Caio Otávio Tídio Tossiano Lúcio Javoleno Prisco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Caio Otávio Tídio Tossiano Lúcio Javoleno Prisco
Cônsul do Império Romano
Consulado 86 d.C.

Caio Otávio Tídio Tossiano Lúcio Javoleno Prisco (em latim: Gaius Octavius Tidius Tossianus Lucius Javolenus Priscus), conhecido também como Lúcio Javoleno Prisco ou apenas Javoleno Prisco, foi um jurista e senador romano nomeado cônsul sufecto para o nundínio de setembro a dezembro de 86 com Aulo Búcio Lápio Máximo. Seu nome completo é conhecido com base em uma inscrição (CIL III, 9960), na qual seu segundo prenome está escrito dentro do segundo "O" de "Tossiaano", o que levou Olli Salomies a sugerir que «Lúcio» foi inserido numa data posterior, talvez erroneamente"[1].

Nome e origem[editar | editar código-fonte]

O historiador Anthony Birley que seus nomes "Javoleno", "Tídio" e "Tossiano" revelam uma origem na Úmbria, especificamente Igúvio[2]. Porém, ele próprio lembra o argumento de Géza Alföldy de que Javoleno deve ter sido parente dos Otávios de Nédio, na Dalmácia, onde Javoleno foi homenageado numa inscrição. "É, portanto, bem provável que ele tenha nascido Caio Otávio e recebido seus outros nomes através de uma adoção numa família úmbria"[2]. Porém, Salomies argumenta que, se ele foi adotado, "a partir da ordem dos nomes, devemos certamente concluir que ele era um Lúcio Javoleno adotado por um Caio Otávio"[1].

Carreira[editar | editar código-fonte]

A vida de Javoleno Prisco anterior ao seu comando da Legio IV Flavia Felix, estacionada perto de Burno, é desconhecida[3]. Depois de servir como governador de facto da Numídia, foi nomeado legado da III Augusta em 83 e depois serviu como cônsul sufecto em 86. Birley acredita que foi em 84 que Javoleno Prisco seguiu para a Britânia e serviu como juridicus, permanecendo por lá por dois anos[2]. Depois disto, foi governador da Germânia Superior[4] e depois da prestigiosa província da Síria no começo do reinado de Trajano. Finalmente foi nomeado procônsul da África entre 101 e 102, o ápice de sua carreira. Nesta época, foi admitido no Colégio dos Pontífices[2].

Jurista[editar | editar código-fonte]

Birley nota que Javoleno Prisco é famoso principalmente por sua atividade como jurista[2]. Das muitas citações às suas opiniões legais, está uma sobre o testamento de Seio Saturnino, "archigubernus ex classe Britannica", um caso que deve ter passado por ele enquanto era juridicus na Britânia[2]. Ele foi o líder da Escola Sabiniana e mestre do jurista Sálvio Juliano[2].

A originalidade de sua obra pode ser atestada nos quatorze livros de "Epistulae", de onde nasceu o famoso dito "Em direito civil, toda definição é perigosa, pois são raras as que não podem ser subvertidas" ("Omnis definitio in iure civili periculosa est; parum est enim, ut non subverti posset")[5]. Além disto, Javoleno escreveu quinze "Libri ex Cassio", onde comenta as sentenças de Caio Cássio Longino, e cinco "Libri ex Plautio", além de uma epítome e um comentário crítico sobre os últimos livros de Marco Antíscio Labeão.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul do Império Romano
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Precedido por:
'Domiciano XI

com Tito Aurélio Fulvo II
com Quinto Júlio Cordino Caio Rutílio Gálico II (suf.)
com Lúcio Valério Cátulo Messalino II (suf.)
com Marco Arrecino Clemente II (suf.)
com Lúcio Bébio Honorato (suf.)
com Públio Herênio Polião (suf.)
com Marco Ânio Herênio Polião (suf.)
com Décimo Abúrio Basso (suf.)
com Quinto Júlio Balbo (suf.)
com Caio Sálvio Liberal Nônio Basso (suf.)

Domiciano XII
86

com Sérvio Cornélio Dolabela Petroniano
com Caio Sécio Campano (suf.)
com Quinto Víbio Segundo (suf.)
com Sexto Otávio Frontão (suf.)
com Tibério Júlio Cândido Mário Celso (suf.)
com Aulo Búcio Lápio Máximo (suf.)
com Caio Otávio Tídio Tossiano Lúcio Javoleno Prisco (suf.)

Sucedido por:
'Domiciano XIII

com Lúcio Volúsio Saturnino
com Caio Calpúrnio Pisão Crasso Frúgio Liciniano (suf.)
com Caio Belício Natal Públio Gavídio Tebaniano (suf.)
com Caio Ducênio Próculo (suf.)
com Caio Cílnio Próculo (suf.)
com Lúcio Nerácio Prisco (suf.)


Referências

  1. a b Salomies, Adoptive and polyonymous nomenclature in the Roman Empire, (Helsinski: Societas Scientiarum Fenica, 1992), p. 120
  2. a b c d e f g Birley, The Fasti, p. 214
  3. Anthony R. Birley, The Fasti of Roman Britain, (Oxford: Clarendon Press, 1981), p. 213
  4. Um diploma militar (CIL XVI, 36) atesta que ele era governador em 26 de outubro de 90.
  5. Digesto 50.17.202.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Theo Mayer-Maly: Iavolenus (2). In: Der kleine Pauly, Bd. 2, 1967, Sp. 1328.
  • Werner Eck: Senatoren von Vespasian bis Hadrian. Prosopographische Untersuchungen mit Einschluss der Jahres- und Provinzialfasten der Statthalter. Beck, München 1970, S. 131ff, 140ff, 152ff., 158. (Vestigia, Bd. 13).
  • Bengt E. Thomasson: Fasti Africani, Senatorische und ritterliche Ämter in den römischen Provinzen Nordafrikas von Augustus bis Diokletian, Paul Aströms Förlag, Stockholm 1996, S. 49f, P 49; S 137f. P 10.