Bruno Mossa de Rezende

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Bruno
Bruno Rezende2.jpg
Informação pessoal
Nome completo Bruno Mossa de Rezende
Data de nascimento 2 de julho de 1986 (35 anos)
Local de nascimento    Rio de Janeiro,  Rio de Janeiro, Brasil
Altura 1,90m
Peso 76 kg
Posição Levantador
Clube atual EMS Taubaté Funvic
Informações de clubes
Clube atual EMS Taubaté Funvic
Clubes profissionais
Anos Clubes

2003—2004
2004—2012
2011—2012
2012—2014
2014—2016
2016—2017
Brasil Fluminense
Brasil Unisul
Brasil Cimed
Itália Pallavolo Modena
Brasil RJX
Itália Pallavolo Modena
Brasil SESI–SP
Seleção nacional
2006—atualidade Bandeira do Brasil Brasil
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Rio 2016 Equipe
Prata Pequim 2008 Equipe
Prata Londres 2012 Equipe
Campeonato Mundial
Ouro Itália 2010 Equipe
Prata Polônia 2014 Equipe
Prata Itália/Bulgária 2018 Equipe
Jogos Pan-Americanos
Ouro Rio de Janeiro 2007 Equipe
Ouro Guadalajara 2011 Equipe
Liga Mundial
Ouro Moscou 2006 Equipe
Ouro Katowice 2007 Equipe
Ouro Belgrado 2009 Equipe
Ouro Córdoba 2010 Equipe
Prata Gdańsk–Sopot 2011 Equipe
Prata Mar del Plata 2013 Equipe
Prata Florença 2014 Equipe
Prata Cracóvia 2016 Equipe
Prata Curitiba 2017 Equipe
Copa do Mundo
Ouro Japão 2019 Equipe
Ouro Japão 2007 Equipe
Bronze Japão 2011 Equipe

Bruno Mossa de Rezende (Rio de Janeiro, 2 de julho de 1986), mais conhecido como Bruno ou Bruninho,[1] é um jogador de voleibol brasileiro. Ele joga como levantador da Seleção Brasileira de Voleibol Masculino.[2]

É filho dos ex-jogadores de vôlei Bernardinho e Vera Mossa. Ele é considerado um dos maiores levantadores do mundo, superando as desconfianças iniciais geradas pelo fato de ser filho do treinador da Seleção de Voleibol Masculino, conquistando o seu lugar entre os ídolos do voleibol brasileiro, em principal após a conquista da medalha de ouro olímpica nos Jogos Olímpicos de Verão do Rio em 2016.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O Bruno é filho dos famosos ex-jogadores brasileiros de vôlei Bernardinho e Vera Mossa. Vivendo por quase três anos na Itália para jogar por times locais italianos, ele é fluente em língua italiana.

Entrou no time principal em 2007 após polêmica envolvendo o levantador campeão olímpico Ricardinho que foi cortado dois dias antes da estreia no Pan-Americano do Rio por indisciplina[3], na época isso gerou controvérsia na imprensa por Bruno ser filho do treinador Bernardinho. Jogando no banco daquela competição, a seleção brasileira foi campeã sem perder nenhum set na competição.[4] Bruninho ganhou 16 títulos com a seleção nacional tendo ganho o prêmio de Melhor Levantador em 15 competições internacionais defendendo clubes e o Brasil, incluindo nas Olimpíadas de 2016, competição que foi campeão. Em 2019, ganhou MVP do Campeonato Mundial de Clubes. Em 2021, foi escolhido para representar a delegação brasileira na abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio.[5]

Bruninho é considerado um dos melhores levantadores do voleibol mundial.[6]

Na mídia, os seus amigos próximos são: o cantor Thiaguinho, o ator Rafael Zulu, o jogador de futebol Neymar Jr, o surfista Gabriel Medina e o apresentador Luciano Huck, que formam um grupo de amigos que foi apelidado de "Diretoria" pelo público; e os seis amigos tem inclusive um grupo de troca de mensagens juntos.[7][8]

Participação em olimpíadas[editar | editar código-fonte]

Em 2008, Bruno fez parte da equipe que ganhou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Verão de 2008, sendo essa a sua primeira medalha olímpica.[9]

Em 2012, durante os Jogos Olímpicos de Verão de Londres 2012, novamente integrou a equipe que ganhou medalha de prata.[10][11]

Em 2016, ganhou a tão esperada medalha de ouro durante os Jogos Olímpicos de Verão do Rio em 2016, vencendo a final contra a Seleção Italiana de Voleibol Masculino.[12][13]

Em 2020, iria participar dos Jogos Olímpicos de Verão de 2020, em busca de um bicampeonato de medalha de ouro, porém a olimpíada foi adiada devido a Pandemia de COVID-19.[14]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Os clubes pelos quais Bruno jogou e joga:

Títulos[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira de Voleibol Masculino principal[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira de Voleibol Masculino de base[editar | editar código-fonte]

  • Campeonato Mundial: Prata 2005

Clubes[editar | editar código-fonte]

Individuais[editar | editar código-fonte]

  • 2006 - Melhor levantador da Superliga
  • 2007 - Melhor levantador da Superliga
  • 2007 - Melhor Levantador da Copa América
  • 2007 - Melhor Levantador da Copa do Brasil
  • 2008 - Melhor levantador da Superliga
  • 2008 - Melhor Levantador da Copa América
  • 2009 - Melhor levantador da Superliga
  • 2009 - MVP do Campeonato Sul-Americano de Clubes
  • 2009 - Melhor levantador da Copa dos Campeões
  • 2011 - Melhor levantador do XVI Jogos Pan-americanos
  • 2011-12 - 2º Melhor Levantador da Superliga
  • 2013 - Melhor levantador da Liga Mundial
  • 2013 - Melhor Levantador do Campeonato Sul Americano
  • 2013 - Melhor levantador da Copa dos Campeões
  • 2016 - Melhor levantador dos Jogos Olímpicos de Verão de 2016
  • 2017 - Melhor Levantador do Campeonato Sul Americano
  • 2019 - Melhor Levantador do Campeonato Mundial de Clubes.
  • 2019 - Melhor Jogador do Campeonato Mundial de Clubes.


Referências

  1. Bruno faz 24 anos e celebra atuação na seleção de vôlei, Estadão, (visitado em 4-7-2010).
  2. Planeta Volei. «Perfis dos jogadores campeões da Copa do Mundo 2007». Consultado em 23 de agosto de 2008 
  3. «Veja as principais frases da briga entre Bernardinho x Ricardinho». Terra. Consultado em 24 de julho de 2021 
  4. «Volleyball at the 2007 Pan American Games». Wikipedia (em inglês). 29 de junho de 2020. Consultado em 24 de julho de 2021 
  5. «Brasil será representado apenas por Bruninho e Ketlyn Quadros na Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos». SP RIO+. 22 de julho de 2021. Consultado em 24 de julho de 2021 
  6. «Best Volleyball Setters in The World (in 2020) – VolleyballPassion» (em inglês). Consultado em 24 de julho de 2021 
  7. «Neymar curte festa com Luciano Huck, Medina e amigos da "diretoria"». Revista Marie Claire. Consultado em 31 de janeiro de 2021 
  8. «Thiaguinho, Medina, Rafael Zulu e Bruninho revelam quem é quem no grupo de mensagens que eles têm com Neymar e Huck». Gshow. Consultado em 31 de janeiro de 2021 
  9. «Pequim 2008: Brasil é prata no vôlei masculino». Congresso em Foco. 24 de agosto de 2008. Consultado em 31 de janeiro de 2021 
  10. «Brasil desperdiça dois match points, vê Rússia virar e é prata de novo no vôlei masculino». UOL Olimpíadas 2012. Consultado em 31 de janeiro de 2021 
  11. «Vice em Pequim-2008 e Londres-2012, vôlei brasileiro quer ouro em casa - Olimpíada no Rio | Folha». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 31 de janeiro de 2021 
  12. Magri, Diogo (21 de agosto de 2018). «Há dois anos, o Brasil fechava as Olimpíadas do Rio com ouro no vôlei masculino». EL PAÍS. Consultado em 31 de janeiro de 2021 
  13. «Rio-2016: campanha do Brasil na conquista do ouro no vôlei masculino». ISTOÉ Independente. 21 de agosto de 2016. Consultado em 31 de janeiro de 2021 
  14. «COI: Olimpíada de Tóquio vai acontecer em 2021, "com ou sem" pandemia». www.uol.com.br. Consultado em 31 de janeiro de 2021 
  15. «Taubaté vence o Minas e é bicampeão da Superliga Masculina de vôlei». Globoesporte. 16 de Abril de 2021. Consultado em 16 de Abril de 2021 
  16. «Taubaté vence o Cruzeiro mais uma vez e conquista a Supercopa em partida de cinco sets». Globoesporte. 31 de Outubro de 2020. Consultado em 31 de Outubro de 2020 
  17. «Em jogaço, Taubaté vence o Cruzeiro e é campeão do primeiro Troféu Super Vôlei». Globoesporte. 24 de Outubro de 2020. Consultado em 24 de Outubro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre voleibolista é um esboço relacionado ao Projeto Desporto. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.