Bursa de Fabricius

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Bursa de Fabricius é um órgão linfoide primário exclusivo das aves que realiza hematopoiese, além da maturação e diferenciação de células produtoras de anticorpos, os linfócitos B. Quando o processo de maturação é finalizado, esses linfócitos se deslocam para os órgãos linfoides secundários.[1]

Na imunidade humoral, os anticorpos produzidos pelos linfócitos B, chamados de imunoglobulinas possuem um importante papel de combate específico. Algumas das imunoglobulinas presentes nas aves são: IgM, IgY e IgA.

Macroscopicamente a bursa é um órgão em forma de bolsa que surge entre o terceiro e quinto dia de desenvolvimento embrionário na região dorsal, da porção final da cloaca das aves. Recebe este nome devido a Hieronymus Fabricius, que a descreveu em 1621.

A estrutura histológica da Bursa de Fabricius é semelhante ao timo. Este órgão está dividido em lóbulos (folículos) por septos de tecido conjuntivo frouxo, com pouco colágeno e celularidade abundante. Cada um dos lóbulos apresenta córtex e medula. Assim, na periferia da medula há uma camada de células epiteliais indiferenciadas, separadas do córtex por uma camada capilar. O lúmen é revestido por epitélio colunar pseudo-estratificado, exceto no ápice de cada folículo, que é revestido por um tecido epitelial de revestimento simples e colunar. O epitélio e o tecido linfoide subjacente formam pregas que se estendem para o lúmen da bursa. Em cada prega é possível verificar as camadas mucosa, submucosa, muscular e adventícia.

Assim como outros órgãos primários, a Bursa de Fabricius sofre involução gradual, ou seja, atrofia conforme se atinge a maturidade sexual e com isso o tecido linfoide secundário, se encarrega do restante da reação imune.

Referências

  1. «Bursa de Fabricius». Encyclopædia Britannica Online (em inglês). Consultado em 28 de outubro de 2020 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • EMBRAPA- IMUNOLOGIA ENVOLVIDA EM AVES Disponível em: https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/136841/1/final7906.pdf
  • ETO, S. et al. Histologia dos órgãos e tecidos linfoides de galinhas poedeiras White Leghorn. Revista Portuguesa de Ciências Veterinárias, Jaboticabal, p. 74-78, 2015. Disponível em: http://www.fmv.ulisboa.pt/spcv/PDF/pdf6_2015/74-78.pdf.
  • OLIVEIRA, R. E. M. et al. Morfologia da bolsa cloacal de emas, Rhea americana americana Linnaeus, 1758. Pesquisa Veterinária Brasileira, Mossoró, p. 1696-1704, ago. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pvb/v38n8/1678-5150-pvb-38-08-1696.pdf.
  • ROCHA, T. M. et al. ASPECTOS CLÍNICOS, PATOLÓGICOS E EPIDEMIOLÓGICOS DE DOENÇAS IMUNOSSUPRESSORAS EM AVES. 2014. Disponível em: https://www.conhecer.org.br/enciclop/2014a/AGRARIAS/aspectos%20clinicos.pdf.