CPI dos Sanguessugas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A CPI Mista dos Sanguessugas ou CPMI dos Sanguessugas foi criada no Congresso Nacional em 14 de junho de 2006 com a finalidade de concluir as investigações sobre o esquema de fraude em licitações para a compra de ambulâncias.[1] Foi composta por 17 deputados e 17 senadores, presidida pelo deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ), e a relatoria do senador Amir Lando (PMDB-RO).[2]

A CPI foi instaurada após a Polícia Federal do Brasil desencadear, em maio, a Operação Sanguessuga, que prendeu parlamentares, assessores e servidores públicos acusados de utilizar 110 milhões de reais do Orçamento na compra de ambulâncias superfaturadas.[1]

A CPI investigou um total de 90 parlamentares (87 deputados e 3 senadores).[3] Além disso, 25 ex-parlamentares também são suspeitos de pertencer a "máfia das ambulâncias".

Em 10 de agosto de 2006 a CPI aprovou um relatório parcial em que foi recomendada a abertura de processo de cassação de 72 parlamentares. A lista seguiu para os Conselhos de Ética de cada uma das casas do legislativo, aos quais caberia decidir sobre a abertura dos processos de cassação de mandato.[4] Destes, nenhum foi cassado.

Em outubro de 2006, somente cinco deputados se reelegeram e dois senadores continuaram com o mandato, que estava na metade.[5]

Após a votação da lista dos parlamentares, as investigações da CPI passaram a se concentrar sobre o poder executivo.[6]

No Judiciário, foram abertas diversas ações criminais e de improbidade administrativa contra a família Vedoin, prefeitos, vereadores e parlamentares, em vários locais do Brasil. Os procedimentos foram fruto da investigação da Procuradoria-Geral da República (PGR) e da Polícia Federal e não da CPI.[7]

Referências

  1. a b «ENTENDA A CPI DOS SANGUESSUGAS». G1. Globo.com. 21 de agosto de 2006. Consultado em 22 de janeiro de 2017 
  2. «CPI dos Sanguessugas tem Antonio Carlos Biscaia como presidente e Amir Lando como relator». Senado Federal. 22 de junho de 2006. Consultado em 22 de janeiro de 2017 
  3. «Confira última versão da lista dos 90 parlamentares investigados pela CPI dos Sanguessugas». Jornal de Brasilia. 26 de julho de 2006. Consultado em 22 de janeiro de 2017 
  4. Áureo Germano. «CPI dos Sanguessugas denuncia 72 parlamentares e inocenta 18». Uol. Consultado em 22 de janeiro de 2017 
  5. «Eleitor só reelege 5 sanguessugas, mas deixa fora presidente da CPI». Folha de S.Paulo. Uol. 3 de outubro de 2006. Consultado em 22 de janeiro de 2017 
  6. «CPI DOS SANGUESSUGAS VAI INVESTIGAR O PODER EXECUTIVO». Tribuna Paraná. Consultado em 22 de janeiro de 2017 
  7. «Entenda o caso: o que foi a Operação Sanguessuga». Congresso em Foco. Consultado em 22 de janeiro de 2017