Cagliari Calcio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Cagliari
Cagliari Calcio Logo 2015.png
Nome Cagliari Calcio
Alcunhas Rossoblù (Vermelho e Azul)
Casteddu (Cagliari em sardo)
Gli Isolani (Os Insulares)
I Sardi (Os Sardos)
Mascote Os 4 Mouros
Principal rival Napoli
Juventus
Sassari Torres
Fundação 30 de maio de 1920 (101 anos)
Estádio Unipol Domus
Capacidade 16.416 pessoas
Localização Cagliari, Itália
Presidente Tommaso Giulini
Treinador Walter Mazzarri
Patrocinador ISOLA
Tiscali
Ichnusa
Material (d)esportivo Adidas
Competição Série A
Website http://www.cagliaricalcio.com/
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo

O Cagliari Calcio (em sardo: Casteddu) é um clube de futebol da cidade de Cagliari, na Sardenha, Itália. Fundado em 1920 é o time mais tradicional da Sardenha e o único a ter participado da Série A ou Série B.

Venceu a Serie A uma vez, em 1969-70, tendo como grande destaque Luigi Riva. Outras campanhas de destaque foram a conquista da Serie B 2015-16, e foi semifinalista da Copa da UEFA de 1993-94.

História[editar | editar código-fonte]

Escudo anterior do Cagliari Calcio

Primeiros Anos[editar | editar código-fonte]

Fundado em 1920, o Cagliari passou os primeiros anos de sua história alternando nas divisões inferiores, conquistou naquele período a Série C italiana três vezes, nas temporadas (1930-31, 1951-52, 1961-62), porem não obtivera sucesso em suas disputas na Série B naquele período.

Ascensão a Série A[editar | editar código-fonte]

Voltou ao fundo do poço em 1960, na Série C, mas logo rapidamente se recuperou, para o que depois viria a ser uma das maiores ascensões do futebol italiano. E um destes grandes acertos foi contratar o futuro craque Luigi Riva, que viria a fazer história na equipe, e também na Seleção Italiana. Já com Luigi Riva no ataque a equipe Sardenha consegue seu primeiro acesso a Série A italiana na temporada 1963-1964, onde termina a competição como vice-campeão, ficando atrás apenas da equipe do Varese.

Seria A e conquista do Scudetto Italiano[editar | editar código-fonte]

Em 1964-1965, o Cagliari enfim estreava na Série A italiana, e surpreendeu a todos ficando com uma competente sexta colocação no campeonato.

O clube voltaria 2 anos depois a repetir a posição com a chegada do técnico Manlio Scopigno, e no ano seguinte ficaria com uma modesta 9ª posição na Série A, para enfim, se tornar uma potência italiana.

Na temporada 1968-1969 a equipe bate na trave tanto no Campeonato Italiano quanto na Copa da Itália, perdendo para a Fiorentina a Serie A por apenas quatro pontos e chegando ao quadrangular final da copa junto com as equipes da Roma, Foggia e Torino, terminando com seis pontos, três a menos que a campeã Roma.

Cagliari Campeão Italiano 1969-70. Em pé (da esquerda para à direita): Nenê, Enrico Albertosi, Angelo Domenghini, Comunardo Niccolai, Giuseppe Tomasini, Luigi Riva. Agachados (da esquerda para a direita): Ricciotti Greatti, Mario Martiradonna, Sergio Gori, Pierluigi Cera e Cesare Poli.

Mas no ano seguinte, enfim o Cagliari se sobressai e se torna o grande campeão italiano, a equipe termina a competição com 45 pontos, quatro pontos a mais que o vice líder Internazionale, Luigi Riva marca 21 gols terminando como artilheiro da competição, marcando de uma vez por todas seu nome na história do clube. Na Copa da Itália, a equipe termina na terceira posição.

No ano de 1971, a expectativa era enorme para o time do Cagliari, mas o ano é decepcionante, a equipe termina na modesta sétima colocação nacional, bem longe de disputar o título, mas o golpe pior sem dúvidas foi o fracasso na Liga dos Campeões, com a eliminação precoce ainda na segunda fase para o Atlético de Madrid (venceu em casa por 2x1, mas sucumbiu na volta na Espanha ao sofrer 3x0).

Em 1972, a equipe se recupera, joga bem e termina o italiano em 4º lugar, ficando a apenas 4 pontos da campeã Juventus.

Em 1973, decepção novamente a equipe faz má campanha no italiano e vacila de novo em competições continentais, sendo eliminado ainda na primeira fase da Copa da Uefa, pelo Olympiacos, perdendo as duas partidas.

Declínio[editar | editar código-fonte]

A equipe então entraria em um processo de decadência tão rápida quanto foi a sua ascensão, ficando em posições insatisfatórias nas temporadas seguintes, em 1975-1976, 6 anos depois do título italiano, a equipe é rebaixada novamente para a Série B, terminando aquele campeonato na ultima posição com 19 pontos conquistados. Além disso o time perde seu grande jogador, o atacante Luigi Riva que não atuaria mais na equipe na Série B do próximo ano.

A equipe passa três temporadas na segunda divisão, retornando a elite em 1979-1980, quando ficou em 7º lugar, sem sustos. No entanto, a equipe seria novamente rebaixada na temporada 1982-1983, em um campeonato em que termina apenas um ponto atrás do Ascoli naquela disputa.

Volta a Série A[editar | editar código-fonte]

Na temporada 1988-1989 a situação começa a mudar com a chegada do técnico Claudio Ranieri, a equipe aquela altura se via afundada na terceira divisão, porém começaria ali um processo de reconstrução que começaria com o titulo da Copa Itália Série C, naquele ano o time sardo também conseguiria o acesso a Série B.

Na temporada 1989-1990 a equipe novamente obtêm êxito, conquista o segundo acesso seguido terminando o campeonato da segunda divisão daquele ano na terceira posição, conquistando 47 pontos, retornando assim a elite do futebol italiano.

Nas temporadas 1990-1991 e 1991-1992 a equipe luta contra o rebaixamento terminando ambos na decima terceira posição.

A situação começa a ficar favorável em 1992-1993, quando a equipe fica em sexto lugar no Campeonato Italiano, voltando a participar da Copa da UEFA. No ano seguinte faz uma boa campanha na competição europeia, chegando as semifinais, eliminando a Juventus na quartas de finais passando com duas vitórias, 1x0 em casa, e 2x1 fora. Nas semifinais acabou cruzando com a Internazionale, que acabaria eliminando os sardos e terminando como campeão da competição.

Nos campeonatos seguintes a equipe termina com campanhas razoáveis no Campeonato Italiano, porém na temporada 1996-1997 a equipe acaba voltando a Série B, conseguiria o acesso a primeira divisão logo no ano seguinte, porém sofreria mais um rebaixamento em 1999-2000.

Anos 2000 e dias atuais[editar | editar código-fonte]

Os anos 2000 são marcados por desempenhos razoáveis, revezando entre a primeira e a segunda divisão.

O Cagliari passou as quatro temporadas seguintes na Série B, até que em 2003-04 com o atacante veterano Gianfranco Zola, nascido na Sardenha, a equipe ganhou a promoção. Na temporada 2005-06, a primeira temporada sem Zola, o time mudou de técnico três vezes antes de Nedo Sonetti, nomeado em novembro, salvar o time do rebaixamento graças aos gols do atacante hondurenho David Suazo.

Além de terminar em 9º na temporada 2008-09, o Cagliari terminou regularmente na metade inferior da Serie A sob uma sequência de treinadores, antes de ser rebaixado em 2014-15.

Na temporada seguinte, ganharam a promoção de volta a Serie A como campeões da Serie B 2015-16.

Na temporada 2017-18, o clube com grande surpresa, nos últimos dias do mercado de transferências viu a despedida de Marco Borriello, imediatamente substituído pelo atacante Pavoletti, e retorno de Andrea Cossu. O início da temporada não foi dos melhores e após uma série de resultados negativos, o técnico Massimo Rastelli é demitido e o uruguaio Diego Luis López assume em seu lugar. As performances entretanto, não mudam, e a equipe é eliminada da Copa da Itália. O Cagliari teve um fim de temporada dramático, vencendo Fiorentina e Atalanta nas duas últimas rodadas e conseguindo a permanência na primeira divisão.

Na temporada 2018-19, sob a orientação de Rolando Maran, o clube termina com a 15ª colocação na Serie A e é eliminado nas oitavas de final da Copa da Itália.

A temporada 2019-20, ano do centenário de fundação do clube, foi a segunda do técnico Rolando Maran no comando do clube. Temporada essa que marcou o retorno do meio-campista belga Radja Nainggolan, após quase meia década depois de deixar o clube rumo à Roma. Em março, Maran é dispensado de seu posto e em seu lugar foi contratado Walter Zenga. A equipe teve uma queda precoce na Copa da Itália e terminou no 14° lugar na Série A.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Scudetto.svg
Campeonato Italiano 1 1969-70
Supercoppaitaliana.png
Copa dos Campeões da Itália 1 1950-51
Coppa Ali della Vittoria.png
Campeonato Italiano - 2ª Divisão 1 2015-16

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

União Europeia Copa da UEFA - 1993–94 (Semifinalistas)

Scudetto.svg Campeonato Italiano - 1968–69 (Vice-campeões)

Itália Campeonato Italiano - 2ª Divisão - 2015-16 (Campeões)

Itália Campeonato Italiano - 2ª Divisão - 1963–64,1978–79 e 2003-04 (Vice-campeões)

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

Atualizado em 19 de outubro de 2021.[1]

  • Capitão Atual capitão


Goleiros
N.º Jogador
1 Itália Simone Aresti
28 Itália Alessio Cragno
31 Sérvia Boris Radunović
Defensores
N.º Jogador Pos.
2 Uruguai Diego Godín Z
4 Uruguai Martín Cáceres Z
15 Itália Giorgio Altare Z
23 Itália Luca Ceppitelli Z
33 Eslováquia Adam Obert Z
40 Polónia Sebastian Walukiewicz Z
44 Itália Andrea Carboni Z
12 Itália Raoul Bellanova LD
25 Itália Gabriele Zappa LD
43 Itália Paolo Faragò LD
22 Grécia Charalambos Lykogiannis LE
29 Brasil Dalbert LE
Meio-campistas
N.º Jogador Pos.
6 Croácia Marko Rog V
14 Itália Alessandro Deiola V
18 Uruguai Nahitan Nández V
21 Uruguai Christian Oliva V
35 Itália Riccardo Ladinetti V
8 Romênia Răzvan Marin M
16 Países Baixos Kevin Strootman M
20 Uruguai Gastón Pereiro M
26 Itália Nicoló Cavuoti M
27 Itália Alberto Grassi M
Atacantes
N.º Jogador
9 Senegal Keita Baldé
10 Brasil João Pedro Capitão
17 Brasil Diego Farias
30 Itália Leonardo Pavoletti
35 Colômbia Damir Ceter
Comissão técnica
Nome Pos.
Itália Walter Mazzarri T

Números aposentados[editar | editar código-fonte]

11Luigi Riva, Atacante (1963-1976)
13Davide Astori, Zagueiro (2008-2016)

Jogadores anteriores notáveis[editar | editar código-fonte]

Foram incluídos apenas jogadores com mais de 100 partidas pelo clube e/ou jogadores que participaram de alguma edição da Copa do Mundo

Recordistas de jogos[editar | editar código-fonte]

# País Nome Período Jogos
1 Itália Daniele Conti 1999–2005 434
2 Itália Mario Brugnera 1968-1974,
1975-1982
328
3 Itália Luigi Piras 1973–1987 320
4 Itália Gigi Riva 1963–1976 315
5 Uruguai Diego López 1998–2010 314
6 Brasil Nenê 1964–1976 311
7 Itália Mario Martiradonna 1962–1973 306
8 Itália Oreste Lamagni 1971-1973,
1975–1985
293
9 Itália Roberto Quagliozzi 1974–1985 282
10 Itália Alessandro Agostini 2004–2012 281

Maiores artilheiros[editar | editar código-fonte]

# País Nome Período Gols
1 Itália Gigi Riva 1963–1976 164
2 Honduras David Suazo 1999–2007 94
3 Itália Luigi Piras 1973–1987 87
4 Brasil João Pedro Galvão 2014– 80
5 Itália Roberto Muzzi 1994–1999 58
6 Itália Mauro Esposito 2001–2007 58
7 Itália Daniele Conti 1999–2015 48
8 BrasilBélgica Luís Oliveira 1992-1996,
1999-2000
46
9 Itália Marco Sau 2012–2019 45
10 Itália Erminio Bercarich 1951–1953 42

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Uniformes dos jogadores[editar | editar código-fonte]

  • Primeiro uniforme (2011-12): Camisa com metade vermelha, metade azul, calção e meias azuis;
  • Segundo uniforme (2011-12): Camisa branca, calção e meias brancas;
  • Terceiro uniforme (2011-12): Camisa vermelha, calção e meias vermelhas;
  • Quarto uniforme (2011-12): Camisa azul, calção e meias azuis.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Quarto uniforme

Uniformes dos goleiros[editar | editar código-fonte]

  • Camisa verde, calção e meias verdes.
  • Camisa cinza, calção e meias cinzas.
  • Camisa amarela, calção e meias amarelas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2010-11
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro
  • 2009-10
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro
  • 2008-09
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo

Referências

  1. «Cagliari live score, schedule and results - Football - SofaScore». www.sofascore.com. Consultado em 12 de agosto de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]