Bruna Franchetto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Bruna Franchetto
Bruna Franchetto
Nascimento 8 de dezembro de 1950 (72 anos)
Itália
Nacionalidade brasileira
Educação Sapienza Università di Roma; Museu Nacional/UFRJ
Alma mater Universidade Federal do Rio de Janeiro (Ph.D., 1986)
Ocupação linguista, antropóloga, professora universitária

Bruna Franchetto (8 de dezembro de 1950) é uma linguista e antropóloga, especialista em línguas indígenas sul-americanas, especialmente as línguas indígenas de Mato Grosso.

Vida[editar | editar código-fonte]

Nascida na Itália, Bruna é filha de Bruno Franchetto e Giuseppa Savio Franchetto.[1]

Fez seus estudos superiores em Filosofia na Universidade de Roma "La Sapienza" (1969-1975), revalidando o Diploma de Dottore in Filosofia como equivalente ao de Mestre pela UFRJ. [2] Em 1986, concluiu seu doutorado em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social no Museu Nacional, UFRJ, com a tese uFalar kuikuro: estudo etnolinguístico de um grupo karib do Alto Xingu, sob a supervisão de Yonne de Freitas Leite.[3]

É professora titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde trabalha desde 1989.[4][5]

Realizações[editar | editar código-fonte]

Desenvolve pesquisas sobre diversidade linguística, defendendo a presença de línguas indígenas em todos os espaços de ensino.[6][7][8][9][10] Sua pesquisa linguística e etnológica concentra-se na descrição, documentação e análise do Kuikuro, falada no sul da Amazônia, e nas tradições orais e nas artes verbais do povo Kuikuro. Em colaboração com os indígenas deste povo, coordena o Grupo de Cineastas Kuikuro e o o Projeto Documenta Kuikuro.[11]

É Coordenadora Científica do Projeto de Documentação de Línguas Indígenas (ProDoclin) no Museu do Índio (FUNAI-RJ) e UNESCO.[3][12] Também e coordenadora da Comissão de Línguas Indígenas da Abralin. Em 2021, foi eleita sócia honorária da Linguistic Society of America.[11]

Escritos[editar | editar código-fonte]

  • Franchetto, Bruna (org). 2011. Alto Xingu: uma sociedade multilíngue. Rio de Janeiro: Museu do Índio/FUNAI.
  • On this and other worlds: Voices from Amazonia (Stenzel & Franchetto 2017) (em inglês)
  • Falar Kuikúro. Estudo etnolingüístico de um grupo Karíbe do Alto Xingu (Franchetto 1986)
  • Primeiros passos da revitalização da língua Guató: uma etnografia (Franchetto & Godoy 2017)
  • "O aparecimento dos caraíba": para uma história kuikuro e alto-xinguana (Franchetto 1992)
  • Yonne de Freitas Leite: a linguista de paixão infinda (Franchetto & Vieira 2013)
  • A ergatividade Kuikúro (Karíbe): Algumas propostas de análise (Franchetto 1990)
  • Fonologia da língua Paresi-Haliti: descrição e análise (Silva & Franchetto 2008)
  • A guerra dos alfabetos: os povos indígenas na fronteira entre o oral e o escrito (Franchetto 2008)
  • Distinções prosódicas entre as variantes Karib do Alto Xingu (Silva, Franchetto & Colamarco 2011)
  • Evidências linguísticas para o entendimento de uma sociedade multilíngue: o Alto Xingu (Franchetto 2011)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Diário Oficial da União». 27 de Novembro de 2014. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  2. Lattes
  3. a b Bruna Franchetto no Cadastro de Pesquisadores de Línguas Indígenas Sul-Americanas (Biblioteca Digital Curt Nimuendajú)
  4. Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Museu Nacional, UFRJ
  5. SALSA Tipiti
  6. «Línguas indígenas podem desaparecer, alerta antropóloga da UFRJ». Agência Brasil. 20 de abril de 2016. Consultado em 30 de dezembro de 2021 
  7. «Línguas indígenas devem ter espaço em todos os níveis de ensino, diz professora». Agência Brasil. 19 de abril de 2017. Consultado em 30 de dezembro de 2021 
  8. «Incêndio do Museu Nacional cala última voz de povos indígenas». Terra. Consultado em 30 de dezembro de 2021 
  9. «"Escrevemos nossa própria história", diz indígena doutoranda – DW – 19/04/2019». dw.com. Consultado em 30 de dezembro de 2021 
  10. Franchetto, Bruna (19 de novembro de 2020). «Língua(s): cosmopolíticas, micropolíticas, macropolíticas». Campos - Revista de Antropologia. 21 (1): 21-36. ISSN 2317-6830. doi:10.5380/cra.v21i1.70519. Consultado em 30 de dezembro de 2021 
  11. a b «Bruna Franchetto: Sócia Honorária da LSA». Abralin. 28 de janeiro de 2021. Consultado em 16 de janeiro de 2022 
  12. «Esforço coletivo busca preservar idiomas indígenas brasileiros». Vermelho. 24 de setembro de 2015. Consultado em 30 de dezembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Artigos
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.