Campeão linear

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

No boxe profissional, o campeão linear de uma categoria de peso é um termo teórico, em qual se supõe que se entregue ao boxeador considerado como o melhor de todos na sua categoria. Outro lutador pode ganhar o título linear apenas se derrotar o atual campeão linear em uma luta. O campeão linear é conhecido como "o homem que venceu o homem".[1][2] Não existe um regulamento que indique as condições para este título de campeão linear, e também não existe um método que determine o que fazer com aqueles campeões que se retiram ou mudam de divisão, e seu respectivo título.

História[editar | editar código-fonte]

Este conceito foi desenvolvido por fãs descontentes com a tendência de cada organização (WBC, WBA, IBF, WBO, etc.) de reconhecer cada um seu próprio campeão em cada categoria, e em particular por tomar o título dos boxeadores que se negam a lutar contra seu desafiante obrigatório. Isso era raro antes dos anos 70, pois a Associação Nacional de Boxe (NBA) e a Comissão Atlética do Estado de Nova York (NYSAC) reconheciam diferentes campeões, mas não passava bastante tempo para que estes tivessem que se enfrentar e haver um único campeão, podendo considerar nesse tempo como campeão linear. Vários bons boxeadores foram considerados campeões lineares (por exemplo, Mike Tyson, Lennox Lewis[3]).

Versões[editar | editar código-fonte]

A revista sobre boxe The Ring tem sua própria versão de campeão linear. Um título vago só é concedido quando o primeiro do ranking da The Ring luta contra o #2, #3, #4 o #5 . A revista The Ring tem uma classificação própria dos 10 melhores boxeadores de uma determinada categoria. Em 2007, ela foi adquirida pela promotora de boxe Golden Boy Promotions.[4] The Ring começou a entregar o titulo linear, nas lutas que a Golden Boy promovia (como na de Joe Calzaghe vs. Roy Jones, Jr. em 2008).[5]

Recordes[editar | editar código-fonte]

  • Muhammad Ali é o único a ser considerado campeão linear em três ocasiões. Ele derrotou Sonny Liston (1964), George Foreman (1974) e Leon Spinks (1978).
  • Manny Pacquiao é o único campeão que conseguiu ganhar em cinco divisões distintas (mosca, pena, super-pena, super-leve e meio-médio). Pacquiao obteve três títulos da The Ring em distintas categorias (pena, super-pena, e super-leve).[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Raskin, Eric (24 de março de 2008). «In an ideal world, Casamayor fights the 'Galaxxy Warrior' next». ESPN. Consultado em 20 de novembro de 2008. 
  2. Castellano, Daniel J. (2005). «Critique of "Lineal" Boxing Championships». Repository of Arcane Knowledge. Consultado em 19 de novembro de 2008. 
  3. Rafael, Dan (8 de fevereiro de 2004). «Lewis retires, saying he has nothing left to prove». USA Today. Consultado em 20 de novembro de 2008.. The mission I set out on in the beginning — to become heavyweight champion of the world, undisputed, lineal champion — you could say that mission is complete. 
  4. «Golden Boy Enterprises' Subsidiary, Sports and Entertainment Publications, LLC, Acquires The Ring Magazine, KO, World Boxing and Pro Wrestling Illustrated». Golden Boy Promotions. 12 de setembro de 2007. Consultado em 20 de novembro de 2008. 
  5. Kimball, George (27 de abril de 2008). «Calzaghe claim far from undisputed». Boston Herald. Consultado em 14 de novembro de 2008. 
  6. Rosenthal, Michael (28 de outubro de 2009). «Pacquiao seeking title in record seventh division». The Ring blog. Consultado em 29 de janeiro de 2010.. Pacquiao has won titles as a flyweight (1998), junior featherweight (2001), featherweight (2003, THE RING), junior lightweight (2008), lightweight (2008) and junior welterweight (2009, THE RING), which equals Oscar De La Hoya’s six-division record. And boxing historian Cliff Rold pointed out that Pacquiao is the only fighter in history to win four lineal titles (112 pounds, 126, 130 and 140)