Budhi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Na mitologia hindu, Buddhi é uma das esposas de Ganexa.

Buddhi ou budhi é uma palavra sânscrita védica que significa a faculdade intelectual e o poder de "formar e reter conceitos, raciocinar, discernir, julgar, compreender, entender".[1][2]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

Buddhi (em sânscrito: बुद्धि) é um substantivo feminino derivado da raiz sânscrita védica Budh (बुध्), que literalmente significa "despertar, estar acordado, observar, prestar atenção, assistir, aprender, tornar-se ciente, conhecer, estar consciente novamente".[1] O termo aparece extensivamente no Rigveda e em outras literaturas védicas.[1] Buddhi significa, afirma Monier Williams, o poder de "formar, reter conceitos; inteligência, razão, intelecto, mente", a faculdade intelectual e a capacidade de "discernir, julgar, compreender, entender" alguma coisa.[1][3] A mesma raiz é a base para a forma masculina mais familiar Buda e o substantivo abstrato bodhi.[4]

Buddhi contrasta com manas (मनस्), que significa "mente", e ahamkara (अहंंकाऱ), que significa "ego, senso de eu no egoísmo".[2][3][5]

Uso[editar | editar código-fonte]

No Sânquia e filosofia iógica, tanto a mente quanto o ego são formas no reino da natureza (prakriti) que emergiram na materialidade em função dos três gunas (ग़ुण) através de uma má compreensão de purusha (पुरूष) (a essência-consciência de o jivatman). De natureza discriminatória (बुद्धि निश्चयात्मिका चित्त-वृत्ति), buddhi é aquilo que é capaz de discernir a verdade (satya) da falsidade e, assim, tornar possível a sabedoria.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Sir Monier Monier-Williams; Ernst Leumann; Carl Cappeller (2002). A Sanskrit-English Dictionary: Etymologically and Philologically Arranged with Special Reference to Cognate Indo-European Languages. Motilal Banarsidass. [S.l.: s.n.] ISBN 978-81-208-3105-6 
  2. a b Ian Whicher (1998). The Integrity of the Yoga Darsana: A Reconsideration of Classical Yoga. State University of New York Press. [S.l.: s.n.] pp. 18, 71, 77, 92–95, 219, 231. ISBN 978-0-7914-3815-2 
  3. a b Jadunath Sinha (2013). Indian Psychology Perception. Routledge. [S.l.: s.n.] pp. 120–121. ISBN 978-1-136-34605-7 
  4. Jr, Robert E. Buswell; Jr, Donald S. Lopez (24 de novembro de 2013). The Princeton Dictionary of Buddhism (em inglês). [S.l.]: Princeton University Press. ISBN 978-1-4008-4805-8 
  5. Sir Monier Monier-Williams; Ernst Leumann; Carl Cappeller (2002). A Sanskrit-English Dictionary: Etymologically and Philologically Arranged with Special Reference to Cognate Indo-European Languages. Motilal Banarsidass. [S.l.: s.n.] pp. 124, 783–784. ISBN 978-81-208-3105-6