Bytecode Java

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde fevereiro de 2014)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

O código de um programa de computador escrito na linguagem Java é compilado para uma forma intermediária de código denominada bytecode, que é interpretada pelas Máquinas Virtuais Java (JVMs). É essa característica que faz com que os os programas Java sejam independentes de plataforma, executando em qualquer sistema que possua uma JVM. Cada opcode tem o tamanho de um byte — daí o seu nome — e assim o número de diferentes códigos de operação está limitado a 256. Os 256 possíveis valores para códigos de operação não são todos utilizados. Na verdade, alguns dos códigos foram inclusive reservados para nunca serem implementados.

Um programador Java não precisa entender — e nem tomar conhecimento — dos bytecodes Java para ser proficiente na linguagem, da mesma forma que um programador de qualquer linguagem de alto nível compilada para linguagem de máquina não precisa conhecer a linguagem de montagem do computador hospedeiro para escrever bons programas naquela linguagem.

Montadores de Bytecode Java[editar | editar código-fonte]

Existem alguns montadores que permitem que se escrevam programas diretamente em bytecodes Java. Normalmente, esse tipo de ferramenta é útil para desenvolvedores de compiladores, e também para se estudar detalhadamente o comportamento das máquinas virtuais Java disponíveis no mercado. Dentre os montadores de bytecode Java disponíveis destacam-se:

Outras linguagens[editar | editar código-fonte]

Existem compiladores para outras linguagens de programação que geram bytecode Java. Por exemplo:

  • JGNAT e AppletMagic, que são compiladores para a linguagem Ada.
  • Groovy, que é uma linguagem de script baseada em Java.
  • JEiffel e SmartEiffel, que geram bytecode Java para a linguagem Eiffel.
  • Conversores de C para Java que geram código diretamente para bytecode Java.
  • Conversores de linguagem Pascal para Java e compiladores Pascal que geram bytecode Java.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Alves-Foss, Jim (1999). Formal Syntax and Semantics of Java (em inglês) (Heidelberg: Springer-Verlag). p. 404. ISBN 3-540-66158-1. 
  • Engel, Joshua (1999). Programming for the Java Virtual Machine (em inglês) (Reading, Massachusetts: Addison-Wesley). p. 488. ISBN 0-201-30972-6. 
  • Lindholm, Tim; Yellin, Frank (1999). The Java Virtual Machine Specification (em inglês) 2ª ed. (Reading, Massachusetts: Addison-Wesley). p. 473. ISBN 0-201-43294-3. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre programação de computadores é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.