Brita Brazil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


BRita BRazil
Nome completo Márcia Monteiro Brito
Nascimento 31 de janeiro de 1954 (63 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro- Brasil.
Nacionalidade Brasil Brasileira
Ocupação Atriz, cantora, compositora, bailarina e poeta
Cônjuge Nizo Neto (1980-1993)
[www.britabrazil.com Página oficial]
IMDb: (inglês)

Márcia Monteiro Brito (Rio de Janeiro, 31 de janeiro de 1954) mais conhecida pelo nome artístico de BRita BRazil, é uma atriz, cantora, compositora, bailarina, coreógrafa, poeta, produtora e modelo brasileira.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

O objetivo primordial de BRita ser artista começou em 1967, quando tinha 13 anos, por sua preocupação com as terras indígenas estarem sendo invadidas por fazendeiros, ameaçando-os. Desde então, BRita começou a aceitar as propostas que lhes vinham sendo oferecidas no campo da MODA, para se tornar famosa e poder falar pelos indígenas (que mal falavam português) e mostrar ao BRasil a urgência de ajudá-los, e valorizar este patrimônio brasileiro menosprezado> a Cultura Indígena.

Já fazendo diárias fotos de moda para todos editoriais brasileiros, BRita fez parte da criação da Comissão Pró-Índio, situada na LAPA (RJ, 1970). Esta caminhada se estendeu veemente para a Ecologia, assim que BRita realizou que a Cultura Indígena é a que cuida e preserva a nossa Natureza.

Tornou-se conhecida nos anos 70 como a primeira top model do BRasil, pela quantidade de trabalhos publicados e exibidos nas mídias impressas e TV (comerciais). Desfilou na TV RIO< TV EXCELSIOR e TUPI. Lançou a marca LYCRA trazida por americanos, desfilando pelas fábricas de tecidos por todo o BRasil,. Fez inúmeros comerciais para a TV brasileira; foi capa de inúmeras revistas de moda das editoras Bloch, Abril, Vecchi e Globo. Semanalmente estava nos editorias de moda do Jornal do Brasil, O Globo, Última Hora, BRazil Herald, etc... Trabalhou também como modelo na Inglaterra, França e Itália, nos anos 70. Voltou ao Brasil em 1975, fazendo a campanha dos cigarros HILTON. Foi modelo de 1967 a 1984. Casou-se com o produtor holandês Robert Williem Bakker com quem teve sua filha Ramona Bakker, em Hollywood. Voltando ao Brasil em 1979, começou a estudar arte dramática no TABLADO (durante 3 anos), e voltou a Los Angeles (CA), onde fez cursos de interpretação.

Estudou dança desde os Estados Unidos (Rolland Duprée), e no BRasil no Ballet Dalal Achar, Graciela Figueroa, Carlota Portela, Mercedes Batista, Renato Vieira, entre outros... Ganhou premio com a coreografia Dança das Bonecas, apresentada no Teatro Villa Lobos, promovido pelo Ballet Dalal Achar. Coreografou o filme americano BOCA. Foi professora de alongamento, ensinou dança a excepcionais e dançou no Scala Rio. Foi bailarina e coreógrafa (prêmio Mostra de Coreógrafos Ballet Dala Acchar 1985) durante 9 anos, e professora de alongamento.

Mais tarde (2003) BRita culminou sua longa trajetória em lidar com meninos de rua e orfanatos, fundando a Crianças Afro-Índio do BRasil, um Centro Cultural em área de risco, em Brás de Pina, Rio de Janeiro, na favela de Pequerí (que fica situada perto do Morro do Alemão, Penha), onde crianças conviviam diariamente com crimes, assustadas. BRita levou às crianças e jovens todo seu conhecimento de vida, focando na cultura indígena e ecológica, de forma lúdica, com intenção de formar "soldados ecológicos" para protegerem a Natureza do BRasil e despertar-lhes curiosidade. Desta forma, introduzia na vida destas crianças, uma qualidade de vida melhor e principalmente a consciência ecológica. Neste Centro-Escola, com uma pequena, mas constante ajuda financeira de amigos, pode fornecer as atividades como Inglês ( a pedido das crianças), Yoga, informática, meditação, poesia, cultura indígena, teatro, capoeira, Kickboxing, apoio escolar, e recolhendo materiais no RIo, montou uma grande Biblioteca e Videoteca..

Quando percebeu que elas não saiam de onde moravam, BRita promoveu passeios a estas crianças para conhecerem o Rio de Janeiro, pontos turísticos como o Corcovado, Parque Lage, exposições, e sua vida cultural incluindo teatro e cinema.. A maioria dessas crianças nem conheciam as praias do Rio, morando tão perto delas... Este projeto durou cerca de 6 anos.

Como atriz, trabalhou por 10 anos na TV GLOBO em diversas linhas de show (Jô Soraes, todos os programas de Chico Anysio, Os Trapalhões, Zorra Total entre outros também na TV Manchete). Ficou famosa no Brasil com o personagem Flora Própolis, do programa de televisão Escolinha do Professor Raimundo (1990-1994). Embora Chico Anysio, que criou o personagem FLORA PRÓPOLIS (inspirado na luta ecológica de BRita), brincava na Escolinha do Professor Raimundo, dizendo "isto ainda vai me dar um neto" este já existia. Era Rian BRito, músico, filho de BRita com o ator Nizo Neto- Francisco Anysio de Oliveira Paula Neto,.

Em 2001, adota o nome artístico de BRita BRazil, depois de ter trabalhado em diversas artes, por 33 anos, como Márcia BRito, como explica em seu site> www.britabrazil.com.

Como compositora BRita tem compostas e harmonizadas mais de 100 canções. A maioria delas está em seu canal no Youtube. Escreve em 11 ritmos> bossa, blues, baião, pop, xote, samba, bolero, jazz, mpb, côco e rock,

Cantou, nos anos 90, em diversos bares do RIo, e em muitas cidades brasileiras (Búzios, Brasília, Maceió, etc), como também em Los Angeles onde teve o elogio do crítico musical do jornal LOS ANGELES TIMES, que disse "BRita é uma nova talentosa compositora, que me faz lembrar Tom Jobim em sua composição Bossa Brasil. Ela tem uma agradável voz aveludada. Vocês precisam ouvi-la"- Don Heckman.

Em 2009, BRita escreveu, coreografou, produziu e apresentou VERSOS EM MOVIMENTO, monólogo poético exibido com sucesso no SESC- Bento Gonçalves, durante o Congresso Brasileiro de Poesia, espetáculo que será remontado em 2015.

Atualmente (2014), BRita BRazil faz o personagem INDIRA, uma professora de YOGA do Acquazen, em MALHAÇÃO (TV GLOBO).

Dia 3 de março de 2016, Brita estreia seu CD FORRÓ CARIOCA no Beco das Garrafas (Copacabana), gravado em Goiás, no estúdio do produtor e violonista Diogo Sabre. Todas composições foram escritas e harmonizadas por BRita BRazil e tocadas por Rian Brito, baixista e multi-músico, com exceção da zabumba, tocada por Murilo Zabumba (Brasília). O CD foi produzido por BRita e Rian BRIto.

Trabalhos no cinema[editar | editar código-fonte]

Escritora[editar | editar código-fonte]

  • 1988- Movimentos e Pensamentos (Poesias)
  • 2010- Interfaces de Amor e Paz (Poesias- Antologia Cappaz -Confraria Artistas e Poetas pela Paz- Membro desde 2007- vol 1)
  • 2011 - Revolução

Trabalhos na Televisão[editar | editar código-fonte]

Ano Programa Papel Emissora
1974 Fantástico Cabeça do Fantástico Rede Globo
1978 Os Trapalhões
Chico City
1979 Os Trapalhões
Chico City
1980 Os Trapalhões
Chico City
1981 Chico Total
1981-1987 Viva o Gordo Vários Personagens
1989 Pacto de Sangue Corpo de baile
O Hospital (programa pilto de Chico Anysio)
1990-1994 Escolinha do Professor Raimundo Flora Própolis[3]
1992 Casseta & Planeta, Urgente
1993-1994 Escolinha do Professor Raimundo Flora Própolis
2005 Sítio do Picapau Amarelo'
2006 Páginas da Vida
2011 Aquele Beijo Exorcista contratada por Joselito para exorcizar Iara[4]
Fina Estampa
2011-2013 Zorra Total
2014 Malhação (22ª temporada) Indira

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Este artigo sobre uma atriz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.