Camões na gruta de Macau (Metrass)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Camões na gruta de Macau
Autor Francisco Augusto Metrass
Data 1853
Técnica Pintura a óleo sobre tela
Dimensões 163 cm  × 132 cm 
Localização Museu do Chiado, Lisboa,  Portugal

Camões na gruta de Macau é uma pintura a óleo sobre tela do pintor português Francisco Augusto Metrass realizada em 1853 e que está em exposição no Museu do Chiado em Lisboa.

Segundo Regina Anacleto, Camões na gruta de Macau e Só Deus!, duas telas de Metrass, podem ser consideradas como o expoente máximo do romantismo português.[1]

O seu Camões na gruta de Macau, comprado pelo rei D. Fernando II, será provavelmente um auto-retrato do pintor, repleto de simbolismo na evocação a Camões e ao isolamento e solidão que ambos sofreram.[2]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Trata-se assim de pintura de História. No lugar romântico e simbólico da gruta de Macau, onde Luís de Camões terá concebido Os Lusíadas, lugar mítico, sugerido pelas massas rochosas que envolvem o poeta e o seu escravo Jau, vê-se a figura de Camões sentado, vestido de preto, de barba e cabelo arruivados, segurando melancolicamente a cabeça com o punho esquerdo fechado, cujo cotovelo assenta no rochedo ao seu lado, por momentos interrompendo a escrita, enquanto a mão direita segura sobre o joelho direito a pena e as folhas onde escreve.[3]

Camões olha para a esquerda, com um olhar sombrio mas intenso, num rosto iluminado, sendo provavelmente o auto-retrato de Metrass. A seu lado, sentado no chão de pernas cruzadas, encostado a uma rocha, vê-se o escravo Jau, vestido com uma camisa branca listada, olhando para baixo. Aos pés de Camões, espalhados no chão, vêem-se uma espada embainhada, um livro aberto, um tinteiro e algumas folhas soltas com a inscrição LUSIADAS.[3]

História[editar | editar código-fonte]

A obra pertenceu às colecções do rei D. Fernando II (1816-1885). Foi mais tarde readquirida pelo Estado no leilão do Conde do Ameal, em 1921. [3]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. História da Arte em Portugal, Volume 10, Publicações Alfa, Lisboa, 1986, pags. 158-159
  2. Nota sobre o Pintor na página web do MNAC, [1]
  3. a b c Nota sobre a obra na Matriznet, [2]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • França, José-Augusto, A Arte em Portugal no Século XIX, Lisboa, 1991, pp. 146–147.

Ligação externa[editar | editar código-fonte]

  • Página Oficial do Museu Nacional de Arte Contemporânea, [3]