Brinco-de-princesa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaBrinco-de-princesa
Fuchsia hybrida

Fuchsia hybrida
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Myrtales
Família: Onagraceae
Género: Fuchsia
Espécie: F. hybrida
Nome binomial
Fuchsia hybrida
hort. ex Siebert & Voss

O brinco-de-princesa é uma espécie híbrida obtida a partir de espécies sul americanas de fúcsias, principalmente Fuchsia corymbiflora Ruiz. & Pav., Fuchsia fulgens Moc. & Ses. e Fuchsia magellanica Lam[1].

Nome científico: Fuchsia sp

Família: Onagracee.

Só na América do Sul existem mais de 200 espécies diferentes de brinco-de-princesa, também conhecida ainda como fúcsia, agrado e lágrima.

Flor símbolo do Rio Grande do Sul[2], é uma planta que faz um enorme sucesso internacional. Possui muitas variedades, sendo que tanto pétalas, quanto sépalas podem ser de cores e de formas diferentes. As cores mais comuns são vermelho, rosa, azul, violeta e branco, com diversas combinações, sem mesclas. Despontam praticamente o ano todo e atraem beija-flores como polinizadores.

A ramagem é pendente, mas pode haver variações, com plantas mais eretas e outras mais pendentes. Deve ser cultivada preferencialmente sob meia-sombra, algumas espécies apreciam sol pleno.

Sua propagação se dá através de sementes ou por estaquia da ponta de seus ramos[3].

Embora possua uma variedade grande, há um traço comum entre todas elas: apreciam sobremaneira o frio. Portanto, são mais comuns em lugares de clima ameno. Facilmente encontrada nas regiões mais altas do Rio Grande do Sul, em meio à Mata Atlântica.

A  propagação pode ser tanto por sementes quanto por estacas. Uma curiosidade sobre a origem de seu nome científico. Fuchsia deriva do sobrenome do médico e botânico alemão, Leonhart Fuchs, nascido em Wemding (1501/ 1566).[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre rosídeas, integrado no Projeto Plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Brinco-de-princesa
  1. Lorenzi, Harri e Moreira de Souza, Hermes: Plantas ornamentais no Brasil: arbustivas, herbáceas e trepadeiras. Instituto Plantarum, Nova Odessa, 2001, 3a. edição. ISBN 85-86714-12-7. [S.l.: s.n.] 
  2. «Quero-quero, Brinco de Princesa e erva-mate são símbolos do RS». G1 RS. 13 de setembro de 2013. Consultado em 22 de novembro de 2017 
  3. «Brinco de princesa - Fuchsia hybrida». www.jardinet.com.br. Consultado em 22 de novembro de 2017 
  4. «Brinco-de-princesa». Flora. 23 de dezembro de 2014