Cafu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Cafu
Cafu
Cafu em 2019
Informações pessoais
Nome completo Marcos Evangelista de Morais
Data de nasc. 7 de junho de 1970 (52 anos)
Local de nasc. Itaquaquecetuba, São Paulo, Brasil
Nacionalidade Brasil brasileiro
Altura 1,78 m
Destro
Apelido Cafu
Informações profissionais
Período em atividade 1989–2008 (19 anos)
Clube atual Aposentado
Posição Lateral-direito
Clubes de juventude
1988–1990 Brasil São Paulo
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1989–1994
1994–1995
1995
1995–1997
1997–2003
2003–2008
Brasil São Paulo
Espanha Real Zaragoza
Brasil Juventude
Brasil Palmeiras
Itália Roma
Itália Milan
00273 00(38)
00017 000(0)
00002 000(0)
000102 00(16)
00219 000(8)
00165 000(4)
Seleção nacional
1990–2006 Brasil Brasil 00142 000(5)


2 Partidas e gols totais pelos
clubes, atualizadas até 18 de maio de 2008.

Marcos Evangelista de Morais ORB (Itaquaquecetuba, 7 de junho de 1970), mais conhecido como Cafu,[a] é um ex-futebolista brasileiro que atuava com lateral-direito. É considerado por muitos como um dos maiores laterais direitos da história do futebol. Ele foi apontado em uma lista feita por Pelé como um dos cento e vinte e cinco maiores jogadores de futebol vivos em 2004.[1] Ele é o recordista de jogos pela Seleção Brasileira de Futebol Masculino, com 149 partidas. Fez parte das equipes vencedoras das Copas do Mundo de 1994 e 2002, além das copas de 1998 e 2006.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Antes de começar a carreira em times grandes, Cafu jogou nos times do Nacional-SP e o Itaquaquecetuba Atlético Clube.

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Cafu começou jogando pelo São Paulo, em 1989, depois de passar por nove "peneiras" sem sucesso. Em 1994 foi eleito pelo jornal uruguaio El País, o melhor jogador da América.

Ao contrário que muitos pensam, Cafu surgiu no São Paulo como atacante, quase um ponta-direita. Vestindo a camisa 11 tricolor, fez uma partida irretocável na primeira final do campeonato paulista de 1992 contra o Palmeiras, fazendo um gol e três assistências. O jogou terminou 4 x 2. Uma semana depois, o São Paulo se sagrou campeão mundial derrotando o estelar Barcelona.

Real Zaragoza[editar | editar código-fonte]

Em 1995 se mudou para o time espanhol do Real Zaragoza[2], e ganhou a Recopa Europeia naquele ano.

Juventude[editar | editar código-fonte]

Em maio de 1995, Cafu teve uma pequena passagem pelo Juventude, à época patrocinado pela Parmalat. A empresa o havia comprado do Zaragoza e desejava colocá-lo na principal equipe que patrocinava no Brasil, o Palmeiras. No entanto, para livrar-se de provável multa de cerca de US$ 3,6 milhões do São Paulo[3] (que estipulara cláusula que impedia o jogador de atuar por outra equipe grande paulista assim que voltasse ao Brasil), a marca italiana o deixou por um mês no time de Caxias do Sul, onde realizou dois jogos.[4] No entanto, o time do Morumbi acionou a Federação Internacional de Futebol (FIFA), mas não ficou com o valor integral da multa, recebendo US$ 1 milhão pela quebra do contrato.[5]

Palmeiras[editar | editar código-fonte]

Em junho de 1995 Cafu retornou ao Brasil, mais precisamente ao time do Palmeiras. Jogou de 1995 à 1997, quando se transferiu para a Roma em 1997. Participou da campanha do título paulista de 1996, quando o Palmeiras alcançou a marca de 102 gols na competição fazendo parte de um dos grandes elencos do Palmeiras.

Roma[editar | editar código-fonte]

Em julho de 1997, Cafu assinou contrato com a Roma. Pelo time giallorosso, Cafu ganhou o scudetto em 2001. Cafu ganhou o apelido de Il Pendolino ('o trem expresso'). Ele se mudou para Milão em 2003[6], depois de recusar uma proposta do Yokohama F. Marinos.

Milan[editar | editar código-fonte]

Pelo Milan, Cafu teve boas temporadas desde sua chegada, tendo presença importante na conquista do Campeonato Italiano de 2004 e da Liga dos Campeões da UEFA de 2007. Teve seu último jogo pelo clube rossonero contra a Udinese, marcando ainda, o último gol do clube na vitória por 4 a 1.[7]

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Cafu em treino pela Seleção Brasileira durante a Copa do Mundo de 2006.

Cafu foi convocado algumas vezes para atuar pela Seleção Brasileira no começo dos anos 1990, sendo convocado para a Copa do Mundo de 1994. Depois da contusão de Jorginho na final contra a Itália, Cafú apareceu como seu substituto no 22º minuto, formando parte da defesa brasileira no que se tornou um final feliz. O Brasil ganhou por três a dois nos pênaltis depois da partida e da prorrogação terem terminado sem gols.

Depois disso, Cafu se tornou um titular absoluto no time brasileiro, ganhando a Copa América em 1997 e 1999, e levando o país à final da Copa do Mundo de 1998, que perderam para a França. Depois de uma penosa eliminatória, Cafu foi o capitão do Brasil na Copa do Mundo de 2002 depois de uma contusão do então capitão Emerson, e ajudou o time a ganhar de 2 a 0 da Alemanha na final. Ao levantar o troféu da Copa, Cafu imortalizou o amor a sua esposa, dizendo: "Regina, eu te amo!". Na camisa o capitão da seleção de 2002 escreveu a frase "100% Jardim Irene" lembrando de sua origem humilde num bairro periférico da zona sul de São Paulo.[8]

Apesar de Cafu ter sido poupado de jogar a Copa América de 2004, ele disputou a sua 4ª Copa do Mundo em 2006, com trinta e seis anos de idade, na condição de capitão do time.

Cafu é o jogador que mais vezes vestiu a camisa da Seleção Brasileira com 150 jogos, além de ser o único jogador na história do futebol a ter jogado três finais de Copa do Mundo da FIFA. Essas participações de Cafu em decisões ocorreram consecutivamente (1994, 1998 e 2002), feito que certamente será muito difícil de ser superado. É o jogador brasileiro com mais partidas disputadas em Copa do Mundo: entrou em campo 20 vezes. Ele também é recordista mundial em número de vitórias em Copas, totalizando 16 vitórias.[9]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Cafu é filho de Célio de Morais, um empresário e treinador de futebol amador brasileiro, que faleceu aos 56 anos, em 2008.[10] Cafu é casado com Regina Feliciano, com quem teve três filhos: Danilo (falecido em 2019), Wellington e Michele.[11]

Obras[editar | editar código-fonte]

O eterno capitão Cafu ou apenas Marcos Evangelista Morais como se apresenta na edição especial de A Saga CAFU[12], livro teaser de sua biografia oficial que será lançada nesta terça-feira (29) no Qatar, país sede da Copa do Mundo em 2022.

Escrito por Mariah Morais e editado pela The Calone Company, o livro conta a trajetória inicial daquele que mais tarde se tornaria um dos maiores laterais da história do futebol.

Uma história emocionante que relata uma luta onde apenas a persistência poderia vencer.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Aparições e gols por clube, temporada e competição

Clube Temporada Liga

Nacional

Liga Estadual e Regional Copa

Nacional[a]

Supercopa Nacional Competições

Internacionais[b]

Outros

Torneios[c]

Total
Divisão Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
São Paulo 1989 Série A 3 0 0 0 0 0 0 0 0 0 1 0 4 0
1990 19 1 21 3 4 0 0 0 0 0 1 1 45 5
1991 21 1 31 3 0 0 0 0 0 0 0 0 52 4
1992 21 1 22 4 0 0 0 0 16 0 0 0 59 5
1993 18 1 27 14 2 0 0 0 19 3 2 1 68 19
1994 16 3 17 2 0 0 0 0 12 0 0 0 45 5
Total 98 7 118 26 6 0 0 0 47 3 4 2 273 38
Juventude 1995 Série A 0 0 2 0 0 0 0 0 9 0 0 0 2 0
Total 0 0 2 0 0 0 0 0 9 0 0 0 2 0
Real Zaragoza 1994-95 La Liga 16 0 0 0 0 0 1 0 0 0 17 0
Total 16 0 0 0 0 0 1 0 0 0 17 0
Palmeiras 1995 Série A 20 0 0 0 0 0 0 0 3 2 0 0 23 2
1996 16 2 22 2 8 3 0 0 1 0 0 0 55 10
1997 5 0 19 4 4 0 0 0 0 0 0 0 24 4
Total 40 2 41 6 12 3 0 0 3 2 0 0 102 16
Roma 1997-98 Série A 31 1 5 0 0 0 0 0 0 0 36 1
1998-99 20 1 0 1 0 0 6 0 0 0 26 1
1999-00 28 2 4 0 0 0 5 0 0 0 37 2
2000-01 31 1 2 0 0 0 7 0 0 0 40 1
2001-02 27 0 1 0 1 0 10 2 0 0 39 2
2002-03 26 0 3 1 0 0 12 0 0 0 41 1
Total 163 5 15 1 1 0 40 2 0 0 219 8
Milan 2003-04 Série A 28 1 1 0 1 0 11 0 0 0 41 1
2004-05 33 1 0 0 1 0 12 0 0 0 46 1
2005-06 19 1 1 0 0 0 5 0 0 0 25 1
2006-07 24 0 3 0 0 0 8 0 0 0 35 0
2007-08 15 1 2 0 0 0 1 0 0 0 18 1
Total 119 4 7 0 2 0 37 0 0 0 165 4
Carreira Total 436 18 161 32 40 4 3 0 128 7 4 2 772 63

Seleção - (Brasil)[editar | editar código-fonte]

Ano Jogos Gols
1990 3 0
1991 9 0
1992 2 0
1993 12 0
1994 7 1
1995 5 0
1996 3 0
1997 20 0
1998 12 2
1999 12 1
2000 10 1
2001 6 0
2002 12 0
2003 7 0
2004 9 0
2005 8 0
2006 5 0
Jogos Não Oficiais 7 0
Total 149 5

As pontuações e resultados listam primeiro a contagem de gols do Brasil, a coluna de pontuação indica a pontuação após cada gol de Cafú

Lista de gols internacionais marcados pela Seleção Brasileira por Cafu

Data Estádio Oponente Gols Resultado Competição
1 08 de Junho 1994 Jack Murphy Stadium, San Diego, Estados Unidos  Honduras 6–2 8–2 Amistoso
2 03 de Junho 1998 Stade de France, Saint-Ouen, França  Andorra 3–0 3–0 Amistoso
3 14 de Outubro 1998 Robert F. K. Stadium, Washington, D.C., Estados Unidos  Equador 3–1 5–1 Amistoso
4 09 de Outubro 1999 Johan Cruijff Arena, Amesterdão, Países Baixos  Países Baixos 2–2 2–2 Amistoso
5 23 de Maio 2000 Millennium Stadium, Cardiff, País de Gales  País de Gales 2–0 3–0 Amistoso

Títulos[editar | editar código-fonte]

São Paulo
Real Zaragoza
Palmeiras
Roma
Milan
Seleção Brasileira

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Ver Também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Também grafado como Cafú, especialmente em países não-lusófonos.

Referências

  1. Fundação Cafu. «Biografia». Consultado em 1 de junho de 2010 
  2. «Cafú, el primer fichaje invernal del Real Zaragoza». ElDesmarque Zaragoza (em espanhol). 27 de dezembro de 2018. Consultado em 27 de agosto de 2021 
  3. Folha de S. Paulo (22 de julho de 1995). «Cafu chega ao Palmeiras e São Paulo vai cobrar multa». Folha de S. Paulo. Consultado em 13 de dezembro de 2014  Parâmetro desconhecido |acessodiames= ignorado (|acessodata=) sugerido (ajuda)
  4. "Juventude", Placar número 1263-A, Especial 500 Times do Brasil, Editora Abril, 2003, pág. 68
  5. José Ricardo Leite e Vanderlei Lima (29 de abril de 2014). «Kardec foi troco? Conheça o chapéu histórico que São Paulo levou e reclama». UOL. Consultado em 13 de dezembro de 2014 
  6. «Folha Online - Esporte - Milan anuncia contratação de Cafu - 09/06/2003». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 27 de agosto de 2021 
  7. http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/italiano/0,,MUL476985-9848,00.html
  8. «'100% Jardim Irene': Há 15 anos, Cafu apresentava seu bairro para os canais ESPN». ESPN. Consultado em 27 de agosto de 2021 
  9. «Aos 50 anos, Cafu ainda tem recordes na seleção e em Copas intactos». www.uol.com.br. Consultado em 27 de agosto de 2021 
  10. Pai do lateral Cafu morre em São Paulo
  11. «Cafu fala pela 1ª vez sobre a morte do filho: 'Vou ao cemitério a cada 5 dias'». VEJA. Consultado em 8 de outubro de 2020 
  12. «Cafu lança seu novo livro em evento realizado no Catar, palco da próxima Copa». www.uol.com.br. Consultado em 16 de abril de 2022 
  13. BRASIL, Decreto de 12 de abril de 2006.
  14. «Governador agracia personalidades com Ordem do Ipiranga». Gazeta de Interlagos. 16 de setembro de 2017. Consultado em 1 de março de 2018 
  15. «IFFHS ALL TIME WORLD MEN'S DREAM TEAM». Consultado em 22 de maio de 2021 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Cafu

Ligações externas[editar | editar código-fonte]