapurus é uma corruptela de muypurás - índios que viviam às margens do rio Parnaíba - e significa fruta do rio. Em 1729, Brejo era ainda um sítio que, a 11 de julho desse ano, foi doado a Francisco Vasconcelos seu primeiro povoador efetivo. Entretanto, a principal povoadora foi a portuguesa Euzébia Maria da Conceição Alves de Sousa (1745-1839), possuidora de grande fortuna e de muitos escravos que, acompanhada de seus colonos, chegou à localidade, em data desconhecida. Mais tarde, foi vitimada por ocasião da guerra da Balaiada, assim como o capitão Antônio Raulino Garrett (1754-1840) e outros grandes fazendeiros[7], o que causou graves prejuízos econômicos e sociais a Brejo. Segundo o historiador Astolfo Serra, Brejo foi o último reduto dos balaios, finalmente vencido em dezembro de 1840.

Em 1820, foi elevado à categoria de vila, com a denominação de São Bernardo do Brejo, pela alvará de 29 de janeiro de 1820, desmembrado de Caxias. No mesmo ano, passou a Distrito, criado com a denominação de Brejo, pelo decreto de 18 de abril de 1820, subordinado ao município de Caxias.

Foi elevado à condição de cidade, com a denominação de Brejo, pela lei provincial nº 899, de 11 de julho de 1870. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município aparece constituído de oito distritos: Brejo, Porto da Repartição, Milagres Santa Quitéria, Angical, Ponte Nova, São Francisco e Lagoa. Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município aparece constituído de 4 distritos: Brejo, São Bernardo, Santa Quitéria e Curador. Não figurando os distritos de Porto da Repartição, Milagres, Angical, Ponte Nova, São Francisco e Lagoa.

Em divisões territoriais datadas de 31 de dezembro de 1936 e 31 de dezembro de 1937, o município é constituído de dois distritos: Brejo e Magalhães de Almeida. Não figurando os distritos da divisão de 1933. No quadro fixado, para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído do distrito sede. Não figurando o distrito de Magalhães de Almeida. Pela lei estadual nº 269, de 31 de dezembro de 1948, é criado o distrito de Estrela dos Anapurus e anexado ao município de Brejo.

Em divisão territorial datada de 1 de julho de 1950, o município é constituído de dois distritos: Brejo e Estrela dos Anapurus. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1 de junho de 1960. Pela lei estadual nº 2378, de 9 de junho de 1964, desmembra do município de Brejo o distrito de Estrela Anapurus. Elevado à categoria de município com a denominação de Anapurus, em divisão territorial datada de 1 de janeiro de 1979, o município é constituído do distrito sede, assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.


Política[editar | editar código-fonte]

Composição Política Atual (Eleitos em 2016)[8][editar | editar código-fonte]

  • Prefeito: José Farias de Castro (Zé Farias) (PMDB)
  • Vice: José Renato Araujo Pessoa (Gó) (PSL)

Vereadores (Ordem de Votação Eleitoral)[editar | editar código-fonte]

  • Samia Maria Furtado (PV)
  • Israel Almeida Pimentel (Israel Bibiu) (PSL)
  • Paulo Sérgio Santos de Carvalho (Sérgio Carvalho) (PPS)
  • Darlene Costa Martins (PP)
  • Anna Claudia Sousa Silva (Claudia do Léo) (PT)
  • Francidalva Freitas da Silva (PP)
  • Mayza Eugenia Messias Feitosa da Silva (PV)
  • Neuton Martins de Oliveira (PSD) –
  • Jose Carlos Freitas Martins (Ze Carlos) (PDT)
  • Aléssio Linhares da Saúde (PROS)
  • Luzinete Gomes de Lima (Lucia Lima) (PHS)
  • Hudson do Nascimento Gomes (SD)

Referências

  1. «Resultado Final eleições 2012 no Maranhão»  Página visitada em 13/01/2013.
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «IBGE - cidades@ - Histórico - BREJO (ma)». ibge.gov.br. Consultado em 8 de junho de 2012 
  7. GAIRO GARRETTO. GARRETT;TRAFICANTE DE ESCRAVOS. [S.l.]: EDITORA JAGUATIRICA. ISBN 8556621813. OCLC 1108716297 
  8. http://g1.globo.com/ma/maranhao/eleicoes/2016/apuracao/brejo.html Acessado em 09de Fevereiro de 2020.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Maranhão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.