Bueno de Andrada

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Bueno de Andrada
  Distrito do Brasil  
Estação Ferroviária de Bueno de Andrada.
Estação Ferroviária de Bueno de Andrada.
Estado  São Paulo
Município Araraquara
Criado em 1924
População (2010)
 - Total 1 695 habitantes
    • Densidade hab./km²

Bueno de Andrada é um distrito do município paulista de Araraquara, localizado a noroeste do distrito-sede.

No distrito de Bueno de Andrade há cerca de uma dezena de quarteirões e tem como principais locais a estação de trem[1] (que é um ramal importante e de movimento de carga, para quem gosta de ver trem) e a praça em frente (da estação, das vendas, e da estrada).

É conhecido pelas suas famosas "coxinhas douradas". Turistas de várias localidades, passam por Bueno de Andrada para provarem esse salgado.

Bueno de Andrada é Distrito de Araraquara com destino a Matão e é cortada por uma estrada vicinal asfaltada paralela a rodovia SP 310. Ficou conhecido pelas “coxinhas douradas” quando, em visita ao Distrito em março de 2001[2], o escritor Araraquarense Ignácio de Loyola Brandão fez uma crônica referente ao local[3], voltando a citá-las em outra crônica escrita para o mesmo jornal em 2010[4].

Hoje em dia tem um grande número de visitantes e em razão das famosas coxinhas Bueno de Andrada está se transformando num centro de gastronomia que fica em frente à praça central que possui em paralelo uma ferrovia em funcionamento e na antiga e bem preservada Estação está em funcionamento o Telecentro e o Cartório. Ao fundo da Estação completa o cenário a Capela local. São elementos avistados da praça central aonde são montadas mesas e cadeiras a sombra das árvores de onde se pode fazer uma viagem de volta para o passado aonde os visitantes aspiram um ambiente de paz e tranquilidade que encanta a todos. Bueno de Andrada possui 90 famílias no Distrito e mais 320 nos assentamentos ao seu redor com cerca de 2.000 moradores na localidade.

Desde 2009 é realizado o Festival do Pastel & Caldo de Cana e desde 2010 é realizado o Festival Delícias do Milho. A iniciativa de realização dos eventos é do publicitário Teodoro Borelli Bratfisch (Théo Bratfisch), idealizador e organizador de eventos. Os pratos típicos resultantes deste festivais gastronômicos são respectivamente, o Pastelito de Bueno (um pastel no palito) e o Trem de Milho - prato à base de creme natural de milho verde com recheios opcionais de frango, carne seca, linguiça calabresa ou mussarela e cebolinha verde, acompanhado de bolinhos de bagaço de milho.

Comunicações[editar | editar código-fonte]

O distrito era atendido pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[5]. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[6], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[7] para suas operações de telefonia fixa.

Referências

  1. «Bueno de Andrada -- Estações Ferroviárias do Estado de São Paulo». www.estacoesferroviarias.com.br. Consultado em 5 de maio de 2016 
  2. «Referência à data da primeira crônica» (PDF). Jornal Tribuna Impressa. Jornal Tribuna Impressa. 1 de janeiro de 2012. Consultado em 5 de maio de 2016 
  3. «De Turista a Viajante: Coxinhas douradas de Bueno de Andrada (crônica)turista-viajante-dicas». www.deturistaaviajante.com. Consultado em 5 de maio de 2016 
  4. «De Johannesburgo à farinha de Igarapava - Cultura - Estadão». Estadão. Consultado em 5 de maio de 2016 
  5. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  6. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  7. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1