Brooklin Velho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Brooklin Velho
Bairro de São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg
Dia Oficial: 30 de maio
Fundação: 30 de maio de 1922 (96 anos)
Imigração predominante:  Alemanha e  França
Zona de valor do CRECI: Zona A
Distrito: Campo Belo
Subprefeitura: Santo Amaro
Região Administrativa: Centro-Sul

Brooklin Velho é a área majoritariamente residencial do bairro nobre do Brooklin, localizado na cidade de São Paulo, Brasil. É administrada pela Subprefeitura de Santo Amaro e encontra-se no distrito de Campo Belo.

Delimitada pela Avenida Roque Petroni Jr, Avenida Santo Amaro, Avenida Jornalista Roberto Marinho e Marginal Pinheiros. Faz divisa com os bairros: Brooklin Novo ,Chácara flora, Chácara Santo Antônio,e Vila Mascote.

História[editar | editar código-fonte]

A região gerou interesse do mercado imobiliário após a década de 1910, quando foi inaugurada uma linha de bondes elétricos pela empresa canadense São Paulo Tramway, Light and Power Company. Até então, chamava-se 5º desvio e era pouco habitada.

Proveio de um loteamento lançado pela Sociedade Anônima Fábrica Votorantim,[1] sendo uma área de alto padrão. A história bairro e do grupo industrial que vendia terrenos a prestações é retratada no documentário e longa-metragem "A Sociedade Anonyma Fabrica Votorantim" produzido em 1922.[2]

Fato histórico[editar | editar código-fonte]

Foi na Rua Zacarias de Góis que ocorreu um crime que chocou o país. Em 31 de outubro de 2002, Suzane Louise Freifrau von Richthofen e os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos foram à casa dos von Richthofen e assassinaram o engenheiro Manfred Albert Freiherr von Richthofen e a psiquiatra Marísia von Richthofen. As vítimas eram os pais de Suzane. O crime ficou conhecido como Caso Richthofen.[3] Devido ao caso de repercussão nacional os imóveis localizados nas adjacências da Mansão Richthofen sofreram desvalorização nos últimos anos.[4]

Atualidade[editar | editar código-fonte]

A região é predominantemente residencial, intensamente arborizada, de baixa densidade populacional e ruas silenciosas,[5] constituindo-se em um bairro-jardim de cerca de 2000 residências.[6] Sua horizontalidade é protegida pela Lei de Zoneamento paulistana e as árvores presentes em seu território são preservadas pelo Decreto 39.743 de 1994.[5] É classificada pelo CRECI como "Zona de Valor A", assim como outras áreas nobres da capital como Higienópolis, Alto de Pinheiros e Moema.[7]

Os moradores do bairro são representados pela Sociedade Amigos do Brooklin Velho (SABROVE), a associação criada em 1994 foi responsável pela alteração do projeto da Avenida Jornalista Roberto Marinho e objetiva a melhoria da qualidade de vida no bairro.[6]

No quadrilátero das avenidas Santo Amaro x Jornalista Roberto Marinho x Professor Vicente Rao x Vereador Jose Diniz há uma exceção aos padrões urbanísticos da área. Apresenta verticalização, baixa arborização e possui estabelecimentos de serviços, como supermercados e lojas. Já nos arredores das avenidas Washington Luís e Jornalista Roberto Marinho situam-se favelas.

Abriga a E.E. Mário de Andrade, o Colégio Adventista de Brooklin, sua segurança é feita pelo 27° Distrito Policial - Campo Belo. Está em construção a Estação Brooklin-Campo Belo da Linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo, que será inaugurada provavelmente no ano de 2012. Poderá receber a estação Brooklin Paulista da Linha 17 do Metrô de São Paulo, construída em monotrilho.

Eventos[editar | editar código-fonte]

Maifest

É um evento multicultural que faz parte do calendário oficial da cidade, organizado pela Associação dos Empreendedores e Moradores do Brooklin - AEMB. Realizado no mês de maio no quadrilátero das ruas Joaquim Nabuco, Princesa Isabel, Barão do Triunfo e Bernardino de Campos, apresenta exposições nacionais e internacionais, filmes, música, dentre outras atrações da cultura alemã, que trazem anualmente ao bairro aproximadamente 120 mil pessoas.[8]

Brooklin Fest

Nela realiza-se anualmente o "Brooklin Fest", evento que homenageia os imigrantes alemães do bairro. Também é organizado pela AEMB,[9] atrai cerca de 100 mil pessoas em cada edição.[5] A festa localizada nas ruas do quadrilátero Joaquim Nabuco, Princesa Isabel, Bernardino de Campos e Barão do Triunfo apresenta atrações musicais, venda de artesanato, comidas típicas e campeonatos de chope, aos moldes da Oktoberfest. Ocorre no mês de outubro.[5]

Referências


Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.