Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de COPPE)
Ir para: navegação, pesquisa
Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia
Logo COPPE - UFRJ.jpg
Universidade Minerva UFRJ.jpg Universidade do Brasil
Fundação 1963 (53 anos)
Tipo de Instituição Unidade de pos graduação da UFRJ
Professores 350
Pós-graduação 2 800
Localização Rio de Janeiro, RJ Brasil
Campus Cidade Universitária
Site coppe.ufrj.br

O Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (COPPE) é a unidade da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) que coordena os programas de pós-graduação em engenharia desta universidade. O instituto é o o maior centro de ensino e pesquisa em engenharia da América Latina, estando sua sede localizada no Centro de Tecnologia 2 (CT2), na Cidade Universitária, Rio de Janeiro.[1]

A Coppe nasceu disposta a ser um sopro de renovação na universidade brasileira e a contribuir para o desenvolvimento do país. Fundada em 1963 pelo engenheiro Alberto Luiz Coimbra, ajudou a criar a pós-graduação no Brasil.

É a instituição brasileira de engenharia com o maior número de notas máximas concedidas pela Capes a cursos com desempenho equivalente aos dos mais importantes centros de ensino e pesquisa do mundo. Metade de seus 12 cursos de pós-graduação incluídos na última avaliação da Capes conquistou o conceito 7 e quatro receberam conceito 6, os mais altos do sistema.

Forma anualmente mais de 500 mestres e doutores. Seus alunos são preparados para lidar com temas de fronteira do conhecimento sem perder o contato com a realidade e as demandas da sociedade. [2]

Visão geral[editar | editar código-fonte]

A instituição, que possui 13 programas de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado), já formou cerca de 13 mil mestres e doutores e conta hoje com 348 professores doutores em regime de dedicação exclusiva, 2 800 alunos e 350 funcionários, entre pesquisadores e pessoal técnico e administrativo. Para atender às demandas de sua crescente produção científica e o desenvolvimento de projetos de pesquisa contratados, conta com 123 modernos laboratórios, que formam o maior complexo laboratorial do país na área de engenharia.

Apoiada nos três pilares que a norteiam – a excelência acadêmica, a dedicação exclusiva de professores e alunos, e a aproximação com a sociedade –, a Coppe destaca-se como centro irradiador de conhecimento, de profissionais qualificados e de métodos de ensino, servindo de modelo para universidades e institutos de pesquisa em todo o país. [3]

Exposição multimídia do evento “O Futuro sustentável – Tecnologia e inovação para uma economia verde e a erradicação da pobreza”, com o qual a Coppe/UFRJ marca a sua participação na Conferência Rio+20.

Excelência acadêmica[editar | editar código-fonte]

O padrão de excelência se reflete na produção acadêmica. Anualmente, são defendidas na instituição cerca de 200 teses de doutorado e 300 dissertações de mestrado. Seus pesquisadores publicam por ano, em média, 2 mil artigos científicos em revistas e congressos, nacionais e internacionais. Na última avaliação da Capes, divulgada em setembro de 2010, a Coppe foi a instituição de pós-graduação de engenharia brasileira que obteve o maior número de conceito 7, atribuído a cursos com desempenho equivalente aos dos mais importantes centros de ensino e pesquisa do mundo. [4]

Ampliando horizontes[editar | editar código-fonte]

Seus profissionais e sua infraestrutura de pesquisa estão permanentemente preparados para responder às necessidades do desenvolvimento econômico, tecnológico e social do país. Graças a essa sintonia com o futuro, a Coppe se tornou referência nacional e internacional no ensino e pesquisa de engenharia e vem ajudando o Brasil a enfrentar alguns dos mais importantes desafios de sua história recente.

No cenário internacional, tem projetos em cooperação com instituições científicas de renome mundial. Muitos de seus docentes integram comitês e entidades de pesquisa de vários países e de órgãos multilaterais, como o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU, agraciado em 2007 com o Prêmio Nobel da Paz.

Em 2008, ampliou sua atuação internacional com a criação do Centro China-Brasil de Mudança Climática e Tecnologias Inovadoras para Energia, uma parceria com a Universidade de Tsinghua, principal universidade chinesa na área de engenharia. O Centro está sediado no campus de Tsinghua, em Pequim, onde mantém um escritório para coordenar suas atividades e estabelecer contato com empresas brasileiras e chinesas potencialmente interessadas no desenvolvimento conjunto de novas tecnologias.

Cinco décadas antecipando o futuro[editar | editar código-fonte]

Ônibus elétrico híbrido a hidrogênio produzido na Coppe/UFRJ com autonomia de 300 km: exemplo de pesquisas que se tornam inovação.

A Coppe está sempre um passo adiante das demandas da sociedade brasileira. Ciente da importância do papel da ciência e da tecnologia para o desenvolvimento do país, criou uma estrutura voltada para a gestão de convênios e projetos.

Possui o maior complexo laboratorial de engenharia da América Latina, com mais de cem instalações de alto nível, nas quais transforma resultados de pesquisa em riqueza para o Brasil. Por meio de contratos e convênios com empresas, governos e entidades não governamentais administrados pela Fundação Coppetec, o conhecimento acumulado na Coppe é diretamente posto a serviço do desenvolvimento econômico, tecnológico e social do país. Desde sua criação, em 1970, a Coppetec já administrou mais de 12 mil contratos.2.000 convênios e contratos com empresas, órgãos públicos e privados e entidades não governamentais nacionais e estrangeiras. No momento, a Fundação gerencia cerca de 1.300 projetos em andamento e as 102 patentes e 17 softwares registrados pela Coppe.

A parceria com a Petrobras, que completou 30 anos em 2007, foi o primeiro grande convênio de cooperação celebrado entre a empresa e uma universidade. Em 1985, já havia em operação 33 plataformas fixas projetadas no Brasil com base no trabalho dessa parceria, que virou referência internacional e ajudou a erguer a tecnologia que hoje dá ao país a liderança mundial da exploração e produção de petróleo em águas profundas. O Brasil economizou bilhões de dólares em divisas e conquistou a autossuficiência em petróleo.

Confirmando a capacidade de antecipar soluções tecnológicas para atender a demandas futuras, pesquisadores da Coppe estão trabalhando em novas tecnologias que apoiarão a Petrobras e o governo brasileiro na exploração de petróleo na camada do pré-sal.

Compromisso com o país e a sociedade[editar | editar código-fonte]

O Maior Tanque Oceânico do Mundo. Capaz de reproduzir as principais características do meio ambiente marinho e simular fenômenos que ocorrem em lâminas d`água superiores a 2 mil metros de profundidade [5]

Pioneira na aproximação da academia com a sociedade, a Coppe transforma resultados em riquezas para o país. Em 1994, criou a Incubadora de Empresas, cuja atuação já favoreceu a entrada de mais de 100 serviços e produtos inovadores no mercado. Por ela passaram 48 empresas, que já ganharam autonomia. No momento, tem 19 empresas residentes que atuam, principalmente, nas cadeias do petróleo/gás/energia, em tecnologia da informação e conhecimento e em meio ambiente. Juntas, essas 67 empresas geram mais de 700 postos de trabalho, altamente qualificados.

A Coppe também colocou a engenharia e suas tecnologias para enfrentar a pobreza e as desigualdades sociais, lançando uma ponte entre o Brasil dos incluídos e o dos excluídos. Para atuar nessa frente de trabalho, inaugurou em 1995 a Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares, que se tornou referência e teve seu modelo replicado em outros estados e países. Já graduou 118 cooperativas e criou cerca de 2.100 postos de trabalho.

A Coppe se transformou em referência sem perder a essência que deu origem a sua história: a ousadia, o espírito crítico, o compromisso com a inovação e com o desenvolvimento do Brasil.

Atuação Internacional[editar | editar código-fonte]

A Coppe se tornou referência nacional e internacional no ensino e pesquisa de engenharia e vem ajudando o Brasil a enfrentar alguns dos mais recentes desafios de sua história recente. No cenário internacional, tem projetos em cooperação com as mais importantes e reconhecidas instituições científicas e tecnológicas. Muitos de seus docentes integram comitês e entidades de pesquisa de vários países e de órgãos multilaterais, como o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU. Mais recentemente, uma parceria com a Universidade de Tsinghua, na China, resultou na criação do Centro China – Brasil de Mudança Climática e Tecnologias Inovadoras para Energia.

Fachada de um dos edifícios que compõem do Centro de Tecnologia 2 - CT 2

Pioneira em estudos de adaptação às mudanças do clima, a Coppe sedia o Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, o Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas e o Centro Mundial para o Desenvolvimento Sustentável (Centro Rio+).

Programas de Pós-Graduação[editar | editar código-fonte]

A Coppe conta com treze programas de pós-graduação: [6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre educação ou sobre um educador é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.