César Aparecido Rodrigues

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
César
Informações pessoais
Nome completo César Aparecido Rodrigues
Data de nasc. 24 de outubro de 1974 (46 anos)
Local de nasc. São Paulo (SP), Brasil
Nacionalidade brasileiro
italiano
Altura 1,81 m
canhoto
Informações profissionais
Equipa atual Lazio (Sub-17)
Posição Ex-lateral-esquerdo e meia
Função Técnico
Clubes de juventude
1983–1992
1992–1994
Ferrolho
Juventus-SP
Clubes profissionais1
Anos Clubes Jogos (golos)
1994–1998
1998
1998–2001
2001–2006
2006
2006–2008
2006–2007
2007
2008–2009
2009–2010
Juventus-SP
União Barbarense
São Caetano
Lazio
Internazionale (emp.)
Internazionale
Corinthians (emp.)
Livorno (emp.)
Bologna
Valle del Giovenco


31 0000(8)
120 000(18)
13 0000(1)
23 0000(2)
16 0000(1)
11 0000(1)
07 0000(0)
16 0000(3)
Seleção nacional
2001 Brasil 02 0000(0)
Times/Equipas que treinou
2011– Lazio (Sub-17)

César Aparecido Rodrigues, mais conhecido apenas como César (São Paulo, 24 de outubro de 1974), é um técnico e ex-futebolista brasileiro que atuava como lateral-esquerdo ou meia. Atualmente comanda as categorias de base da Lazio.

Quando jogador, César foi um lateral moderno que apoiava bem o ataque, mas também sabia se posicionar com eficiência na defesa. Na Europa, passou a atuar como meio-campista, sempre construindo jogadas e chegando à área para finalizar.

Infância e juventude[editar | editar código-fonte]

Cesar foi criado no bairro de Itaquera, na zona leste da cidade de São Paulo, onde morava com seus pais e seus três irmãos, e onde deu seus primeiros passos no mundo do futebol.

Da infância a parte da adolescência, jogava futebol na quadra da escola onde estudava e num campo de terra próximo de sua casa. Chegou a integrar times da várzea como a Sociedade Esportiva Elite Itaquerense e o Ferrolho FC, que disputavam torneios amadores. Seus dois irmãos também eram bem conceituados no âmbito amador, e também chegaram a tentar carreira profissional, no entanto, apenas Cesar obteve êxito. O pai, que também jogou na várzea durante a juventude, gostava muito de futebol e foi um grande incentivador do filho.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Início no Juventus-SP[editar | editar código-fonte]

César foi revelado para o futebol no time do Juventus-SP, onde foi preso em 1994, aos 20 anos, após roubar 100 mil dólares da diretoria do time da Mooca. Após ser condenado a cinco anos e seis meses de prisão em regime fechado no artigo 157 do Código Penal, ganhou o direito de cumprir pena em regime semiaberto a partir de 1999, pois estava empregado, tinha bons antecedentes e bom comportamento.[1][2][3]

União Barbarense e São Caetano[editar | editar código-fonte]

Teve passagem ainda pelo União Barbarense, mas foi no São Caetano vice-campeão da Copa João Havelange, em 2000, onde César ficou famoso e chegou a Seleção Brasileira, ficando de fora da Copa das Confederações de 2001 apenas por uma lesão.[4][5]

Lazio[editar | editar código-fonte]

Saiu do clube azul para outro de mesma cor na Itália: a Lazio, onde chegou em julho de 2001[6], após pedir insistentemente à diretoria do São Caetano para ser negociado.[7] Por lá, o canhoto começou como lateral, mas depois passou a atuar como meio-campista. Inclusive, o jogador chegou a ser o camisa 10 da equipe nas últimas temporadas em que esteve no clube. Permaneceu no time de Roma até janeiro de 2006, quando foi contratado pela Internazionale.

Internazionale[editar | editar código-fonte]

Inscrito com a camisa número 31 na Internazionale, o então meio-campista César era reserva a maior parte do tempo. Contudo, foi campeão da Copa da Itália contra a maior rival de sua antiga equipe, a Roma. Na Inter, conquistou ainda duas Supercopas Italianas e três Scudettos.

Corinthians[editar | editar código-fonte]

Logo no início da temporada europeia de 2006–07, depois de realizar a pré-temporada junto ao plantel nerazzurri, César foi contratado por empréstimo pela parceria Corinthians e MSI. Contudo, a passagem do jogador pelo alvinegro paulistano não foi muito boa. O técnico Emerson Leão contava com o atleta para ser lateral-esquerdo, posição em que César não atuava há muito tempo, no lugar de Gustavo Nery. Logo em sua estreia, César foi expulso em apenas quatro minutos de jogo num clássico contra o São Paulo. A equipe corintiana não foi bem no ano de 2006 e César decidiu não permanecer no clube na temporada seguinte.

Livorno[editar | editar código-fonte]

Transferiu-se então para o Livorno, em janeiro de 2007, também por empréstimo.[8] No Livorno, também não obteve êxito e, após o final do seu empréstimo, a Inter optou por não renovar o seu contrato.

Bologna e Valle del Giovenco[editar | editar código-fonte]

Já em fim de carreira, teve uma rápida passagem pelo Bologna, em 2008.[9] Encerrou a carreira na Valle del Giovenco, modesta equipe italiana.

Carreira como técnico[editar | editar código-fonte]

Em agosto de 2011 foi anunciado como novo treinador das categorias de base da Lazio, onde assumiu a equipe Sub-17.[10][11]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

União Barbarense
São Caetano
Lazio
Internazionale

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Supermáquina do ABC». ISTOÉ Independente. 13 de dezembro de 2000. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  2. «Ainda cumprindo pena por roubo, lateral faz sucesso no São Caetano». Terra. 11 de novembro de 2000. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  3. «No embalo de Bruno, veja atletas que saíram da prisão e voltaram aos gramados». iG. 13 de março de 2017. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  4. «A lista dos 23 jogadores convocados para a Copa das Confederações». Terra. 18 de maio de 2001. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  5. Guilherme Nagamine (8 de março de 2013). «Símbolo da Era Leão, Leomar foi capitão de seleção B formada por novatos e esquecidos». ESPN.com.br. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  6. «César assina com a Lazio até 2006». Estadão. 12 de junho de 2001. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  7. Eduardo Vieira (15 de janeiro de 2001). «César menospreza o São Caetano e despreza o Corinthians». Folha Online. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  8. «César, ex-Corinthians, vai defender o Livorno». O GLOBO. 25 de janeiro de 2007. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  9. «Bologna anuncia contratação do lateral César, ex-São Caetano». ESPN.com.br. 18 de novembro de 2008. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  10. José Ricardo Leite (21 de março de 2013). «Zé Maria e César viram técnicos 'italianos' e criticam formação no Brasil». UOL Esporte. Consultado em 9 de fevereiro de 2020 
  11. Pantani, Ivan (12 de agosto de 2011). «César nuovo allenatore dei Giovanissimi Provinciali B» (em italiano). La Lazio Siamo Noi. Consultado em 9 de fevereiro de 2020