Camomila e Bem-me-quer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Camomila e Bem-me-Quer)
Ir para: navegação, pesquisa
Camomila e Bem-me-quer
Informação geral
Formato Telenovela
Duração 40 min, aproximadamente
Criador(es) Ivani Ribeiro
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Carlos Zara
Elenco Nicette Bruno
Juca de Oliveira
Gianfrancesco Guarnieri
Cláudio Corrêa e Castro
Marcelo Picchi
Tereza Teller
Riva Nimitz
Maria Isabel de Lizandra
Geraldo del Rey
Lisa Vieira
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Tupi
Transmissão original 5 de outubro de 1972 - 23 de março de 1973
N.º de episódios 147
Cronologia
Signo da Esperança
Programas relacionados Amor com Amor se Paga

Camomila e Bem-me-quer foi uma telenovela brasileira produzida e exibida pela extinta Rede Tupi, entre outubro de 1972 e 23 de março de 1973[1].

Foi escrita por Ivani Ribeiro e dirigida por Edson Braga, com supervisão de Carlos Zara.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Numa cidade pequena vive seu Olegário (Gianfrancesco Guarnieri), um homem neurastênico e irritadiço, muitas vezes misterioso, beirando o tragicômico. Ele é um completo pão-duro: tranca a geladeira com cadeados, desliga a luz algumas vezes por semana e despeja, até nos filhos, sua avareza compulsiva e sórdida, pois é proibido repetir pratos às refeições. Sua maior preocupação na vida é economizar.

Olegário compartilha o cotidiano de sacrifícios constantes com os filhos, Tomás (Marcelo Picchi) e Elisa (Maria Isabel de Lizandra), e com a fiel empregada doméstica Frosina (Riva Nimitz), que há vinte anos suporta as suas mesquinharias. Mas o velho sovina está longe de ser pobre. Tem diversos imóveis que aluga, escondendo em sua casa um tesouro que ninguém sabe onde está, nem mesmo os filhos. O único que partilha seu segredo é o amigo Anselmo (Sílvio Rocha), um homem que nutre um amor platônico por Elisa.

O avesso de Olegário é o Tio Romão (Cláudio Corrêa e Castro), que chega à cidade sem revelar o seu passado. Fala doce, distribuindo chazinhos como puro pretexto, a fim de conversar com os moradores e lhes dar um pouco de calor humano. Seus chazinhos ficam conhecidos por toda a cidade, mas as pessoas se assustam com suas palavras certeiras. Alguns o consideram um santo; outros, um feiticeiro.

Tomás, filho de Olegário, é um jovem brincalhão que está sempre procurando descobrir o tesouro do pai. Sua irmã é uma jovem tímida e insegura, que se apaixona por Gustavo (Geraldo del Rey), o qual se aproxima da família a fim de dar o golpe do baú. Gustavo vai morar num quarto na casa de Judite (Jacyra Sampaio), inquilina de Olegário. Judite fornece salgadinhos para a rotisseria de Tito e Santuza, um casal com a relação em crise por causa do ciúme doentio desta.

A sobrinha de Olegário, Margarida (Nicette Bruno), só gosta de ser chamada de Margô. Ela é viúva e feminista, preocupada com o casamento da sua filha, Verinha (Lisa Vieira), com Bob (Adilson Vladimir), filho do conservador e machista Bruno (Juca de Oliveira), também viúvo. Bob se aborrece com os constantes desentendimentos entre o pai e a futura sogra. Os dois viúvos intransigentes têm gostos totalmente opostos, mas o mesmo temperamento difícil. Seus filhos se amam, porém têm que contornar os problemas causados pela difícil relação dos sogros.

O conflito maior que envolve esses personagens se dá quando Olegário resolve cortejar a jovem Mariana (Tereza Teller), que se vê obrigada a aceitar a proposta de casamento em troca do perdão da dívida de seus pais, o médico Vinícius (Serafim Gonzalez) e a dona de casa Helena (Carminha Brandão). É quando Tomás passa a disputar com o pai o amor da moça. O rude avarento torna-se mais doce e sensível quando "adota" o órfão Tatá (Haroldo Botta), um menino alegre e encantador que amolece o coração do velho com o laço afetivo que nasce entre os dois.

Para apaziguar todos os conflitos, o chá de camomila e bem-me-quer do Tio Romão é sempre servido em doses certas. Em meio a todas as histórias, Margô, Bruno, Olegário, Mariana e Tomás veem que, realmente, amor com amor se paga, com direito ao chá de camomila e bem-me-quer do Tio Romão.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Se(c)ções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.

Referências

  1. «Camomila e Bem-Me-Quer». Teledramaturgia. Consultado em 23 de abril de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]