Buerarema

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Buerarema
  Município do Brasil  
Praça principal de Buerarema à noite
Praça principal de Buerarema à noite
Símbolos
Bandeira de Buerarema
Bandeira
Brasão de armas de Buerarema
Brasão de armas
Hino
Gentílico bueraremense
Localização
Localização de Buerarema na Bahia
Localização de Buerarema na Bahia
Buerarema está localizado em: Brasil
Buerarema
Localização de Buerarema no Brasil
Mapa de Buerarema
Coordenadas 14° 57' 32" S 39° 18' O
País Brasil
Unidade federativa Bahia
Municípios limítrofes Itabuna, Ilhéus, São José da Vitória, Una e Jussari.
Distância até a capital 450 km
História
Fundação 17 de setembro de 1959 (63 anos)
Administração
Prefeito(a) Vinicius Ibrann (União Brasil [1], 2021 – 2024)
Vereadores 11
Características geográficas
Área total [3] 219,487 km²
 • Área urbana  Embrapa/2015[4] 1,969 km²
População total (estimativa IBGE/2021[5]) 18 269 hab.
 • Posição BA: 194º
Densidade 83,2 hab./km²
Clima Tropical (Aw)[2]
Altitude [6] 120 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 45615-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010[7]) 0,613 médio
PIB (IBGE/2019[8]) R$ 209 646,34 mil
 • Posição BA: 165º
PIB per capita (IBGE/2019[8]) R$ 11 425,49
Sítio www.buerarema.ba.gov.br (Prefeitura)
www.camara.buerarema.ba.io.org.br (Câmara)


Buerarema é um município situado no sul do estado da Bahia, no Brasil. Localiza-se às margens da rodovia BR-101. Sua população estimada em 2021 era de 18.269 habitantes. Atualmente, a cidade conta com duas agências bancárias e um hospital. É abastecida pelo Rio Una, que também abastece a cidade vizinha de São José da Vitória.

O município já foi chamado de Macuco, devido ao grande número de macucos na região.[9]

Os nativos de Buerarema são chamados bueraremenses.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Buerarema" é uma palavra originária da língua tupi. Significa "madeira fedida", através da junção dos termos ybyrá (árvore, madeira) e rema (fedido).[10]

História[editar | editar código-fonte]

No século XVI, na época da chegada dos primeiros exploradores portugueses à região, a mesma era habitada pelos índios das etnias tupiniquim e aimoré.[11] Com a divisão do Brasil em capitanias hereditárias pelo governo português, a região passou a pertencer à Capitania de Ilhéus[12] Com o fracasso das capitanias hereditárias, passou a pertencer à Província da Baía.

O povoamento do território iniciou-se por volta de 1910, especialmente por flagelados das secas que assolaram os sertões da Bahia e Sergipe. Estabelecendo-se à margens do ribeirão do Macuco, os imigrantes formaram o povoado com a mesma denominação. A partir de 1922, o arraial tomou novo impulso de crescimento, com a abertura da estrada Pontal-Macuco, via de escoamento da produção. Em 1943, alterou-se o topônimo para Buerarema.[13]Seu primeiro prefeito foi Paulo Portela, eleito em 1962 e empossado em 1963.[14][15]

Reivindicação Indígena[editar | editar código-fonte]

No período entre 1910 e 1930, surgiu a figura da liderança indígena tupinambá Caboclo Marcelino, que lutava pelo reconhecimento do direito à terra dos índios de sua etnia, os Tupinambá de Olivença.[16]

No início do século XXI, ganhou notoriedade o controverso índio Babau, que encabeça o movimento dos índios tupinambás reivindicando territórios de Olivença.[16][17] fazendo uso da violência e coação contra as famílias de pequenos agricultores, obrigando-os a cadastrarem-se como indígenas para fortalecer o movimento indígena. No caso da família do agricultor se recusasse, estariam sujeitos a ameaças de morte e ter suas terras invadidas.[18][19]

O conflito culminou em 2014, quando depois de sofrer diversas ameaças, o pequeno agricultor Juraci Santana, representante do Assentamento Ipiranga, foi assassinado na frente da sua esposa e filha por três homens encapuzados.[20] O assentamento possuía cerca de 40 famílias e os caciques da região frequentemente assediavam os agricultores para que estes se tornassem autodeclarados tupinambás.[19] No evento, a população da cidade foi tomada pela revolta, a tal ponto que o então Governador Jacques Wagner solicitou ao Governo Federal a presença do Exército Brasileiro para exercer a GLO (Garantia da Lei e da Ordem)[21][22] Por ser considerado suspeito no assassinato do agricultor, foi emitido mandado de prisão para o cacique Babau. Ao tentar solicitar um passaporte para sair do país, foi constatado o mandado de prisão, e o cacique Babau se entregou sem resistência à Polícia Federal, porém cinco dias depois, uma decisão liminar do Superior Tribunal de Justiça determinou sua libertação, por estarem ausentes os requisitos legais exigidos para a aplicação de prisão temporária.[23]

Em reintegrações de posse, é comum não haver resistência indígena no momento da reintegração; porém após a autoridade policial deixar o local, o agricultor fica novamente à mercê de invasões, inclusive com armas de fogo.[24][25][26]

Economia[editar | editar código-fonte]

Praça de Buerarema (outubro de 2022)

Na agricultura, possui produção expressiva de cacau e mandioca. Na pecuária, destaca-se o rebanho de muares. Conforme registros na Junta Comercial do Estado da Bahia, possui 42 indústrias, ocupando o 99º lugar na posição geral do Estado da Bahia e 459 estabelecimentos comerciais, 106ª posição dentre os municípios baianos. No setor de bens minerais, é produtor de argila. Seu parque hoteleiro registra 42 leitos.

Segundo o IBGE, em 2019, o município tinha um produto interno bruto (PIB) de R$ 209 milhões, ocupando a posição 165º no estado da Bahia.[27][28]

Dados gerais[editar | editar código-fonte]

  • DDD: 073.
  • Voltagem: 110.
  • Distância da capital estadual: 450km.
  • Rodovia de acesso: BR-101.
  • População: 18.269 (estimativa IBGE/2021); 18.605 (censo 2010).
  • Área: 219,487km².
  • Bioma: Mata Atlântica.
  • PIB: R$ 209 milhões (2019).
  • Número de vereadores: 11.[29][30][31][32]

Referências

  1. «Representantes». União Brasil. Consultado em 29 de setembro de 2022 
  2. «CLIMA: BUERAREMA». CLIMATE-DATA. Consultado em 13 de outubro de 2022 
  3. https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/ba/buerarema.html?  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  4. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). «Áreas Urbanas no Brasil em 2015». Consultado em 13 de outubro de 2022 
  5. «Estimativa populacional 2021 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de agosto de 2021. Consultado em 28 de agosto de 2021 
  6. «Município de Buerarema». cidade-brasil. Consultado em 13 de outubro de 2022 
  7. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 23 de outubro de 2013 
  8. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010 à 2019». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 19 de dezembro de 2021 
  9. Sítio Sócio-Estatística
  10. [1]
  11. BUENO, E. Brasil: uma História. Segunda edição revista. São Paulo: Ática, 2003. pp.18-19
  12. BUENO, E. Brasil: uma História. Segunda edição revista. São Paulo: Ática, 2003. p.43
  13. Dados do IBGE sobre Buerarema-BA
  14. «Política». HVM. Consultado em 6 de outubro de 2022 
  15. cidades.ibge.gov.br https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/buerarema/historico. Consultado em 6 de outubro de 2022  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  16. a b http://www.osollo.com.br/online/index.php/cidadania/3678-buerarema-secretario-se-reune-com-tupinambas-para-negociar-demarcacao-de-terras-
  17. [2]
  18. «BA: pessoas são coagidas a fazer cadastro na Funai Cidades». Noticias Band.com.br. Consultado em 21 de abril de 2016 
  19. a b «Agricultor assassinado em Buerarema avisou a ministros que estava sob ameaça de morte». www.correio24horas.com.br. Consultado em 21 de abril de 2016 
  20. «TRÊS DIAS DEPOIS DE CRIME, ASSASSINOS DE JURACI SANTANA CONTINUAM SOLTOS». Consultado em 21 de abril de 2016 
  21. «Polícia chama o Exército para conter protestos em cidade da BA - Notícias - Cotidiano». Cotidiano. Consultado em 21 de abril de 2016 
  22. «Área de conflito indígena tem reforço policial da Força Nacional e PM na BA». Bahia. Consultado em 21 de abril de 2016 
  23. «Apontado como suspeito em crime, Cacique Babau deixa prisão no DF». Bahia. Consultado em 21 de abril de 2016 
  24. «Índios tupinambás mantêm a ocupação em Buerarema». Portal A TARDE. Consultado em 21 de abril de 2016 
  25. «Índios reagem a integração de posse e são presos com armas no sul da BA». Bahia. Consultado em 21 de abril de 2016 
  26. «Ilhéus: Polícia Militar prende cacique Babau». www.bene.blog.br. Consultado em 21 de abril de 2016 
  27. cidades.ibge.gov.br https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/buerarema/pesquisa/38/46996. Consultado em 6 de outubro de 2022  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  28. «Lista de municípios da Bahia por PIB (2019)». Wikipédia, a enciclopédia livre. 22 de julho de 2022. Consultado em 6 de outubro de 2022 
  29. cidades.ibge.gov.br https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/buerarema/panorama. Consultado em 7 de outubro de 2022  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  30. cidades.ibge.gov.br https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/buerarema/pesquisa/38/46996. Consultado em 7 de outubro de 2022  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  31. «Historia de Buerarema BA». www.achetudoeregiao.com.br. Consultado em 7 de outubro de 2022 
  32. «Prefeito e vereadores de Buerarema tomam posse; veja lista de eleitos». G1. Consultado em 7 de outubro de 2022 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Buerarema