Cabeceiras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outras cidades contendo este nome, veja Cabeceira (desambiguação).
Município de Cabeceiras
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Aniversário 14 de Novembro
Fundação 15 de novembro de 1958 (58 anos)
Gentílico cabeceirense
Prefeito(a) Everton Francisco de Matos (PDT)
(2017–2020)
Localização
Localização de Cabeceiras
Localização de Cabeceiras em Goiás
Cabeceiras está localizado em: Brasil
Cabeceiras
Localização de Cabeceiras no Brasil
15° 48' 03" S 46° 55' 37" O15° 48' 03" S 46° 55' 37" O
Unidade federativa  Goiás
Mesorregião Leste Goiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Entorno do Distrito Federal IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Formosa (GO) , Buritis (MG) , Unaí (MG) e Cabeceira Grande (MG)
Distância até a capital 339 km
Características geográficas
Área 1 126,912 km² [2]
População 7 882 hab. IBGE/2016[3]
Densidade 6,99 hab./km²
Altitude 897 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,668 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 92 200,989 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 13 566,95 IBGE/2008[5]
Página oficial

Cabeceiras é um município brasileiro do estado de Goiás.

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros habitantes do município de Cabeceiras vieram da Bahia, Minas Gerais e Formosa. A criação de gado vacum na região era a principal atividade que as pessoas encontraram na época, pois os campos eram um ambiente propício ao seu desenvolvimento. No final do século XIX, grandes fazendas ocupavam a maior parte do município, tais como Santa Bárbara e Monjolo. Atraídas por essa atividade, chegaram a Formosa da Imperatriz ( hoje Formosa), vindas da Bahia, dona Aldonça Gomes da Silva e sua filha, Dona Lina Gomes da Silva, que adquiriram terras a sudoeste do município, e, segundo algumas informações da região, foram as primeiras habitantes das terras onde hoje se localiza Cabeceiras e precursoras da genealogia das raízes familiares cabeceirenses.

Por volta de 1938, Sebastião Crispiniano Torres, ou Sebastião Torres, como era popularmente conhecido, e Antônio Ribeiro de Andrade, ou Antônio Baiano, se juntaram a José Ribeiro dos Santos e combinaram a transferência da capela trazida de Santa Bárbara para a cabeceira do Córrego Taboquinha. O cruzeiro de madeira existente defronte à atual Igreja Católica é uma prova marcante, e nele está datado o dia 22 de maio de 1938.

Devido à fertilidade do solo e ao clima agradável, novas famílias se instalaram na região, com a criação de casas comerciais e pequenas indústrias, formando-se um povoado que recebeu a denominação de "Cabeceiras", por localizar-se nas nascentes do córrego Taboquinha, pertencente à Bacia do São Francisco.

Paralelamente ao comércio, a atividade com lavoura e criação de gado cresceu expressivamente, graças à fertilidade das terras e riqueza das pastagens naturais, vindo a tornar-se as principais fontes econômicas da localidade.

Elevado a distrito pela Lei Municipal nº 44, de 29 de dezembro de 1952, pertencente ao município de Formosa. Foi elevado à categoria de município com a mesma denominação, pela Lei Estadual nº 2102 em 14 de novembro de 1958, desmembrando de Formosa com sede no distrito de Cabeceiras sendo instalado em 1º de janeiro de 1959.

Junto com Cristalina e Formosa faz parte da Bacia do São Francisco.

Cabeceiras, no entorno do Distrito Federal, mesmo com cerca de 7 mil habitantes, joga e conta com uma forte equipe de futebol amador, o São Miguel Esporte Clube, com sede na rua Pedro A. Brandão - Centro.

Bairros(12 bairros)

Centro

Parque União

Vila Carolina

Vila Redenção

Nova Republica

Enis Machado

Mariano Machado

Jardim das Palmeiras

Vila Soares

Jardim Peres

Residencial Novo Mundo

uma empresa nova chegando a Cabeceiras a empresa paulista Suzantur Mauá vai atender no transporte municipal de Cabeceiras nos quatro bairros com 623 carros e quatro linhas em operação em 14 de setembro será conhecida como'' Suzantur Cabeceiras'' em nova licitação em 13 de setembro

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Estimativa Populacional 2013» (PDF). Censo Populacional 2013. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2013. Consultado em 23 de outubro de 2013 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de julho de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Goiás é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.