Cachambi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cachambi
Cachambi.svg
Bairro do Rio de Janeiro Bandeira do Município do Rio de Janeiro.png
Área: 225,02 ha (em 2003)
IDH: 0,900 (2000) [1]
Habitantes: 42 415 (em 2010)
Domicílios: 16 515 (em 2010)
Limites: Méier, Engenho Novo, Jacaré,
Jacarezinho, Maria da Graça,
Del Castilho, Inhaúma,
Engenho de Dentro e Todos os Santos
[2]
Subprefeitura: Zona Norte[3]
Região Administrativa: XIII Região administrativa (Méier)

Cachambi é um bairro nobre da Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro. Faz limite com os bairros do Méier, Engenho Novo, Jacaré, Jacarezinho, Maria da Graça, Del Castilho, Inhaúma, Engenho de Dentro e Todos os Santos.[4]

Topônimo[editar | editar código-fonte]

"Cachambi" é uma palavra oriunda da língua tupi. Significa "mata verde", através da junção dos termos ka'a ("mata") e oby ("verde")[5] .

História[editar | editar código-fonte]

A origem do bairro Cachambi é oriunda do Arraial do Cachambi, o qual foi explorado, durante vinte anos, por Lucídio José Cândido Pereira do Lago, que dá nome a uma rua do Méier, uma linha de carris de ferro. Após a criação da linha auxiliar, a Estrada de Ferro Rio D’ouro, incrementou-se a ocupação em outro sentido e de forma mais regular, dando origem aos atuais bairros do Cachambi, Maria da Graça e de Del Castilho.[6]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

As raízes centenárias das árvores que foram plantadas quando aqui ainda era um pântano cresceram desordenada e monstruosamente. São tão imensas que invadem casas e destroem tubulações. Não é seguro andar pelas calçadas que estão todas arrebentadas. Carrinhos de bebê, idosos, cadeirantes, pessoas com deficiência motora, crianças e até adultos sem restrições estamos todos vulneráveis.  A copas das árvores são outro problema que se enroscam nos fios e escondem semáforos e provocam danos aos transformadores e queda de energia elétrica e outros serviços de cabeação como telefonia, internet e outros.

O mais grave disto tudo é que a Prefeitura do Rio de Janeiro cobra do morador a reconstrução das calçadas - o que não adianta nada - por que as raízes continuam crescendo e as árvores arrebentando tudo. Os que não acatam a Prefeitura são sujeitos a multas. Muito séria esta situação que precisa ser analisada e pensada com muita racionalidade.

Apesar de ser próximo à linha auxiliar, não há estações de trem no bairro, sendo as mais próximas a do Méier e a de Pilares. Existiu uma estação, a de Monhangaba, nas imediações da Rua Gandavo, no Engenho de Dentro, mas a mesma encontra-se desativada.[7]

O acesso ao bairro é fácil. Além de contar com várias linhas de ônibus, fica próximo ao Metrô Rio, Estação Maria da Graça. Também é vizinho à rede da Supervia e a inúmeras vias como a Avenida Governador Carlos Lacerda, o Túnel Noel Rosa e a Avenida Dom Hélder Câmara.

É no Cachambi que se localiza o Norte Shopping, na Avenida Dom Hélder Câmara. Nele também se encontram supermercados e hipermercados, como Carrefour, Walmart, Sam's Club e Leroy Merlin.

Além do Norte Shopping, o bairro possui um forte comércio, principalmente na Rua Cachambi. Destacam-se ainda as ruas Vasco da Gama, Cirne Maia, Miguel Cervantes, Capitão Jesus, Garcia Redondo, Ferreira de Andrade, Getúlio, Honório, Capitão Rezende e Coração de Maria.

Uma parte da Rua Honório, possui certa importância pela grande quantidade de lojas de móveis. Por isso, essa via é conhecida como "a rua dos móveis". Na altura da Rua São Gabriel, encontra-se o Mercado São Jorge de Cascadura.

Possui, também, três grandes complexos residenciais: o Norte Village, o condomínio Norte Privilege, além de mais uma expansão do Norte Shopping, o Torre Norte Shopping.

Fica próximo ao Estádio Olímpico João Havelange, que se localiza no bairro vizinho, Engenho de Dentro.

É um dos bairros que mais cresce na cidade do Rio de Janeiro e, junto com o eixo Méier-Todos os Santos-Cachambi, é um dos que mais recebe lançamentos imobiliários. Apesar de ser um bairro de população majoritariamente pertencente à classe média, possui uma condição social heterogênea. Próximo ao Méier e Todos os Santos, em algumas ruas centrais do bairro existe uma população de poder aquisitivo ligeiramente maior e, nas proximidades dos bairros de Jacaré, Del Castilho e Engenho de dentro, há habitantes de poder aquisitivo ligeiramente menor. Porém, também nessas áreas são encontrados novos empreendimentos imobiliários, como nas proximidades de Del Castilho, o que retira qualquer parte local do rótulo de estagnação.

Devido ao seu crescimento, o bairro de Cachambi obteve independência do comércio do Méier, tornando-se, junto com o seu vizinho, um dos polos comerciais do Grande Méier.

Educação[editar | editar código-fonte]

Atualmente o Cachambi é considerdo um dos bairros que possui o maior número de creches, escolas e educandários que vão desde o Início do Ensino Fundamental até Universidades, ficando atrás apenas do bairro de Botafogo. Entre eles podemos citar o tradicional Colégio Imaculado Coração de Maria, O Eduncandário Madre Guell, o Colégio Santa Mónica, o Colégio Sérgio Rodrigues, o Instituto Paula de Jesus, Cel entre outros de excelente tradição e qualidade.  Nas escolas públicas ainda podemos contar com o Professor Visitação e o Jean Mermoz. A opção de creches também é extensa e todas muito bem credenciadas.

O bairro conta com unidades do Centro Educacional da Lagoa, do Centro de Cultura Anglo-americana, da Aliança Francesa e da Universidade Estácio de Sá. Na Rua Ferreira Andrade, encontram-se os colégios Santa Mônica e Célio Rodrigues; o Instituto Francisca Paula de Jesus, na Rua Tenente Costa e, na Av Dom Hélder Câmara, uma unidade da Cultura Inglesa, uma nova unidade do Colégio Miguel Couto na rua honório, e uma unidade do Elite que fica no 3° andar do norte shopping.[editar | editar código-fonte]

Lazer[editar | editar código-fonte]

Basicamente o lazer, como é entendido nos dias de hoje, é concentrado no Norte Shopping.  Mas o Cachambi oferece muitos restaurantes, churrascarias, pizzarias, bares e outras opções com música ao vivo ou não. Destacamos o Cachambeer - famoso pelas filas que forma por pessoas que vem da zona sul para comer a tradicionalíssima costela no bafo - o Toque China, o China in Box. o Bar do Lula (com música ao vivo às quintas, sextas e sábados). o restaurante Evandro's (frutos do mar) e a pizzaria Del Forno;

O Cachambi abrigou durante muito tempo o Cibe Cachambi, uma paixão do Sr, Fábio, com quem adorávamos conhecer e conversar sobre cinema. Hoje é um horti frutti, mas existe um projeto tramitanto para que seja revitalizado, preservado, tombado pelo patrimônio e no seu lugar seja construído um Centro Cultural.

Outros cinemas fizeram parte da história do bairro como o Todos os Santos, por exemplo. Todos foram aniquilados pelos cinemas dos shoppings.

Sem contar com alguns restaurantes presentes, o lazer se restringe ao Norte Shopping. O complexo conta, para esse fim, com salas do UCI Kinoplex, patinação de gelo, boliche, o Teatro Miguel Falabella, o Top Kart Indoor e o Magic Games. De restaurantes e bares, o shopping conta com o Outback, o Na Pressão, Parmê, Bibi Sucos, Burguer King, Galeria Gourmet, entre vários outros. Na Rua Velinda Maurício da Fonseca, se encontra duas praças e duas quadras de futebol. Há também a Praça Avaí, Entre as ruas Capitão Jesus, Garcia Redondo e Cirne Maia, com quadra polivalente e brinquedos para as crianças.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Possui um índice de desenvolvimento humano elevado, com 0,900, na posição de 28º melhor da cidade do Rio de Janeiro.[8]

No índice de desenvolvimento social, encontra-se na posição de 32º, com 0,670[9]

O eixo Méier-Todos os Santos-Cachambi encontra-se na quinta posição 5 quanto à menor taxa de pobreza do estado do Rio de Janeiro, perdendo apenas para os eixos Barra da Tijuca, Copacabana- Leme, Humaitá-Laranjeiras e Gávea-Jardim Botânico-Leblon-Ipanema.[10]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Em 1936, ocorreu a prisão de Luís Carlos Prestes e de Olga Benário. Apesar de o caso ter sido registrado na Rua Honório 270, no Cachambi, o local em que Prestes e Olga se esconderam, o número 270 da rua, refere-se ao bairro de Todos os Santos.

Por ser um bairro muito conhecido, o Cachambi acaba por muitas vezes encurtar a geografia de Todos os Santos. Sendo muito pequeno, Todos os Santos possui algumas ruas que se "esbarram nos limites" do Cachambi, como por exemplo, as ruas Honório e Getúlio.

O ex-capitão do exército Luís Carlos Prestes e sua mulher, procurados desde novembro de 1935, quando se deu o golpe contra o regime conhecido como a Intentona Comunista, foram presos depois de uma operação da polícia.

A princípio, existia a dúvida se Prestes encontrava-se no Brasil, até serem efetuadas as prisões do agente do Comintern, Harry Berger e do secretário do partido Comunista, Adalberto Fernandes.

Através dos documentos e cartas encontrados em poder de ambos, dissiparam-se todas as dúvidas de que o Prestes tivesse se ausentado do Brasil. O local onde se encontrava, porém, era ignorado.

Logo após, as autoridades policiais foram informadas de que chegara ao Brasil, em missão especial do Comintern para um entendimento com Prestes, o agente estadunidense Vitor Allan Baron.

Policiais efetuaram sua prisão, conduzindo-o para a Delegacia de Ordem Política e Social. Em todos os interrogatórios a que foi submetido, negou-se a indicar o paradeiro de Prestes. O capitão Miranda interrogou-o habilmente, ao levá-lo para jantar em um restaurante e conseguiu a informação da qual precisava. Luís Carlos Prestes encontrava-se na capital, vivendo na clandestinidade com a sua mulher Olga Benário, de nacionalidade alemã, no endereço Rua Honório, casa número 270.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]