Bujica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Bujica
Informações pessoais
Nome completo Marcelo Ribeiro
Data de nasc. 21 de janeiro de 1969 (51 anos)
Local de nasc. Cachoeiro de Itapemirim (ES),  Brasil
Altura 1,77 m
Apelido Bujica
Informações profissionais
Posição ex-atacante e ex-treinador
Clubes de juventude
1983-1989 Brasil Flamengo
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1989-1990
1990-1992
1993
1993
1993
1994
1994
1995
1995
1995
1996-1997
1997
1998
1998
1998-1999
1999
2000
2000
2001
2002
2003-2004
2004
Brasil Flamengo
Brasil Botafogo
Brasil America
Brasil Ceará
Brasil Fortaleza
Brasil Inter de Limeira
Portugal Campomaiorense
Brasil Mixto
Brasil Operário-MT
Brasil Bahia
Brasil Operário-MT
Peru Alianza Lima
Brasil Sinop
Bolívia Guabirá
El Salvador Deportivo Águila
Equador LDU
El Salvador Deportivo Águila
Grécia Pelotas
Veria
Brasil Alegrense
Brasil Cachoeiro
Brasil Estrela do Norte
16 (3)
17 (5)
1 (0)
10 (3)
9 (1)


1 Partidas e gols pelo clube profissional
contam apenas partidas das ligas nacionais,
atualizados até 3 de março de 2010.


Marcelo Ribeiro, mais conhecido como Bujica (Cachoeiro de Itapemirim, 21 de Janeiro de 1969),[1] é um ex-futebolista brasileiro.

Defendeu o CR Flamengo entre 1989 e 1990 e fez 11 gols em 47 jogos, pelo qual obteve 27 vitórias, 10 empates e 10 derrotas.


Chegada ao Flamengo e o Apelido[editar | editar código-fonte]

Vindo ao Rio de Janeiro para jogar um amistoso pela Escolinha do Estrela (equipe do ES), Marcelo Ribeiro foi descoberto nesta partida pelo Doutor Adail Braga (dirigente da base Rubro Negra na época), que fez o convite para o mesmo fazer testes na equipe infantil do Flamengo.

Aprovado nos testes por Dida (treinador da equipe infantil), o menino franzino realizava o seu maior sonho... jogar no clube do coração. E entre um treino e outro, Adail Braga começou a chamar Marcelo Ribeiro de ''Bujiquinha'' em alusão ao Pai do menino, pois este é chamado de Bujica. E não demorou muito para que o dirigente também começasse a chama-lo de Bujica e assim, ficou conhecido até os dias atuais.[2]

Bujica foi artilheiro por todas as categorias que passou, onde teve como companheiros Junior Baiano, Djalminha, Nélio, Fabinho, Leonardo, Rogério, Luiz Antônio e entre outros...

Chegada na equipe Profissional[3][editar | editar código-fonte]

Após ter sido campeão carioca pelos juniores em 1989, onde fez os 2 gols na final, Bujica viajou a sua cidade natal para visitar os Pais, mas no dia seguinte, recebeu um telegrama e neste, pedindo para que ele retornasse e se reapresentasse direto na equipe profissional, a pedido do técnico da época, Telê Santana.

E no primeiro treino entre os profissionais, se deparou logo com o ídolos Zico e Junior e esses, o abraçaram junto com os outros jogadores do elenco, deixando-o bem a vontade. Aos 19 anos, teve as suas primeiras chances em 2 amistosos, mas foi contra o Blumenau, no Maracanã, no segundo jogo das oitavas de finais da Copa do Brasil, no dia 29 de Julho de 1989 que Bujica estreou pra valer e nesta partida, fez 2 gols e assim, começou a despertar os olhares dos torcedores.

O nome de Bujica entrou para a história do futebol no dia 5 de novembro de 1989, quando Vasco e Flamengo se enfrentaram pelo Campeonato Brasileiro. Porém, antes mesmo da bola rolar, todos já sabiam que aquele não seria um jogo qualquer, visto que marcava a estréia de Bebeto, ex-ídolo do Fla, com a camisa do Vasco. Além disso, na semana anterior ao jogo, os empolgados vascaínos, que vinham muito bem na competição, ao contrário do rival rubro-negro, cantavam uma vitória por goleada.

Então, veio o jogo e o resultado foi 2x0 para o Flamengo, com dois de Bujica. Herdeiro da posição deixada por Bebeto no Flamengo, o até então desconhecido atacante passou à condição de ídolo rubro-negro, recebendo a alcunha de O c açador de marajás, em clara alusão a Bebeto.

Outro momento a ser lembrado na carreira de Bujica é o fato de ter participado da despedida de Zico, quando o Flamengo goleou o Fluminense por 5x0. Bujica fez 1 gol nessa partida.

Bujica também chegou a jogar pelo Botafogo, mas depois, aos poucos, foi retornando ao anonimato.

Marcelo Ribeiro, o Bujica, Caçador de Marajás... é aquele ser humano humilde e de família simples, moleque que sonhou um dia ser jogador de futebol e jogar no clube de coração... deixar a cidade natal e sua família para tornar o sonho em realidade. Lutou, batalhou, cresceu e venceu... jogou ao lado de ídolos ''grandes'' e participou de jogos e ambientes que ''poucos'' frequentaram e não tiveram o prazer de estarem.

Ele é o tipo de mito, que não sai da memória do torcedor Brasileiro, justamente pelos 2 gols marcados contra o Vasco, onde ali, tornou-se o seu divisor de águas. Tem craques que passam, vestem o manto e não deixam lembranças... ao contrário do Bujica, que deixou a sua marca, o nome na história e na calçada da fama do Flamengo... isto não é pra qualquer um!

Bujica, que tenho como amigo, que me deu a honra de estar fazendo esta materia... aqui no Redação Rubro Negra[4], a sua história jamais será esquecida.

Referências

  1. «Bujica». Eu Sou Flamengo. Consultado em 15 de novembro de 2010 
  2. «Bujica, o Caçador de Marajás.». Redação Rubro Negra. Consultado em 16 de janeiro de 2020 
  3. «Bujica, o Caçador de Marajás.». Redação Rubro Negra. Consultado em 16 de janeiro de 2020 
  4. «Notícias do Flamengo Hoje !». Redação Rubro Negra. Consultado em 16 de janeiro de 2020 


Bandeira de BrasilSoccer icon Este artigo sobre um futebolista brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.