Butch Reynolds

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Butch Reynolds
campeão olímpico
Atletismo
Modalidade 400 m
Nascimento 8 de junho de 1964 (54 anos)
Akron, Estados Unidos
Nacionalidade Estados Unidos norte-americano
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Seul 1988 4x400 m
Prata Seul 1988 400 m
Campeonatos Mundiais
Ouro Roma 1987 4x400 m
Ouro Stuttgart 1993 4x400 m
Ouro Gotemburgo 1995 4x400 m
Prata Stuttgart 1993 400 m
Prata Gotemburgo 1995 400 m
Bronze Roma 1987 400 m
Campeonatos Mundiais – Indoor
Ouro Toronto 1993 400 m

Harry "Butch" Reynolds (Akron, 8 de junho de 1964) é um ex- velocista, ex-recordista mundial, campeão olímpico e multimedalhista mundial norte-americano.

Campeão olímpico dos 4x400 m em Seul 1988, tem seis medalhas – três de ouro – em campeonatos mundiais e uma de ouro em mundiais indoor. Seu recorde mundial dos 400 m rasos – 43s29 em 1988 – durou onze anos até ser quebrado por Michael Johnson em 1999. Em 1990 foi suspenso por dois anos por doping, após perder uma longa disputa judicial com a IAAF.

Sua primeira grande conquista internacional foi no Mundial de Roma 1987, quando conquistou o ouro no revezamento 4x400 m e o bronze nos 400 m.[1] Em agosto de 1988, poucas semanas antes dos Jogos Olímpicos de Seul, quebrou o recorde mundial dos 400 m em Zurique, na Suíça, marca que permaneceria por onze anos.[2] Em Seul, conquistou a medalha de prata nos 400 m e o ouro no revezamento 4x400 m, com Steve Lewis, Kevin Robinzine e Danny Everett.[3]

Sem poder participar de competições entre 1990 e 1992, "Butch" voltou às pistas em 1993, com uma medalha de prata nos 400 m[4] e uma de ouro no 4x400m do Mundial de Stuttgart 1993[5] e outra de ouro no Mundial Indoor de Toronto, nos 400 metros.[6] Em Gotemburgo 1995 foi novamente campeão mundial do 4x400 m junto com Michael Johnson, Quincy Watts e Andrew Valmon e conquistou mais uma prata atrás de Johnson.[7] Em Atlanta 1996, sofreu uma lesão na coxa durante a semifinal dos 400 m e teve que se retirar da prova sem disputar a final.[8]

"Butch" Reynolds encerrou a carreira em 1999 e criou uma fundação para crianças, a Butch Reynolds Care for Kids Foundation.[9] Entre 2005 e 2008 foi o técnico de velocidade do time de futebol americano da Universidade Estadual de Ohio.[10] Em 2014, voltou a trabalhar como técnico-assistente para a Ohio Dominican University em Columbus, Ohio.[11]

Doping e suspensão[editar | editar código-fonte]

Em 1990 Reynolds testou positivo num antidoping no Grand Prix de Atletismo de Monte Carlo[12] e foi suspenso por dois anos por uso ilegal de drogas. Isto foi o começo de uma longa briga judicial, ao fim da qual a Suprema Corte dos Estados Unidos ordenou ao Comitê Olímpico dos Estados Unidos que permitisse a "Butch" participar da seletiva olímpica americana para Barcelona 1992, após achar que os procedimentos dos testes feitos eram falhos desde o início. Os testes mostravam a amostra "H6" como sendo positivas, enquanto a amostra de urina de Reynolds era "H5". O diretor do laboratório responsável, Jean-Pierre LaFarge, alegou na corte que, apesar das marcas erradas, o técnico responsável pelos testes lhe havia dito que a amostra positiva era a "H5". A "H6" inclusive havia sido separada marcada com um círculo em dois documentos diferentes.[13]

Esta liminar da Suprema Corte colocou em conflito a lei e a equidade americanas com as regras do Comitê Olímpico Internacional e da Associação Internacional de Federações de AtletismoIAAF, órgão máximo de regulação do esporte. A IAAF chegou a ameaçar suspender qualquer atleta que competisse contra "Butch". A seletiva americana dos 400 m foi adiada por quatro dias à espera de uma solução, até que a IAAF recuou. Reynolds, claramente afetado por todo o caso, terminou apenas em quinto lugar, ficando com uma vaga de substituto no revezamento 4x400 metros. A IAAF – responsável pelo teste considerado falho – então manteve a suspensão por dois anos, retroativo a 1990, impedindo-o de participar de Barcelona 1992.

No mesmo ano Reynolds moveu e ganhou um processo por difamação contra a IAAF, que foi condenada a pagar-lhe US$27,3 milhões de dólares em indenização moral.[14] A entidade recusou-se a reconhecer o veredicto, por tratar-se de uma corte de Akron, Ohio, cidade natal do atleta, na qual não viu qualquer jurisdição sobre a organização e considerou-o inválido.[15] Mais tarde um tribunal federal anulou a condenação alegando falta de jurisdição legal da corte de Akron para julgar o caso.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Men 4x400m Relay World Championship Rome (ITA) 1987». todor66.com. Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  2. «"12th IAAF World Championships In Athletics: IAAF Statistics Handbook. Berlin 2009."» (PDF). IAAF. Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  3. «Men 4x400m Relay Olympic Games 1988 Seoul». todor66.com. Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  4. «Men World Championship 1993 Stuttgart (GER)». todor66.com. Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  5. «Men 4x400m Relay World Championship 1993 Stuttgart». todor66.com. Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  6. «Men 400m Athletics 4th World Indoor Champioship 1993 Toronto». todor66.com. Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  7. «Men 400m World Championship 1995 Goteborg». todor66.com. Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  8. «www.fayobserver.com/sports/winners-losers-divided/article_4cfd36ec-1a96-5bdc-9f5c-34c4a8bfc476.html?mode=jqm». fayobserver.com. Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  9. «THE BUTCH REYNOLDS CARE FOR KIDS FOUNDATION». guidestar.org. Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  10. «Ohio State Olympic gold medalist Butch Reynolds says the Buckeyes' Dontre Wilson is about to open some eyes around football: Bill Livingston». Cleveland.com. Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  11. «Butch Reynolds». ohiodominicanpanthers.com. Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  12. «Back on track». Runners World. Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  13. Weston, Maureen. «Doping Control, Mandatory Arbitration, and Process Dangers for Accused Athletes in International Sports» (PDF). Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  14. «Butch Reynolds wins $27.3 million in lawsuit against IAAF». Sports Illustrated. Consultado em 2 de dezembro de 2014. 
  15. «SPORTS PEOPLE: TRACK AND FIELD; Butch Reynolds Says He's Back in the Race». The New York Times. Consultado em 2 de dezembro de 2014.