Busca Implacável

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Taken
Busca Implacável (PRT/BRA)
 França[1][2]
1990 •  cor •  90[3] min 
Direção Pierre Morel
Produção Luc Besson
Roteiro Luc Besson
Robert Mark Kamen
Elenco Liam Neeson
Maggie Grace
Leland Orser
Jon Gries
David Warshofsky
Katie Cassidy
Holly Valance
Famke Janssen
Gênero filme de ação
filme de suspense
Música Nathaniel Méchaly
Cinematografia Michel Abramowicz
Edição Frédéric Thoraval
Companhia(s) produtora(s) EuropaCorp
M6 Films
Grive Productions
Canal+
TPS Star
M6
Distribuição 20th Century Fox (US)
EuropaCorp International (Internacional)
Lançamento França27 de fevereiro de 2008
Brasil3 de outubro de 2008
Portugal30 de outubro de 2008
Idioma língua inglesa
língua francesa
língua albanesa
língua árabe
Orçamento US$ 25 milhões[4]
Receita US$ 226,830,568[4]
Cronologia
Taken 2

Busca Implacável[5][6] (em inglês: Taken) é um filme de ação e suspense francês de 2008, escrito por Luc Besson e Robert Mark Kamen, e dirigido por Pierre Morel. É estrelado por Liam Neeson, Maggie Grace, Famke Janssen, Katie Cassidy, Leland Orser, e Holly Valance. Neeson interpreta Bryan Mills, um ex-agente da CIA que procura rastrear sua filha adolescente Kim (Grace) e sua melhor amiga Amanda (Cassidy) depois que as duas garotas são sequestradas por traficantes de seres humanos da máfia albanesa enquanto viajam pela França durante as férias.

Taken arrecadou mais de US$226 milhões. Inúmeros meios de comunicação citaram o filme como um ponto de virada na carreira de Neeson que o redefiniu e transformou em uma estrela de cinema de ação.[7][8][9] O primeiro filme da série de filmes Taken foi seguido por duas sequênciasTaken 2 e Taken 3 — lançadas em 2012 e 2014, respectivamente. Uma série de televisão estreou em 2017 na NBC, com Clive Standen interpretando Bryan Mills.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

O agente de campo aposentado da CIA Bryan Mills tenta estabelecer um relacionamento mais próximo com sua filha Kim, de 17 anos, que vive com sua mãe Lenore e seu rico padrasto Stuart. Enquanto supervisiona a segurança em um show da estrela pop Sheerah, Bryan salva a cantora de um atacante armado. Por gratidão, Sheerah se oferece para que Kim seja avaliada como cantora. Antes que Bryan possa lhe contar sobre a oferta, Kim pede permissão ao pai para viajar para Paris com sua melhor amiga Amanda. Como ele é cauteloso com a segurança de Kim, já que ela quer continuar sem ele, ele inicialmente se recusa, mas acaba cedendo às exigências dela. No aeroporto, Bryan descobre que as meninas estão realmente planejando seguir o U2 durante sua turnê européia Vertigo Tour.

Ao chegar ao aeroporto Charles de Gaulle, Kim e Amanda encontram Peter, um jovem francês atraente que se oferece para dividir um táxi. Kim e Amanda vão ao apartamento dos primos de Amanda, onde Kim descobre que os primos estão na Espanha. Enquanto ela faz uma ligação para Bryan, Kim vê homens entrar no apartamento e seqüestrar Amanda. Kim segue as instruções do pai para esconder e ouvir atentamente. Depois que ela é arrastada para fora de uma cama, Kim grita uma descrição de seu raptor. Bryan ouve uma pessoa respirando pesadamente e, percebendo que um dos seqüestradores atendeu o telefone, diz a ele que não irá atrás dos sequestradores se soltarem sua filha, mas avisa que caso isso não aconteça resultará em mortes. Um homem responde laconicamente: "Boa sorte".

Sam, um velho amigo e ex-colega de Bryan, deduz que os sequestradores fazem parte de um círculo de tráfico sexual albanês e identifica o homem como Marko Hoxha. Com base na história anterior, Kim desaparecerá definitivamente se não for encontrada dentro de 96 horas. Bryan voa para Paris, entra no apartamento e encontra o reflexo de Peter em uma foto no telefone de Kim. Ele encontra Peter no aeroporto, tentando encantar uma viajante solitária e tenta capturá-lo. Enquanto tenta escapar, Peter é atropelado por um caminhão. Bryan se volta para um contato antigo, o ex-agente de inteligência francês Jean-Claude Pitrel, que agora tem um emprego na mesa. Jean-Claude informa sobre o distrito local da luz vermelha, onde o círculo de prostituição albanês opera, mas avisa para não se envolver. Bryan entra em um bordel improvisado em um estaleiro de construção, onde resgata uma jovem drogada que usa a jaqueta jeans de Kim. Depois de um tiroteio e perseguição em alta velocidade com a jovem.

Na manhã seguinte, a mulher conta a Bryan de um esconderijo onde ela e Kim foram mantidas. Posando como Jean-Claude, Bryan entra na casa sob o pretexto de renegociar a taxa de proteção policial. Quando ele identifica Marko Hoxha, fazendo-o repetir a mesma frase do telefone, o encontro começa em uma briga que resulta na morte de todos os bandidos, exceto Marko. Uma pesquisa rápida revela várias garotas drogadas, incluindo uma Amanda morta. Bryan amarra Marko em uma cadeira elétrica improvisada e o interroga usando parrilla. Marko revela que virgens como Kim são vendidas rapidamente devido ao seu valor estimado e identifica o comprador como Patrice Saint-Clair. Bryan o deixa morrer por eletrocussão contínua e visita o apartamento de Jean-Claude naquela noite. Tendo descoberto a corrupção de Jean-Claude, Bryan fere a esposa deste para forçá-lo a revelar a localização de Saint-Clair.

Bryan se infiltra em um leilão secreto de escravos sexuais em andamento sob a mansão de Saint-Clair, onde Kim é o assunto da última venda. Bryan obriga Ali, uma licitante árabe, a comprá-la. Ao sair, Bryan é nocauteado e acorrentado a um cano, mas consegue escapar e eliminar os capangas de Saint-Clair. Saint-Clair revela um iate de propriedade de um clientemchamado Raman antes que Bryan o mate. Bryan persegue o iate e elimina os guarda-costas, incluindo Ali, antes de encontrar Raman em sua suíte, onde está segurando Kim na ponta da faca. Quando Raman tenta negociar, Bryan o mata com um tiro na cabeça. De volta aos Estados Unidos, Kim se reúne com Lenore e Stuart. Lenore se reconcilia com Bryan e permite que ele se relacione com Kim visitando Sheerah juntos.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção[editar | editar código-fonte]

O filme foi produzido pela EuropaCorp de Luc Besson.[10] Pierre Morel já havia trabalhado como diretor de fotografia para Besson, e eles também haviam colaborado na estréia na direção de Morel, Banlieue 13. Besson lançou a idéia de Taken uma noite durante o jantar e Morel imediatamente se apegou à idéia de um pai lutando para proteger sua filha.[11] Jeff Bridges foi escalado como Bryan Mills, mas depois que ele saiu do projeto, Liam Neeson aceitou o papel, desejando desempenhar um papel mais exigente fisicamente do que costumava fazer. Neeson inicialmente pensou que o filme não passasse de uma "pequena estrada secundária" para sua carreira, esperando que fosse lançado diretamente para o vídeo.[12]

Música[editar | editar código-fonte]

A trilha sonora do filme foi composta por Nathaniel Méchaly e lançada em 27 de janeiro de 2009.[13]

Trilha sonora[editar | editar código-fonte]

Todas as músicas escritas e compostas por Nathaniel Méchaly, exceto onde indicado.[14][15]

Taken (Original Motion Picture Soundtrack)
N.º Título Duração
1. "Opening"   0:52
2. "Change" (Escrito e realizado por Joy Denalane com Lupe Fiasco) 4:12
3. "Permission to Go to Paris"   1:11
4. "Heading Off"   1:10
5. "The Concert"   0:53
6. "There's Somebody Here"   3:22
7. "Pursuit at Roissy"   1:07
8. "On the Rooftop"   1:40
9. "Ninety Six Hours"   6:01
10. "The Construction Site"   2:04
11. "Pursuit at the Construction Site"   1:25
12. "Saving Alex"   1:14
13. "Escape From St Clair"   1:38
14. "Tick Tick, Boom" (Escrito e realizado por The Hives) 3:24
15. "Hotel Camelia"   1:38
16. "The Auction"   1:38
17. "Pursuit by the"   3:15
18. "On the Boat"   1:05
19. "The Last Fight"   1:52
20. "The Dragster Wave" (Escrito e realizado por Ghinzu) 6:09
Duração total:
45:50

Lançamento[editar | editar código-fonte]

Um trailer de Taken foi lançado em 20 de junho de 2008.[16] O filme foi lançado em 27 de fevereiro na França, 9 de abril na China e 26 de setembro no Reino Unido no ano de 2008. Foi lançado em 30 de janeiro nos Estados Unidos e 22 de agosto no Japão, no ano de 2009. O filme foi lançado sob o título de 96 Hours na Alemanha, Io vi troverò (I Will Find You) na Itália e Заложница (Hostage) na Rússia.

Bilheteria[editar | editar código-fonte]

Taken arrecadou US$145 milhões na América do Norte e US$81,8 milhões em outros territórios, num total mundial de US$226,8 milhões, em um orçamento de produção de US$25 milhões.[4]

Em seu dia de estreia na América do Norte, o filme arrecadou US$9,4 milhões, marcando o melhor dia de estreia de todos os tempos no Super Bowl.[17] Ele faturou US$24,7 milhões durante seu fim de semana de estreia, apresentado em 3,183 cinemas, com uma média de US$7,765 por sala e a classificação nº 1, que foi o segundo maior fim de semana de abertura do Super Bowl, na época, atrás de Hannah Montana & Miley Cyrus: Best of Both Worlds Concert (US$31,1 milhões).[18] O filme também é a maior bilheteria entre os filmes da franquia Taken na América do Norte.[19]

O maior mercado em outros territórios são Coréia do Sul, Reino Unido, França, Austrália e Espanha, onde o filme arrecadou US$15,47 milhões, US$11,27 milhões, US$ 9,43 milhões, US$ 6,28 milhões e US$5,46 milhões, respectivamente.[20]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

Taken teve recepção mista por parte da crítica especializada. Em base de 31 avaliações profissionais, alcançou uma pontuação de 50% no Metacritic. Por votos dos usuários do site, atinge uma nota de 7.7, usada para avaliar a recepção do público.[21] No Rotten Tomatoes, o filme tem uma classificação de 58%, com base em 170 críticas, com uma classificação média de 5,8/10.[22]

As pesquisas do CinemaScore realizadas durante o fim de semana de abertura, as audiências de cinema deram ao filme uma nota média de "A" na escala A+ a F.[23]

Controvérsia[editar | editar código-fonte]

Em 2011, um autoproclamado especialista em contraterrorismo foi condenado por fraude eletrônica depois de afirmar que o filme foi baseado em um incidente da vida real em que sua filha foi morta. William G. Hillar, que fingia ser um coronel aposentado dos Boinas Verdes, alegou ter passado mais de 12 anos dando palestras a agências do governo dos EUA, como o Federal Bureau of Investigation, sobre questões de segurança. No entanto, os registros revelaram que ele havia sido um operador de radar na Reserva da Guarda Costeira entre 1962 e 1970, e nunca esteve no Exército dos EUA. No entanto, seu site reivindicou que Taken foi baseado em eventos envolvendo ele e sua família. Hillar, que admitiu as acusações, foi condenado a 500 horas de serviço comunitário em Rosaryville. Ele também concordou em pagar US$171,000 em honorários por palestras que havia recebido de várias organizações às quais se apresentara como especialista em terrorismo e tráfico de pessoas.[24]

Em 2019, em uma tentativa de atrair turistas e combater a percepção negativa dos albaneses na mídia ocidental, o governo albanês, juntamente com doadores estrangeiros, produziu um ponto turístico chamado Be Taken by Albania, onde Liam Neeson foi convidado a visitar a Albânia e explorar o país e seus pontos de cultura, gastronomia e turismo.[25][26]

Mídia doméstica[editar | editar código-fonte]

Taken foi lançado como "Taken (Single-Disc Extended Edition)" em DVDs em 12 de maio de 2009 e em Blu-ray em 9 de dezembro de 2014. O filme também teve o lançamento de "Taken (Two-Disc Extended Edition)" em DVDs e Blu-ray Discos em 12 de maio de 2009.[27] Em 5 de fevereiro de 2015, o filme vendeu US$5,388,963 DVDs e US$607,073 em discos Blu-ray Discos e arrecadou US$79,798,171 e US$10,069,116, totalizando US$89,867,287, respectivamente, na América do Norte.[28]

Na cultura popular[editar | editar código-fonte]

  • Em maio de 2012, o enredo de "Leggo My Meg-O", o vigésimo episódio da décima temporada da série de TV Family Guy, é baseado em Taken[29] Em "Brian's a Bad Father", Brian menciona que ter Zooey Deschanel escalada como a filha em Taken estaria pensando fora da caixa. Uma outra cena mostra Bryan Mills (reprisado por Liam Neeson) instruindo os seqüestradores a enviarem a ele o chefe de Zooey Deschanel.
  • Em "Hunt", um episódio da quinta temporada da série de TV Castle, quando a filha de Richard Castle, Alexis, é sequestrada e levada para Paris, Castle segue e Det. Kevin Ryan pergunta: "Quem ele pensa que é, Liam Neeson?"
  • Um esboço de abertura do Saturday Night Live em 8 de março de 2014 (temporada 39, episódio 15) mostrava Liam Neeson reprisando seu personagem no filme em resposta à invasão de Vladimir Putin na Ucrânia e em defesa do presidente Barack Obama.[30]
  • Na série animada do Cartoon Network, The Amazing World of Gumball, episódio "The Kids", Gumball liga para Fitzgerald e pergunta se ele pode falar com Penny. Fitzgerald assume que Gumball está sendo desrespeitoso devido à mudança de voz e ameaça Gumball repetindo o discurso telefônico de Bryan Mills com uma voz assustadora. Mais tarde no episódio, o Sr. Fitzgerald dirige até Gumball de seu carro e diz a linha de Bryan Mills para ele mais uma vez, mas ele é rapidamente cortado por Gumball quando fecha a janela do carro, tranca a porta e a fecha com força. na cara dele.
  • Um dos comerciais mais populares[31] e mais bem recebidos [32] do Super Bowl XLIX em fevereiro de 2015, um anúncio do desenvolvedor de jogos finlandês Supercell para seu popular jogo Clash of Clans, contou com Neeson parodiando seu personagem de Taken. [33]
  • Em "Red Means Stop", o episódio final da sexta temporada de The Venture Bros., The Monarch e Henchman 21 induzem a família da Red Death a ir à sua sogra e chamam-no alegando tê-los sequestrado. Antes que ele pudesse terminar seu discurso, Red Death cita o discurso de "Eu vou te encontrar" de Neeson. The Monarchf pede desculpas e desliga lentamente, depois começa a se esconder por alguns segundos.

Sequências[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2010, a Fox anunciou que a EuropaCorp produziria uma sequência dirigida por Olivier Megaton. Taken 2 foi lançado posteriormente na França em 3 de outubro de 2012, com Neeson, Janssen, Grace, Gries, Rabourdin e Orser reprisando seus papéis no primeiro filme.[34][35][36] Um terceiro filme da série Taken foi lançado em 16 de dezembro de 2014.[37]

Série de televisão[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2015, a NBC ordenou uma série de TV representando Bryan Mills mais jovem com Clive Standen, interpretando Mills, Gaius Charles, Monique Gabriela Curnen, James Landry Hebert, Michael Irby, Jose Pablo Cantillo, Jennifer Marsala e Simu Liu como John, Vlasik, Casey, Scott, Dave, Riley e Faaron, membros da OPCON. Brooklyn Sudano é escalada como Asha, uma jovem atraente e bem-educada de uma família de classe média alta que está promovendo sua educação quando conhece Bryan, e Jennifer Beals é escalada como Christina Hart, vice-diretora especial de inteligência nacional que tomou Mills sob sua asa. Alexander Cary é escritor, produtor executivo e showrunner da série e Alex Graves dirigiu o piloto.[38][39] O programa durou duas temporadas, começando em fevereiro de 2017 e terminando em junho do próximo ano.

Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

  1. «Taken». Variety. 4 de abril de 2010. Consultado em 14 de abril de 2012. Arquivado do original em 24 de junho de 2012 
  2. Buchanan, Jason. «Taken». Allrovi. Consultado em 14 de abril de 2012. Arquivado do original em 31 de dezembro de 2011 
  3. «Home›Releases›TAKEN». Bbfc.com. Consultado em 23 de setembro de 2017 
  4. a b c «Taken (2009)». Box Office Mojo. Consultado em 29 de agosto de 2010 
  5. Busca Implacável (em português) no AdoroCinema (Brasil)
  6. Busca Implacável (em português) no CineCartaz (Portugal)
  7. Franich, Darren (30 de janeiro de 2012). «Is Liam Neeson really an action star?». Entertainment Weekly. Consultado em 6 de julho de 2012 
  8. Hynes, Eric (26 de janeiro de 2012). «Nearing 60, Liam Neeson, Action Star, Has Finally Arrived». Phoenix New Times. Consultado em 6 de julho de 2012 
  9. Tobias, Scott (30 de janeiro de 2012). «Weekend Box Office: Liam Neeson marks his territory». The A.V. Club. Consultado em 6 de julho de 2012 
  10. Jaafar, Ali; Keslassy, Elsa (21 de novembro de 2008). «New French wave prefers genre films». Variety. Consultado em 1 de fevereiro de 2009 
  11. Douglas, Edward. «Exclusive: Pierre Morel Talks Taken». Comingsoon.net. Consultado em 10 de janeiro de 2015 
  12. Instead, the film went on to define Neeson’s career and establish him as a big time actorHainey, Michael. «The GQ Cover Story: Liam Neeson». GQ. p. 1. Consultado em 12 de janeiro de 2015 
  13. «Taken Soundtrack». last.fm. Consultado em 7 de fevereiro de 2015 
  14. «Taken (Original Motion Picture Soundtrack)». amazon.com. Consultado em 6 de fevereiro de 2015 
  15. «Taken Soundtrack». cduniverse.com. Consultado em 7 de fevereiro de 2015 
  16. «Taken trailer». traileraddict.com. Consultado em 7 de fevereiro de 2015 
  17. McClintock, Pamela (31 de janeiro de 2009). «Box office crown 'Taken' by Fox». Variety. Consultado em 1 de fevereiro de 2009 
  18. Gray, Brandon (1 de fevereiro de 2009). «'Taken' Captures Super Bowl Weekend». Consultado em 28 de outubro de 2012 
  19. «Taken Series». boxofficemojo.com. IMDB. Consultado em 7 de fevereiro de 2015 
  20. «Taken International box office». boxofficemojo.com. IMDB. Consultado em 7 de fevereiro de 2015 
  21. «Taken» (em inglês). Metacritic. Consultado em 22 de agosto de 2014 
  22. «Taken (2009)». Rotten Tomatoes. Fandango. Consultado em 25 de setembro de 2014 
  23. «Cinemascore». cinemascore.com/. Consultado em 7 de fevereiro de 2015 
  24. «Reputed counter-terrorism expert pleads guilty». Military Times. 11 de abril de 2011 
  25. «"Taken by Albania", l'invito a Liam Neeson diventa virale sul web». Albania News (Italian Edition) 
  26. «Be Taken By Albania». Be Taken By Albania 
  27. «Taken DVD release». dvdsreleasedates.com. Consultado em 7 de fevereiro de 2015 
  28. «Taken». the-numbers.com. Consultado em 7 de fevereiro de 2015 
  29. McFarland, Kevin (7 de maio de 2012). «Leggo My Meg-O». The A.V. Club. Consultado em 7 de maio de 2012 
  30. Obama Ukraine Address Cold Open - Saturday Night Live (Notas de mídia). YouTube. 9 de março de 2014 
  31. Gruff, Jeff (6 de fevereiro de 2015). «Liam Neeson's Clash of Clan's spot is the most viewed Super Bowl ad on YouTube». VentureBeat. Consultado em 28 de fevereiro de 2015 
  32. Grubb, Jeff (13 de fevereiro de 2015). «YouTube viewers voted Liam Neeson's Clash of Clans spot the No. 2 Super Bowl ad». VentureBeat. Consultado em 28 de fevereiro de 2015 
  33. Anxii, Orbit (1 de fevereiro de 2015). «Liam Neeson Clash Of Clans Super Bowl Commercial - Angry Neeson 52». Youtube.com. Consultado em 24 de maio de 2018 
  34. «Are We Going To Be Taken Again?». The Film Stage. 10 de junho de 2010. Consultado em 10 de junho de 2010. Arquivado do original em 18 de março de 2012 
  35. "Liam Neeson Confirmed For Taken 2" Empire. 17 de março de 2011.
  36. "Maggie Grace Confirmed for 'Taken 2'" /Film. 6 April 2011.
  37. Lang, Brent (11 de janeiro de 2015). «Liam Neeson and 'Taken 3': Anatomy of an AARP Action Hero». Yahoo!. Consultado em 26 de dezembro de 2016 
  38. Andreeva, Nellie (17 de setembro de 2015). «'Taken' Prequel TV Series Ordered By At NBC With Luc Besson Producing». Penske Business Media, LLC. Deadline Hollywood. Consultado em 30 de setembro de 2018 
  39. Goldberg, Lesley (22 de fevereiro de 2016). «NBC's 'Taken' Prequel Series Finds Lead in 'Vikings' Star». The Hollywood Reporter. Consultado em 30 de setembro de 2018 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Busca Implacável