Cabeamento estruturado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Data center

Cabeamento estruturado também conhecido pela sigla 'KET' é a disciplina que estuda a disposição organizada e padronizada de conectores e meios de transmissão para redes de informática e telefonia, de modo a tornar a infraestrutura de cabos autônoma quanto ao tipo de aplicação e de layout, permitindo a ligação a uma rede de: servidores, estações, impressoras, telefones, switches, hubs e roteadores . O Sistema de Cabeamento Estruturado utiliza o conector RJ45 e o cabo UTP como mídias-padrão para a transmissão de dados, análogo ao padrão da tomada elétrica que permite a alimentação elétrica de um equipamento independentemente do tipo de aplicação.

História do Cabeamento Estruturado:[editar | editar código-fonte]

O cabeamento estruturado remonta às tecnologias de redes dos anos 1980, período em que empresas de telecomunicações e computação, como AT&T, Dec e IBM criam seus próprios sistemas proprietários de cabeamento.

Nos anos 1990, o cabeamento estruturado progride enormemente por meio da introdução do cabo de par trançado. Nesse sentido, a criação das normas EIA/TIA e ISO ajudam a padronizar cabos, conectores e procedimentos.

O conceito de Sistema de Cabeamento Estruturado se baseia na disposição de uma rede de cabos com integração de serviços de dados e voz que facilmente pode ser redirecionada por caminhos diferentes, no mesmo complexo de Cabeamento, para prover um caminho de transmissão entre pontos da rede distintos. Um Sistema de Cabeamento Estruturado EIA/TIA-568-B (norma ANSI/TIA/EIA-568-B[1] e ver a norma brasileira equivalente: NBR 14.565) é formado por seis subsistemas[2]:

  • 1 - Entrada do Edifício - EF (Entrance Facilities);
  • 2 - Sala de Equipamentos - ER (Equipment Room);
  • 3 - Rede Primária ou Cabeamento Vertical - BC (Backbone Cabling);
  • 4 - Sala de Telecomunicações - TR (Telecommunications Room);
  • 5 - Rede Secundária ou Cabeamento Horizontal - HC (Horizontal Cabling);
  • 6 - Área de Trabalho - WA (Work Area);

Importância do Cabeamento Estruturado:[editar | editar código-fonte]

O cabeamento estruturado têm uma importância muito grande pois a empresa poderá satisfazer suas necessidades iniciais e futuras, se caso ela precisar acrescentar mais dispositivos conforme o crescimento da empresa no seu cabeamento isso, será feito de maneira simples e fácil. Evitando desordem no cabeamento da empresa. Caso a empresa não tenha o cabeamento estruturado isso será feito de maneira errada e muito difícil, pois não teve um planejamento e um estudo especifico.

Benefícios:[editar | editar código-fonte]

Para organização dos cabos de uma empresa ou estabelecimento que utilize redes de comunicação é necessário aderir a um sistema de cabeamento estruturado, pois ele oferece diversos benefícios, como:[editar | editar código-fonte]

  • Reduzir o número de profissionais para manter o cabeamento arrumado.
  • Manutenção mais rápida;
  • Facilidade na hora da instalação de novas conexões;
  • Melhor forma de identificar os cabos;
  • Melhora o ambiente visual da sua empresa;
  • Facilita o serviço dos funcionários;
  • Redução de custo a longo prazo;
  • Facilita a identificação de erros na rede.

Uma das principais normas de Cabeamento Estruturado:[editar | editar código-fonte]

NBR 14565:

Um grupo de estudantes da ABNT originaram a norma NBR 14565 em meados do ano de 1994, com o propósito de elaborar uma padronização de cabeamento no Brasil. Uma das publicações feitas pela ABNT ocorreu em agosto de 2000, que se tratava de um método básico de composição de projetos de cabeamento de comunicação à distância através de uma rede para rede interna estruturada. Um dos objetivos dessa norma é a comunicação à distância para uma rede interna estruturada para qualquer tipo de estabelecimento, onde a mesma rede de comunicação é programada para possibilitar que o estabelecimento possa suprir as necessidades, como por exemplo, versatilidade e desenvolvimento da estrutura. Se tratando do desenvolvimento da estrutura cabeável, utilizando a NBR 14656 tem como objetivo de designar o aperfeiçoamento dos conceitos de redes, sendo elas: primária e secundária, abrangendo todos os seus componentes constituídos.

Cabos e conectorização:[editar | editar código-fonte]

A norma EIA/TIA-568-B classifica o sistema de cabeamento em morra levando em consideração aspectos de desempenho, largura de banda, comprimento, atenuação e outros fatores de influência neste tipo de tecnologia.

Unidade de aterramento:[editar | editar código-fonte]

Todas as tomadas elétricas de um sistema de alimentação de rede devem possuir um único terra comum. Os sistemas elétricos para redes de microcomputadores utilizam três fios: FASE (Branco / Vermelho / Preto) , Neutro (EBEP) e Terra (Verde). A verificação de um aterramento satisfatório se dá na medição da tensão entre o Neutro e o Terra, que, nos casos especificados, deve possuir uma tensão entre 0,6 < V < 1,0 Vca.

Ver também:[editar | editar código-fonte]