CHEGA

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de CHEGA!)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
CHEGA
Líder André Ventura
Fundação 9 de abril de 2019 (2019-04-09)
Sede Lisboa, Portugal Portugal
Ideologia Nacionalismo português
Conservadorismo social
Liberalismo económico
Anti-imigração
Populismo de direita[1]
Espectro político Direita[1][2] a extrema-direita[1][3]
Assembleia da República
1 / 230
Cores Azul escuro
Página oficial
partidochega.pt

O CHEGA (sigla: CH) é um partido político português populista e nacionalista.

A sua inscrição no registo dos partidos foi aceite pelo Tribunal Constitucional português a 9 de Abril de 2019.[4] Foi o 24.º partido ser oficializado em Portugal desde a Revolução de 1974.

Apesar do resultado aquém das expectativas nas eleições europeias de 2019 – onde concorreu na coligação Basta, não elegendo nenhum eurodeputado –, nas eleições legislativas de 2019 o CHEGA conseguiu eleger André Ventura pelo círculo eleitoral de Lisboa e obtendo votações expressivas no Sul, como, por exemplo, 2,73% em Portalegre.

Ideologia do partido

O CHEGA assume-se como um partido político "de base e natureza nacionalista, liberal, conservadora e personalista".[5] Defende "o estado secular, a promoção de uma justiça efectiva e a diminuição da presença do Estado na economia". O partido apresenta-se como conservador social e nacional.[6]

Economia

O partido assume-se a favor da redução da carga fiscal, considerando o sistema tributário "brutal e agressivo que onera desproporcionalmente quem gera riqueza"[5] e que lhes “retira quase metade do seu salário”[7]. Defende também cortar a burocratização que acredita ser, juntamente com a carga fiscal, uma das principais causas para o desemprego de longa duração, para a emigração e para o atraso competitivo da economia.[carece de fontes?]

História

1.ª Convenção

Na primeira convenção do CHEGA foi escolhido o seu líder e os cabeças-de-lista das duas áreas metropolitanas do país. Esta convenção revelou um apoio a André Ventura, saindo vencedor da votação com 94% dos votos.[8]

Para cabeças-de-lista das diferentes regiões, ficou acordado que André Ventura seria o cabeça-de-lista ao distrito de Lisboa e que o cabeça-de-lista ao distrito do Porto seria Hugo Ernano, militar da GNR condenado por matar um jovem durante uma perseguição que sucedia a um assalto.[9]

Foi anunciado que o partido apresentará um candidato próprio às eleições presidenciais portuguesas de 2021. Deixou também a confirmação de que se irá reunir com o líder do partido espanhol Vox, Santiago Abascal.[10]

Resultados eleitorais

Eleições legislativas

Data Cabeça de lista Cl. Votos % +/- Deputados
2019 André Ventura 7.º 66 442
1,30 / 100,00
Novo
1 / 230

Eleições europeias

Data Cabeça de lista Cl. Votos % +/- Deputados
2019 Basta!
0 / 21

Referências

  1. a b c «'Politico' sublinha pouca adesão de Portugal ao movimento populista». Jornal Expresso. Consultado em 29 de maio de 2019. Artigo sobre a campanha para as europeias refere as escassas hipóteses de a coligação Basta eleger um eurodeputado e avança as razões para o país resistir à vaga de extrema-direita que atingiu o resto da Europa. 
  2. «Chega: extrema-direita ou populismo de direita radical?». www.sabado.pt. Consultado em 20 de outubro de 2019 
  3. São José Almeida (26 de janeiro de 2019). «Chega um partido populista de extrema-direita a Portugal». Publico. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  4. «Partidos registados e suas denominações, siglas e símbolos». Tribunal Constitucional. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  5. a b «Manifesto». Partido Político CHEGA. Consultado em 22 de maio de 2019 
  6. «"SOU CONTRA O ABORTO MAS NUNCA CONDENARIA UMA MULHER QUE ABORTA"». Jornal SOL. Consultado em 22 de maio de 2019 
  7. «"Trabalhadores são escravos. Devíamos ter vergonha de celebrar este dia"». Notícias ao Minuto. 1 de maio de 2019. Consultado em 22 de maio de 2019 
  8. Martins, Ruben. «André Ventura escolhe militar da GNR condenado para encabeçar lista do Chega pelo Porto». PÚBLICO. Consultado em 2 de julho de 2019 
  9. «GNR condenado por homicídio é cabeça-de-lista do Chega no Porto». www.sabado.pt. Consultado em 2 de julho de 2019 
  10. Lusa, Agência; Lusa, Agência. «Chega chama GNR condenado por matar jovem cigano para liderar lista no Porto». Observador. Consultado em 2 de julho de 2019 

Ligações externas

Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.