Cabezas cortadas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Cabezas Cortadas
Cabeças Cortadas (BR)
Flag of Spain.svg Espanha
 Brasil

1970 •  cor •  94 min 
Direção Glauber Rocha
Roteiro Glauber Rocha
Gênero drama
Idioma espanhol
Página no IMDb (em inglês)

Cabeças Cortadas é um filme hispano-brasileiro de 1970, do gênero ficção, cuja direção e roteiro são do cineasta Glauber Rocha.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Barcelona, 1970. Neste Clássico de Glauber Rocha, uma fusão de um delírio déspota na terra de General Franco, já que o filme foi filmado na Espanha dos anos 70. Diaz, vivido por Francisco Rabal foi o regente de Eldorado, e vive dentro de um castelo que é sua clausura mental, e em seus delírios sonha nostálgico com o poder que possuía naquele pais imaginário de Terra em Transe.

A história se desenrola neste delírio de opressão aos índios, trabalhadores e camponeses que, na ilusão de Diaz, pretendem matá-lo, entre eles um pastor, vivido por Pierre Clementi, que realiza milagres ao redor do castelo. A loucura de Diaz cresce à proporção que ele percebe que já não possui nenhum poder, aprisionando uma camponesa, (Rosa Maria Penna), que para ele é o símbolo da pureza.

O Título "Cabezas Cortadas" Faz alusão ao pensamento grego simbolizado por suas estátuas e na cabeça está a criação de tudo, da razão, a loucura, artes, realizações. A cabeça cortada é de uma estátua grega.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Produção Artística[editar | editar código-fonte]

  • Diretor de fotografia: Jaime Deu Casas;
  • Música: Cuesta Abajo, Gardel, Le Pera, Alla en el Rancho Grande, Castello, Del Moral, Uranga, Manresana, Manen, Chamaco Gran Torero, Gomila, Fallaste Corazon, Sanchez, Sabor a Mi, Carillo, Buenos Aires, Joves, Romero, Misa Flamenca, La Torre, Torre Grosa;
  • Montador: Eduardo Escorel;
  • Produtores associados: Ricardo Muñoz Suay, Pedro Fages, Juan Palomeras e Glauber Rocha;

Prêmios[editar | editar código-fonte]

  • Cabezas Cortadas ganhou apenas um prêmio: o São Saruê, da Federação de Cineclubes do Estado do Rio de Janeiro, em 1979, 9 anos após sua estreia na Europa.