Cálgaco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Cálgaco
Gravura do século 19 retratando Calgaco fazendo seu discurso aos caledônios.
Nascimento século I
Morte século I
Etnia Pictos
Ocupação chefe tribal
Gravura do século 19 retratando Calgaco fazendo seu discurso aos caledônios.

De acordo com Tácito, Calgacus (às vezes Calgacos ou Galgaco ) foi um chefe da Confederação Caledônia que lutou contra o exército romano de Gnaeus Julius Agricola na Batalha de Mons Graupius no norte da Escócia em 83 ou 84 DC. Seu nome pode ser interpretado como celta * calg-ac-os, "possuindo uma lâmina", e é aparentemente relacionado ao "calgach" gaélico. Não se sabe se a palavra é um nome ou um determinado título. [1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ele foi o primeiro caledoniano a ser registrado na história. [1] A única fonte histórica que o apresenta é Agrícola de Tácito, que o descreve como "o mais ilustre pelo nascimento e valor entre os chefes". Tácito escreveu um discurso que atribuiu a Cálgaco, dizendo que Cálgaco o proferiu antes da Batalha de Mons Graupius . O discurso descreve a exploração da Grã-Bretanha por Roma e incita suas tropas à luta.

O trecho a seguir é do discurso atribuído a Cálgaco pelo historiador Tácito em Agrícola, mas a maioria dos historiadores  observe que, como Cálgaco estava lutando contra o sogro de Tácito (Gnaeus Julius Agricola) nesta batalha, o leitor deve assumir parcialidade: [2]


"Sempre que considero a origem desta guerra e as necessidades de nossa posição, tenho uma grande esperança que o dia de hoje e o vosso consenso marcarão o início da liberdade para toda a Britânia. Para todos nós, a escravidão é algo desconhecido, não há nenhuma terra para além de nós, agora nem sequer mais o mar é seguro , devido à ameaça da armada romana. E assim, na guerra e na batalha, em que os bravos encontram a glória, até o covarde encontrará a segurança. As lutas anteriores, em que, com fortuna vária, se combateu contra os Romanos, deixava ainda em nossas mãos a esperança e o socorro, porque nós, os mais renomados de toda a Britânia, penetrados em lugares ocultos, nem sequer vendo os litorais com seus povos submetidos, tínhamos até os olhos como que virgens antes do contato com os dominadores, contagiados pela servidão. Para nós que vivemos nos confins mais extremos da terra e da liberdade, este santuário remoto da glória Bretã tem sido até agora uma defesa. Atualmente, porém, os limites mais distantes da Grã-Bretanha estão abertos, e o desconhecido sempre aparenta ser maravilhoso. Contudo não há tribos além de nós, nada realmente além de ondas e rochas, e ainda os mais terríveis Romanos, de cuja soberba em vão se fugiria pela obediência e pela simplicidade. Ladrões do mundo, tendo por sua pilhagem universal exaurido a terra, eles saqueariam até às profundezas. Se o inimigo é rico, eles são gananciosos; e ele for pobre, eles anseiam por domínio, nem o Oriente nem o Ocidente os podem saciar, são os únicos a desejar com igual paixão riquezas e pobreza. Saquear, assassinar e usurpar com base em mentiras, eles chamam de império. E onde criam um deserto, pobreza e solitude chamam de paz"[3]


Cálgaco não é mencionado durante ou depois da batalha e não é citado como um dos reféns que Agrícola levou consigo depois de colocar os caledônios em fuga. Tanto Cálgaco quanto a fala podem ser invenções da invenção de Tácito. [4] [5]

Seu discurso é frequentemente citado como "Saquear, assassinar e usurpar com base em mentiras, eles chamam de império. e onde criam um deserto, chamam de paz". [6]

Referências[editar | editar código-fonte]

 

  1. a b Calgacus
  2. Duncan B. Campbell, Mons Graupius AD 83, Oxford: Osprey Publishing, 2010
  3. [Unknown] (1716). «Relaçam da solemne procissam de preces, que por ordem da corte Ottomana fizeraõ os Turcos na cidade de Meca, para alcançar a assistencia de deos contra as armas do Augustissimo emperador de Alemanha, & mais potencias Christãas / traduzida de huma que se recebeo dos confins do imperio Mahometano.». doi:10.24157/arc_14104.16. Consultado em 12 de setembro de 2021 
  4. Braund, David Ruling Roman Britain: Kings, Queens, Governors and Emperors from Julius Caesar to Agricola Routledge; 1 edition (5 Sep 1996) ISBN 978-0-415-00804-4 pp.8, 169
  5. Wooliscroft, D. J.; Hoffman, B. Rome's First Frontier; the Flavian Occupation of Northern Scotland Tempus (June 1, 2006)ISBN 978-0752430447 p.217
  6. «A Don's Life». Consultado em 6 de dezembro de 2013. Cópia arquivada em 11 de dezembro de 2013 

http://www.encontro2014.rj.anpuh.org/resources/anais/28/1400552714_ARQUIVO_ManuelRolphCABECEIRAScodtrab2511967st024.pdf