Britney Spears

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 Nota: ""Britney"" redireciona para este artigo. Para o álbum, veja Britney (álbum).
Britney Spears
Britney Spears
Spears em 2013
Nome completo Britney Jean Spears
Pseudônimo(s) Princesa do Pop
Nascimento 2 de dezembro de 1981 (42 anos)
McComb; Mississippi
Nacionalidade norte-americana
Fortuna AumentoUS$ 60 milhões (2021)[1]
Parentesco Jamie Lynn Spears (irmã)
Cônjuge
Filho(a)(s) 4
Ocupação
Período de atividade 1992–presente
Prêmios Lista completa
Carreira musical
Gênero(s)
Instrumento(s) Vocais
Gravadora(s)
Assinatura
Página oficial
britneyspears.com
britney.com

Britney Jean Spears (McComb, 2 de dezembro de 1981) é uma cantora, compositora, dançarina e atriz americana. Ela iniciou a sua carreira como atriz no programa infantil The Mickey Mouse Club (1992-94) aos dez anos, antes de ser contratada pela gravadora Jive Records em 1997. Seus dois primeiros álbuns, ...Baby One More Time (1999) e Oops!... I Did It Again (2000), tornaram-se sucessos internacionais, sendo que o primeiro sagrou-se como o disco mais vendido por uma artista adolescente em carreira solo. As respectivas faixas homônimas, "...Baby One More Time" e "Oops!... I Did It Again", obtiveram sucesso comercial e culminaram nas tabelas musicais de vários países. Em 2001, Spears lançou seu terceiro álbum de estúdio e primeiro homônimo, Britney, que apresentou uma imagem mais madura de sua personalidade e, no ano seguinte, estrelou o filme Crossroads. Ela assumiu total controle criativo de seu quarto material gravado em estúdio, In the Zone (2003), cujo segundo single "Toxic" obteve êxito comercial.

Em 2006, as questões pessoas de Spears começaram a ser bastante divulgadas pela mídia internacional e fez com que ela entrasse em hiato de seus planos fonográficos e cinematográficos. Seu quinto disco, Blackout, foi editado em outubro de 2007, obtendo desempenho comerical moderado. Seu comportamento errático e suas hospitalizações continuaram no ano seguinte, momento no qual ela foi colocada sob tutela e perdeu a guarda de seus dois filhos. Entretanto, Circus, lançado mundialmente em seu aniversário de 27 anos, provou ser um sucesso; o primeiro foco de promoção do projeto, "Womanizer", classificou-se como o segundo tema de sua carreira a culminar na Billboard Hot 100, o que fez com que diversos profissionais considerassem que o sucesso de Spears estava "retornando". Em 2009 ela lançou "3", parte de seu segundo álbum de grandes êxitos The Singles Collection (2009), que tornou-se a sua primeira música a debutar no topo da tabela supracitada. O sétimo registro de estúdio da artista, Femme Fatale (2011), foi seu primeiro projeto a render três singles nas dez primeiras colocações da parada, nomeadamente "Hold It Against Me", "Till the World Ends" e "I Wanna Go". O primeiro citado tornou-se seu quarto single a liderar a Billboard Hot 100 e também estreou no topo da tabela. Contudo, seus dois últimos discos, Britney Jean (2013) e Glory (2016), obtiveram as menores vendagens de sua carreira.

Desde o início de sua carreira, Spears foi estabilizada como um ícone pop e foi altamente creditada como a influenciadora do renascimento do teen pop durante o final dos anos 90. Ela tornou-se a artista adolescente com mais discos vendidos e conquistou diversos títulos honorários, como o de "Princesa do Pop". Seu trabalho rendeu-lhe diversos prêmios e reconhecimentos, incluindo um Grammy Award, seis MTV Video Music Awards — incluindo o Michael Jackson Video Vanguard Award, feito pela Lifetime Achievement Award e entregue a ela durante os MTV Video Music Awards de 2011 — e uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood. Em 2009, a Billboard posicionou Spears na oitava colocação entre os artistas com maior popularidade e número de vendas na década de 2000, e também reconheceu-a como a artista feminina com maior vendagem na primeira década do século XXI, bem como a quinta ao todo. A Recording Industry Association of America (RIAA) classificou-a na oitava posição entre as cantoras com álbuns mais vendidos nos Estados Unidos, com 34 milhões de discos certificados. A Nielsen SoundScan listou-a no sexto posto entre os artistas com maior número de vendas digitais, com mais de 28.6 milhões de singles vendidos digitalmente até janeiro de 2012. O seu número de vendas discográficas é avaliado em mais de 100 milhões de álbuns, o que fez com que Spears torna-se um dos recordistas de vendas de discos. A revista musical Rolling Stone reconheceu seu sucesso instantâneo como um 25 dos momentos mais importantes de ídolos adolescentes; o canal VH1 colocou-a na sexta posição das 100 maiores mulheres da música; e a Billboard nomeou-a como a mulher mais sexy da indústria musical. A revista de finanças Forbes anunciou que Spears foi a musicista mais bem paga em 2012, com US$ 58.000.000 ganhos ao longo do período. Ela já havia conquistado o topo da lista dez anos antes.

Vida inicial[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: The Mickey Mouse Club
Uma multidão de apoiadores de Britney Spears segura cartazes para a mídia em frente ao Lincoln Memorial. Uma Britney de papelão está em primeiro plano.

Spears nasceu em McComb, Mississippi no dia 2 de dezembro de 1981, sendo a segunda criança do casal Lynne Irene Bridges e James Parnell Spears. Sua avó materna, Lillian Portell, era inglesa (nascida em Londres), e um de seus tataravôs era maltês.[3][4][5] Seus irmãos são Bryan James e Jamie Lynn.[6] Aos três anos de idade, ela começou a fazer aulas de dança em sua cidade natal Kentwood, Luisiana, e foi selecionada para apresentar-se como artista solo no recital anual. Durante sua infância, ela também praticou aulas vocais e de ginástica, e venceu diversas competições estaduais e shows de talentos infantis.[7][8][9] Spears fez a sua estreia nos palcos locais aos cinco anos, cantando "What Child is This?" em sua formação no jardim de infância. Em uma entrevista, ela falou acerca de suas ambições quando criança: "Eu estava no meu próprio mundo. (...) Eu descobri o que devia fazer em uma idade precoce".[8] Aos oito anos, Spears e sua mãe viajaram para Atlanta, Geórgia, na intenção de fazer um teste para a re-produção do programa infantil The Mickey Mouse Club. O diretor de elenco Matt Casella rejeitou-a por ser muito jovem para fazer parte da série na época, mas enviou-a para Nacy Carson, uma agente de talentos nova-iorquina. Carson ficou impressionada com os vocais de Spears e sugeriu que ela fosse matriculada na escola Professional Performing Arts School; pouco depois, Lynne e suas filhas se mudaram para uma sublocação em Nova Iorque. Spears foi contratada para o seu primeiro papel profissional como substituta da então protagonista Tina Denmark no musical Ruthless!. Ela também apareceu como concorrente no popular programa televisivo Star Search e participou de numerosos comerciais.[10][11] Em dezembro de 1992, ela finalmente fez parte do The Mickey Mouse Club, mas retornou a Kentwood depois que o programa foi cancelado. Ela foi matriculada na Parklane Academy em McComb, Mississippi. Embora ela tenha feito amizades com grande parte de seus colegas de classe, ela comparou o colégio com "a cena inicial de Clueless com todos os cliques. (...) Eu estava muito entediada. Eu era a armadora do time de basquete. Tinha meu namorado, e fui aos bailes natalino e formal. Mas eu queria mais".[8][12] Quando adolescente, Spears foi diagnosticada com transtorno do déficit de atenção com hiperatividade, e teve de tomar remédios prescritos para se tratar.[13]

"É muito raro ouvir alguém dessa idade que possa mostrar conteúdo emocional e apelo comercial. (...) Para qualquer artista, a motivação — o 'olho do tigre' — é extremamente importante. E Britney tinha isso".

—Jeff Fenster, vice-presidente sênior da A&R da Jive Records, falando acerca do teste de Spears para fazer parte da gravadora.[8]

Em junho de 1997, Spears negociou com o empresário Lou Pearlman a sua entrada no grupo feminino pop Innosense. Lynne perguntou ao advogado e amigo da família Larry Rudolph acerca de sua opinião, e enviou-lhe uma fita de Spears cantando uma música de Whitney Houston em um karaokê, juntamente com algumas fotos. Rudolph decidiu lançá-la para gravadoras e, portanto, ela precisava de uma fita demonstrativa profissional. Ela enviou a Spears uma canção de Toni Braxton sem uso; ela ensaiou por uma semana e gravou seus vocais em um estúdio fonográfico com um engenheiro de som. Posteriormente, ela viajou a Nova Iorque com o produto e encontrou-se com executivos de quatro editoras, retornando a Kentwood no mesmo dia. Três das gravadoras rejeitaram Spears, argumentando que o público queria bandas pop como os Backstreet Boys ou as Spice Girls, e que "não haveria outra Madonna, outra Debbie Gibson, ou outra Tiffanny". Duas semanas depois, executivos da Jive Records retornaram as ligações de Rudolph.[14] Spears cantou "I Have Nothing", de Houston, durante o seu teste para entrar na gravadora, e acabou sendo contratada.[15] Os executivos da empresa sugeriram que ela trabalhasse com o produtor Eric Foster White por um mês, que poderia transformar seu alcance vocal de "inferior e com menos papoila" para "Britney [com uma voz] distinta e inequivocamente".[16] Após ouvir o material gravado, o presidente Clive Calder ordenou um álbum completo. Spears inicialmente visualizou o disco com uma "música de Sheryl Crow, porém [com um estilo] adulto contemporâneo mais jovem", mas sentiu-se bem com a sugestão de produtores feita pela gravadora, uma vez que "faz mais sentiu ir para o pop, pois eu posso dançar com ele — [tem] mais a ver comigo". Ela voou para os Cheiron Studios em Estocolmo, Suécia. Lá, ela gravou metade do álbum entre março e abril de 1998, ao lado de produtores como Max Martin, Denniz PoP e Rami Yacoub.[8]

Carreira musical[editar | editar código-fonte]

1998–2000: ...Baby One More Time e Oops!... I Did It Again[editar | editar código-fonte]

Spears apresentando-se durante a turnê L'Oreal Hair Zone Mall Tour (1999).

Depois de retornar aos Estados Unidos, Spears deu início a uma turnê promocional feita em shoppings para divulgar seu álbum de estreia, conhecida como Hair Zone Mall Tour. Os concertos eram constituídos por um repertório de quatro canções, e a artista era acompanhada por duas dançarinas de apoio. Posteriormente, ela serviu como um ato de abertura da banda masculina 'N Sync.[17] Seu primeiro disco, ...Baby One More Time, veio a ser distribuído em 12 de janeiro de 1999 e recebeu análises mistas da mídia especializada,[18] debutando na primeira colocação da Billboard 200 com 121 mil unidades adquiridas.[19] Em um mês, foi certificado como platina dupla pela Recording Industry Association of America (RIAA), reconhecendo vendas de dois milhões de exemplares em território estadunidense. Mundialmente, o material culminou em tabelas musicais de mais de quinze nações e comercializou 10 milhões de cópias em um ano, tornando-se o disco mais vendido por uma artista adolescente em carreira solo.[20][9] A faixa homônima foi lançada como o single inicial do projeto. Inicialmente, a Jive queria que o vídeo musical acompanhante fosse animado; contudo, Spears rejeitou a ideia e sugeriu a ideia final de uma escola católica.[16] A canção vendeu 500 mil réplicas em um dia, atingindo a liderança da Billboard Hot 100 por duas semanas consecutivas e, mundialmente, obteve mais de 10 milhões de cópias vendias, sendo um dos singles mais vendidos de todos os tempos..[21][22] No Reino Unido, "...Baby One More Time" liderou a UK Singles Chart por duas edições e tornou-se o single comercializado mais rapidamente por uma artista feminina, vendendo 460 mil unidades em seus primeiros dias de distribuição no território.[23] Mais tarde, sagrou-se como a 25ª faixa mais bem sucedida em tabelas britânicas.[24] Spears também tornou-se a cantora mais jovem a possuir um single com mais de um milhão de cópias distribuídas na nação.[25] Mais tarde, ...Baby One More Time recebeu uma indicação de Best Female Pop Vocal Performance nos Grammy Awards de 2000.[26] "(You Drive Me) Crazy" foi lançada como o terceiro foco de promoção do disco. Seu sucesso internacional impulsionou as vendas de ...Baby One More Time. Até a data, o álbum vendeu 30 milhões de unidades ao redor do mundo, tornando-se um dos álbums mais vendidos de todos os tempos. Além disso, é o disco de estreia mais vendido de todos os tempos.[27]

Spears foi capa da edição de abril de 1999 da revista musical Rolling Stone. A imagem caracterizou-a deitada em uma cama, vestindo um sutiã, uma bermuda e um top aberto. A American Family Asssociation (AFA) referiu-se à fotografia como "uma perturbadora mistura da inocência infantil e a sexualidade adulta" e pediu aos "americanos fiéis a Deus para boicotar lojas que vendem álbuns de Britney". Spears respondeu ao comentário com a seguinte frase: "Qual é o grande problema? Tenho fortes morais. (...) Eu farei novamente. Eu pensei que as imagens fossem boas. E eu estava cansada de ser comparada a Debbie Gibson e a todo esse bubblegum pop todos os dias".[28] Pouco depois, ela anunciou publicamente que manteria sua virgindade até o seu casamento.[9] Em 28 de junho seguinte, a cantora iniciou sua primeira turnê ...Baby One More Time Tour na América do Norte. Embora tenha sido positivada por profissionais,[29] causou controvérsia devido ao seu figurino "provocante".[30] Em março de 2000, Spears estendeu a digressão sob o nome de Crazy 2K Tour. Ela estreou canções de seu então futuro álbum de estúdio durante alguns shows.[12]

Dois meses depois, foi lançado seu segundo disco Oops!... I Did It Again. Obteve um estrondoso sucesso comercial, vendendo 539 mil unidades em seu primeiro dia de disponibilização.[31] Com 1.3 milhões de réplicas vendidas no mesmo país em sua semana de lançamento, Oops!... I Did It Again quebrou o recorde de estreia com maior número de vendas em território estadunidense durante a era Nielsen SoundScan, que iniciou-se em 1991.[32] Adicionalmente, quebrou o recorde de estreia feminina com maior número de vendas na mesma nação e, até hoje, comercializou 25 milhões de exemplares a nível mundial, sendo o segundo disco de Spears a entrar na lista dos mais vendidos de todos os tempos.[33] Rob Sheffield, da Rolling Stone, disse que "a melhor coisa em Oops!... [I Did It Again] – sob a superfície de queijo, a demanda de Britney para a satisfação é complexa, feroz e francamente assustadora, fazendo dela uma verdadeira criança da tradição [do] rock and roll".[34] O single inicial do trabalho, "Oops!... I Did It Again", liderou as tabelas australianas, neozelandesas e britânicas, além de diversos territórios europeus.[25][35] O álbum e a composição foram respectivamente indicados nas categorias de Best Pop Vocal Album e Best Female Pop Vocal Performance durante os Grammy Awards de 2001.[36] Em 2000, para promover o disco, a intérprete embarcou na excursão Oops!... I Did It Again Tour, que arrecadou US$ 40.5 milhões; no mesmo ano, ela lançou seu primeiro livro, Britney Spears' Heart-to-Heart, co-escrito pela própria ao lado de sua mãe.[9] Em 7 de setembro de 2000, Spears apresentou-se nos MTV Video Music Awards daquele ano. Ao longo da performance, ela tirou seu figurino preto para revelar uma roupa de cor transparente coberta por lantejoulas, seguida de uma rotina com muitos passos de dança. Tal apresentação foi notada por críticos e pela imprensa internacional como o "momento em que Spears mostrou sinais de se tornar uma artista mais provocante".[37] Com a alta especulação da mídia, Britney confirmou que estava em um relacionamento com Justin Timberlake, membro do 'N Sync.[9]

2001–02: Britney e estreia cinematográfica[editar | editar código-fonte]

A artista apresentando "Oops!... I Did It Again" na turnê Dream Within a Dream Tour (2001).

Em fevereiro de 2001, Spears assinou um contrato promocional em um valor estimado entre US$ 7 e 8 milhões, e lançou outro livro co-escrito com sua mãe, intitulado A Mother's Gift.[9] Enquanto estava na turnê Oops!... I Did It Again Tour, Britney sentiu-se inspirada por artistas de hip hop como Jay-Z e The Neptunes, e decidiu incorporar elementos funk em seu projeto seguinte.[38] O material, intitulado Britney, veio a ser distribuído em novembro de 2001 e debutou na primeira colocação da Billboard 200 com 745 cópias vendidas, listando-se nos cinco melhores postos em diversas tabelas europeias e comercializando 12 milhões de unidades mundialmente.[39][25][40][41] Stephen Thomas Erlewine, da página musical Allmusic, descreveu Britney como "o disco onde ela se esforça para aprofundar sua personalidade, tornando-o mais adulto enquanto ainda [transforma] Britney reconhecidamente. (...) Ele soa como o trabalho de uma estrela que encontrou e refinou sua voz, resultando em seu melhor disco até a data".[42] Britney foi indicado nas categorias de Best Pop Vocal Album e Best Female Pop Vocal Performance — esta última para "Overprotected" — e fez parte da lista dos 100 melhores álbuns dos últimos 25 anos, publicado pela Entertainment Weekly em 2008.[43][44] A primeira faixa de trabalho do álbum, "I'm a Slave 4 U", atingiu as dez melhores posições em diversos países ao redor do mundo, como a Austrália e o Reino Unido.[45][25]

A performance de "I'm a Slave 4 U" nos MTV Video Music Awards de 2001 apresentou Spears enjaulada ao lado de um tigre e com uma grande cobra da espécie python albina enrolada em seus ombros. A apresentação recebeu diversas críticas pela organização People for the Ethical Treatment of Animals (PETA), que reivindicou que os animais foram maltratados e descartou planos para um outdoor contra o uso de peles de animais para a fabricação de roupas, no qual Spears participaria.[37] Para divulgar o disco, Spears iniciou a digressão Dream Within a Dream Tour. Os concertos receberam análises positivas por suas inovações técnicas, o fato de a pièce de résistance ser uma tela aquática que bombeava duas toneladas de água no palco.[46][47] A turnê arrecadou US$ 43.7 milhões, sendo posicionada na segunda colocação entre as excursões femininas com maior arrecadação no não de 2002, apenas atrás da turnê Living Proof: The Farewell Tour, da compatriota Cher.[48] O sucesso da carreira de Spears foi destacado pela revista Forbes em 2002, com a cantora tornando-se a celebridade mais poderosa do mundo daquele ano.[49] Em fevereiro daquele ano, estreou o filme Crossroads, no qual ela fez a protagonista Lucy. Apesar de a produção ter sido altamente negativada, alguns analistas prezaram a atuação de Spears.[50][51][52] Para a produção do filme, foram gastos US$ 11 milhões; contudo, Crossroads acabou arrecadando US$ 7 milhões a nível mundial.[52]

Em junho de 2002, Spears abriu seu primeiro restaurante, Nyla, na cidade de Nova Iorque, mas o fechou cinco meses depois, citando "má gestão" e "falha de gestão para mantê-lo totalmente informado".[53] Em julho do mesmo ano, a intérprete anunciou que tiraria uma pausa de seis meses de sua careira; contudo, ela retornou aos seus planos fonográficos em novembro, dando início ao desenvolvimento de seu disco seguinte.[54] Nesse período, a relação da cantora com Justin Timberlake terminou após três anos. No mês de dezembro, Timberlake lançou a canção "Cry Me a River" como o segundo foco de promoção de seu álbum de estreia em carreira solo, Justified (2002). O vídeo musical apresentou uma modelo com um estilo parecido ao da artista, iniciando rumores de que Spears teria sido infiel a ele.[55][56] Como resposta, Britney escreveu a balada "Everytime" com sua vocalista de apoio Annet Artani, com quem iniciou uma amizade durante a turnê Dream Within a Dream Tour.[57] Ainda em 2002, Fred Durst, vocalista da banda Limp Bizkit, disse que estava relacionando-se com Spears. Entretanto, ela negou tais alegações. Em uma entrevista feita em 2009, Durst explicou: "Eu apenas acho que, na época, era um tabu para um cara como eu estar associado com uma garota como ela".[58] Em 2003, Britney e Christina Aguilera abriram os MTV Video Music Awards feito naquele ano com uma regravação de "Like a Virgin", da cantora conterrânea Madonna. Spears surgiu através de uma plataforma contida em um bolo de casamento gigante vestida de noiva, onde cantou os primeiros versos da canção; Aguilera, por sua vez, apareceu por trás da estrutura e continuou as linhas da composição, usando o mesmo figurino. Após a performance, Madonna surgiu no bolo de casamento caracterizada como um noivo e interpretou "Hollywood", canção de seu nono disco American Life (2003). Posteriormente, as três dançaram no palco ao som da canção, e Madonna beijou Spears e Aguilera na boca. Apesar de ter sido altamente controverso e noticiado em diversos meios de comunicação,[52] a revista Blender classificou a performance como um dos vinte e cinco momentos mais sensuais da história televisiva,[59] e a MTV, emissora responsável pelo evento, listou a apresentação como o melhor número de abertura da história da premiação.[60]

2003–05: In the Zone e casamentos[editar | editar código-fonte]

Spears se apresentando durante a The Onyx Hotel Tour em abril de 2004

"Eu não sou do tipo de pessoa que coloca a culpa em outras, mas eu sinto que algumas coisas que foram feitas para mim nunca estiveram em meus melhores interesses. Olhando para trás, sinto agora que no meu quarto álbum 'menos é mais' deveria ter sido o caminho a percorrer".

—Spears refletindo sobre In the Zone em novembro de 2004.[61]

Apesar de o desenvolvimento do disco ter iniciado-se em novembro de 2002,[54] as suas gravações começaram apenas em 2003.[62] O produto final, In the Zone foi editado em novembro de 2003 sob análises geralmente positivas,[63] debutando no topo da Billboard 200 com 609 mil unidades adquiridas;[64] este feito fez da cantora a primeira artista feminina na era da Nielsen SoundScan a classificar seus quatro primeiros trabalhos de estúdio no cume da tabela supracitada.[9] Além disso, In the Zone listou-se nas dez primeiras posições na Bélgica, na Dinamarca, nos Países Baixos e na Suécia,[65] comercializando 12 milhões de exemplares mundialmente[66][67] e rendendo o single "Toxic", que foi a faixa de trabalho mais bem sucedida do disco e concedeu a Britney seu primeiro Grammy Award, entregue na cerimônia de 2005 para a categoria de Best Dance Recording.[9] Neste disco, Spears assumiu mais controle criativo, sendo listada como compositora e produtora.[68][9] In the Zone tem sido observado por apresentar uma imagem mais pessoal e sensual de Spears; a publicação Vibe definiu-o como "um disco dance supremamente confidente que também ilustra o desenvolvimento de Spears como compositora";[63] Amy Schriefer, da NPR, listou o álbum como uma das 50 gravações mais importantes da década, citando-o como uma "cartilha do som do pop nos anos 2000" e adicionando que "a história da década do pop impecavelmente artesanal está escrito no corpo de seu trabalho";[69] e a autora Julie Andsager, em uma análise sobre os conteúdos sexuais exibidos na mídia, feita para o seu livro Sex in cosumer culture (2006), afirmou que os vídeos musicais de In the Zone apresentaram uma Spears diferente, e explicou que "[Spears] talvez tenha levado sua sexualidade ao extremo — ao menos para a rede de televisão — aos seus 22 anos.[70]

Em janeiro de 2004, Spears se casou com o amigo de infância Jason Allen Alexander na The Little White Wedding Chapel em Las Vegas, Nevada. O matrimônio foi anulado 55 horas depois, seguido de uma petição ao tribunal que declarou que Spears "carecia de compreensão de suas atitudes".[71] Em março de 2004, ela embarcou na The Onyx Hotel Tour em apoio ao álbum In the Zone.[72] Em junho de 2004, Spears caiu e machucou o joelho esquerdo durante a gravação do vídeo musical de Outrageous. Spears foi submetida a uma cirurgia artroscópica. Ela foi forçada a permanecer seis semanas com uma faixa elástica na coxa, seguido por oito a doze semanas de reabilitação, o que causou o cancelamento da The Onyx Hotel Tour.[73] Em 2004, Spears se envolveu no Kabbalah Centre através de sua amizade com Madonna.[74] Em julho, Spears ficou noiva do dançarino americano Kevin Federline, com quem ela estava tendo um relacionamento há três meses. O romance recebeu uma atenção intensa da mídia, uma vez que Federline havia recentemente terminado com a atriz Shar Jackson, que ainda estava grávida de seu segundo filho no momento.[75] Os estágios de seu relacionamento foram narrados no primeiro reality show de Spears, Britney & Kevin: Chaotic. Eles realizaram uma cerimônia de casamento em 18 de setembro de 2004, mas não foram legalmente casados até três semanas depois, em 6 de outubro, devido a um atraso na finalização do acordo pré-nupcial do casal.[76] Pouco depois, ela lançou sua primeira fragrância com a empresária Elizabeth Arden, Curious, que quebrou um recorde de faturamento na primeira semana para um perfume.[75] Em outubro de 2004, Spears fez uma pausa na carreira para iniciar uma família.[77] Greatest Hits: My Prerogative, sua primeira coletânea musical de grandes êxitos, foi lançada em novembro de 2004.[78] A versão de Spears para My Prerogative, de Bobby Brown, foi lançada como primeiro single do álbum, alcançando o topo das paradas na Finlândia, Irlanda, Itália e Noruega.[79] O segundo single, Do Somethin', esteve entre os dez postos nas paradas da Austrália, Reino Unido e outros países do continente europeu.[80][81] O álbum de grandes êxitos vendeu mais de cinco milhões de cópias em todo o mundo.[82] Em setembro de 2005, Spears deu à luz seu primeiro filho, um menino.[83] Em novembro de 2005, ela lança seu primeiro álbum de remixes, B in the Mix: The Remixes, que consiste em onze remisturas.[84] Ele já vendeu mais de um milhão de cópias em todo o mundo.[85]

2006–07: Problemas pessoais e Blackout[editar | editar código-fonte]

Spears saindo do tribunal cercada em outubro de 2007.

Em fevereiro de 2006, imagens de Spears dirigindo com seu filho Sean, no colo, em vez de estar num assento do carro vieram à tona. Ativistas defensores da infância ficaram horrorizados com as fotos da cantora segurando o volante com uma mão e Sean com a outra. Spears afirmou que a situação aconteceu por causa de um encontro assustador com os paparazzi, e que foi um erro da parte dela.[75] No mês seguinte, foi convidada a estrelar o episódio Buy, Buy Baby, da sitcom Will & Grace interpretando a lésbica enrustida Amber Louise.[86] Ela anunciou que havia deixado de estudar a cabala em junho de 2006, explicando: "meu bebê é minha religião".[74] Dois meses depois, Spears posou nua para a capa da Harper's Bazaar. A imagem foi fortemente comparada com a capa de agosto de 1991 da Vanity Fair, que tinha a atriz Demi Moore.[75] Em setembro de 2006, ela deu à luz seu segundo filho, um menino.[87] Em novembro de 2006, Spears pediu o divórcio de Federline, citando diferenças irreconciliáveis.[88] Seu divórcio foi finalizado em julho de 2007, quando o casal chegou a um acordo global e concordaram em compartilhar a guarda conjunta de seus filhos.[89]

A tia de Spears, Sandra Bridges Covington, com quem ela tinha sido muito próxima, morreu de câncer de ovário em janeiro de 2007.[90] Em fevereiro, Spears foi hospedada em um centro de reabilitação de dependentes químicos em Antigua por menos de um dia. Na noite seguinte, ela raspou a cabeça com uma máquina elétrica num salão de cabeleireiro em Tarzana, Los Angeles. Ela admitiu-se a outras centros de tratamento durante as semanas seguintes.[91] Em maio de 2007, ela produziu uma série de concertos promocionais para a casa de espetáculos House of Blues, intitulada The M+M's Tour.[92] Em outubro de 2007, Spears perdeu a custódia de seus filhos para Federline. As razões da decisão do tribunal não foram revelados ao público.[93] Spears também foi processada pela marca de bolsas Louis Vuitton por causa do vídeo musical de Do Somethin por usar, em um carro Hummer, um estofamento de flor de cerejeira confeccionado na fábrica da marca, sem autorização da mesma, o que resultou no banimento do vídeo em redes de televisão da Europa.[94]

Em outubro de 2007, Spears lançou seu quinto álbum de estúdio, Blackout. O álbum estreou no topo das paradas do Canadá e na Irlanda, e nos Estados Unidos conseguiu o número dois na Billboard 200, além da França, Japão, México e o Reino Unido e as dez primeiras entradas na Austrália, Coreia, Nova Zelândia e diversos países europeus. Nos Estados Unidos, Spears se tornou a única artista feminina a ter seus cinco álbuns de estúdio entre as duas primeiras colocações da tabela.[95] O álbum recebeu avaliações positivas dos críticos e já vendeu mais de 3 milhões de cópias em todo o mundo.[96][97] Blackout venceu a categoria "Álbum do Ano" no MTV Europe Music Awards 2008 e foi listado como o quinto Melhor Álbum Pop da Década pela The Times.[98][99] Spears apresentou o primeiro single Gimme More na edição de 2007 do MTV Video Music Awards. A apresentação foi muito criticada por diversos críticos.[100] Apesar da péssima reação, a canção disparou para o sucesso em todo o mundo, chegando ao número um no Canadá e os dez primeiros primeiros lugares em quase todas as tabelas musicais que pontuou.[101][102] O 2.º single Piece of Me alcançou o topo das paradas na Irlanda e alcançou os cinco primeiros postos na Austrália, Canadá, Dinamarca, Nova Zelândia e Reino Unido. O terceiro single Break the Ice foi lançado no ano seguinte e teve um sucesso moderado devido à Spears não ser capaz de promovê-lo corretamente.[103][104][105] Em dezembro de 2007, Spears iniciou um relacionamento com o paparazzo Adnan Ghalib.[106]

2008–10: Circus[editar | editar código-fonte]

Spears vestindo um uniforme policial, enquanto executa "Womanizer" na The Circus Starring Britney Spears.

Em janeiro de 2008, Spears se recusou a abrir mão da guarda de seus filhos aos representantes de Federline. Ela foi hospitalizada no Cedars-Sinai Medical Center após a polícia chegar em sua casa e notar que ela parecia estar sob a influência de uma substância ilícita. No dia seguinte, os direitos de visita de Spears foram suspensos numa audiência de emergência, e foram concedidos a Federline a custódia física e legal dos filhos. Ela estava comprometida com a ala psiquiátrica de Ronald Reagan UCLA Medical Center e colocaram-na em espera psiquiátrica involuntária 5120. O tribunal colocou sob temporária e, mais tarde, permanente[107] curatela de seu pai James Spears e o advogado Andrew Wallet, dando-lhes o controle completo de seus bens.[75] Ela foi liberada cinco dias depois.[108]

No mês seguinte, Spears co-estrelou a sitcom How I Met Your Mother, no episódio Ten Sessions como a recepcionista Abby. Ela recebeu críticas positivas por sua atuação, bem como trazendo a maior audiência da série.[109][110] Em julho de 2008, Spears recuperou alguns direitos de visita depois de chegar a um acordo com Federline e seu advogado.[111] Em setembro de 2008, Spears abriu o MTV Video Music Awards daquele ano com uma esquete de comédia pré-gravada com Jonah Hill e um discurso de introdução. Ela venceu Best Female Video, Best Pop Video e Video of the Year por Piece of Me.[112] Um documentário introspectivo de 60 minutos, Britney: For the Record, foi produzido para narrar o retorno de Spears à indústria fonográfica. Dirigido por Phil Griffin, For the Record foi filmado em Beverly Hills, Hollywood, e em Nova Iorque durante o terceiro trimestre de 2008.[113] O documentário foi transmitido pela MTV para 5,6 milhões de espectadores para as duas transmissões na noite de estreia. Foi a audiência mais alta numa noite de domingo na história da rede.[114]

Em dezembro de 2008, o 6.º álbum de estúdio de Spears, Circus, foi lançado. Ele recebeu avaliações positivas dos críticos[115] e estreou no número um no Canadá, República Checa e nos Estados Unidos, e dentro dos dez primeiros postos em diversos países europeus.[102][116] Nos Estados Unidos, Spears se tornou a artista feminina mais jovem a ter cinco álbuns de estreia no número um, ganhando um lugar no Guinness World Records.[117] Ela também se tornou a única artista na era Soundscan a ter quatro álbuns de estreia com 500 mil ou mais cópias vendidas.[116] O álbum foi um dos mais vendidos do ano,[118] e já vendeu mais de quatro milhões de cópias em todo o mundo.[119] Seu 1.º single, Womanizer, tornou-se o seu primeiro número um na Billboard Hot 100 desde ...Baby One More Time. O single também liderou as paradas da Bélgica, Canadá, Dinamarca, Finlândia, França, Noruega e Suécia.[120][121] Ele também foi indicado ao Grammy na categoria Best Dance Recording.[122]

Em janeiro de 2009, Spears e seu pai James obtiveram uma ordem de restrição contra o seu ex-empresário Sam Lutfi, o ex-namorado Adnan Ghalib e o advogado Jon Eardley — os quais, afirmam os documentos do tribunal, foram conspirar para ganhar o controle dos interesses de Spears. A ordem de restrição proíbe Lutfi e Ghalib de entrar em contato com Spears ou chegar a menos de 250 jardas (229 metros) dela, sua propriedade ou membros da família.[123] Spears embarcou na The Circus Starring Britney Spears em março de 2009. Com um faturamento de 131,8 milhões de dólares somente nos Estados Unidos, tornou-se a 5.ª maior bilheteria de turnês do ano.[124]

Em novembro de 2009, Spears lança seu 2.º álbum de grandes êxitos, The Singles Collection. O 1.º e único single do álbum 3 tornou-se sua 3.ª canção número um nos Estados Unidos.[125] Em maio de 2010, os representantes de Spears confirmam que ela estava namorando seu agente Jason Trawick, e que tinham decidido terminar seu relacionamento profissional para concentrar-se em seu relacionamento pessoal.[126] Spears desenhou uma linha de roupas em edição limitada para a Candie's, que foi lançada nas lojas em julho de 2010.[127] Em setembro de 2010, ela fez uma aparição no episódio temático em sua homenagem do seriado Glee, intitulado Britney/Brittany. O episódio conseguiu uma das maiores audiências da série.[128][129]

2011–12: Femme Fatale e The X Factor[editar | editar código-fonte]

Spears apresentando-se na Femme Fatale Tour, em julho de 2011.

Em março de 2011, Spears lançou seu 7.º álbum de estúdio, Femme Fatale.[130] O álbum chegou ao número um nos Estados Unidos, Canadá e Austrália, e apareceu nos dez primeiros postos de quase todos os outros gráficos. Seu pico nos Estados Unidos junta Spears com Mariah Carey e Janet Jackson como as mulheres que mais estrearam álbuns no topo das tabelas.[131] Ele já vendeu mais de um milhão de cópias nos Estados Unidos e mais de 2 milhões e 200 mil cópias em todo o mundo, e foi certificado platina pela RIAA.[132]

O primeiro single do álbum Hold It Against Me estreou na primeira colocação da Billboard Hot 100, tornando-se o quarto single número um de Spears no gráfico e fazendo dela a segunda artista na história a ter duas canções consecutivas de estreia no número um, depois de Mariah Carey.[133] O segundo single Till the World Ends atingiu a posição de número três na Billboard Hot 100 em maio,[134] enquanto o terceiro single I Wanna Go atingiu o número sete em agosto. Femme Fatale se tornou o primeiro álbum de Spears em que três de suas canções atingiram os dez primeiros postos da tabela. O quarto e último single Criminal foi lançado em setembro de 2011. O vídeo musical causou controvérsia quando os políticos britânicos criticaram Spears pelo uso de réplicas de armas durante as filmagens do vídeo em uma área de Londres, que tinha sido gravemente afetada pelos Tumultos na Inglaterra daquele ano.[135] Representantes de Spears responderam brevemente, afirmando: "O vídeo é uma história de fantasia que caracteriza o namorado de Britney, Jason Trawick, que literalmente joga fora a letra de uma canção escrita três anos antes dos motins acontecerem."[136] Em abril de 2011, Spears apareceu em um remix de S&M, uma canção de Rihanna originalmente gravada para o álbum Loud.[137] Ele atingiu o número um nos Estados Unidos no final do mês, dando à Spears seu quinto número um no gráfico da Billboard.[138] Numa lista de fim-de-ano da mesma revista, ela foi colocada no número catorze entre os Artistas do Ano,[139] trinta e dois na lista de artistas da Billboard 200 e dez na lista de artistas da Billboard Hot 100.[140][141]

Em junho de 2011, Spears embarca na Femme Fatale Tour.[142] Os primeiros dez dias arrecadaram 6,2 milhões de dólares, fazendo a turnê entrar em 55.ª colocação da lista das cem maiores turnês norte-americanas na metade do ano pela Pollstar.[143] A turnê encerrou em 10 de dezembro de 2011, em Porto Rico, totalizando 79 apresentações.[144] Um DVD da turnê foi lançado em novembro de 2011.[145] Em agosto de 2011, Spears recebeu o MTV Video Vanguard Award na edição daquele ano do MTV Video Music Awards.[146] No mês seguinte, ela lança seu segundo álbum de remixes, B in the Mix: The Remixes Vol. 2.[147] Em dezembro, Spears fica noiva de seu namorado de longa data Jason Trawick, que tinha sido anteriormente seu agente.[148] Trawick tornou-se um co-tutor de Spears, ao lado de seu pai, em abril de 2012.[149] Em janeiro de 2013, Spears e Trawick terminaram seu noivado. Trawick também deixou de ser co-tutor de Spears, restaurando seu pai como o único tutor.[150][151]

Em maio de 2012, Spears foi contratada para substituir Nicole Scherzinger como jurada da segunda temporada da versão americana do The X Factor, junto com Simon Cowell, L.A. Reid e sua nova companheira de júri Demi Lovato, que substituiu Paula Abdul. Com um salário informado de 15 milhões de dólares, ela tornou-se a jurada mais bem paga em um reality show musical na história da televisão.[152] Ela orientou a categoria Teens; seu ato final, Carly Rose Sonenclar, foi nomeado o vice-campeão da temporada. Spears não retornou para a terceira temporada do reality e seu lugar foi ocupado por Kelly Rowland.[153][154] Spears foi destaque no single de will.i.am, Scream & Shout, gravada para o quarto álbum de estúdio do produtor, #willpower. Mais tarde, a canção se tornou o sexto single número um de Spears no UK Singles Chart e alcançou a terceira posição na Billboard Hot 100.[155] Em dezembro, a revista Forbes nomeou Spears como a mulher mais bem paga na música em 2012, com lucros estimados em 58 milhões de dólares.[156]

2013–15: Britney Jean e Britney: Piece of Me[editar | editar código-fonte]

Spears se apresentando em seu concerto de residência em Las Vegas, Britney: Piece of Me.

Spears começou a trabalhar no seu oitavo álbum de estúdio, Britney Jean, em dezembro de 2012,[157] e recrutou will.i.am como seu produtor executivo em maio de 2013.[158] Em 17 de setembro de 2013, ela apareceu no Good Morning America para anunciar seu concerto de residência de dois anos no Planet Hollywood Resort and Casino em Las Vegas, intitulada Britney: Piece of Me. Os shows iniciaram-se em 27 de dezembro de 2013 e irá incluir um total de 100 shows ao longo de 2014 e 2015.[159][160] Durante a mesma participação, Spears anunciou que Britney Jean seria lançado em 3 de dezembro de 2013, nos Estados Unidos.[161][162] Foi lançado através da RCA Records devido à dissolução da Jive Records em 2011.[163]

Britney Jean tornou-se o projeto final de Spears sob seu contrato original de gravação com a RCA Records, que tem garantido o lançamento de oito álbuns de estúdio.[164] O material recebeu uma baixa quantidade de promoção e teve pouco impacto comercial, aparentemente devido a obrigações contratuais para a residência em Las Vegas.[165] Em consequência do lançamento, o material estreou na quarta colocação da parada americana Billboard 200 com uma semana inicial de vendas de 107 mil cópias, tornando-se a sua estreia mais fraca na tabela, também sendo seu álbum menos vendido nos Estados Unidos.[166] Britney Jean estreou no número 34 no UK Albums Chart, vendendo 12 959 cópias em sua primeira semana. Com o desempenho de estreia, tornou-se o álbum com menor desempenho nos gráficos daquele país.[167]

Work Bitch foi lançada como primeiro single do álbum Britney Jean em 16 de setembro de 2013, um dia mais cedo do que o esperado depois de ser vazada na internet.[168] A canção estreou no número doze na Billboard Hot 100, marcando a 31ª canção de Spears na tabela e a quinta maior estreia de sua carreira, e seu sétimo entre as vinte primeiras entradas. Ela também entrou entre os dez primeiros postos da Billboard Hot Digital Songs e estreou no número dois das tabelas da Billboard Hot Dance Club Songs e Hot Dance/Electronic Songs. Também teve estreia na tabela americana Billboard Pop Songs na posição vinte e cinco, marcando a 31ª entrada de Spears nesta tabela, empurrando Mariah Carey (com 30 entradas) para a segunda colocação da lista de maiores entradas desde a criação da tabela, em 3 de outubro de 1992. A canção marca a maior estreia em vendas desde Hold It Against Me. Work Bitch também teve sucesso comercial no Reino Unido, estreando e chegando ao número sete no UK Singles Chart e também atingindo o número dois na UK Dance Chart. A canção também apareceu em tabelas de vários países, com entradas nos dez primeiros postos das paradas do Brasil, Canadá, França, Itália, México, Espanha e Coreia do Sul.[169]

O segundo single Perfume foi lançado em 3 de novembro de 2013, dois dias mais cedo do que inicialmente anunciado.[170][171] A canção estreou e atingiu o número 76 na Billboard Hot 100.[172] Perfume também apareceu na tabela americana Billboard Pop Songs, estreando no número 37, alcançando o número 22 semanas mais tarde.[173] Durante a produção de Britney Jean, Spears gravou a canção Ooh La La para a trilha sonora de The Smurfs 2 lançado ainda em 2013.[174] Em outubro de 2013, ela foi apresentada como vocalista convidada em "SMS (Bangerz)", faixa de Miley Cyrus inclusa em seu terceiro álbum de estúdio Bangerz.[175] A canção entrou nos dez primeiros postos da Billboard Bubbling Under Hot 100 Singles, no número 29 na Pop Digital Singles, e no número 70 da Hot Digital Songs.

Em 8 de janeiro de 2014, Spears venceu a categoria Favorite Pop Artist na 40.ª edição do People's Choice Awards, realizado no Microsoft Theater em Los Angeles.[176] Na semana de 26 de julho de 2014, Alien estreou e atingiu o número oito na Billboard Bubbling Under Hot 100 Singles apesar de não ser lançado como um single de Britney Jean.[177] Em agosto de 2014, Spears confirmou que ela tinha renovado seu contrato com a RCA, e que estava escrevendo e gravando novas músicas para seu próximo álbum.[178] Spears anunciou através de sua conta no Twitter em agosto de 2014 que ela estaria lançando uma linha de roupas íntimas intitulada The Intimate Britney Spears. Ela estava disponível para compra em 9 de setembro de 2014 nos Estados Unidos e no Canadá através da página oficial da linha. Foi mais tarde disponibilizada para compra em 25 de setembro na Europa. A empresa agora está presente para mais de 200 países, incluindo Austrália e Nova Zelândia. Em 25 de setembro de 2014, Spears confirmou no programa britânico Good Morning Britain que havia estendido seu contrato com a The AXIS e Planet Hollywood Resort & Casino, para continuar com a Britney: Piece Of Me por mais dois anos.[179]

Em março de 2015, foi confirmada pela revista People que Spears iria lançar um novo single, Pretty Girls, com Iggy Azalea, em 4 de maio de 2015.[180] A canção estreou no número 29 da Billboard Hot 100 e teve desempenho moderado em territórios internacionais. Spears e Azalea apresentaram a faixa ao vivo no Billboard Music Awards diretamente do The AXIS, no local da residência de Spears, com reação positiva da crítica. O portal Entertainment Weekly elogiou o desempenho, observando que "Spears deu uma de suas performances televisivas mais energéticas em anos".[181] Em 16 de junho de 2015, Giorgio Moroder lançou seu álbum, Déjà Vu, que contou com Spears em Tom's Diner.[182] Em uma entrevista com Moroder, ele elogiou os vocais de Spears e disse que ela fez um "bom trabalho" com a música.[183] Moroder também afirmou que Spears "soa tão bem que você dificilmente a reconhece".[184] Na edição de 2015 do Teen Choice Awards, Spears recebeu o Candie's Style Icon Award, sendo este seu 9.º Teen Choice Award.[185] Em 9 de outubro, Giorgio Moroder lança a versão de Spears de Tom's Diner como quarto single de Déjà Vu.[186] Em novembro, Spears foi convidada a estrelar uma versão fictícia de si mesma na série Jane the Virgin, do canal The CW.[187] Na série, ela dançou a canção "Toxic" com a personagem de Gina Rodriguez.[188]

2016–18: Glory[editar | editar código-fonte]

Spears apresentando Freakshow na Britney: Piece of Me, em fevereiro de 2016.

Em 2016, Spears confirmou através das redes sociais que tinha começado a gravar seu nono álbum de estúdio.[189] Em 1 de março, a revista V anunciou que Spears iria aparecer na capa da edição de número cem, datada de 8 de março, além de revelar três capas diferentes registradas pelo fotógrafo Mario Testino para a publicação especial.[190] O editor-chefe da revista, Stephen Gan, revelou que Spears foi selecionada para o especial V100 por causa de seu status como um ícone na indústria. Na decisão, Gan declarou: "Quem neste mundo não cresceu ouvindo sua música?".[191] Em maio, Spears lançou um casual jogo de RPG eletrônico intitulado Britney Spears: American Dream. O aplicativo, criado pela Glu Mobile, foi disponibilizado para dispositivos iOS e Google Play.[192] Em 22 de maio, Spears apresentou um medley de suas canções na abertura da edição de 2016 do Billboard Music Awards.[193][194] Além da abertura, Spears foi premiada com o Billboard Millennium Award.[195] Em 15 de julho, Spears lançou o single Make Me..., para seu futuro nono álbum de estúdio. O primeiro single do material conta com a participação do rapper compatriota G-Eazy.[196] Em 3 de agosto, Spears anunciou oficialmente seu nono álbum de estúdio, Glory, com previsão de lançamento para 26 de agosto.[197] O álbum foi disponibilizado para pré-venda na Apple Music no dia 4 de agosto, junto com a faixa promocional Private Show,[198] canção que dá nome à nova linha de perfumes de Britney, Private Show, anunciada no dia 11 de julho.[199] Em 16 de agosto, MTV e Spears anunciaram que ela iria se apresentar no MTV Video Music Awards de 2016. A performance marcou o retorno de Spears ao palco do VMA desde a controversa performance de "Gimme More" na edição de 2007 nove anos antes. Junto a Make Me... Spears e G-Eazy também apresentaram o hit do rapper Me, Myself & I. Em 2018, Spears lançou um novo contrato de show em Las Vegas, desta vez com o MGM Park. A série de shows chamada Domination estava programada para começar em fevereiro de 2019 e incluir 30 shows até agosto.

2019–presente: Disputa por curatela, #FreeBritney e alegações de abuso[editar | editar código-fonte]

Em 4 de janeiro de 2019, Spears anunciou um hiato por tempo indeterminado e o cancelamento de sua residência em Las Vegas, citando a grave doença de seu pai, Jamie Spears.[200] Em março, Andrew Wallet renunciou ao cargo de co-curador de sua propriedade após 11 anos.[201] Spears entrou em uma clínica psiquiátrica em meio ao estresse da doença de seu pai naquele mesmo mês.[202] No mês seguinte, um podcast de fãs, Britney's Gram, divulgou uma mensagem de voz de uma fonte que afirmava ser um ex-membro da equipe jurídica de Spears. Eles alegaram que Jamie havia cancelado a residência planejada devido à recusa de Spears em tomar sua medicação, que ele a estava mantendo na clínica contra sua vontade desde janeiro de 2019, depois que ela violou uma regra de proibição de dirigir, e que sua tutela deveria ter terminado em 2009.[203][204] As alegações deram origem a um movimento para encerrar a curatela, intitulado #FreeBritney.[205] Ele atraiu a atenção de várias celebridades, incluindo Cher, Paris Hilton e Miley Cyrus, bem como da organização sem fins lucrativos American Civil Liberties Union.[206][207][208][209] Fãs protestaram do lado de fora do West Hollywood City Hall e exigiram a liberação de Spears da clínica em 22 de abril de 2019.[202] Spears disse que "tudo [estava] bem" dois dias depois e foi liberada da internação no final daquele mês.[210][211]

Durante uma audiência em maio de 2019, a juíza Brenda Penny ordenou uma avaliação profissional da curatela.[212] Em setembro, o ex-marido de Spears, Federline, obteve uma ordem de restrição contra Jamie após uma alegada briga física entre seu pai e um de seus filhos.[213] A gerente de cuidados de longa data de Spears, Jodi Montgomery, substituiu temporariamente Jamie como sua curadora pessoal naquele mesmo mês,[214] quando também ocorreu uma audiência onde nenhuma decisão sobre o acordo foi alcançada.[215] Um museu pop-up interativo dedicado a Spears foi inaugurado em Los Angeles em fevereiro de 2020.[216] Foi lançada a faixa bônus da edição japonesa de Glory, Mood Ring, bem como uma nova capa do álbum para streaming e plataformas digitais em maio de 2020.[217] Em agosto, Jamie chamou o movimento #FreeBritney de "piada" e seus organizadores de "teóricos da conspiração".[218]

Em 17 de agosto de 2020, o advogado de Spears nomeado pelo tribunal, Samuel D. Ingham III, apresentou uma ação judicial que documentava o desejo de Spears de alterar sua tutela para refletir seus desejos, bem como seu estilo de vida, para instituir Montgomery como sua curadora pessoal permanente, e para substituir Jamie por um fiduciário como curador de sua propriedade.[219] Quatro dias depois, Penny estendeu o acordo estabelecido até fevereiro de 2021.[220] Em novembro de 2020, Penny aprovou a Bessemer Trust como co-conservadora da propriedade de Spears ao lado de Jamie.[221] No mês seguinte, foi lançada uma nova edição deluxe de Glory, que inclui Mood Ring e as novas canções Swimming in the Stars e Matches.[222] Um documentário sobre a carreira e a curatela de Spears, Framing Britney Spears, estreou na FX em fevereiro de 2021.[223] Spears mais tarde revelou que tinha visto partes do documentário, afirmando que se sentiu humilhada pela percepção que foi apresentada sobre ela e que ela "chorou por duas semanas" após a transmissão inicial.[224] No mês seguinte, Ingham entrou com uma petição para substituir permanentemente Jamie por Montgomery como o conservador da pessoa de Spears,[225] citando uma ordem de 2014 que determinou que Spears não tinha a capacidade de consentir com tratamento médico de qualquer forma.[226] Em 22 de junho, pouco antes de Spears falar no tribunal, o The New York Times obteve documentos judiciais confidenciais afirmando que Spears havia pressionado por anos para encerrar sua curatela.[227] No dia seguinte, enquanto falava ao tribunal, a artista deu mais detalhes sobre a curatela, chamando-a de "abusiva" e que "não sinto que posso viver uma vida plena".[228]

Em 7 de setembro de 2021, Jamie entrou com uma petição para encerrar a conservadoria.[229] Em 12 de setembro, Spears anunciou seu noivado com seu namorado de longa data, Sam Asghari, através de um post no Instagram.[230] Em 29 de setembro, a Juíza Penny suspendeu Jamie como conservador do espólio de Spears, com o contador John Zabel substituindo-o temporariamente.[231] Em 12 de novembro, a juíza Penny encerrou a conservadoria.[232]

Em abril de 2022, anunciou que estava grávida; porém, em 14 de maio, anunciou que havia sofrido um aborto espontâneo e perdido o bebê que estava esperando com seu noivo.[233] Em 9 de junho de 2022 casou-se com Sam Asghari. Jason Alexander, o primeiro de seus ex-maridos, tentou invadir o casamento, mas foi impedido pelos seguranças.[234]

No dia 16 de agosto de 2023, Spears e Asghari se separaram após uma briga sobre uma possível traição da cantora.[235][236]

Em outubro de 2023, Britney lançou um livro de memórias intitulado 'The Woman in Me', revisitando sua trajetória profissional e pessoal, entre as revelações mais repercutidas foi a revelação de um aborto que realizou por não ter recebido nenhum apoio de Justin Timberlake, seu parceiro na época, muito insatisfeito com a gestação do filho.[237]

Características musicais[editar | editar código-fonte]

Estilo musical[editar | editar código-fonte]

Depois de sua estreia, Spears foi creditada por ter conduzido o renascimento do pop adolescente no final dos anos 1990. O jornal The Daily Yomiuri relatou que "críticos musicais saudaram-na como o mais talentoso ídolo do pop adolescente por muitos anos, mas Spears mirou um pouco mais alto, ela fixou como objetivo atingir o nível de estrelato que tem sido alcançado por Madonna e Janet Jackson."[238] Rob Sheffield da Rolling Stone escreveu: "Britney Spears carrega consigo o arquétipo clássico da rainha do rock & roll adolescente, a dungaree doll, o bebê angelical que apenas tem que fazer uma cena."[239] Seguido o lançamento de seu álbum de estreia, Chuck Taylor da Billboard observou, "Spears tornou-se um artista consumada, com movimentos de dança ásperos, uma voz clara real-embora bem jovem e funkdafied ... (You Drive Me) Crazy, seu terceiro single ... demonstra desenvolvimento próprio de Spears, provando que aos 17 anos de idade ela quer encontrar sua própria personalidade vocal após tantos meses de prática constante".[240] Stephen Thomas Erlewine do Allmusic referiu-se a ela e sua música como uma "mistura de contagiante dance-pop inclinado ao rap e batida suave".[241]

Oops!...I Did It Again e seus álbuns seguintes fizeram Spears trabalhar com vários produtores de R&B contemporâneo, levando "a uma combinação de bubblegum, urban soul, e raga".[242] Seu terceiro álbum de estúdio, Britney, derivado do nicho pop adolescente, "rítmica e melodicamente ... mais nítido, mais resistente do que o que veio antes. Aquilo que costumava ser pegajoso descaradamente tem algum grão disco, sustentado por uma Spears auto-determinada e corajosa que ajuda a vender ganchos que já estão atrativos, em geral, do que aqueles que povoaram seus dois álbuns anteriores".[243]

Desde In the Zone, Spears tem explorado (e fortemente incorporado) os gêneros de electropop e dance music em seus álbuns, bem como influências de urban e do hip hop que estão mais presentes em In the Zone e Blackout. Ela também tem experimentado com outros gêneros como dubstep, primeiro na faixa Freakshow, para Blackout, e novamente em Hold It Against Me para Femme Fatale.[244][245][246][247][248][249]

Vocais[editar | editar código-fonte]

O cover da banda The Jets foi a primeira canção gravada por Spears para sua então gravadora Jive em 1997.[250] O uso proeminente de melismas e vibratos como ela ergue continuamente como chave em uma alcance vocal alto foi visto como uma influência de Mariah Carey.[251]

A faixa é construída sob o efeito "excêntrico" do dubstep, e os vocais de Spears são abaixados, fazendo-os soar como se fossem masculinos.[252][253] Ela foi creditada como uma das artistas que levaram o gênero no interior de um público pop mainstream.[254]

Problemas para escutar estes arquivos? Veja a ajuda.

Spears possui uma potência vocal de soubrette e alcance vocal de três oitavas e duas notas.[255] Antes de seu sucesso inicial, ela é descrita como tendo cantado "muito mais profundo do que a sua voz de marca comercial altamente reconhecível de hoje", com Eric Foster White, que trabalhou com Spears para seu álbum de estreia ...Baby One More Time, sendo citada como tendo "[modelando] sua voz ao longo de um mês" ao ser contratada pela Jive Records "para onde ela está hoje—distintamente, uma inconfundível Britney".[256] Rami Yacoub que co-produziu álbum de estreia de Spears com o letrista Max Martin, comentou, "Eu sei, por Denniz Pop e produções anteriores de Max, quando fazemos músicas, há um tipo de coisa nasal. Com N' Sync e Backstreet Boys, nós tivemos que puxar esse tom meio nasal. Quando Britney faz isso, ela tem esse tipo de voz rouca, sexy".[257]

Guy Blackman do The Age escreveu que: "[a] coisa sobre Spears, porém, é que suas maiores canções, não importa a comissão criada ou se é incrivelmente polida, sempre foram convincentes por causa de sua entrega, seu compromisso e sua presença. [...] Spears expressa perfeitamente os desejos conflitantes da adolescência, a tensão entre a castidade e a experiência sexual, entre o hedonismo e responsabilidade, entre confiança e vulnerabilidade."[258] O produtor William Orbit, que colaborou com Spears para o álbum Britney Jean, afirmou sobre seus vocais: "[Britney] não conseguiu chegar tão grande só porque [ela] faz grandes shows; [ela] tem que ser desse jeito porque [sua voz é] única: você ouve duas palavras e você sabe quem está cantando".[259] Por outro lado, ela tem sido muito criticada por alguns por sua capacidade vocal, bem como seu uso de Auto-Tune ao longo de sua carreira.[260][261][262]

Influências[editar | editar código-fonte]

Madonna
Janet Jackson
Madonna (esquerda) e Janet Jackson (direita) são as duas principais influências de Spears.

Spears citou suas principais influências em sua carreira como sendo Madonna, Janet Jackson e Whitney Houston, suas "três artistas favoritas", como quando criança a quem ela iria "cantar junto [...] dia e noite em [sua] sala de estar"; I Have Nothing, de Houston, foi a canção que usou para o teste de seu contrato com a gravadora Jive Records.[263] Ao longo de sua carreira, Spears tem atraído comparações frequentes para Madonna e Jackson, em particular, em termos de voz, coreografia e presença de palco. De acordo com Spears: "Eu sei que quando eu era mais jovem, eu olhava para as pessoas... como, você sabe, Janet Jackson e Madonna. E elas foram grandes inspirações para mim. Mas eu também tive a minha própria identidade e eu sabia quem eu era, você sabe."[264] No livro Madonnastyle (2002) de Carol Clerk, ela é citada dizendo: "Eu fui um grande fã de Madonna desde que eu era uma menina. Ela é a pessoa que eu realmente olhei para cima para ser realmente, realmente gostaria de ser uma lenda como Madonna."[265]

Depois de se encontrar pessoalmente com Spears, Janet Jackson declarou: "ela disse pra mim, 'Eu sou uma grande fã, eu realmente admiro você.' Isso é tão lisonjeiro. Todos obtêm inspiração de algum lugar. E é incrível ver alguém vir acima de quem está dançando e cantando, e ver como todas essas crianças se relacionam com ela. Um monte de gente colocá-la para baixo, mas o que ela faz é uma coisa positiva."[266] Madonna falou sobre Spears no documentário Britney: For the Record: "Eu admiro seu talento como artista [...] Há aspectos sobre ela que eu reconheço em mim mesma quando eu comecei na minha carreira".[267] Ela também nomeou Michael Jackson, Mariah Carey, Céline Dion, Aerosmith, Sheryl Crow, Otis Redding, Shania Twain, Brandy, Natalie Imbruglia, Justin Timberlake, Bruno Mars e outros contemporâneos como fontes de inspiração.[268][269][270]

Legado[editar | editar código-fonte]

Estrela de Spears na Calçada da Fama, em Hollywood

Spears tornou-se um ícone da cultura pop internacional, logo após o lançamento de sua carreira. A revista Rolling Stone escreveu: "Uma das vocalistas mais polêmicas (e bem sucedidas) do século XXI", ela "liderou o crescimento do pós-milenar teen pop... Britney cedo cultivou uma mistura de inocência e da experiência que quebrou o banco".[271] Ela é listada pelo Guinness World Records como sendo o "álbum mais vendido por uma artista solo na adolescência" para seu álbum de estreia ...Baby One More Time, que vendeu 14 milhões de cópias nos Estados Unidos.[272] Melissa Ruggieri do Richmond Times-Dispatch relatou: "Ela é marcada também por ser o artista mais vendido na adolescência. Antes que ela completasse 20 anos em 2001, Spears vendeu mais de 37 milhões de álbuns em todo o mundo, se tornado a mais jovem artista a entrar na lista de recordistas de vendas de discos no mundo". Barbara Ellen da The Observer relatou: "Spears é notoriamente um dos "mais antigos" adolescentes que já produziu pop, quase meia-idade em termos de foco e determinação. Muitas garotas de 18 anos ainda nem sequer começaram a trabalhar nessa idade...- uma criança com uma carreira em tempo integral. enquanto outras meninas estavam colocando cartazes em suas paredes, Britney estava querendo ser o cartaz na parede...Britney estava desenvolvendo um ritmo definido pela indústria do entretenimento ferozmente competitivo americano."[273]

Spears ainda se tornou influência de diversos artistas do pop e R&B, dos anos 2000 à atualidade, como Kristinia DeBarge, Lady Gaga,[274] Little Boots,[275] Selena Gomez,[276] Pixie Lott,[277] Adam Lambert, Miley Cyrus,[278] Tinashe,[279] Katy Perry,[280] Demi Lovato,[280] Charli XCX,[281] MARINA,[282] e as brasileiras Mylla Karvalho[carece de fontes?] e Kelly Key[283].

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Discografia de Britney Spears

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Videografia de Britney Spears

Concertos[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Turnês de Britney Spears

Turnês[editar | editar código-fonte]

Residências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. [1]
  2. Shafer, Ellise (9 de junho de 2022). «Britney Spears and Sam Asghari Get Married After Five Years Together». Variety. Consultado em 10 de junho de 2022 
  3. Thomas, Liz (17 de setembro de 2008). «Exclusive: First photos of Britney Spears' newly-discovered British family». Daily Mail (em inglês). Daily Mail and General Trust. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  4. Spears 2008, p. 4
  5. Spears & Craker 2008, p. 4
  6. Spears & Craker 2008, p. 211
  7. Spears & Craker 2008, p. 56
  8. a b c d e Daly, Steven (15 de abril de 1999). «Cover Story: Britney Spears: Britney Spears : Rolling Stone». Rolling Stone. ISSN 0035-971X Verifique |issn= (ajuda) 
  9. a b c d e f g h i Reporter, Staff (31 de julho de 2008). «Britney Spears' Biography» (em inglês). Fox News Channel. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  10. Spears & Craker 2008, p. 75
  11. Laufenberg 2005, p. 616
  12. a b Mundy, Chris (25 de maio de 2000). «Cover Story: The Girl Can't Help It». Rolling Stone. ISSN 0035-791X 
  13. Nathan, Sara (5 de junho de 2012). «X Factor judge Britney Spears' regular breaks during auditions due to suffering from ADHD». Daily Mail (em inglês). Daily Mail and General Trust. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  14. Hughes 2005, p. 145
  15. Taylor, Chck (24 de outubro de 1999). «Air Waves: Jive's Britney Spears Sets Top 40 Abuzz With Rhythm-Leaning 'Baby One More Time'». Billboard. 110 (43). 80 páginas. ISSN 0006-2510. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  16. a b Hughes 2005, p. 147
  17. Blandford 2002, p. 28
  18. Walters, Barry (13 de janeiro de 2003). «...Baby One More Time Music Review». Rolling Stone (em inglês). Jann Wenner. Consultado em 30 de setembro de 2014. Cópia arquivada em 11 de dezembro de 2013 
  19. Rosen, Craig (20 de janeiro de 1999). «Britney Spears Debuts On Top; 'N Sync At No. 2» (em inglês). Yahoo! Music. Yahoo!. Consultado em 30 de setembro de 2014. Cópia arquivada em 25 de julho de 2009 
  20. Blandford 2002, p. 30
  21. Blandford 2002, p. 29
  22. Bronson 2003, p. 377
  23. «Record-Breakers and Trivia» (em inglês). Everyhit. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  24. «Best Selling Singles Of All Time» (em inglês). Everyhit. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  25. a b c d «Britney Spears - The Official Charts Company» (em inglês). The Official Charts Company. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  26. «Rock On The Net: 42nd Annual Grammy Awards – 2000». National Academy of Recording Arts and Sciences (em inglês). Rock on the Net. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  27. Petridis, Alexis (27 de novembro de 2008). «Britney Spears: Circus» (em inglês). The Guardian. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  28. Blandford 2002, p. 36
  29. Stevenson, Jane (10 de julho de 1999). «Spears takes aim at fame». Jam! (em inglês). Quebecor Inc. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  30. Blandford 2002, p. 38
  31. Pesselnick, Jil (17 de maio de 2000). «New Britney Album Flying Out Shelves». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. Consultado em 30 de setembro de 2014. Cópia arquivada em 3 de novembro de 2013  Parâmetro desconhecido |ligação nativa= ignorado (ajuda);
  32. Skanse, Richard (25 de maio de 2000). «Oops!...She Sold 1.3 Million Albums: Britney Spears». Rolling Stone. ISSN 0035-971X Verifique |issn= (ajuda) 
  33. Staff, Michael (20 de maio de 2010). «Oops! Week: 10 Fun Facts» (em inglês). BritneySpears.com. Brandcasting Unlimited. Consultado em 30 de setembro de 2014. Cópia arquivada em 6 de junho de 2010 
  34. Sheffield, Rob (8 de junho de 2000). «Britney Spears: Oops!...I Did It Again : Music Reviews : Rolling Stone». Rolling Stone. ISSN 0035-791X 
  35. «ultratop.be - Britney Spears - Oops!... I Did It Again (song)» (em inglês). Ultratop. Hung Medien. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  36. «Rock On The Net: 43rd Annual Grammy Awards – 2001». National Academy of Recording Arts and Sciences (em inglês). Rock on the Net. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  37. a b Montgomery, James (6 de setembro de 2007). «Britney Spears' Greatest VMA Hits: Barely There Costumes, Giant Snakes And A Scandalous Lip-Lock» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 30 de setembro de 2014 
  38. Moss, Corey (25 de outubro de 2001). «Britney Says Britney Reflects Who Britney Is» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  39. D'Angelo, Joe (14 de novembro de 2001). «Oops!... She Did It Again» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  40. «ultratop.be - Britney Spears - Britney (album)» (em inglês). Ultratop. Hung Medien. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  41. «Live Nation Store | Britney» (em inglês). Live Nation. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  42. Erlewine, Stephen Thomas. «Britney – Britney Spears» (em inglês). Consultado em 1º de outubro de 2014  Parâmetro desconhecido |publiado= ignorado (ajuda);
  43. «Rock On The Net: 45th Annual Grammy Awards – 2001». National Academy of Recording Arts and Sciences (em inglês). Rock on the Net. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  44. «The New Classics: Music». Entertainment Weekly (em inglês). Time Inc. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  45. «ultratop.be - Britney Spears - I'm a Slave 4 U (song)» (em inglês). Ultratop. Hung Medien. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  46. McHugh, Catherline (1º de julho de 2002). «Britney's Big Splash». Live Design (em inglês). Penton Media. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  47. Singlerland, Amy L. (1º de agosto de 2002). «Singin' in the Rain». Live Design (em inglês). Penton Media. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  48. «McCartney Notches Year's Highest-Grossing Tour». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. 19 de dezembro de 2002. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  49. «Forbes Celebrity 100 2002» (em inglês). Forbes. Consultado em 1º de outubro de 2014. Cópia arquivada em 2 de dezembro de 2010 
  50. «Crossroads (2002)» (em inglês). Rotten Tomatoes. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  51. «Crossroads Film Review – Crossroads Film Pictures, Crossroads Film Trailer». View London (em inglês). 2 View Group Ltd. 2 de abril de 2002. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  52. a b c Hughes 2005, p. 152
  53. Moss, Corey (27 de novembro de 2002). «Britney Spears Bails On Her New York Restaurant, Nyla» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  54. a b Moss, Corey (5 de novembro de 2002). «Britney Spears' Hiatus Is History» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  55. A. Sanchez, Rowena Joy (4 de outubro de 2009). «'This one's for you': Ex-music couples sing of their love woes». Manila Bulletin (em inglês). Manila Bulletin Publishing Corp. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  56. Sawyer, Diane (23 de novembro de 2003). «Britney revealed». ninemsn (em inglês). PBL Media / Microsoft. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  57. Stern, Bradley (fevereiro de 2010). «Annet Artani: From "Everytime" to "Alive"» (em inglês). Muu Muse. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  58. Jacks, Brian (19 de março de 2009). «Fred Durst Looks Back At His Relationship With Britney Spears» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  59. Collis, Clark (15 de fevereiro de 2004). «The 25 Sexiest Music Moments in TV History!». Blender. ISSN 1534-0554 
  60. Vena, Jocelyn (24 de agosto de 2008). «The Top 10 Opening Moments In VMA History» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  61. Vineyard, Jennifer (5 de novembro de 2004). «Britney, Back From Honeymoon, Posts Another Letter» (em inglês). MTV News. Viacom. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  62. Shaw, William (20 de dezembro de 2003). «Britney Bust Loose! – Blender». Blender. ISSN 1534-0554 
  63. a b «Britney Spears – In the Zone – Metacritic» (em inglês). Metacritic. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  64. «Britney In Her 'Zone' Atop Billboard 200». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. 26 de novembro de 2003. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  65. «ultratop.be - Britney Spears - In the Zone (album)» (em inglês). Ultratop. Hung Medien. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  66. «Top 50 Global Best Selling Albums of 2003» (PDF) (em inglês). Federação Internacional da Indústria Fonográfica. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  67. «In the Zone - See Overview for Worldwide Sales» (em inglês). Live Nation. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  68. (2003) Créditos do álbum In the Zone. Jive Records.
  69. Schriefer, Amy (16 de novembro de 2009). «The 50 Most Important Recordings: S-Z : NPR» (em inglês). NPR. Consultado em 1º de outubro de 2014 
  70. Reichert & Lambiase 2006, p. 43
  71. «Judge dissolves Britney's 'joke' wedding». NBCUniversal/Microsoft. Associated Press. 6 de abril de 2004. Consultado em 10 de junho de 2010 
  72. Vineyard, Jennifer (2 de março de 2004). «Britney Checking Into Onyx Hotel Wearing Rubberlike Outfit». MTV. Consultado em 24 de dezembro de 2009. Arquivado do original em 30 de abril de 2004 
  73. Silverman, Stephen M. (16 de junho de 2004). «Britney Cancels Tour Due to Bad Knee». People. Consultado em 27 de dezembro de 2009 
  74. a b Walls, Jeannette (1 de junho de 2004). «Forget Kabbalah, Britney's baby is her religion». NBC Universal/Microsoft. Consultado em 10 de junho de 2010 
  75. a b c d e Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome foxnews
  76. Heller 2007, p. 80[carece de fontes?]
  77. Vineyard, Jennifer (16 de outubro de 2004). «Britney Spears Announces She's Taking A Break From Her Career». MTV. Consultado em 10 de junho de 2010. Arquivado do original em 19 de outubro de 2004 
  78. Vineyard, Jennifer (13 de agosto de 2004). «Britney Covers Bobby Brown's 'My Prerogative' For Forthcoming LP». MTV. Consultado em 6 de outubro de 2010. Arquivado do original em 1 de setembro de 2004 
  79. «Britney Spears — My Prerogative (song)». Ultratop. Hung Medien. 2004. Consultado em 6 de outubro de 2010 
  80. «UK Singles Chart». Official Charts Company. aCharts. 7 de março de 2005. Consultado em 6 de outubro de 2010 
  81. «Britney Spears – Do Somethin' (song)». UltratopHung Medien. 2005. Consultado em 6 de outubro de 2010. Arquivado do original em 25 de agosto de 2011 
  82. «Biography – Sales». Britney.com. Sony Music Entertainment. 2010. Consultado em 5 de junho de 2010. Arquivado do original em 24 de dezembro de 2010 
  83. «Britney Welcomes Home Sean Preston». People. 21 de setembro de 2005. Consultado em 6 de outubro de 2010. Arquivado do original em 16 de janeiro de 2007 
  84. Vineyard, Jennifer (6 de outubro de 2010). «Surprise: Britney's Releasing An Album In Just Two Weeks». MTV. Consultado em 8 de novembro de 2005. Arquivado do original em 25 de novembro de 2005 
  85. Daniel, Mike (6 de novembro de 2007). «Britney Spears' recordings find art imitating life». Denton Record-Chronicle. A. H. Belo. Consultado em 10 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 27 de julho de 2013 
  86. Thomas, Karen (6 de outubro de 2010). «Britney maybe one more time». USA Today. Consultado em 29 de março de 2006 
  87. «Britney's Baby Name: Jayden James Federline». People. 24 de outubro de 2006. Consultado em 6 de novembro de 2010. Arquivado do original em 16 de julho de 2007 
  88. «Britney Spears Files for Divorce». People. 7 de novembro de 2006. Consultado em 6 de outubro de 2010 
  89. Hall, Sarah (30 de julho de 2007). «Britney, Kevin Back to Being Single». E!. Consultado em 6 de outubro de 2010 
  90. «Lynne Spears Visits Sister's Grave Amid Crisis». People. 5 de janeiro de 2008. Consultado em 6 de outubro de 2010. Arquivado do original em 17 de janeiro de 2008 
  91. Marikar, Sheila (19 de fevereiro de 2007). «Bald and Broken: Inside Britney's Shaved Head». ABC News. Consultado em 6 de outubro de 2010 
  92. Van Horn, Teri (2 de maio de 2007). «Britney's Back! Spears Returns To The Stage With Five-Song Dirty Dance Party». MTV. Consultado em 10 de junho de 2010. Arquivado do original em 4 de maio de 2007 
  93. «Spears will lose custody of children». CNN. 2 de outubro de 2007. Consultado em 11 de junho de 2010 
  94. Hollyscope Team, "Louis Vuitton Sues Britney Spears", hollyscoop.com, 19 de novembro de 2007
  95. «Britney Spears Debuts No. 1 on European Albums Chart and Debuts No. 1 on...». PR Newswire. 8 de novembro de 2007. Consultado em 11 de junho de 2010. Arquivado do original em 20 de junho de 2012 
  96. Petridis, Alexis (28 de novembro de 2008). «CD review: Britney Spears: Circus». The Guardian. Consultado em 11 de junho de 2010 
  97. Robinson, Peter (11 de novembro de 2007). «CDs: Britney Spears, Blackout and Kylie Minogue, X». The Observer. Consultado em 11 de junho de 2010 
  98. Lyons, Bev; Sutherland, Laura (7 de novembro de 2008). «Britney Spears seals comeback with two gongs at MTV Europe Music Awards». Daily Record. Consultado em 11 de junho de 2010 
  99. Asthana, Anushka (21 de novembro de 2009). «The 100 best pop albums of the Noughties». The Times. Consultado em 11 de junho de 2010. Arquivado do original em 15 de junho de 2011 
  100. Willis, David (10 de setembro de 2007). «Britney's MTV comeback falls flat». BBC. Consultado em 24 de fevereiro de 2010 
  101. «Canada Singles Top 100». Billboard. acharts.us. 13 de outubro de 2007. Consultado em 23 de fevereiro de 2010 
  102. a b «Britney Spears – Gimme More (song)». Ultratop. Hung Medien. 2007. Consultado em 23 de fevereiro de 2010 
  103. «Australian Singles Chart». acharts.us. 1 de março de 2008. Consultado em 6 de fevereiro de 2010 
  104. «UK Singles Chart». The Official Charts Company. 23 de dezembro de 2007. Consultado em 10 de fevereiro de 2010 
  105. «Britney Spears – Piece of Me(song)». Ultratop 50. Hung Medien. 2008. Consultado em 10 de fevereiro de 2010 
  106. «Britney Pap-Happy with Her New Guy — Britney Spears». People. 3 de janeiro de 2008. Consultado em 12 de fevereiro de 2010 
  107. McKay, Holly (28 de outubro de 2008). «Britney Spears Under Permanent Conservatorship». Fox News Channel. Consultado em 16 de julho de 2014. Arquivado do original em 8 de agosto de 2014 
  108. Blankstein, Andrew; Winton, Richard (7 de fevereiro de 2008). «Spears is released from UCLA hospital psychiatric ward». Los Angeles Times. Consultado em 12 de junho de 2010 
  109. Hinckley, D. (25 de março de 2008). «Britney Spears begins rehab of image with wacky cameo on CBS sitcom». Daily News. Nova Iorque. Consultado em 12 de junho de 2010. Arquivado do original em 21 de outubro de 2012 
  110. Hibberd, James (25 de março de 2008). «Spears delivers 'Mother's' highest ratings». The Hollywood Reporter. e5 Global Media. Consultado em 12 de junho de 2010. Arquivado do original em 6 de junho de 2008 
  111. Lee, Ken (18 de julho de 2008). «It's Over: Britney & Kevin Reach a Custody Settlement». People. Consultado em 12 de fevereiro de 2010 
  112. «Highlights, Winners, Performers and Photos from the 2008 MTV Video Music Awards». MTV. 2008. Consultado em 26 de maio de 2023 
  113. Vena, Jocelyn (9 de outubro de 2008). «Britney Spears 'Sets The Record Straight' In Documentary Airing November 30 On MTV». MTV. Consultado em 1 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 10 de outubro de 2008 
  114. «"Britney: For the Record" scores staggering 3.54 P12–34 rating in Sunday debut on MTVh». MTV. 2 de dezembro de 2008. Consultado em 2 de janeiro de 2011. Arquivado do original em 3 de janeiro de 2010 
  115. «Circus reviews». Metacritic. Consultado em 12 de junho de 2010 
  116. a b Hasty, Katie (10 de dezembro de 2008). «Britney's 'Circus' Debuts Atop Album Chart». Billboard. Consultado em 12 de junho de 2010 
  117. «Britney Earns (Another) Guinness World Record». Britney.com. 27 de setembro de 2009. Consultado em 12 de junho de 2010. Arquivado do original em 24 de dezembro de 2010 
  118. «#13 Britney Spears — The 2009 Celebrity 100». Forbes. 6 de março de 2009. Consultado em 12 de junho de 2010. Arquivado do original em 6 de junho de 2009 
  119. «Britney Spears' Singles Collection». HMV Store Japan. 1 de junho de 2010. Consultado em 1 de junho de 2010 
  120. Pietroluongo, Silvio (15 de outubro de 2008). «Spears Scores Record-Setting Hot 100 Jump». Billboard. Nielsen Company. Consultado em 12 de junho de 2010 
  121. «Britney Spears — Womanizer (song)». Ultratop. Hung Medien. 2008. Consultado em 12 de junho de 2010. Arquivado do original em 20 de dezembro de 2008 
  122. «Nominees list for the 52nd Grammy Awards». Los Angeles Times. 2 de dezembro de 2009. Consultado em 3 de dezembro de 2009. Arquivado do original em 18 de junho de 2010 
  123. Mitovich, Matt (31 de janeiro de 2009). «Britney Gets Restraining Order Against Former Manager, Ex-Beau and Attorney». TV Guide. OpenGate Capital. Consultado em 12 de junho de 2010. Arquivado do original em 2 de fevereiro de 2009 
  124. «2009 Year End Top 50 Worldwide Concert Tours» (PDF). Pollstar. 2010. Consultado em 8 de fevereiro de 2010. Arquivado do original (PDF) em 15 de fevereiro de 2010 
  125. Pietroluongo, Silvio (14 de outubro de 2009). «'3' To 1: Britney Beats Odds To Debut Atop Hot 100». Billboard. Nielsen Company. Consultado em 4 de janeiro de 2010 
  126. Jordan, Julie (11 de maio de 2010). «Britney Spears and Jason Trawick Split – Professionally». People. Consultado em 12 de junho de 2010 
  127. Vena, Jocelyn (30 de junho de 2010). «Britney Spears To Design Clothing For Candie's». MTV. MTV Networks. Consultado em 5 de abril de 2012 
  128. Porter, Rick (29 de setembro de 2010). «'Glee' ratings: Britney is bigger than Madonna». Zap2it. Tribune Media Services. Consultado em 29 de setembro de 2010. Arquivado do original em 2 de outubro de 2010 
  129. Gorman, Bill (29 de setembro de 2010). «Tuesday Finals: Glee, No Ordinary Family, NCIS, Dancing Up; Raising Hope, Detroit 1–8–7, Running Wilde Down». TV by the Numbers. Consultado em 29 de setembro de 2010. Arquivado do original em 17 de novembro de 2010 
  130. «7th Britney Spears Album 'Femme Fatale' Set for March 29th Release». Jive Records. 2 de agosto de 2011. Consultado em 6 de março de 2011. Arquivado do original em 16 de maio de 2012 
  131. «Britney Spears Snares Sixth No. 1 on Billboard 200 with 'Femme Fatale'». Billboard. 14 de setembro de 2009. Consultado em 14 de abril de 2011 
  132. «Adele, Katy Perry Rule Mid-Year SoundScan Charts». Billboard. 6 de junho de 2011. Consultado em 9 de junho de 2011 
  133. «Britney Spears' 'Hold It Against Me' Single Premieres». Billboard. 10 de janeiro de 2011. Consultado em 25 de maio de 2013 
  134. «Listen: Britney Spears, Nicki Minaj and Ke$ha's 'Till the World Ends' Remix». Billboard. 14 de setembro de 2009. Consultado em 20 de agosto de 2011 
  135. Copsey, Robert (31 de outubro de 2011). «Britney Spears angers MPs over 'Criminal' video shoot». Digital Spy. Hachette Filipacchi (UK) Ltd. Consultado em 23 de setembro de 2011. Arquivado do original em 24 de setembro de 2011 
  136. Montgomery, James (26 de setembro de 2011). «Britney Spears Responds To 'Criminal' Video Controversy». MTV Networks. Consultado em 31 de outubro de 2011. Arquivado do original em 29 de setembro de 2011 
  137. Vena, Jocelyn (11 de abril de 2011). «Rihanna Says Britney Spears' 'S&M' Remix 'Had To Be Major'». MTV. Consultado em 24 de abril de 2011. Arquivado do original em 14 de abril de 2011 
  138. Trust, Gary (20 de abril de 2011). «Rihanna's 'S&M' Reigns on Hot 100, Lady Gaga's 'Judas' Debuts». Billboard. Consultado em 26 de setembro de 2011 
  139. «Best of 2011: The Artists». Billboard. Consultado em 19 de dezembro de 2011 
  140. «Best of 2011: Billboard 200 Artists». Billboard. Consultado em 19 de dezembro de 2011 
  141. «Best of 2011: Hot 100 Artists». Billboard. Consultado em 19 de novembro de 2011 
  142. Live Nation (12 de abril de 2011). «Pop Superstar Britney Spears Announces Special Guest Nicki Minaj to Join the Highly Anticipated All Female Femme Fatale Tour». PR Newswire. Consultado em 12 de abril de 2011 
  143. «Top 100 North American Tours» (PDF). Pollstar. 30 de junho de 2011. Consultado em 9 de julho de 2011. Arquivado do original (PDF) em 15 de agosto de 2011 
  144. «Britney Spears Wraps Femme Fatale Tour». MTV. 12 de dezembro de 2011. Consultado em 19 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 7 de janeiro de 2012 
  145. «Britney Spears Live: The Femme Fatale Tour (2011)». Amazon.com. 25 de outubro de 2011. Consultado em 25 de outubro de 2011 
  146. Mitchell, John (28 de agosto de 2011). «Britney Spears Accepts Video Vanguard VMA – And A Kiss From Lady Gaga». MTV Networks. Consultado em 28 de agosto de 2011. Arquivado do original em 30 de agosto de 2011 
  147. Bain, Becky (9 de setembro de 2011). «Britney Spears Reveals 'B In The Mix: The Remixes Vol. 2' Track Listing». Idolator. Buzz Media. Consultado em 9 de setembro de 2011 
  148. Vena, Jocelyn (19 de dezembro de 2011). «Britney Spears' Engagement Ring: How Does It Stack Up?». MTV News. Consultado em 19 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 7 de janeiro de 2012 
  149. Eggenberger, Nicole (25 de abril de 2012). «Britney Spears' Fiance Jason Trawick Approved as Co-Conservator». Us Weekly. Consultado em 12 de janeiro de 2013. Arquivado do original em 26 de abril de 2012 
  150. Laudadio, Marisa (11 de janeiro de 2013). «Britney Spears and Jason Trawick Split». People. Consultado em 12 de janeiro de 2013 
  151. «Britney Spears and Jason Trawick – SPLIT». TMZ. 11 de janeiro de 2013. Consultado em 12 de janeiro de 2013 
  152. Bromley, Melanie (12 de abril de 2012). «Britney Spears Will Get Record $15 Million Payday to Be X Factor Judge». E!. Consultado em 12 de abril de 2012 
  153. «Britney Spears Officially Leaving 'The X Factor'». ABC News. 11 de janeiro de 2013. Consultado em 25 de maio de 2013 
  154. Larkin, Mike (21 de maio de 2013). «Kelly Rowland and Paulina Rubio replace Britney Spears and L.A. Reid for new season of The X Factor». Daily Mail. Consultado em 3 de maio de 2014 
  155. Kitchener, Shaun (30 de janeiro de 2012). «will.i.am Teases Britney Spears, Shakira, Alicia Keys Collaborations». Entertainment Wise. Consultado em 11 de setembro de 2011 
  156. «Britney Spears Is Music's Top Earning Woman of 2012». ABC News. 12 de dezembro de 2012. Consultado em 4 de janeiro de 2013 
  157. «Britney Spears begins work on eighth studio album». Digital Spy. 12 de dezembro de 2012. Consultado em 4 de janeiro de 2013 
  158. Lipshutz, Jason (1 de maio de 2013). «Will.i.am Executive Producing New Britney Spears Album». Billboard. Consultado em 4 de maio de 2013 
  159. Williott, Carl (17 de setembro de 2013). «Britney Spears Announces 2-Year 'Piece Of Me' Vegas Residency, December 3 Album Release». Idolator. Buzz Media. Consultado em 17 de setembro de 2013 
  160. «Britney Spears: Las Vegas Show Will Be 'A Massive Party From Start To Finish'». Billboard. 8 de maio de 2013. Consultado em 8 de maio de 2013 
  161. Joannou, Andy (15 de outubro de 2013). «Britney Spears names new album 'Britney Jean'». Digital Spy. Consultado em 15 de outubro de 2013. Arquivado do original em 15 de outubro de 2013 
  162. «Britney Spears' Album Release Date Announced As Dec. 3 On 'Good Morning America'». The Huffington Post. 17 de setembro de 2013. Consultado em 4 de outubro de 2013 
  163. Christman, Ed (23 de agosto de 2011). «RCA's New Executive Team Named Under CEO Peter Edge Amid Layoffs». Billboard. Consultado em 19 de outubro de 2011 
  164. «Daily B: Britney's Record Deal is Ready to Be Renewed And Everyone Wants A Piece of B». MuuMuse. Consultado em 30 de novembro de 2013 
  165. Jake Pearlman (25 de novembro de 2013). «Britney Spears' new album 'Britney Jean' now streaming on iTunes». Entertainment Weekly. Consultado em 30 de novembro de 2013 
  166. Gil Kaufman (11 de dezembro de 2013). «Britney Spears Has Lowest Chart Debut With Britney Jean». MTV News. Viacom. Consultado em 11 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 11 de dezembro de 2013 
  167. «You Better Work, Britney: 'Britney Jean' Debuts at No. 34 in UK». The Honesty Hour. 8 de dezembro de 2013. Consultado em 8 de dezembro de 2013. Arquivado do original em 14 de dezembro de 2013 
  168. «Britney Spears Debuts 'Work Bitch' Following Leak By 'One Bad Apple': Listen». Billboard. 15 de setembro de 2013. Consultado em 20 de novembro de 2013 
  169. Grein, Paul (25 de setembro de 2013). «Week Ending Sept. 22, 2013. Songs: The Brit Is Back». Yahoo! Music. Consultado em 27 de setembro de 2013 
  170. Lansky, Sam (25 de outubro de 2013). «Britney Spears Unveils 'Britney Jean' Album Cover, Pens Emotional Letter To Fans». Idolator. Consultado em 20 de novembro de 2013 
  171. Busis, Hillary (3 de novembro de 2013). «Britney Spears spritzes fans with new single 'Perfume'». Entertainment Weekly. Consultado em 20 de novembro de 2013. Arquivado do original em 4 de novembro de 2013 
  172. «"Britney Spears Album & Song Chart History" Billboard Hot 100 for Britney Spears». Billboard. Consultado em 16 de dezembro de 2013 
  173. «Chart Highlights: Johnny Mathis Scores 50th Adult Contemporary Hit». Billboard. 18 de novembro de 2013. Consultado em 26 de outubro de 2014 
  174. «Britney Spears Records New Song For 'Smurfs 2' Soundtrack». Billboard. 17 de abril de 2013. Consultado em 17 de abril de 2013 
  175. «Miley Cyrus Reveals 'Bangerz' Tracklist as 'Wrecking Ball' Breaks VEVO Record». Billboard. 10 de setembro de 2013. Consultado em 15 de setembro de 2013 
  176. «People's Choice Awards 2014: The winners list». Entertainment Weekly. Consultado em 26 de maio de 2023 
  177. «Bubbling Under Hot 100: July 26, 2014». Billboard. Consultado em 17 de julho de 2014 
  178. Barker, Andrew. «Britney Spears: Popstar Directs Clear Vision of Her Billion-Dollar Empire». Variety. Consultado em 29 de agosto de 2014 
  179. Rigby, Sam (25 de setembro de 2014). «Britney Spears confirms 2-year Las Vegas residency extension». Digital Spy. Hearst Corporation. Consultado em 2 de outubro de 2014. Arquivado do original em 27 de setembro de 2014 
  180. Corner, Lewis (25 de março de 2015). «Britney Spears dates new single 'Pretty Girls' for May». Digital Spy. Hearst Corporation. Consultado em 25 de março de 2015. Cópia arquivada em 5 de abril de 2015 
  181. O'Donnell, Kevin (17 de maio de 2015). «Britney Spears & Iggy Azalea perform 'Pretty Girls' live for the first time at Billboard Music Awards». Entertainment Weekly. Consultado em 18 de maio de 2015 
  182. «Disco Godfather Giorgio Moroder Goes Back to the Future on Déjà Vu». Vulture. Consultado em 16 de junho de 2015 
  183. «Giorgio Moroder: Britney Spears "did a good job" with collab». Consultado em 16 de junho de 2015 
  184. «EDM Godfather Giorgio Moroder Raves About Recording With Britney Spears: 'She Sounds So Good'». Consultado em 16 de junho de 2015 
  185. «Britney Spears wins Teen Choice Award 2015 choice style icon, shows off cleavage in plunging dress». Consultado em 17 de agosto de 2015. Arquivado do original em 18 de agosto de 2015 
  186. «Shuffle: Britney Spears and Giorgio Moroder drone on in Tom's Diner». Consultado em 16 de outubro de 2015 
  187. «Britney Spears Is Ruffling Feathers in This 'Jane The Virgin' Promo». Consultado em 4 de novembro de 2015 
  188. «Oops she did it again! Britney Spears dances a Toxic jig with Gina Rodriguez in special Jane The Virgin appearance». DailyMail. Consultado em 10 de novembro de 2015 
  189. «Britney Spears Confirms She's 'Working Hard' on a New Album». Billboard. Consultado em 4 de novembro de 2015 
  190. «Britney Spears sizzles on 3 covers for the 100th issue of 'V Magazine'». USAToday. Consultado em 8 de agosto de 2016 
  191. «V100 STARRING BRITNEY SPEARS». V magazine. Consultado em 8 de agosto de 2016. Arquivado do original em 14 de maio de 2016 
  192. «Britney Spears Helps You Chase the 'American Dream' in New Mobile Game». Billboard. Consultado em 18 de maio de 2016 
  193. «Find Out When and Where Adele's New Video Will Debut». E! Online (em inglês). Consultado em 16 de maio de 2016 
  194. Abrams, Sean. «Britney Spears Opened The Billboard Music Awards With a Sexy Performance of Her Biggest Hits». Maxim (em inglês). Consultado em 12 de fevereiro de 2021 
  195. «Britney Spears to receive Billboard Millennium Award». USA TODAY. Consultado em 18 de maio de 2016 
  196. «Britney Spears and G-Eazy's 'Make Me' Has Arrived». Billboard (em inglês). Prometheus Global Media. 14 de julho de 2016. Consultado em 16 de julho de 2016. Cópia arquivada em 16 de julho de 2016 
  197. Jessica Goodman (3 de agosto de 2016). «Britney Spears announces new album Glory». Entertainment Weekly (em inglês). Time Inc. Consultado em 3 de agosto de 2016 
  198. «Britney Spears Announces New Album 'Glory,' Calls It 'The Beginning of a New Era'». Consultado em 4 de agosto de 2016 
  199. «Britney Spears Strips Down, Teases New Music In 'Private Show' Clip». Consultado em 4 de agosto de 2016 
  200. «Popikoni Britney Spears peruu kaikki esiintymisensä isän sairastumisen takia – olisi tienannut miljoonia: "On aina tärkeintä laittaa perhe etusijalle"». Ilta-Sanomat (em finlandês). 4 de janeiro de 2019. Consultado em 25 de setembro de 2020 
  201. Chung, Gabrielle (20 de agosto de 2020). «Britney Spears' Father Jamie Calls on Court to Reappoint Co-Conservator Who Resigned in 2019». People. Consultado em 23 de junho de 2021 
  202. a b «Britney Spears' Fans Demand Release of Pop Star from Psychiatric Facility». Variety. 22 de abril de 2019. Consultado em 23 de junho de 2021 
  203. Gutowitz, Jill (24 de abril de 2019). «All Your Questions About Britney Spears's Latest Mental-Health Crisis, Answered». Vulture. Consultado em 23 de junho de 2021 
  204. Martinelli, Marissa (24 de abril de 2019). «Why Did Britney Spears Have to Confirm She's Not Being Held Hostage?». Slate. Consultado em 23 de junho de 2021 
  205. Jacobs, Julia (17 de maio de 2019). «What Is Actually Happening With Britney Spears?». The New York Times. Consultado em 23 de junho de 2021 
  206. Milton, Josh (1 de setembro de 2020). «Cher sides with Britney Spears as she weighs in on conservatorship». PinkNews. Consultado em 23 de junho de 2021 
  207. White, Adam (25 de agosto de 2020). «Paris Hilton 'heartbroken' over Britney Spears conservatorship battle: 'It's not fair to be treated like a child'». The Independent. Consultado em 23 de junho de 2021 
  208. Willman, Chris (6 de maio de 2019). «Miley Cyrus Calls to 'Free Britney!' Spears at Memphis Concert». Variety. Consultado em 23 de junho de 2021 
  209. Kirkpatrick, Emily (24 de agosto de 2020). «The ACLU Is Ready to Help Free Britney». Vanity Fair. Consultado em 23 de junho de 2021 
  210. «Britney Spears tells fans 'all is well' after #FreeBritney campaign». BBC News. 24 de abril de 2019. Consultado em 23 de junho de 2021 
  211. Gonzalez, Sandra (25 de abril de 2019). «Britney Spears leaves treatment facility». CNN. Consultado em 23 de junho de 2021 
  212. «Britney Spears appears in court over conservatorship, judge orders evaluation». USA Today. 10 de maio de 2019. Consultado em 23 de junho de 2021 
  213. Dasrath, Diana (5 de setembro de 2019). «Kevin Federline files complaint alleging altercation between his son and Britney Spears' father». NBC News. Consultado em 23 de junho de 2021 
  214. D'Zurilla, Christie (10 de setembro de 2019). «Britney Spears' dad, Jamie Spears, is out as her conservator — at least for now». Los Angeles Times. Consultado em 23 de junho de 2021 
  215. «The Latest: No rulings, no Britney Spears at court hearing». Associated Press. 19 de setembro de 2019. Consultado em 23 de junho de 2021 
  216. Lambert, Molly (2 de fevereiro de 2020). «At the Britney Spears pop-up museum (yes, museum), a vacant Kmart becomes a selfie shrine». Los Angeles Times. Consultado em 23 de junho de 2021 
  217. Murphy, Chris (29 de maio de 2020). «Britney Spears Drops 'Mood Ring (By Demand),' Her First New Music in 4 Years». Vulture. Consultado em 23 de junho de 2021 
  218. Kaufman, Amy (1 de agosto de 2020). «Britney Spears' father calls #FreeBritney followers 'conspiracy theorists'». Los Angeles Times. Consultado em 23 de junho de 2021 
  219. Coscarelli, Joe (18 de agosto de 2020). «Britney Spears Seeking Substantial Changes to Conservatorship». The New York Times. Consultado em 23 de junho de 2021 
  220. Coscarelli, Joe (21 de agosto de 2020). «Britney Spears Conservatorship to Remain As Is Until 2021». The New York Times. Consultado em 23 de junho de 2021 
  221. Dalton, Andrew (10 de novembro de 2020). «Lawyer: Britney Spears fears father, wants him out of career». Associated Press. Consultado em 23 de junho de 2021 
  222. Blistein, Jon (11 de dezembro de 2020). «Britney Spears, Backstreet Boys Team Up for New Song 'Matches'». Rolling Stone. Consultado em 23 de junho de 2021 
  223. Grisafi, Patricia (5 de fevereiro de 2021). «'Framing Britney Spears' on FX shows how the singer gets used for everyone else's purposes». NBC News. Consultado em 23 de junho de 2021 
  224. «Britney Spears 'cried for two weeks' over Framing documentary». BBC News. 31 de março de 2021. Consultado em 23 de junho de 2021 
  225. Snapes, Laura (25 de março de 2021). «Britney Spears asks for father to be removed from running personal affairs». The Guardian. Consultado em 23 de junho de 2021 
  226. Melas, Chloe (25 de março de 2021). «Britney Spears' attorney files petition to remove her father from overseeing her medical decisions». CNN. Consultado em 23 de junho de 2021 
  227. Day, Liz; Stark, Samantha; Coscarelli, Joe (22 de junho de 2021). «Britney Spears Quietly Pushed for Years to End Her Conservatorship». The New York Times (em inglês). Consultado em 23 de junho de 2021 
  228. «Britney Spears Tells Judge She Wants Out of Conservatorship: "I'm Traumatized"». The Hollywood Reporter. 23 de junho de 2021 
  229. Andrew Dalton (7 de setembro de 2021). «Britney Spears' father files to end court conservatorship» [Pai de Britney Spears entra com pedido de fim da conservadoria]. Associated Press (em inglês). Consultado em 7 de fevereiro de 2022 
  230. Daniela Avila e Melody Chiu (12 de setembro de 2021). «Britney Spears and Sam Asghari Are Engaged: 'I Can't ... Believe It!'» [Britney Spears e Sam Asghari Estão Noivos: 'Não Consigo... Acreditar!']. People (em inglês). Meredith Corporation. Consultado em 7 de fevereiro de 2022 
  231. Lisa Richwine (30 de setembro de 2021). «Britney Spears 'on cloud nine' after father suspended from conservatorship» [Britney Spears 'nas nuvens' após pai ser suspenso da conservadoria]. Reuters (em inglês). Thomson Reuters. Consultado em 7 de fevereiro de 2022 
  232. Joe Coscarelli e Julia Jacobs (12 de novembro de 2021). «After Nearly 14 Years, Britney Spears's Conservatorship Ends» [Após Quase 14 anos, a Conservadoria de Britney Spears Termina]. The New York Times (em inglês). The New York Times Company. Consultado em 7 de fevereiro de 2022 
  233. «Britney Spears anuncia que perdeu bebê no início da gravidez». G1. 14 de maio de 2022. Consultado em 14 de maio de 2022 
  234. «Ex-marido de Britney Spears invade casamento da cantora». Correio da Manhã. 10 de junho de 2022 
  235. «Britney Spears e Sam Asghari se separam, diz site». G1. 16 de agosto de 2023. Consultado em 17 de agosto de 2023 
  236. «"Nunca mais voltarei à indústria musical": Britney Spears nega rumores de regresso com novo álbum» 
  237. «Britney Spears conta em livro de memórias que fez um aborto enquanto namorava com Justin Timberlake». Euronews. Consultado em 20 de fevereiro de 2024 
  238. «Teen pop idols stage comeback». Yomiuri Shimbun. 25 de novembro de 1999. p. 1 
  239. Sheffield, Rob (9 de junho de 2004). «Oops!...I Did It Again – Album Review». Rolling Stone. Consultado em 8 de outubro de 2009 
  240. Taylor, Chuck (28 de agosto de 1999). «Britney Spears: (You Drive Me) Crazy». 111 35 ed. Billboard. p. 27 
  241. Erlewine, Stephen (1999). «...Baby One More Time». Consultado em 8 de outubro de 2009 
  242. Erlewine, Stephen (2000). «Oops!...I Did It Again». Consultado em 8 de outubro de 2009 
  243. Erlewine, Stephen (2001). «Britney». Consultado em 8 de outubro de 2009 
  244. Lim, Dennis (30 de outubro de 2007). «Blackout — Blender». Blender. ISSN 1534-0554 
  245. «New Music: Britney Spears f/ will.i.am – 'Big Fat Bass'». Rap-Up. Consultado em 3 de novembro de 2012 
  246. «'Hold It Against Me' Is Primo Britney». Rolling Stone. Consultado em 3 de novembro de 2012 
  247. Marikar, Sheila. «Britney Spears Drops 'Till the World Ends,' Mimics Ke$ha». ABC News. Consultado em 3 de novembro de 2012 
  248. Lipshutz, Jason. «Britney Spears, Till the World Ends». Billboard. Consultado em 3 de novembro de 2012 
  249. Ganz, Caryn. «Spears at her most daring and innovative — really! Dark, dangerous, fascinating». eMusic. Consultado em 3 de novembro de 2012 
  250. Knopper 2009, pp. 92
  251. «...Baby One More Time – Album Review». CD Universe. Consultado em 4 de março de 2011 
  252. Ewing, Tom (20 de novembro de 2007). «Poptimist #10: Britney in the Black Lodge (Damn Fine Album)». Pitchfork Media. Ryan Schreiber. Consultado em 8 de agosto de 2011 
  253. Petridis, Alexis (26 de outubro de 2007). «Britney Spears, Blackout». The Guardian. Consultado em 8 de agosto de 2011 
  254. Cragg, Michael (10 de janeiro de 2011). «New music: Britney Spears – Hold It Against Me». The Guardian 
  255. «Critic of Music: Vocal Range and Profile: Britney Spears». Criticof Music. Consultado em 23 de junho de 2015 
  256. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome hughes145
  257. Bronson, Fred (2003). The Billboard book of number 1 hits. Nova Iorque: Billboard Books. p. 377. ISBN 978-0-8230-7677-2 
  258. Blackman, Guy (25 de agosto de 2009). «Musical Spears». Melbourne: The Age. Consultado em 21 de novembro de 2009 
  259. «The Interview: William Orbit». Hunger TV. 20 de junho de 2014. Consultado em 2 de junho de 2015. Arquivado do original em 22 de junho de 2014 
  260. Cinquemani, Sal (23 de outubro de 2007). «"Blackout" review». Slant magazine. Consultado em 20 de fevereiro de 2010. Arquivado do original em 4 de dezembro de 2022 
  261. Giddins, Gary (2006). Natural selection: Gary Giddins on comedy, film, music, and books. Oxford: Oxford University Press. p. 288. ISBN 978-0-19-517951-4 
  262. Petridis, Alexis (25 de março de 2011). «Femme Fatale review». The Guardian. Londres: Guardian News and Media. Consultado em 27 de março de 2011 
  263. Horvitz, Louis J. (Diretor) (12 de novembro de 2012). We Will Always Love You: A Grammy Salute to Whitney Houston (especial de TV). Estados Unidos: CBS 
  264. Masley, Ed (2 de novembro de 2001). «The State of Britneydom: Teen-pop Queen declares 'I'm on the verge of being a woman'». Pittsburgh Post-Gazette. p. W.22. ISSN 1068-624X 
  265. Clerk, Carol (2002). Madonnastyle. Londres: Omnibus Press. p. 56. ISBN 978-0-7119-8874-3 
  266. Gardner, Elysa (28 de julho de 2000). «Luscious Jackson». USA Today. p. 1.E. ISSN 0734-7456 
  267. Griffin, Phil (Diretor) (30 de novembro de 2008). Britney: For the Record (Documentário). Estados Unidos: MTV 
  268. Harrison, Shane (6 de novembro de 2001). «'Britney' strengthens claim to pop tiara». The Atlanta Journal-Constitution. p. C.1 
  269. «Exclusive Interview: Britney Spears On Tabloid Fame and Vegas Takeover». Vegas Player. 12 de novembro de 2013. Consultado em 12 de novembro de 2013. Arquivado do original em 12 de novembro de 2013 
  270. Cava, Marco (20 de dezembro de 2013). «Who inspires Britney? Beyonce, Bruno and her ex JT». USA Today. Consultado em 4 de junho de 2014 
  271. «Britney Spears: Biography». Rolling Stone. 2008. Consultado em 9 de agosto de 2008. Arquivado do original em 3 de maio de 2009 
  272. Folkard, Claire (2003). Guinness World Records 2003. Nova Iorque: Bantam Books. p. 288. ISBN 9780553586367 
  273. «Britney Spears tops Yahoo searches». Associated Press. 2008. Consultado em 2 de dezembro de 2008. Arquivado do original em 5 de dezembro de 2008 
  274. «Britney's Celebrity Wall Post». BritneySpears.com. Consultado em 3 de março de 2011. Arquivado do original em 22 de abril de 2009 
  275. «Artist to Watch 2009: Little Boots: Little Boots». Rollingstone.com. Consultado em 14 de agosto de 2010 [ligação inativa] 
  276. «Selena Gomez». oceanUP.com. Consultado em 20 de julho de 2010. Arquivado do original em 26 de abril de 2011 
  277. Pixie Lott (27 de agosto de 2009). «Pixie Lott's diary: 'After the single hit No 1, it went crazy'». Londres: Guardian. Consultado em 14 de agosto de 2010 
  278. Vena, Jocelyn (10 de agosto de 2009). «Miley Cyrus On Britney Spears: 'I'm Proud Of Her'». MTV. Consultado em 28 de julho de 2016 
  279. «Tinashe Video Interview: On Bringing More Females Into the Mainstream & The Success of '2 On'». Billboard. Consultado em 18 de novembro de 2016 
  280. a b Boyce, Shannon (1 de setembro de 2011). «SHE DID IT AGAIN: BRITNEY SPEARS LANDS BACK ON TOP». Young Hollywood. Consultado em 18 de novembro de 2016. Arquivado do original em 20 de outubro de 2012 
  281. Van Nguyen, Dean (12 de setembro de 2014). «Charli XCX reveals she would 'love' to write a song with Britney Spears». NME. Consultado em 18 de novembro de 2016. Arquivado do original em 13 de setembro de 2014 
  282. Crowley, Gary (9 de junho de 2009). «Marina and The Diamonds in the BBC Introducing hotseat». BBC. Consultado em 18 de novembro de 2016 
  283. «Kelly Key deixa no passado inspiração em Britney Spears: 'Mudei o foco' (1)». UOL. 3 de maio de 2015. Consultado em 4 de janeiro de 2024 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias
Wikidata Base de dados no Wikidata