Burel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O Burel é um tecido artesanal português, feito de .

Manufactura[editar | editar código-fonte]

Para a manufactura do Burel, utiliza-se basicamente, lã de cor preta. A lã depois de carmeada e cardada é fiada e torcida (com roca e fuso), etapas que convém serem executadas pela mesma pessoa para que o fio tenha sempre a mesma espessura e textura. Do fuso, a lã passa para o novelo na operação de dobar. Depois de torcida, a é urdida e depois de urdida, é colocada no pisão, uma máquina que bate e escalda a lã de modo a tornar o pano mais duro e apertado. As teias pisoadas são então entregues a um alfaiate que as transforma em capas, casacos, coletes e calças de burel para os inúmeros dias de chuva, neve e vento no monte. Hoje em dia, o artigo mais em uso é a capa de burel.

Vocabulário[editar | editar código-fonte]

  • Carmear: “desguedelhar” ou “carpear” em linguagem regional, desenfrear, desfazer os nós – operação efectuada à mão.
  • Cardar : desenredar a lã – instrumento utilizado: carda.
  • Dobar : fazer novelos
  • Urdir : preparar os fios para o tear – instrumento utilizado: urdideira.
  • Tecer : realizar um pano no tear.

Referências[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Sá da Costa Editores, Antonio Henrique e R. de Oliveira Marques, A sociedade medieval portuguesa, 1987 [1]
  • Na officina de S. T. Ferreira, Joaquim de Santa Rosa de Viterbo, Elucidario das palavras, termos, e frases, que em Portugal antiguamente se usárão: e que hoje regularmente se ignorão: obra indispensável para entender sem erro os documentos mais raros, e preciosos, que entre nós se conservão, 1798 [2]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]